Políticos encontram no STF um colo de mãe.

Investigação da PF descobre elo entre propina de Belo Monte e senadores do PMDB: Renan Calheiros, Romero Jucá, Jader Barbalho e Valdir Raupp.

Ulálá!! Que coisa, que surpresa. Propina destinada a senadores do PMDB? Jura? Coisa inacreditável, não é mesmo? Mas e daí? Do que adianta a PF investigar, apurar, incriminar; depois o MPF encaminhar a denúncia e pedir abertura de processo se a Suprema casa do compadrio nada faz? Quantos inquéritos ou pedidos de abertura de processos contra políticos com foro especial por prerrogativa de função — o famigerado foro privilegiado — repousam tranquilos nas gavetas de Vossas Excelências, os supremos togados? Só Renan Calheiros tem uns onze ou doze. A cada ano, um ou outro prescrevem. e assim caminha a nossa humanidade brasilis enquanto os donos da bola deitam e rolam.

O STF é a corte máxima de um país em transe, perdido entre a incompetência e o fisiologismo, e emporcalhado pela corrupção. Como tal, deveria emanar celeridade, rigor e segurança jurídica a fim de fazer saber que os “malfeitos” não encontrarão outro abrigo senão a Papuda. Mas nada. Por falta de estrutura adequada, mesmo nos custando zilhões anuais, ou mesmo por mera conveniência política ou ideológica, para se dizer o mínimo, a Suprema Corte faz imperar a lógica da procrastinação e da impunidade. Tornou-se o porto seguro dos piratas da nação. Capitão Renan “Gancho” Calheiros que o diga.

A máfia agradece e o país… padece.

Leia: Dá-lhe Sérgio Moro!

 

5 comentários em “Políticos encontram no STF um colo de mãe.

  1. Enquanto tivermos esse povo sem cultura, nada vai para frente neste país. E os coxinhas só preocupados como PT, isentando o resto dos políticos de outros partidos. Nada vai mudar se nós não nos posicionarmos e exigir mudanças radicais em todas as esferas. inclusive a reforma política, para acabar também com as mordomias e aposentadorias precoces desses pseudo políticos.

  2. Infelizmente, o povo se assemelha a uma manada de bovinos, quando um faz, a grande massa vai atrás. A pergunta que cabe neste momento é a seguinte; de que adiantou tirar a Dilma da Presidência da Republica se nos bastidores os canalhas, os patifes, bandidos e quaisquer outros adjetivos que queiram inserir ( ainda faltarão outros) permanecem lá? Falo sem partidarismo, apesar de ter votado na Dilma. Nosso problema reside em uma questão muito mais ampla, que começa quando o individuo faz as seguintes afirmativas, a) “não tem nada a ver com isso” e também b) ” não quero nem saber de política”. Esse dois, compõem o caminho mais fácil para este tipo de pessoa chegar ao poder e se perpetuar. Infelizmente. Diante da falta de cultura política, dentre muitas outras deficiências, propiciam a inércia a que nos sujeitamos cotidianamente, também porque ninguém cobra nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.