Parte da PF erra feio, e o Brasil inteiro paga o prejú

Um prejuízo incalculável, no qual ninguém será responsabilizado nem muito menos punido. É o país da avacalhação geral

Ao final, a carne não era fraca. Fraca é a nossa percepção

O que a PF fez no caso da Operação Carne Fraca, ou melhor, a PF não, parte da PF, deveria entrar para os anais da corporação, e da história do país, como exemplo de irresponsabilidade e, sim, vaidade descabida em uma função como a polícia.

Desde o primeiro dia me manifestei incrédulo, como vocês são testemunhas. Escrevi quatro ou cinco posts a respeito (links no final do texto), e em nenhum eu ataquei diretamente as empresas. Cometi até um deslize, do qual já me desculpei , quando comparei a JBS ao goleiro Bruno. O fato é que, desde aquela patética entrevista coletiva, quando o delegado responsável atribui ao Capitalismo a comercialização — agora sabidamente inexistente — de carne podre, eu venho lhes alertando para a batatada que agora se confirma.

A PF já havia recuado nas insinuações, dizendo ter havido certo erro de comunicação. O responsável pelos delegados federais declarou que houve exagero no comunicado. Os peritos judiciais desmentiram os delegados que anunciaram a operação. Ainda assim, uma grande parte, na verdade, a maioria de vocês continuou me dizendo: “Acredito na PF; não acredito no Governo; a PF está sendo pressionada; os grupos são muito poderosos”.  Afora os costumeiros quadrúpedes, que só sabem zurrar palavrões e agressões: “você é empresário vagabundo; defensor dos poderosos; a JBS tá te pagando quanto?”

Pois bem. Hoje foi o próprio juiz federal responsável pelo processo a explicar que: 1) o objeto da investigação era tão somente corrupção de agentes públicos. 2) nenhuma prova de comercialização de carne estragada foi apresentada. 3) justamente por não haver este risco, a operação durou dois anos, sem expor a população a qualquer perigo de saúde. 4) os grandes grupos JBS e BRF estão sendo investigados por corrupção apenas, e no intuito de burlar a burocracia na aprovação de registros. Ou seja: NADA DE PAPELÃO, NADA DE CÂNCER, NADA DE CABEÇA DE PORCO!

Bom, agora vocês (a maioria ao menos) têm dois caminhos: admitir que enganaram-se, por causa da entrevista coletiva e sua repercussão histérica na grande imprensa, ou dizer que o juiz também está comprado, sendo pressionado pelo Governo, e continuar alimentando as próprias teorias conspiratórias. Da minha parte, estou fazendo o que me cabe, que é tentar mostrar a realidade, sempre SEM MEDO de ir contra o consenso.

Errar é humano! Mas persistir no erro… bem… aí já é… deixa pra lá!

Leiam mais! Estão em ordem cronológica de publicação: aqui, aqui, aqui , aqui e aqui

10 comentários em “Parte da PF erra feio, e o Brasil inteiro paga o prejú

  1. Olá Ricardo,

    Meu nome é Luiz, e acompanho sempre os seus posts, e concordo 100% com tudo o que diz. Talvez eu deva acrescentar “infelizmente”, pois retrata um país cujos adjetivos minha educação impede de colocar aqui.

    Envio este por aqui, pois não achei o seu e-mail. Não tem nada a ver com o post, é simplesmente um texto que já recebi muitas vezes, e eu acho que retrata bem porque estamos nesse famoso “estado de coisas”. Desculpe, acho que no fundo te envio esse texto apenas como desabafo

    Infelizmente, como o próprio texto diz:

    “A diferença é a atitude das pessoas, moldadas durante muitos anos pela *educação* e *cultura*”

    A nossa *educação* vai morro abaixo, abandonada por governos (de todos os partidos) aos quais só interessa um povo “burro”.

    Sobre a nossa *cultura* nem vou comentar, coitada…

    Ou seja, os tais pilares comentados no texto vão mal, então, infelizmente, sou muito pessimista com o país em que meu filho vai viver. Espero estar errado…

    Segue:

    ————————————————————————————————–
    *A Diferença entre as Nações Pobres e Ricas não é a Idade da Nação.*

    Isto pode ser demonstrado por países como *Índia e Egito,* que têm mais de 2000 anos e *são países pobres* ainda.

    Por outro lado, *Canadá, Austrália e Nova Zelândia,* que há 150 anos atrás *eram insignificantes,* hoje são países desenvolvidos e *ricos.*

    A diferença entre a *nação pobre e rica não depende também dos recursos naturais disponíveis.*

    *Japão* tem um território *limitado*, 80% montanhoso, inadequado para a agricultura ou agropecuária, mas *é a segunda economia do mundo.* O país é como uma imensa fábrica flutuante, *importando matéria-prima de todo o mundo e exportando produtos manufaturados.*

    Segundo exemplo é *a Suíça,* onde *não cresce cacau* mas produz os *melhores chocolates do mundo.* Em seu pequeno território ela cuida de suas vacas e *cultiva a terra apenas por quatro meses ao ano,* não obstante, *fabrica os melhores produtos de leite.* Um *pequeno país* que é uma imagem de segurança que *tornou-se o banco mais forte do mundo.*

    *Executivos* de países ricos que *interagem* com seus homólogos dos países pobres não mostram nenhuma diferença intelectual significativa.

    Os *fatores raciais* ou de cor, também, *não têm importância:* imigrantes fortemente *preguiçosos* em seus países de origem, *são altamente produtivos em países ricos* da Europa.

    *Então, qual é a diferença?*

    A *diferença é a atitude das pessoas, moldadas durante muitos anos pela educação e cultura.*
    Quando analisamos o comportamento das pessoas dos países ricos e desenvolvidos, observa-se que *uma maioria respeita os seguintes princípios de vida:*
    1. Ética, como princípio básico.
    2. Integridade.
    3. Responsabilidade.
    4. O respeito pela legislação e regulamentação.
    5. O respeito da maioria dos cidadãos pelo direito.
    6. O amor ao trabalho.
    7. O esforço para poupar e investir.
    8. A vontade de ser produtivo.
    9. A pontualidade.

    Nos países pobres, uma pequena minoria segue esses princípios básicos em sua vida diária.

    Não somos pobres porque nos falta recursos naturais ou porque a natureza foi cruel conosco.

    *Somos pobres porque nos falta atitude.* Falta-nos vontade de seguir e ensinar esses princípios de funcionamento das sociedades ricas e desenvolvidas.

    ESTAMOS NESTE ESTADO PORQUE *QUEREMOS LEVAR VANTAGEM SOBRE TUDO E TODOS.*

    ESTAMOS NESTE ESTADO PORQUE VEMOS ALGO FEITO DE FORMA ERRADA E DIZEMOS – *”Não é meu problema”*
    DEVERÍAMOS LER MAIS E AGIR MAIS!

    SÓ ENTÃO SEREMOS CAPAZES DE MUDAR NOSSO ESTADO PRESENTE.
    ————————————————————————————————–

    1. Luiz,

      Em primeiro lugar, deixe-me agradecer por sua mensagem e por seus elogios.

      Conheço o texto, é bem antigo, e muitíssimo pertinente. Obviamente não encerra a questão Brasil, mas explica muita coisa, sim.

      Veja bem o que ocorre neste insignificante espaço de opinião — e falo isso sem qualquer falsa modéstia, viu? Apesar de ser um estrondoso sucesso, mais de 1 milhão de usuários únicos em pouco mais de seis meses,é um blog insignificante no contexto nacional. Pois bem. Reparou no tipo de argumentação advinda dos que eu carinhosamente chamo quadrúpedes? É puro reflexo da: 1) educação e 2) cultura.

      Talvez sejam os dois principais pilares de qualquer nação que se pretenda desenvolvida.

      Abraço e obrigado outra vez!

  2. Olá Inundado, desde que Lulinha Paz e Amor cometeu o erro de retirar o Delegado Paulo Lacerda do comando da PF e o fez em cumprimento das astúcias do Death Vader, também conhecido como Doutor Ferrão, o Gilmar Mendes, a corporação virou um balaio de gatos no qual vários grupos se digladiam, o que resulta em prejuízo ao país. Depois, para piorar, a Presidente Dilma sancionou – sob chantagem – a Lei 12.830/13 o que contribuiu com a piora da atuação da instituição. Agora, nesse tempo de estado de exceção que estamos vivendo, vai demorar até que volte ao equilíbrio. Grato.

  3. É a roda do caos : sociedade corrupta gera fiscais corruptos e empresários corruptos, que financiam políticos corruptos, que são eleitos por eleitores corruptos; políticos estes que fazem políticas para corromper ainda mais esta sociedade.
    O Brasil está em processo de autodestruição ! O Brasil está tal qual um viciado em drogas pesadas!
    Ou a parcela pensante da nossa sociedade se convence disto e resolva traçar um caminho para sair desta espiral ou o nosso fracasso secular se transformará em um caos espetacular !

  4. J. Pinto, a elitizinha rapinosa e extrativista aproveita a deixa, e a pretexto de combater a corrupção, cria mecanismo – como a terceirização – para intensificar ainda mais a concentração de renda em Pindorama. A crise no Brasil é permanente, não ha novidade quanto a isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.