O porco (também) é você!

 

Arte, segundo alguns. Manifestação, segundo outros.

Um simpaticíssimo leitor, também chamado Ricardo (claro, he he!), me enviou um comentário sugerindo um tema: uma carta à nós mesmos, população de BH — e de outras cidades, pois o comportamento é comum — chamando a atenção para o mesmo tipo de descaso e desrespeito que temos pela cidade, tal qual os políticos e administradores têm. Missão dada, missão cumprida! Autocrítica sempre é bom. Até porque, caros leitores, sentar em cima dos próprios defeitos e criticar os dos outros não é honesto. É hipocrisia! É cinismo! Adiante…

Não sem razão, reza a lógica que um povo é governado por quem merece. Ou por outra, nossos políticos são o espelho da sociedade. Bem, como discordar? Se vige no Brasil o sistema democrático, onde os governantes são eleitos pelo voto direto e individual, obviamente que o bom ou mal trabalho dos caras estão amparados por quem os elegeu. Pois bem. Diante desta inegável situação, nos resta sempre duas opções: eleger e vigiar o trabalho do eleito; reeleger ou não reeleger após quatro anos. Assim, seguramente estaremos aptos a receber os louros ou as broncas pelo ocorrido. Do contrário, ausentando-nos do processo eleitoral, estaremos apenas sujeitos às broncas. Por mera omissão!

Entrada USB entupida por um imbecil!

Mas ainda pior é o comportamento observado na cidade, não pelos políticos, mas, sim, pela própria população. Quem picha os muros e até mesmo monumentos históricos? Quem entope os bueiros e bocas de lobo? Quem emporcalha os lotes e terrenos baldios? Quem rouba tampas de caixas de esgoto e energia? Quem pendura tênis nos fios e cola cartazetes nos postes? Quem, no limite, depreda equipamentos públicos e ateia fogo em ônibus?

Dia destes vi uma imagem chocante: Alguns ônibus estão equipados com entradas USB para smart phones e tablets. Pois bem. Não é que há imbecil entupindo estas entradas com chicletes? E o que dizer dos novos pontos de ônibus, equipados com wi-fi e já destruídos após menos de um mês instalados? Ou mesmo prédios históricos, tombados pelo patrimônio cultural onde lê-se em suas placas explicativas: “Fora Temer”.

Não foi o prefeito quem fez isto!

Fora, Temer? Fora! Fora Temer, Lula, Dilma, Calheiros, PT… Fora o diabo que os carregue! Mas igualmente “FORA” você, seu vândalo porcalhão! Fora você e todos aqueles da sua espécie, que deveriam estar trancafiados em uma jaula de um jardim zoológico. Ou, no mínimo, numa jaula em uma cadeia qualquer. Lá é o lugar de gente como vocês! Juntamente com todos os governantes corruptos que tanto criticam. E por favor: Não me venham com a baboseira de arte, de expressão popular. Pichação é pichação e vandalismo é vandalismo! Querem expressar os sentimentos e a indignação represados? Pichem os próprios quartos. Ou as próprias casas. Querem dar vazão à rebeldia e à revolta? Destruam as janelas de onde vivem ou os carros dos próprios pais. Mas deixem o patrimônio alheio fora disto. Deixem a cidade, que é de todos, acolher de forma digna e bela seus habitantes.

Os civilizados agradecem!

 

 

3 comentários em “O porco (também) é você!

  1. a falta de educaçao de geraçoes passadas, refletem na nossa sociedade atual, os politicos prevaricaram em suas funçoes de incentivo a educaçao das massas e uma massa como a brasileira, sem referencia de passado, familiar ou civilizatoria, acaba PARINDO pessoas de epocas barbares, como os vandalos, antigos barbaros da idade media…

  2. Olá Ricardo (xará), é um prazer voltar a falar com você. Obrigado pela lembrança, e parabéns pelo excelente texto como sempre. Você sempre diz exatamente o que boa parte das pessoas pensa. Concordo com o comentário do Paulo quando diz que educação é um dos pilares da sociedade, juntamente com caráter e honestidade. Um abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.