Skip to main content
 -
Pedro Henrique é professor, blogueiro e cruzeirense fanático. Escreve desde 2012 e já teve passagens no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Siga @RealPedrin no Twitter e acompanhe diariamente os comentários do blogueiro. Curta a fan page oficial do blog no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/

A farra acabou: renúncia da diretoria é pauta inegociável

Em protesto, torcida exige saída de Wagner Pires, Hermínio Lemos e Ronaldo Granata. (Foto: Vinnícius Silva/Cruzeiro)

 

8 de dezembro de 2019. Dia para nunca mais ser esquecido por qualquer cruzeirense. O nosso clube foi rebaixado para a segunda divisão nacional. Agora, não tem mais essa de “time grande não cai”. Todo mundo sabe que qualquer clube, independentemente de sua grandeza, pode cair. Mas era bom ostentar esse ‘título’ de time ‘incaível’. O que eu tenho para dizer para essa imensa torcida que hoje vive o pior momento da história do clube? Muitas coisas.

Em primeiro lugar, não fomos rebaixados no dia 8. O Cruzeiro foi rebaixado quando Gilvan de Pinho Tavares e Alexandre Mattos começaram a gastar o que tinham e o que não tinham para fazer o clube ser bicampeão brasileiro. “Eu quebro o Cruzeiro, mas vou ser campeão brasileiro”, teria dito Gilvan a um presidente de outro clube brasileiro. Mattos, que boa parte da torcida adora, fez contratos extensos com atletas como Breno Lopes e Joel, que nunca deram retorno técnico para o clube. Estávamos pagando salários de jogadores como eles até ontem. Isso também é má gestão. Mas não nos esqueçamos que, mesmo após ser bicampeão brasileiro, o Cruzeiro conseguiu a façanha de ficar sem patrocinador máster por meses. Inacreditável. Como um clube que se sagra bicampeão nacional fica sem patrocínio? Tem que ter muita habilidade para fazer isso. Depois veio Bruno Vicintin que, por mais que tenha amor pelo Cruzeiro (todos nós temos, afinal), também tem culpa no cartório. Quem não se lembra daquela barca furada de jogadores contratados em 2015? E quem lembra de nomes como Isaías Tinoco e Thiago Scuro? Pois é.

Alguém consegue explicar para onde foi o dinheiro da venda dos jogadores que foram bicampeões brasileiros com o Cruzeiro? Até hoje eu não sei dizer. O que temos de realidade são dívidas gigantescas na FIFA. E as contratações milionárias nas categorias de base? O que elas renderam para o Cruzeiro efetivamente? E o loteamento de cargos? Coloca tudo isso na conta de Gilvan de Pinho Tavares e sua turma, os grandes responsáveis pelo aumento exponencial da dívida do clube.

Gilvan, não esqueçamos, apoiou Wagner Pires para a presidência. As eleições foram um verdadeiro caos. Até hoje eu não entendo muito bem o que ocorreu. Perrela ajudou a eleger Gilvan, que apoiava Wagner. Do outro lado tinha Sérgio Santos Rodrigues, que agora era apoiado por Perrela. Gilvan rompe com Wagner. Wagner alia-se a Itair Machado. A chapa “união”, depois de fragmentar o Cruzeiro, é eleita. Perrela aparece como aliado da chapa a que se opôs. Em meio a tudo isso, teve até arapuca. Armaram uma blitz da polícia para Wagner ser pego no bafômetro. Teve até ajuda de vereador, que depois foi visto almoçando com Wagner. Confuso, não?! Isso é que virou o Cruzeiro. Vencidas as eleições, a nova diretoria assume o clube e pela primeira vez na história cria-se uma oposição no Cruzeiro. Oposição? Cruzeirense se opondo a cruzeirense? Não poderia dar certo. Oposição, meus amigos, é coisa de política. No Cruzeiro, não pode haver uma oposição destrutiva. Mas houve. E nem Alexandre Kalil poderia fazer melhor. Os próprios “cruzeirenses” ajudaram a destruir o Cruzeiro. E conseguiram.

Sob o comando de Itair Machado, o Cruzeiro saiu da página de esportes para entrar nas páginas policiais. Um título da Copa do Brasil ajudou a mascarar a bandidagem, a corrupção e os mais diversos tipos de ilicitudes que ocorriam dentro e fora da Toca da Raposa. A esculhambação foi tanta que o caso do Cruzeiro ganhou repercussão nacional, em horário nobre da TV Globo. Foi o auge da crise. Figuras como Sérgio Nonato, um comentarista de televisão que ganhou um cargo de confiança e um salário astronômico, foram expostas. Denúncias de pessoas pagas para “fazer publicidade” para o Cruzeiro apareceram: PC Almeida, João Felisberto, Vibrantinho. Publicidade?

Wagner Pires, pior presidente de toda a história do Cruzeiro Esporte Clube, elemento completamente figurativo, um fantoche, a “Rainha da Inglaterra”, permitiu que esses sevandijas usurpassem o Cruzeiro. E quem deveria impedir toda essa ladroagem estava bem longe do clube, mas ocupando o cargo de presidente do Conselho Deliberativo: Zezé Perrela. Não me venha com esse papo de que você não podia fazer nada, Perrela. A gente te conhece. Você poderia ter feito muita coisa. Poderia ter impedido essa gente de falir o clube. Mas você passou um ano sem nem dar as caras no Conselho. Depois, quando a garapa azedou, apareceu para assumir a presidência, que era de Itair Machado. Você foi omisso e irresponsável. E agora não se coloque como o salvador da pátria. A torcida não te quer aqui. Se for por falta de adeus, não se preocupe, a gente até chama um táxi para você voltar para Brasília. Se quer mesmo ajudar o Cruzeiro, afaste-se dele.

Dentro de campo, muitos irresponsáveis. Mano Menezes é um deles. Desempenho abaixo da crítica no Campeonato Brasileiro. Quando o clube acordou, já era tarde demais. Com salários e gratificações atrasados, os jogadores decidiram não jogar mais. Isso para mim ficou muito claro. Não houve um dia de raça. Não houve um dia em que eles buscaram a vitória. “Desaprenderam” a atacar. Thiago Neves, Robinho, Fred, Pedro Rocha, Marquinhos Gabriel e companhia. Gente de peso. Egídio e Dodô, de esperança a chacota. Esqueceram de jogar bola? Duvido. Até o Dedé, por quem eu tinha profundo respeito, pisou na bola. Defendeu os amigos e colocou Rogério Ceni na berlinda. Em 2019, a única pessoa que respeitou a grandeza do Cruzeiro foi Ceni. Quem diria.

“Paizão”, Abel Braga protegeu medalhões e teve desempenho pífio no Cruzeiro. (Foto: Bruno Haddad/ Cruzeiro)

Depois veio o paizão Abel Braga. Meu Deus, que cara despreparado. Parou no tempo. Não entende mais de futebol. Qualquer um faria melhor. E, por fim, no apagar das luzes, Adílson Batista aceitou viver o pior momento da história do clube com os cruzeirenses. O menos culpado nessa história toda. Sua vinda para cá foi um gesto de amor. Aceitar o convite de um clube sem comando, que não paga ninguém, que tem elenco rachado e vaidoso para fazer três jogos dificílimos, sendo dois deles fora de casa, só pode ser visto com um ato de amor. Adílson, que não tinha absolutamente nada a ganhar, colocou no seu currículo um rebaixamento. Por amor. Gostem dele ou não, foi o cara que aceitou viver isso tudo ao nosso lado. Acho que o Cruzeiro precisa, nesse momento, de pessoas assim. Porque agora o que mais vai ter é pessoas sumindo, indo embora e se eximindo da culpa.

Não posso deixar de mencionar as torcidas desorganizadas. Elas foram responsáveis também. Foram compradas. Brigaram entre si enquanto o Cruzeiro ia ruindo. Que moral terá a Máfia Azul, a Pavilhão Independente e a Geral Celeste agora? No momento mais difícil da nossa história, elas se venderam, se omitiram e ajudaram a afundar a instituição.

A imprensa mineira, salvo raras exceções, também passou pano para Itair Machado e sua trupe. Coube à mídia do eixo apresentar as denúncias e os responsáveis pela queda do Gigante. Aqui em Minas Gerais boa parte da imprensa preocupa-se mais em fazer fofoca do que fazer jornalismo. Aliás, tem faltado muito jornalismo para os jornalistas. Tem faltado profissionalismo. Tem faltado compromisso ético.

Hoje é sexta-feira, 13 de dezembro de 2019. Acabo de chegar da manifestação convocada pela torcida com o intuito de reivindicar a renúncia da atual diretoria. Precisamos começar agora a reformulação. Eu sei que estamos todos machucados e com raiva, mas o Cruzeiro precisa mais do que nunca da sua torcida. Financeiramente. E para que possamos colocar nosso dinheiro no clube, precisamos cobrar mudanças drásticas. Precisamos de novas eleições. Precisamos de um novo estatuto. Precisamos de gente séria e profissional na gestão e em todas as áreas do clube. Precisamos acabar com as brigas. Precisamos de muita coisa. E se tudo isso não for feito, o Cruzeiro não vai se reerguer. Então, torcedor, é hora de cobrar, de pressionar, de fazer a limpa para que possamos voltar a investir no clube. Não há outra saída.

Tenho certeza que nós vamos sair dessa. O Cruzeiro é grande demais. O rebaixamento é uma mancha em nossa história, mas através dele poderemos voltar ainda mais fortes. Para isso, é necessário mudar radicalmente o jeito de fazer futebol.

Em meio a essa bagunça toda, resolvi voltar a escrever. Ocupar este espaço é também uma maneira de resistência e de fazer o torcedor ser ouvido. Então, a partir de hoje, retomo o blog Nós Somos Cruzeiro. Convido a todos os leitores que me sigam nas redes sociais e voltem a acompanhar o nosso blog aqui no Portal Uai. E vamos para a rua, vamos salvar o Cruzeiro!

Pedro Henrique

Olá, o meu nome é Pedro Henrique. No Twitter, sou conhecido como o @RealPedrin. No blog, todos me chamam de PH. Desde 2012, escrevo sobre o Cruzeiro. Já redigi no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Não sou daqueles blogueiros que gosta mais de cutucar o rival do que de analisar o próprio time. Minha missão aqui é colocar o meu ponto de vista - dentre tantos milhões de pontos de vista possíveis - e abrir o espaço para o debate, para a troca de ideias. E prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Ei, você curte o blog? Então curte lá a nossa fan page no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/. Muito obrigado! Sejam todos bem-vindos!

17 comentários em “A farra acabou: renúncia da diretoria é pauta inegociável

  1. Ei, Pedrinho. Seja muito bem-vindo de volta. Muito importante sua participação no momento mais delicado, pra dizer o mínimo, na história do Cruzeiro. Boa sorte!

  2. Que bom poder ler seus ótimos textos novamente Pedro.
    Concordo com o que diz, precisamos nos organizar pra ter condições de nós reerguermos como o gigante que nós somos.
    Grande

  3. Bem vindo de volta PH. Fazem falta seus comentários. Para mim, o Zezé tem muita culpa nessa história toda. Pena que não apoiaram o Ceni e foram chamar um amiguinho (Abel) dos jogadores que mais prejudicaram o time. O Gilvan, pelo menos, deixou o time organizado, mas ele indicou a rainha da Inglaterra para presidente. Com o Wagner a dívida dobrou em um ano. Não dá para entender isso a não ser com roubalheira e ou incompetência.

  4. Vc disse uma grande besteira, os títulos de cruzeiro em 13 e 14 não foram graças a grandes gastos aqueles times foram formados sem grandes investimentos as , contratações corretas do Alexandre Matos não provocaram dovidas. O problema começa quando Gilvan demite o matos e começa a gastar loucamente e mal, se endividado , recusando fazer pagamentos e apelando judicialmente, dívida crescendo estranhamente, e depois essa coisa explodiu o com a diretoria atual. Não diga besteira , ao dizer que a queda começou com títulos vc só protege esses caras. Apos os títulos o cruzeiro poderia ganhar ainda mais com bilheteria, camisas, licenciamento da marca. Título não rebaixa, ma gestão, corrupção e incompetência que rebaixam

    1. Concordo em gênero e número. O escrevente falou besteira. Vc falou tudo, Alexandre Matos nos deu dois títulos e o imbecil do Gilvan o colocou para fora. O problema não foram os títulos, foi a gestão para não falar a roubalheira que tomou conta do Cruzeiro.

  5. Boa noite Pedro, seja muito bem vindo de volta, precisamos também de representantes como vc para ocupar o espaço, já que pessoas que ocupavam e que julgávamos ser cruzeirenses, traíram nossa confiança e traíram o nosso clube tão amado…
    Infelizmente nosso Cruzeiro está infestado e rodiado de vermes que fingem ser cruzeirenses mas apenas querem “mamar nas tetas” grandes goladas de reais…
    Mas a estes vermes eu digo larguem o Cruzeiro lixos!!! Deixem o Clube nas mãos de verdadeiros Cruzeirenses e voltem para o esgoto de onde nunca deveriam ter saído!!!
    Estou contigo, vamo para rua para onde for, pois não podemos dar sossego a esses sevandijas!!!
    Vamo para a luta!!! Pois somos Cruzeiro até a morte amigo!!!
    VAMOS LIMPAR NOSSO QUERIDO CLUBE!!

  6. Pedro Henrique, parabéns! Excelente análise da derrocada do Cruzeiro Esporte Clube. Desde o sumiço do dinheiro do desmanche de 2015, até a contratação do Uruguaio De La Torre por 15 milhões de reais, atleta (eu disse atleta?) que jamais vestiu a camisa do clube, muita coisa suspeita ficou encoberta. O Cruzeiro precisa ser passado a limpo, ser modernizado, e para isso precisamos de gente jovem e honesta. A velhacaria, nada contra os idosos e, sim, contra os velhacos, precisa ser extirpada como um câncer. Essas pessoas que estão lá tem que ser proibidas de passar nas imediações do clube, de pronunciar o nome do Cruzeiro. Mais uma vez, parabéns pela excelente análise dos fatos e do papel de cada personagem na falência do Cruzeiro.

  7. Ótimo seu ponto de vista. Com certeza precisamos de pessoas sérias no comando do time. E quem não tiver realmente a vontade de se doar, de dar o sangue ao time, que saia !!! Muitos jogadores ali estão completamente mau preparados Fisicamente e com certeza com essa lerdeza nem na série b eles se classificam pra subir novamente. Vamos rezar e ver se esses vagabundos que fizeram corpo mole e essa diretoria sumam e que comecemos um novo ciclo. Abracos

  8. Ainda bem que você voltou.Entrou em seu lugar,Pc Almeida que estava passando tanto pano que saiu de fininho,sem deixar endereço.Na tv,Hugao só agora,depois do leite derramado,resolveu botar a boca no trombone.Artur Moraes da rádio Super deveria ser eleito o maior passador de pano de 2019 assim como o Cadú Doné e o Junior Brasil também só agora no final estão abrindo o bico.Deste momento em diante tenho a certeza que as coisas vao mudar pois agora temos um digno representante da Pavilhão Celeste.

  9. P.H., seja benvindo. Aí, você foi sair, ai, nossa raposa astuta caiu. E agora? Concordo plenamente com tudo que você escreveu. Principalmente com a parte que os medalhões derrubaram o Cruzeiro. Não quiseram mais jogar. Que absurdo as entregas contra o Bahia, o Havaí, o CSA., Ninguém quis correr, ninguém lutou. T.N. dando as bolas de calcanhar para os adversários descaradamente. Fred matando de canela. Que saudades do Barcos. Pedro Rocha matando de canela. Marquinhos Gabriel zombando da camisa que vestia. Fábio só olhando pra ver a bola entrar. Henrique o de sempre. Assistindo os jogos dentro de campo, O Léo nem me fale da ruindade. Ainda diziam que o cara era cruzeirense. Wagner Pires nada entende de futebol. Essa cambada tem que sumir da Raposa Astuta.

  10. 2 coisas:
    -lembro do Gilvan dizendo que o Mattos poderia ser substituído pelo próprio Gilvan e que ia acumular o cargo dele. Gilvan nos deu essa dívida de cartão de crédito, que em pouco tempo, dobra.
    -lembro do itair falando que se atingisse uma meta (não lembro qual) traria um reforço galático. Até gostaria de saber quem ele tinha em mente, mas se tivesse trazido, estávamos f……..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *