7×1, outra vez, para a hipocrisia

Conforme tenho escrito aqui estes dias, o Brasil jamais se livrará do ranço esquerdista que nos amarra ao fundo do poço

Cê tá no Brasil, rapá! Pensa que é assim e sai falando o que quiser?

Ai, ai. Tô parecendo disco arranhado, né? Deve ser o meu décimo post sobre o mesmo assunto, em apenas dois ou três dias. Mas é inevitável. Ao menos para um sujeito como eu.

O Brasil entrou em transe por conta das mortes nos presídios. O mesmo transe que nos abandonou há décadas e faz com que “caguemos e andemos” para as mais de 60 mil mortes de inocentes por ano. Ou por sei lá mais quantos mil mortos, nos hospitais públicos, por falta de atendimento.

Um político qualquer, mais um que não faz porcaria nenhuma e possui algum cargo público — filho, como não poderia deixar de ser, de um outro político apaniguado do poder –, destes que vivem pendurado numa teta estatal às custas do nosso dinheiro de trabalhador privado, fez uma declaração perfeita, porém absurdamente politicamente incorreta. Disse o óbvio: que se danem e que matem-se os presos, pois está muito mais preocupado com os inocentes das cidades. Leia tudo aqui, no Portal UAI.

Bingo! Corretíssimo, o rapaz. Estupradores, assassinos, traficantes e afins esquartejando-se entre si mesmos que se virem, ora. Mas pra que, né? O mundo caiu-lhe sobre a cabeça oca. Foi imediatamente demitido do cargo de Secretário Federal da Juventude. Só não comemoro a economia de dinheiro, cerca de R$ 14 mil por mês só de salário, porque amanhã mesmo já terá um outro filho de algum deputado no lugar. O Brasil produz chupins como ninguém. Quando um larga a teta, logo aparece outro para sugar. Por que Michel temer não aproveita e extingue esta bosta de cargo?

Mas vejam bem como impera a lógica dessa gente. Os governadores, os verdadeiros responsáveis pelas chacinas, estão muito bem lotados nos respectivos cargos. Os secretários de segurança pública dos estados, idem. Nenhum mísero funcionário público, ligado à administração dos presídios, foi demitido. O Ministro da Justiça continua, dia sim, dia também, concedendo horas de entrevistas idiotas nas rádios e TV’S. Tudo e todos absolutamente nos (in)devidos lugares. Ou incompetentes, ou omissos, ou corruptos, continuam recebendo seus salários e mantidos nos cargos. Mas…

Mas o gordinho linguarudo se atreveu a botar alguns pingos no “is” e “sifu”. Dançou, rodou, foi pro saco! Não que ficará na pior por conta disso. Logo, logo o papis-deputado lhe arranja uma outra boquinha pública. Aposto que não vira o mês sem um emprego estatal. Mas é uma puta sacanagem; mais uma da conhecida hipocrisia brasileira. O cara apenas disse o que praticamente todos pensam, mas não têm coragem de admitir. Será massacrado pela imprensa patrulheira de esquerda; a mesma que absolve Lula, quando chama funcionários públicos concursados de vagabundos. Pois é.

Temer se mostrou competentíssimo em demitir boquirrotos falastrões, né? Poderia ser também com os Padilha, Gedel, Moraes e outros. Afinal, palavras causam muito menos danos aos nossos bolsos.

Leiam também.

4 thoughts to “7×1, outra vez, para a hipocrisia”

  1. Pqp carequinha, mas é que não podemos sair falando tudo o que temos em mente… Seria mais catastrófico que o atual cenário mundial… Ou não? Bom, não temos formação suficiente para ter certeza carequinha raivoso e angustiado. Bom ano e que venha com uma certa leveza para todos nós

  2. Ricardo, com as 90 vagas nos presídios (57 no estado do Amazonas e 33 no de Roraima) o Juíz Sérgio Moro que se coce pois tem vaga para o Lulla, a Dilma e derivados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.