Dinheiro de campanha: Como vem e como volta

Enquanto Alexandre Kalil, devendo até as tampas, investe R$ 2,2 milhões na própria campanha, João Leite torra o nosso dinheiro.

BH dividida: João Leite ou Alexandre Kalil. Vote certo.

É, meu amigo leitor, minha amiga leitora, a treta é tensa!

Alexandre Kalil, o candidato que diz não pagar IPTU há 15 anos e a centenas de credores privados porque não é “político pendurado nas tetas do governo” e por que está “apertado como todo mundo”num imenso gesto de altruísmo e amor ao próximo resolveu investir mais de 2 milhões de reais em sua própria campanha. Façam a conta: O salário do prefeito é algo como R$ 25 mil por mês; e nem vou levar em consideração os descontos, ok? Assim, num mandato de 4 anos o prefeito perceberá cerca de R$ 1,2 milhão. Se for bom e for reeleito, R$ 2,4 milhões. Ou seja, Alexandre Kalil sequer empatará o capital investido, pois há que se levar em conta o chamado “custo de oportunidade”, que é o valor que tal quantia lhe renderia em dois anos (caso consiga dois mandatos seguidos). Trabalhará de graça e ainda perderá dinheiro. Assim, me resta apenas lhe dizer:

Obrigado, Alexandre! Muito obrigado. Você é um verdadeiro belo-horizontino. Arriscando e doando tanto dinheiro assim, apenas para tentar ser prefeito e melhorar a vida da população. Isto, sim, é caridade. Madre Teresa de Calcutá não faria tão bem.

Mas acabou, não. Segura que tem mais…

João Leite não é tão rico! Apesar de Alexandre Kalil dizer que está em dificuldade financeira, declarou um patrimônio pessoal de quase de R$ 3 milhões. João tem “apenas” R$ 1.8 milhão. E como não possui o desapego financeiro do seu concorrente, apelou para a tradicional “vaquinha”. Sim, queridos, aquela ação entre amigos onde todos contribuem, sabem? Só que no meio político a coisa é um pouco diferente. Ao invés de o candidato passar a sacolinha entre os amigos e cada um doar o que quiser —  se quiser –, inventaram um negócio chamado Fundo Partidário. Quer que eu traduza? Pois bem. É o dinheiro que o Estado toma da gente, via impostos, e dá aos partidos políticos de acordo com a bancada e número de votos. Ou seja: Quem está bancando a campanha do João Leite sou eu, você e todos os outros brasileiros vivos, de Minas ou do Acre, ricos ou pobres, inclusive aqueles que votarão em Alexandre Kalil.

Sinceramente, eu não sei nem o que pensar…

Imaginem qualquer um de nós com uma montanha de dívidas, privadas e públicas, com uma empresa em processo falimentar e ainda assim com um belo patrimônio, dispor de mais de R$ 2 milhões para arriscar numa campanha eleitoral. Imaginaram? Pois é. Já eu não consigo sequer imaginar.

Por que Alexandre Kalil está investindo esta fortuna toda para tentar ser prefeito? A resposta, meus caros, só ele pode dar. Talvez a gente também saiba o por quê, mas não falamos porque somos educados e crentes na boa vontade dos homens, hehe.

Por sua vez, a despeito de toda idoneidade, legalidade e transparência que lhe cercam, João Leite faz uma campanha paga com o meu dinheiro; e sem me pedir autorização. Pior. Há dinheiro de todos os outros partidos coligados. Assim, mesmo um eleitor do, sei lá, PP e que não tem qualquer simpatia pelo PSDB, está vendo sua bufunfa suada virar cartaz do 45. A culpa é do João? Não, não é. É da maldita Lei Eleitoral! Lei esta feita por todos os partidos e todos os políticos eleitos. Então, por que eu estou batendo nele? Porque ele faz parte deste universo espúrio da política e há anos tem jogado conforme as regras deste jogo que eu tanto detesto.

“Poxa, Ricardo, que coisa! Um, “”doa”” mais de R$ 2 milhões do próprio bolso; outro, torra sei lá quanto de dinheiro público. Em quem eu devo confiar?”

Bem, aí é com cada um de vocês, né? Eu sei em quem EU posso confiar. Disso eu não tenho a menor dúvida.

LEIA TAMBÉM

41 comentários em “Dinheiro de campanha: Como vem e como volta

    1. Havia vários candidatos, mas a população através do voto, que é soberano , voltou nesses dois que vão para as finais da eleição. Então, o que a maioria, que é o que vale, decidir, resta-nos aceitar o resultado.

      1. Ok. Concordo contigo em gênero número e grau mas na urna tem aquele botãozinho branco pra que? Pra deixar claro que nenhum dos candidatos presta. Grande parte dos esforços na campanha de segundo turno foram voltados aos eleitores que não votaram em ninguém no primeiro. Não é o meu caso. Meu candidato não foi para o segundo turno. OK Oswaldo?!

    2. Na verdade, o Kalil é um homem que nasceu rico e toda a família tem negócios , então relacional com a nata da sociedade de BH e se recorrer a 100 amigos para lhe “DAR” 100 mil reais cada, para sua campanha, no outro dia sua conta amanhece com 100.milhões, creditados.

      1. Renovar com alguém mais sujo que pau de sebo? Brincadeira de mau gosto, estamos falando da prefeitura de BH, não é lugar para “experimentar “! Vamos votar com um mínimo de consciência, não gosto de nenhum dos dois, mas João Leite pelo menos tem propostas factíveis, kalil é fanfarrão!

  1. NÃO CAIAM DE NOVO NESTE DISCURSO POPULISTA!!!!É MAIS UM FALSO SALVADOR DA PÁTRIA QUE SE DIZ DIFERENTE, QUE FALA NUMA LINGUAGEM PARA POVÃO, MAS É MUITO PIOR DO QUE QUEM ACUSA OU CRITICA, OU SEJA, OS POLÍTICOS. AINDA HÁ TEMPO DE EVITAR UM DESASTRE. COMO ALGUEM QUE DEVE IPTU HA 16 ANOS VAI QUERER COBRAR DIGNAMENTE ESTE TRIBUTO DA POPULAÇÃO. A C O R D E M B E L O R I Z O N T I N O S !!!
    SE ELE GANHAR SERÁ COMO UM LOBO TOMANDO CONTA DO GALINHEIRO.

  2. Onde está o Ministério Público? Como pode um cidadão que não paga impostos concorrer a candidato de uma cidade do tamanho de BH? Onde estão aqueles moralistas que a pouco tempo lotavam a ruas e batiam panelas contra a corrupção?

  3. Só um grande abobado mortadela para votar neste DISSIMULADO MENTIROSO do kaliu. Daqui de Brasília estou com dó dos belo-horizontinos. Pobres mineiros, colocaram no 2º turno uma disputa dos gramados de futebol. Um pelo menos trabalha na administração política faz um tempinho, deve ter feito algo de bom neste tempo. O outro é um grande OPORTUNISTA. Acorda, capital do estado berço da cultura deste país. Vocês são melhores e muito maiores do que um turco mercenário ávido por poder!

    1. Desculpa, mas tá na política a 6 mandatos, foi secretário de estado e não fez nada útil pra ninguém, a não ser ajudar a crescer sua associação de Atletas de Cristo.

      1. Não fez nada?!?Lei de incentivo à doação de orgãos, projeto Campos de Luz entre outros!! Pesquise!! Você já entrou no site do TJMG e viu os processos do Kalil? O que o Kalil fez? Comprou a Libertadores!!

  4. Estas contas que você fez, colocam em descrédito qualquer eleição no Brasil. Sabemos que os ganhos legais, não cobrem os custos de uma eleição nem de vereador e nenhum outro cargo. Todos sabem disto e todos compactuam com o fato. Se não for repensado o modelo como elegemos, remuneramos e fiscalizamos nossos representantes, será sempre assim. O estado brasileiro tem de ser reestruturado, mas isto passa pelos políticos e será que eles pensam assim?

  5. Ricardo tenho o mesmo sentimento. Estamos em “mato sem cachorro”. Peço sua ajuda com o seguinte assunto: Supersalários dos deputados da ALMG, legislatura 1999 – 2003, me parece que João Leite erá deputado nesse legislatura, sabe me dizer em que pé está esse processo? a única coisa que encontrei http://www.em.com.br/app/noticia/politica/2009/12/16/interna_politica,140327/deputados-que-receberam-supersalarios-sofrem-nova-derrota.shtml

    1. Oseias, sinceramente não sei do que se trata este assunto. Mas posso te garantir uma coisa: Fraco ou não, pau mandado do Aécio ou não, frouxo com os criminosos ou não, acusem ou pensem qualquer coisa do João Leite, exceto que seja do mal ou aproveitador. É um sujeito muito do bem e de enorme coração. Se serve ou não para prefeito, aí é opção e opinião de cada um. Abração!!

  6. Pelo visto, caro autor da matéria, digo que esta é altamente tendenciosa pois para ser candidato, qualquer cidadão tem que ser filiado há algum partido político. Então, se o PSDB recebe do Fundo Partidário, o PHS partido Alexandre Kalil também recebe. Porquê você não mencionou isto?Porquê você também não mencionou que Kalil apesar de ter “doado” dinheiro para sua própria campanha, deve além de IPTU, INSS e FGTS dos seus funcionários?

    1. Porque o tema do post não era o Alexandre Kalil ou o João Leite, mas, sim, como se vê no título, o dinheiro da campanha. Sobre o fundo partidário, se analisar as contas de campanha do Kalil verá que sequer aparece dinheiro do partido dentre os principais recursos. Sabe Guilherme, o que me chateia é ler gente como você que não entende de um assunto e logo sai rotulando o autor. Se eu quisesse ser tendencioso, como você me acusa, não tocaria nas contas do João Leite, pois é em quem eu voto.

  7. Triste. O cara transa com taça, ofende mulheres, não paga IPTU e usa da popularidade do time do coração para se eleger prefeito. E o povo cai nessa. Se esse cara for eleito prefeito, estamos ferrados. Pobre Belo Horizonte…

  8. Grande parte dos petistas vão votar em Kalil como oposição e vingança ao PSDB de João Leite. Novamente vocês votaram errados e nós todos que iremos pagar, da mesma forma que estamos pagando (e ainda por muito tempo) pela hecatombe provocada pela transloucada Dilma. Meu medo é que vocês petistas são muito frágeis a discursos populistas, de salvadores da pátria. BH não merece um populista exatamente uma espécie obsoleta em extinção no mundo todo, a começar de Brasília. Não defendo o João Leite e nem sou PSDB mas por DEUS, não cometam este grave erro. Está mais que na cara que ele é um grande oportunista. Não tem a menor qualificação para administrar BH.

  9. Novamente,outra vez,em seguida,amiúde …..como pode um grotesco cidadão escrever comentários que ele próprio não deve ser o autor intelectual em um jornal de terceira categoria controlado pela triste e já conhecida elite mineira (estou falando de política).
    Boa noite,vou dormir,já li besteira o suficiente.Vai estudar Ricardo,política é ciência e não fofoca.

    1. O funcionário público da Prodemge que usa o e-mail corporativo para finas pessoais apareceu de novo? Sai do meu pé chulé! Não gosta do que eu escrevo, não gosta de mim, não gosta do grupo EM, mas não sai daqui. Eita vontade de sofrer!!

  10. Futebol e política nunca deveriam ser confundidos. Vou votar no menos ruim. Pelo ao menos no que não tem a cara de pau de mesmo devendo IPTU há mais de 15 anos, ainda assim pretende ser prefeito. Isso não existe em nenhum lugar do mundo,

  11. Só não entendo porque vejo tanta gente criticando políticos (não sou e nem serei candidato a nada), até mesmo dando a receita de como se faz, mas não se apresentam como candidatos. Criticar e até mesmo falar do que não têm conhecimento é fácil. . .

  12. Qual a fonte dessa informação? Segundo dados do TRE, o ex-presidente do Atlético Alexandre Kalil acumulou R$ 2.787.609,13 em patrimônio. Como uma pessoa com patrimônio declarado de 2,7 milhão faz uma doação de 2,4 milhão? Você conferiu a informação?

  13. Prefiro mil vezes um incerto como Kalil do que um pau mandado do playboy Aécio. Podem fazer propaganda à vontade mas PSDB nunca mais. Vou votar no menos pior, mmas o meu voto eu não anulo de jeito nenhum. Se os outros querem passar um cheque em branco se omitindo, azar deles. Só não podem reclamar depois. Felizmente a maioria de BH parece estar comigo (não a maioria daqui do EM, óbvio).

  14. O dinheiro e do kalil ele faz oque quizer.agora politica e isso suja,o sujo falando do mal lavado,entre joão leite e kalil eu sou mais kalil, não q ele seria melhor, mas sim porquer e contra joão leite capacho do aecim do aeroporto.

  15. NÃO HÁ COMO MUDAR ISSO!!!NÃO HÁ!!!REFORMA POLÍTICA JÁ!!!ESSA REFROMA PRESUME A EXTINÇÃO DO FAMIGERADO FUNDO PARTIDÁRIO, SERÁ QUE A CAMBADA QUE ESTÁ AÍ VAI VOTAR PELA EXTINÇÃO DO MESMO?DUVIDO MUITO!!MAS HÁ QUEM DIGA QUE AS COISAS ESTÃO A MUDAR!!VALHA-NOS DEUS ENQUANTO ESSE MOMENTO NÃO CEHGA!

  16. Fato histórico: Hitler chegou ao poder na Alemanha, porque dizia o que as pessoas queriam ouvir e não o que elas precisavam ouvir. Façam suas análises

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.