Com carinho, para meus leitores amigos

Espero que estas palavras soem familiares e tragam o conforto e solidariedade de quem lhes quer bem

Um blogueiro aflito, hehehe

Hoje tá osso! Fui dormir, tentei e não consegui. A angústia e revolta são muito grandes para dar lugar ao sono dos justos. Aliás, este foi um dos pensamentos que tanto me atormentou: Fiquei imaginando Aécio Neves, em sua casa, em Brasília. Fiquei imaginando seu desespero — merecidíssmo, diga-se –, e o de sua esposa. Tentei me colocar em seu lugar e sentir sua agonia, sua fragilidade, sua total impotência. A irmã querida presa, o primo-irmão, companheiro íntimo de uma vida preso e ele próprio solto. Os pensamentos perturbadores, o medo, o pânico, o olhar para a filha de apenas 2 anos, a sensação (e certeza) que a vida acabou.

Dias atrás estava pensando nos filhos pequenos de Sérgio Cabral e Adriana Anselmo. Crianças desorientadas, desamparadas, desesperadas em busca dos colos paternos. Frágeis, inocentes, vítimas de pais vagabundos, que terão de pagar um preço incalculável durante a longa vida que lhes aguarda. Ao contrário de tantas outras, vítimas dos seus pais, tiveram tudo para ser felizes, mas foram traídas por quem jamais poderia traí-las.

Me lembrei de Aécio novamente. A cena dele, mendigando dinheiro a Joesley Batista, é algo surreal. Tal qual um mendigo de sinal a nos pedir um trocado, o Senador suplica por R$ 2 milhões: “você pode me ajudar?” Meu Deus, quanta humilhação, quanta falta de vergonha, quanta ausência de dignidade e amor próprio. Como um sujeito destes pode olhar para uma criaturinha de 2 anos, aqueles olhinhos cheios de vida e sentir-se digno de ser pai?

Sabem, amigos, vou lhes confessar uma coisa: Sem qualquer falsa modéstia, me considero um sujeito exemplar. Quem me conhece sabe que tenho razão. Sou o melhor filho que consigo ser. O melhor pai, marido, irmão, cunhado, tio, genro e amigo. Me esforço para jamais decepcionar aqueles que me cercam e que me importam. Jamais prejudiquei deliberadamente alguém. Jamais cometi deliberadamente qualquer injustiça, ainda que vítima — de novo, os que me conhecem sabem do que falo — de uma Justiça injusta. Procuro ser o melhor cidadão que posso também, pois sei que boas práticas incentivam boas práticas.

Continuando com minha confissão, todas as noites em que estou em casa, quando não estou viajando, cumpro uma espécie de ritual: passo no quarto da minha mãe e vejo se ela está dormindo bem. Sigo para o da minha filha, deito ao seu lado e velo seu sono por alguns minutos. É algo sublime olhar quem amamos dormir. Depois vou para minha cama e sempre admiro a beleza da minha esposa antes de fechar os olhos. É isso que me faz dormir tão rápido e tão bem (quando não sou atormentado por pensamentos e imagens ruins, como hoje). E é isso que me faz levantar tão em paz no dia seguinte: a certeza de que sou um bom homem e que tenho minha recompensa por isso.

Como Aécio dorme? Como Temer dorme? Lula, Dilma, Calheiros, Cunha, Cabral? Como estes malditos irmãos Batista, Odebrecht pai e filho e tantos outros notórios ladrões e assassinos — sim, assassinos — dormem? Como olham para os próprios filhos saudáveis, bem-vestidos e bem-alimentados, deitados em camas confortáveis e edredons fofos e não sentem-se responsáveis pelas milhões de crianças jogadas em camas de alvenaria, em barracos espalhados pelo país? Pior: no chão dos corredores dos hospitais? Se nos dói tanto a cólica de um filho, o que dizer de um bracinho quebrado, sem um médico para ajudar?

O “inundado de sentimentos” não é viadagem, não. É realidade! É coragem de assumir ser passional e emotivo. Escrevo isso agora com os olhos encharcados e o coração dilacerado, pois vou cumprir o meu ritual, agradecido a Deus por tanta generosidade, enquanto as vítimas destes vagabundos, que destroem o país, não possuem sequer um colchão decente para dormir. Enquanto amigos mais que queridos enfrentam enormes dificuldades para criar os filhos e sobreviver dignamente. Enquanto um monte de gente não consegue dormir, pensando nas contas, no cheque especial, no condomínio atrasado, no plano de saúde vencido.

Se você que me lê está passando por isso, saiba que lhe sou extremamente solidário e que espero, de verdade, que tudo melhore o quanto antes. Até lá, não desista. Até lá, não deixe de acreditar. E mesmo diante de tantos obstáculos e amarguras, lembre-se que ao menos você possui algo que estes crápulas imundos não possuem: o direito de olhar para seus pais, seus filhos, seus companheiros, seus amigos e saber que é um bom homem, uma boa mulher.

Fiquem bem!

24 thoughts to “Com carinho, para meus leitores amigos”

  1. Verdades em palavras simples, em sensações coridianas, em olhares de vida.
    É sabido que quando o mundo lá fora se torna perverso e quase irreal, voltando-nos para o simples e aconchegante olhar, cuidado e carinho para com os nossos.
    Triste é pensar que, a cada manhã, enfrentamos o drama de outra bomba, que extrai com unhas afiadas nossa esperança por vermos esse sentimento bom, que temos nos nossos pequenos núcleos ,espalhado para além de nossa muros.
    Texto tocante. Retrata nossas noites.

  2. Houvesse mais pessoas como você, e menos como nossos políticos e, principalmente, menos como os milhões que acreditam em Lulas e assemelhados, este país estaria noutro rumo, bem mais tranquilo e mais feliz.
    Mantenham-se assim.

  3. Para quem acredita, este texto é DIVINO… quem pode contestar tudo o que foi escrito aqui pelo Ricardo Kertzman? Muito obrigado ao autor e a Deus por me disponibilizar estas palavras verdadeiras para amenizar as dores que sinto, no meu velho coração, por estar presenciando tanta bandalheira.

  4. Viu, Ricardo, como é fácil ser coerente, imparcial? Eu li tudo, com a atenção. Acho que você, aos poucos, vai entendendo que não vele a pena defender cleptopata, políticos que se comportam como hienas famintas atrás da caça alheia. Jamais coloquei no meu bolso um real ilícito. Alias você disse que: “Jamais cometi deliberadamente qualquer injustiça”. Cometeu, sim, me chamou de bandido sem sequer me conhecer. Errou. Não sou bandido, trabalho desde meus 8 anos de idade, fui vítima do trabalho infantil, e fui vítima de um correligionário “Aécista”, COISA QUE NEM OS “ESQUERDOPATAS” FIZERAM. Nunca defraudei ninguém. Deveria me pedir desculpas, pois se você sente pena de vagabundo do quilate de Aécio e CIA., então deveria se retratar perante um inocente

    1. Um desafio, e se aceitar, retiro o que disse: me mostre como foi a troca de mensagens que te ofendeu. Se eu tiver te ofendido primeiro, eu me retrato. Do contrário, você assume o que eu disse que é. Topa?

  5. Ricardo , obrigado pela sua manifesta força , que acredito ser genuína , em levantar o ânimo e esperança de um povo desacreditado …
    O Brasil conta com você , conta com todos …

  6. Viu só, acabei achando uma boa leitura para a manhã do sábado. Eu também consigo olhar meus próximos com tranquilidade. Post muito legal, parabéns.

  7. Olá Inundado, uma coisa odiosa e intolerável é a exibição de pessoas como troféus a exemplo da exposição de Andrea Neves e da invasão da casa do Presidente Lula, por isso, enquanto essa práticas abusivas e anti democrática estiverem acontecendo fica inviável a aplicação da justiça e do avanço da sociedade brasileira. Temos de construir instituições e implantar o respeito aos direitos fundamentais seja da mais alta autoridade, seja do mais comuns dos zé povinhos. Sorte, Saúde e Sabedoria.

  8. Não gosto muito de elogiar, e muito menos ser elogiada, mas , sem dúvidas, você traduz como ninguém os anseios e aflições da minha alma… da nossa alma ! Em especial no dia de hoje, pois é exatamente isso que escreveu, em que tenho pensado nos últimos dias, o quão sério e grave é, o que estamos vivendo. Raramente, vejo alguém dizer tão bem, e com riqueza de detalhes, o que povoa nossa alma.Impressionante ! Parabéns ! Como não reconhecer a verdade no que diz ?

  9. No livro que está sendo abandonado pela nossa sociedade hipócrita está escrito :
    “Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de aborrecer-se de um e amar ao outro, ou se devotará a um e desprezará ao outro. Não podeis servir a Deus e as riquezas.”
    Mateus 6.24

  10. FORA DA PAUTA – O nobre “blogueiro” sempre foi enfático em afirmar que, notadamente quanto ao escândalo da Petrobras, o Ex-Presidente Lula tinha obrigação de saber de tudo, já que era o Presidente da República à época. Essa convicção é pacífica para muitos que aqui deixam seus contundentes comentários. No entanto, na sua publicação de 18/05/2017, sob o título de “Minha mão no fogo por Meirelles”, exime o sr. Meirelles de qualquer participação no escândalo da JBS. Ora, não haveria aí uma grande contradição? Um, presidente do Brasil, tem obrigação de saber de tudo o que ocorre numa estatal. Outro, presidente do conselho de administração de grupo empresarial (J&F), não deveria nem poderia saber, ao menos, dos vultosos pagamentos feitos pelas empresas que administra? Digo mais, seu principal papel no grupo era de articulador político, função perfeitamente compatível com as tratativas ilícitas denunciadas. Diante disso, indago: seria mesmo competente um presidente que não detectasse tamanha sangria no fluxo de caixa do grupo que administra? Teria tal pessoa competência e moral suficientes para exercer o cargo de Ministro da Fazenda ou de Presidente da República? É, meu caro, foge à minha compreensão tratamentos tão distintos a situações tão parecidas. Em tempo: não vale a desculpa que um está envolvido em várias denúncias. Outro, não. Finalizo parabenizando por esta publicação (desabafo). Ela não está contamina com manifestações agressivas ou ressentidas. Continue adotando essa postura nas próximas publicações e verá que isso não impede que manifeste suas ideias com profundidade e contundência.

  11. Amei o texto!
    Incrível sensibilidade! Mas insisto em não acreditar que esses bandidos “não durmam”, “pensem na família” ou em quem quer que seja, a não ser em sua ambição e cobiça! Tudo isso é muito nobre para esse tamanho de patifaria!
    Obrigada por compartilhar?
    Saúde e paz à sua família ❤❤❤

  12. Parabéns! Seu texto está irretocável, perfeito. Tenho um blog meia boca e gostaria muito que você me autorizasse reproduzir (entre aspas, óbvio) este texto. Se concordar, te dou o nome do blog, para você ver se vale a pena.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.