Skip to main content
 -
Pedro Henrique é professor, blogueiro e cruzeirense fanático. Escreve desde 2012 e já teve passagens no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Siga @RealPedrin no Twitter e acompanhe diariamente os comentários do blogueiro. Curta a fan page oficial do blog no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/

2018: Com base mantida e “time cascudo”, Cruzeiro conquista o hexa da Copa do Brasil

Time cascudo e perfeição fora de casa: os segredos do hexacampeonato do Cruzeiro em 2018.

Este post complementa a série de textos especiais do blog Nós Somos Cruzeiro sobre os títulos de 1993, 1996, 2000, 2003 e 2017 da Copa do Brasil conquistados pelo Cruzeiro Esporte Clube.

Em 2018, o Cruzeiro conquistou pela sexta vez o título da Copa do Brasil. Por ter vencido a competição também em 2017, o troféu da edição 2018 configurou-se como um bicampeonato inédito. Dessa forma, o time azul e branco se consagrou como o primeiro clube brasileiro a ganhar um bicampeonato de Copa do Brasil na história. Na caminhada do hexa, o Cruzeiro superou o Atlético-PR, o Santos, o Palmeiras e o Corinthians. O escrete cinco estrelas contou com nomes como Fábio, Edílson, Léo, Dedé, Egídio, Henrique, Lucas Silva, Lucas Romero, Ariel Cabral, Arrascaeta, Robinho, Thiago Neves, Rafinha, Sassá, Raniel, Rafael Sobis e Hernán Barcos. O responsável por guiar o trem azul foi o técnico Mano Menezes.

Com a base do elenco que venceu a Copa do Brasil em 2017, e sob o comando do mesmo treinador, o Cruzeiro teve uma caminhada curta até a final. De acordo com o regulamento, os times brasileiros que disputavam a Libertadores daquele ano já estavam automaticamente classificados para as oitavas de final. Sendo assim, a Raposa iniciou nas oitavas e seu primeiro adversário foi o Atlético-PR. Os mandos de campo eram sorteados sempre antes dos jogos, na CBF. Até a final, o Cruzeiro sempre decidiu em casa e isso com certeza favoreceu a campanha do time azul.

O início da trajetória do hexa foi com o pé direito. Na Arena da Baixada, o Cruzeiro enfrentou o Atlético-PR do técnico Fernando Diniz, conhecido por sua filosofia de jogo sempre muito ofensiva e de toques rápidos. Houve muita expectativa em torno desse jogo, já que era o confronto de duas escolas completamente opostas: a do futebol pra frente de Diniz contra a filosofia do contragolpe e de defesa sólida de Mano Menezes. O jogo foi muito bom. Lá e cá. E quem abriu o placar foi o time da casa, em cobrança de falta do lateral Thiago Carleto. Uma bomba, aos 41 minutos. No segundo tempo, o Cruzeiro teve que se arriscar ainda mais. Aos 34, o volante Henrique mandou um pombo sem asa, de fora da área. A bola acabou desviando no zagueiro Thiago Heleno e foi morrer no fundo das redes. E aos 47, na bacia das almas, o atacante Raniel virou o jogo, para desespero dos atleticanos. Loucura total e festa dos cruzeirenses. Uma vitória importantíssima fora de casa e que deixou o Cruzeiro com uma ótima vantagem para o jogo de volta.

No Mineirão, uma nova história. Com treinador novo, já que Fernando Diniz não conseguiu ter bons resultados com seu estilo ofensivo, o Atlético-PR veio tentar a sorte e, claro, a classificação. Fazendo um jogo mais seguro, os dois times criaram poucas chances reais de gol. No primeiro tempo, 0x0. Na etapa complementar, poucas emoções, apesar de o Cruzeiro ter tido as melhores chances. Aos 40 minutos, o uruguaio De Arrascaeta marcou o primeiro gol do jogo. E aos 46, já no finalzinho, por uma desatenção da defesa celeste, o atacante Bergson deixou tudo igual. Com o empate, a Raposa garantiu sua passagem para as quartas-de-final.

O próximo desafio foi contra o Santos. Desequilibrado na temporada, o Peixe veio com técnico novo. Cuca assumiu o time já com a missão de fazer o time santista passar para a semifinal da Copa do Brasil. Mas a estreia de Cuca na CB não foi a melhor possível. Nitidamente superior em termos de organização e mais entrosado, o Cruzeiro foi quem criou as melhores oportunidades, mesmo atuando no campo do adversário. O Santos atacou muito, mas não conseguia finalizar com qualidade e errava muito no último passe. Aos 32 minutos do segundo tempo, o goleiro Fábio fez sua primeira grande defesa no jogo, após chute perigosíssimo do atacante Gabriel. E três minutos depois veio a resposta do Cruzeiro: Rafinha e Robinho triangularam pelo lado direito, e Robinho achou Raniel, que mesmo em posição desconfortável frente a marcação girou o corpo e bateu rasteiro. Foi um gol espetacular, de quem sabe o que faz com a bola. Banho de água fria no Santos. Aí foi só manter o resultado e levar a bela vantagem de 1×0 para casa.

Em Belo Horizonte, o jogo mudou de figura. Confiante na virada, o técnico Cuca mandou o Santos pra frente. O Cruzeiro, confortável demais com a vantagem obtida no jogo de ida, fez um jogo ruim e quase foi eliminado pelo Peixe em pleno Mineirão. A Raposa até que começou bem. Já aos 11 minutos abriu o placar, em jogada individual de Thiago Neves, que foi entrando na área, cortou seu marcador e bateu rasteiro no canto. Ali, parecia estar selada a classificação da Raposa. No entanto, o Santos cresceu e começou a pressionar. Aos 41, Gabriel chutou de fora da área e empatou o jogo. Com o empate conquistado já à beira do intervalo, o time de Cuca se fortaleceu ainda mais. No segundo tempo, o time celeste criou oportunidades. Teve até bola na trave. Mas foi o Santos que marcou, aos 38 do segundo tempo, o gol da virada. Após cruzamento na área, Bruno Henrique subiu mais alto que todo mundo e cabeceou para o fundo das redes, sem chances para Fábio. Com a vitória do adversário, a decisão acabou indo para os pênaltis.

A decisão nos pênaltis contra o Santos talvez tenha sido o momento mais impressionante da Copa do Brasil 2018. De maneira extraordinária, o goleiro Fábio pegou todas as três cobranças efetuadas pelo Santos. E o Cruzeiro acertou suas três. Com 3×0 nos pênaltis, o time de Mano Menezes garantiu sua vaga na semifinal da Copa do Brasil, e o goleiro Fábio ficou sendo o nome do jogo, o grande responsável pela classificação. Foi um momento histórico. Sem dúvidas, nenhum cruzeirense jamais se esquecerá deste grande feito de um dos maiores goleiros da história do clube.

A semifinal foi marcada por um confronto muito interessante contra o Palmeiras, time que possuía o melhor e mais caro elenco do país. No Allianz Parque, o goleiro Fábio já teve que fazer uma grande intervenção já aos 4 minutos, quando Dudu lançou Borja na área e, mesmo marcado por dois, mandou um tirambaço. E no contra-ataque, após a espalmada de Fábio, o Cruzeiro abriu o placar. Henrique roubou a bola no meio de campo, tocou para Robinho, que passou para Thiago Neves, que devolveu para Robinho, que deu um ótimo passe para o argentino Hernán Barcous, que tocou por cima do goleiro e fez a festa da torcida cruzeirense em São Paulo. Depois do gol, o Cruzeiro recuou e só foi “na boa”, bem ao estilo Mano Menezes. No restante do jogo, o Palmeiras dominou, mas o Cruzeiro soube sofrer e, assim, administrou a vitória. Mas teve sufoco até o fim. No final do jogo, o lateral-direito Edílson foi expulso. O lateral-esquerdo Egídio quase fez um gol contra, mas Fábio operou um verdadeiro milagre para evitar o autogol. Depois ainda teve bola na trave e um gol anulado do Palmeiras, por uma falta do zagueiro Edu Dracena em cima de Fábio. Pense na confusão.

No Gigante da Pampulha, um jogo nervoso. O Palmeiras de Felipão foi valente e jogou de igual para igual com o Cruzeiro. Mas foi a Raposa que abriu o placar, aos 26 minutos da etapa inicial. Após lançamento rasteiro de Lucas Silva, o argentino Hernán Barcos penetrou na área em velocidade, passou pelo goleiro e chutou rasteiro, mesmo sem ângulo. Com o gol celeste, a rivalidade entre os palestrinos ferveu ainda mais e os ânimos se acirraram. Disputas mais fortes, brigas e confusões marcaram o restante do jogo. Aos 4 minutos do segundo tempo veio o empate. Após cobrança de escanteio, o volante Felipe Melo ganhou no alto de Dedé (coisa rara de acontecer) e cabeceou para a rede. 1×1. Assim como no Allianz Parque, o Cruzeiro soube sofrer e administrar o resultado. Mas a Raposa teve várias chances de fazer o segundo gol, mas pecou demais nas finalizações. Depois do apito final, teve briga, socos e cartões vermelhos. Só o Palmeiras teve três jogadores expulsos. Pelo Cruzeiro, Sassá também recebeu o cartão vermelho. Cenas lamentáveis que não merecem destaque.

Classificado para a final, o Cruzeiro foi decidir o título com o Corinthians. Dessa vez, o sorteio de mando de campo não favoreceu o time de Mano Menezes. Pela primeira vez na Copa do Brasil daquele ano, a Raposa teria que jogar a primeira partida em casa e decidir fora. Até então, os resultados dentro do Mineirão tinham sido muito ruins. Só que a torcida cruzeirense deu um verdadeiro show. A administração do Gigante da Pampulha protagonizou um verdadeiro espetáculo de cores, luzes, banners e tudo mais o que tinha direito. O time paulista vinha com técnico novo, uma coincidência interessante, já que na final em 2017 o Flamengo também contava com um treinador novato. Seria um bom sinal? Fato é que o time de Jair Ventura sofreu. Tecnicamente superior, o Cruzeiro obrigou o goleiro Cássio a fazer muitas defesas difíceis. Já o arqueiro celeste passou o jogo sem fazer nada.  Aos 34, Thiago Neves arriscou de longe e a bola foi na trave. Aos 46, Egídio cruzou para a área, Thiago Neves cabeceou para baixo, a bola subiu, tocou no zagueiro e foi morrer no fundo das redes. 1×0 para o Cruzeiro. E as duas equipes parecem ter ficado satisfeitas com o resultado, tanto que no segundo tempo o jogo foi bem morno. A torcida celeste comemorou a vitória simples e a vantagem feita no Mineirão, mas ficou aquela sensação de que era possível ter feito mais um ou dois gols.

No jogo decisivo, em São Paulo, o Cruzeiro mostrou que era mesmo um time cascudo. Em mais uma grande partida fora de casa, a equipe de Mano Menezes concretizou o aproveitamento de 100% com uma vitória por 2×1. Foi a Raposa que abriu o placar, após um chute de Hernán Barcos que acertou a trave e no rebote o meia Robinho mandou para o gol. Ao estilo de Mano, o Cruzeiro aproveitou a chance que teve enquanto o time da casa buscava o seu gol. No segundo tempo, o árbitro de vídeo entrou em ação em um lance em que Thiago Neves fez falta na área. Jadson marcou de pênalti e empatou. Depois, Pedrinho virou para o Corinthians, mas o gol foi anulado também com a intervenção do VAR, por causa de uma falta em Dedé no lance que originou o gol. A decisão do VAR abalou mais o time da casa, que estava nitidamente nervoso desde o início da partida. Arrascaeta, que teve que viajar do Japão para São Paulo, pois estava com a seleção uruguaia, entrou no jogo e fez o gol da vitória, com muita classe, em contragolpe fatal. Aí foi só esperar o tempo passar.

O hexacampeonato marcou o primeiro grande título da nova gestão comandada pelo presidente Wagner Pires de Sá. O troféu coroou a manutenção do elenco formado pelo ex-presidente Gilvan de Pinho Tavares. A conquista do hexa trouxe ao Cruzeiro o bicampeonato e um prêmio farto de 50 milhões de reais, até então a maior premiação paga pela CBF. Além disso, o Cruzeiro se tornou o maior campeão da Copa do Brasil, com 6 títulos no total. O Cruzeiro é, definitivamente, o Rei de Copas! Ah, ser Cruzeiro é bom demais!!!

Pedro Henrique

Olá, o meu nome é Pedro Henrique. No Twitter, sou conhecido como o @RealPedrin. No blog, todos me chamam de PH. Desde 2012, escrevo sobre o Cruzeiro. Já redigi no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Não sou daqueles blogueiros que gosta mais de cutucar o rival do que de analisar o próprio time. Minha missão aqui é colocar o meu ponto de vista - dentre tantos milhões de pontos de vista possíveis - e abrir o espaço para o debate, para a troca de ideias. E prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Ei, você curte o blog? Então curte lá a nossa fan page no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/. Muito obrigado! Sejam todos bem-vindos!

49 comentários em “2018: Com base mantida e “time cascudo”, Cruzeiro conquista o hexa da Copa do Brasil

  1. Amanhã faço a análise do jogo e teço meus comentários sobre o hexa. Este texto é para complementar a série especial que fizemos no ano passado sobre os títulos do Cruzeirão cabuloso na Copa do Brasil. É HEXAAAAAAAAAAAAAAAAA!!! VAMOS COMEMORAR!!!

    1. ô Pedro, cê tá fazeno coleção de texto de campeão da CB?
      kkkkkk

      ………………………………………………………………………………………

      já tentei 1x, 2x, agora 3x, só não vou tentar SEIS VEZES porque é muito difícil. Se aparecer duplicado, tri, apague. O comentário não aparece no aguardando moderação, então, até onde sei, não foi. O sistema do blogs uai tá dizendo que eu já disse isso. E o problema do e-mail exposto ainda acontece. O do Alexandre Piqui estava exposto mais cedo.

      ………………………………………………………………………………………

      Corajoso e predestinado Pedro que assumiu esse compromisso há pouco mais de um ano de escrever um texto para cada uma das quatro conquistas cabulosas da CB mesmo sabendo que o desafiador esforço poderia terminar em um decepcionante balde de água fria (o 5° texto pertencia ao futuro). Só que não, terminou em um heroico e imortal PENTACAMPEONATO! Como se fosse pouco, não parou por aí, virou HEXACAMPEONATO!

      PARABÉNS PEDRÃO HEXACAMPEÃO!!!! Continue com o pé quente que a gente agradece.

  2. Eu declaro que critiquei o Mano. E declaro que não gosto de estilo Manobol!!
    Declaro que achei que não aguentaríamos a pressão de todos os lados. Porém, admito que este foi o segundo melhor jogo do Cruzeiro. O primeiro foi o contra o Flamengo no Rio.
    Deixamos de lado o mimimi da Libertadores. Na época escrevi que era parar de reclamar e ir para cima.
    Eu vou ficar em silêncio pois eu errei e enguli todas as minhas críticas.
    Este jogo valeu os 60.000 da primeira classe!! E como valeu!!

  3. Ser Cruzeiro é ótimo, parabéns pelo seu texto. Que continue com a gente para fazer o texto do título da libertadores. O Cruzeiro é grande demais. Quero deixar meus parabéns para o Romero, esse cara é único, me lembra nosso Sorin ele tem uma raça sem explicação. E nosso Mito é sem dúvida nenhuma o craque da copa, n existe zagueiro melhor que ele hoje no futebol mundial. Parabéns PH que venha 2019

  4. PARABENS CRUZEIRO
    Bi campeao sequencia
    PARABENS. CRUZEIRO
    Hexa campeao do Brasil
    2 Victoria’s
    Viva o CABULOSO , maior de Minas e maior ganhador da Copa Brasil
    Mano escalou certo hoje
    6 a 1 em titulos , kkkkk

  5. Apesar de não gostar do Futebol praticado pelo time, bem melhor o Cruzeiro Campeão que o Corinthians. Foi um Bi-Campeonato maravilhoso conquistado encima dos dois queridinhos da Rede Globo. Não tem preço! O Raposão é o terror da Globo. Agora, o que foi a postura do time após o Corinthians empatar o jogo? O time sentiu o baque. Tremeu na base. E o que eu percebi foi mais que um baque momentâneo. O que eu percebi foi o retrospecto desfavorável contra o Corinthians assombrando o time naquele momento e por isso o time se assustou, se perdeu e marcava mal. Até que o Cruzeiro sofrera um duro castigo que poderia provocar uma zebra catastrófica, mas que não se concretizou porque o árbitro quis compensar o pênalti duvidoso que antes deu pro Corinthians, anulando o gol do time paulista. Aquele período entre o gol de empate dos Gambás até o gol anulado fez eu chegar a seguinte conclusão: O Cruzeiro foi Campeão porque encarou um Corinthians muito inferior, FRACO e que só perderia pra esse Corinthians se fizesse força pra perder. E no final acabou dando a lógica com o Rapozão fazendo jus a mesma. Mas se encarasse um Corinthians no nível de 2012, 2015, 2017, a tremedeira Cruzeirense entre o gol de empate e o gol anulado teria sido permanente e quem teria sido Campeão da CB teria sido os Gambás. E estou vendo em um monte de site falando que “foi roubado”. O Cruzeiro teve seus méritos. Mas ter que aturar essas contestações é o preço por ser um time defensivo.

    1. Depois de um pênalti ridículo marcado pelo VAR aos 5 do segundo tempo lá em Itaquera qualquer time sentiria o baque, Cruzeiro desfilou em campo no primeiro tempo, não foi ameaçado em hora nenhuma e no segundo sem a arbitragem o Corinthians também não teria feito nada!

  6. Zeeeeeeeeeeeeeiro!

    Parabéns PH!

    Que sorte a nossa em sermos Cruzeirenses hein!

    Importantíssimo esse hexacampeonato da CB pelo Cruzeirão.

    Nos tornamos o clube brasileiro mais vencedor desta competição em território nacional.

    Na atual década somos os maiores vencedores (Campeão Brasileiro 2013/14 e Campeão da CB 2017/18).

    Subimos mais uma prateleira e ocupamos o pedestal dos pouquíssimos clubes que possuem 10 Títulos Nacionais (4 Brasileiros + 6 CB).

    Fixamos nas páginas heróicas e imortais o #6×1 eterno (haja zoeira em cima das frangas, rs).

    Parabéns a nação azul celeste pela força nos jogos.

    Parabéns a atual diretoria pelo título!

    Parabéns a diretoria passada por deixar uma base extremamente sólida, ajudar diretamente na conquista do Hexa e pensar em deixar o Cruzeiro cada vez maior, mesmo pós gestão!

    Detalhe interessante, esse time possui 6 jogadores do Tri e Tetra Campeonato de 2013/14 (1Fábio, 2Dedé, 3Léo, 4Egídio, 5Henrique e 6Lucas Silva), afora isso o plantel de 2017/18, dentre titulares e principais jogadores, tbem foi formado pela antiga diretoria (Fábio, Rafael, Dedé, Léo, Henrique, Lucas S., Ariel, Romero, Robinho, TN30, Arrascaeta, Rafinha, Raniel e Sassá), todos, renderam em campo o que se esperava.

    Obrigado Deus por ser Cruzeirense!

    A noite vai ser longa! kkk
    Zeeeeeeeeeeeeeiro!

  7. PÔ, PH ACESSEI O BLOG ESPERANDO MAIS UMA DAQUELAS ANÁLISES SENSATAS, PORÉM ARREBATADORAS E REPLETAS DE PAIXÃO E GLÓRIA TÃO, LINDAMENTE, A SEU GOSTO NESSES MOMENTOS QUE COMPÕEM AS PÁGINAS HERÓICAS IMORTAIS, MAS ME DEPAREI COM ESSE TEXTO GELADO. SÓ ME RESTA ESPERAR, POIS SEI QUE DESSE MATO, DIGO, DESSA PENA SAI COELHO.

  8. Parabéns a nós os torcedores cabulosos:

    Incontestavelmente somos o maior do Brasil até aqui neste novo século, sete títulos nacionais, sem mais, zeroooooooooooooooo.

  9. Somos campeões paulistas também …hahaha.
    Vencemos o Santos, Palmeiras e Corinthians, e também vencemos o Atlético-PR, que havia eliminado o São Paulo….hahahaha

    ZEEEEEIROOOOO!!!

  10. ZEEEEEEROOOO OOOOO!!!!
    Belo rezumo do que foi a campanha PH.

    Só acrescentando PH, nos tornamos o maior papa títulos nacionais dos anos 2000 com 3 Brasileiros e 6 Copas do Brasil!!!! Total de 9 títulos nacionais de 2000 a 2018.

    E se formos levar em conta apenas os anos 2010, nos tornamos também o maior vencedor de competições nacionais com 2 Brasileiros e 2 Copas do Brasil, num total de 4 títulos. O único time que pode nos alcançar nesse quesito é o Palmeiras se ele for campeão brasileiro esse ano.

    E que espetáculo bonito foi os dois jogos ehm, em ornamentação, organização etc. E o que a CBF fez ontem no Itaquera foi muito legal! Muito legal ver o saudoso Dida entrando com a “orelhuda”.

    Parabenizo o time do Corinthians também que lutou (não deu.. ) mas souberam perder, foram humildes e não caçaram briga Igual o seu arque rival na semi.

    Hoje aqui em Vitória ES fui obrigado a vir pro trabalho com Manto em cima da blusa!!!!

    Saudações Azul!!!! gora é hora de comemorar mesmo!!! Zeeerooooo!!!

  11. Ótimo texto. Porém gostaria que você corrigisse o termo “daquele ano” por “deste ano”, em pelo menos dois lugares. A não ser que tenha pensado em imortalizar sua crônica, e ao ser lida no futuro, o termo “daquele ano” será realmente mais correto. Um abraço Pedro Henrique.

      1. PH, vc precisa falar sobre o Lucas Homero e a importância deste menino no Bi da copa Brasil. Ontem atuando na esquerda foi perfeito.
        É de uma importância total na equipe.
        Obrigado guerreiro.

  12. Falem o que quiser. Mas que o Henrique e o Léo são cruzeirenses, isto basta. Aquela do Henrique ontem em cadeia nacional mostrar o eterno 6×1, foi demais, kkkkk

  13. PARABÉNS A UM DOS MAIORES TREINADORES DA NOSSA HISTÓRIA. nÃO QUERO CRITICAR QUEM ESCULACHOU O MANO, AGORA É MOMENTO DE FESTA….MAS REFLITAM, REFLITAM MUITO! QUE O MANO SEJA O ALEX FERGUSSON DAS GERAIS! VIDA LONGA AO NOSSO COMANDANTE.

    É HEXAAAAAAAAAAAAAAAAAA!

  14. titulo mto importante.
    mas como vimos no ano passado, com muita difuldade e jogando muito abaixo do que esse elenco pode jogar.
    somos campeoes e ninguem tira esse merito, mas precisamos avaliar com cabeça fria e ver que com o elenco e invesimento que fizemos, o Mano tem obrigação de fazer esse time jogar melhor.
    é muito arriascado jogar na forma como ele joga, sem a bola, esperando ser agredido no limite do risco.
    talvez fosse o momento de fechar um ciclo e inciar outro. renovar o elenco, pois muitos jogadores já passaram dos 30 e percebemos que ja nao rendem o que podem (Sobis, Fred, Manoel, Cabral, Barcos), dar mais oportunidade para os jovens do elenco (Murilo, Cacá,Sassá, Lucas Silva, Raniel) e mudar a filosofia de jogo. Agradeço muito o Mano e seus três titulos conquistados, mas merecemos mais.
    Cruziero pode ser sim campeão jogando bola, e mantendo o DNA de agressivo e ofensivo que sempre tivemos de Tostão a Alex, passando pelo bi campeoanto brasileiro de Everton Ribeiro e Goulart.
    parabens a todos!! 6×1!!

    1. 99,9% de todos os times jogam assim.
      Eu acompanho pelo menos jogos de cinco ligas (Argentina,Espanha,Inglaterra,França e Alemanha),tirando os times de ponta o restante joga igual ao Cruzeiro joga e vale lembrar que qualquer time mediano das quatro ligas europeias que citei tem poder financeiro muito maior que os principais times brasileiros.

  15. Eu achei o jogo até fácil pra gente! Pensei que iria ser mais difícil devido à pressão que nosso time sofreria! E pressão eu sabia que o juiz sempre iria apitar para o time paulista, como aconteceu no pênalti que ninguém daria, mas o juiz deu em favor do Corinthians! Aliás, gostei muito do time, não ficou catimbando para ganhar tempo, como faria o Corinthians se estivesse no lugar do Cruzeiro! Fosse invertida a posição, pode ter certeza que não iria ter jogo, o Corinthians, o Cácio, não deixariam! Jogou limpo, sem catimba, exceto aquele vacilo do Tiago Neves, não foi pênalti, mas bola dentro da área não pode ficar brincando, dá logo chutão! Tenho, como sempre, uma crítica pela escalação do Barcos! Olha, não aguento ver aquela lerdeza no nosso ataque! Ele é pesado, lento, e faz falta em quase toda jogada que ele participa! Com a entrada do Raniel no lugar dele a dinâmica do jogo foi outra! O Raniel é mmmmuuuuuiiiiito mais veloz, se desmarca bem, domina, toca, etc, coisa que o Barcos praticamente não dá conta porque ele não consegue se desmarcar para receber uma bola! E quando recebe raramente domina! Meus parabéns aos nossos jogadores, e agora é focar no Brasileirão!

  16. Parabéns Cruzeirão cabuloso,10 títulos nacionais.
    Parabéns a todos pela Luta e para quem trouxe o Arrascaeta a fera que não falha em jogos importantes. ZEROOOOOOOOOOOOOOÔ

  17. Parabéns à maior instituição de Minas Gerais pela vitória e conquista do HEXA, maiúsculos, contra a vontade da CBF, Globo, Prefeitura BH, pateticanos, FMF, STJD, Minas Arena, etc. Em contraposição tínhamos a nosso favor: camisa vencedora e de conquistas heroicas imortais, maior torcida de Minas, jogadores experientes, alguns muito vencedores (isso é importantíssimo para o grupo!!!), diretoria, tão criticada, em algumas ocasiões omissa, aliado a um técnico retranqueiro, mas que, reconheço, soube com sorte dosar o time para essa grande conquista. Discordo do texto na parte que fala sobre o pênalti corintianos, pois não houve mesmo, assim como claramente o Dedé é puxado e sofre falta (que jogador esse Dedé!!!!). E, ainda, tem cara que se diz torcedor do Cruzeiro que vem citar aqui a palavra tremedeira: pateticano, seu time já disputou 22 finais diretas contra o maior de Minas e o placar está 13 x 8 para nós – vocês sempre tremeram, assim como já no 1º jogo disputado contra o iniciante Palestra Itália, lá em 1921, quando sofreram a 1ª DERROTA… ser pateticano deve ser desesperador e o HEXA fica marcado por ser mais um 6 x 1, ETERNO, no lombo das frangas. Precisamos rejuvenescer o time para 2018, mandar embora vários jogadores de 2ª divisão e voltar a ganhar no brasileiro, pois ainda faltam 9 partidas para o final de ano. PARABÉNS MAIOR DE MINAS!!!!

  18. Hexa! Ser Cruzeiro é Bom demais! Ô meu pai! Obrigado por ser Cruzeiro Meu Pai!
    Campeão com Justiça! Pelo investimento e pela manutenção do treinador! Agora mais duas vitórias no Brasileiro para escapar da Degola e começamos o Planejamento 2019!
    Zeeeeiroooooooo! O REI DE COPAS!

  19. Cruzeiro maior de MG, sem sombra de dúvida. Foi um jogaço, muito emocionante, o Cruzeiro jogou muito bem e foi coroado com dois gols muito legais, gols de manual. Vamos comemorar na paz pois ser cruzeirense é bom demais.

    Zeroooooooo.

    Pedro, sei que não é o momento, mas sugiro para a próxima semana um texto com o balanço da temporada.

    Abraços

  20. Muitos estão esquecendo como joga esse Lucas Romero, e que raça tem, pode mudar de posição mas ele não se abate, é um grande jogador, juntamente com o Mito Dedé e Fábio. Fiquei preocupado quando vi a escalação dele na esquerda, mas realmente o garoto é simplesmente surpreendente, o outro é o Dedé, não é atoa que é chamado de Mito, hoje no Brasil não tem um zagueiro igual a ele, conseguiu concertar até o Léo, que por sinal tem feito uma ótima dupla, acho que está na hora de colocar em alguns jogos o Cacá ao lado do Dedé, para ver e pegar experiência. O Arrascaeta é o jogador de decisões.

  21. Temos que dar os parabéns para o Mano Menezes, que tantas vezes criticamos. Acho que as críticas contribuíram. Ele colocou o time com marcação alta quando a bola estava próxima da grande área do Corinthians, o que impediu que nos ameaçassem. Para mim, essa postura foi fundamental para a vitória. A escalação de Romero também foi um acerto, que exigiu coragem do técnico porque preteriu um jogador da posição. Também a manutenção de Ariel Cabral foi uma atitude que se mostrou acertada, o mesmo ocorrendo com Arrascaeta no banco por causa da viagem.

    Parabéns aos jogadores, que se mostraram focados, determinados e jogaram com muita disciplina tática, determinação e raça. Todos jogaram bem. Não se intimidaram. Romero muito à vontade e eficiente, mesmo jogando pela primeira vez na lateral esquerda. Henrique mais uma vez fez uma grande partida. Ariel Cabral entrou muito bem. Rafinha, que tantas vezes critiquei, jogou muito no primeiro jogo e ontem também. Léo com muita raça. Dedé foi um monstro. Raniel foi decisivo no gol de Arrascaeta, que mais uma vez demonstrou ter estrela. Enfim, todos estiveram bem.

    Dessa vez a trave colaborou devolvendo a bola nos pés do cara certo: Robinho.

    Parabéns até para o juiz. Simplesmente inimaginável um juiz dar 4 cartões amarelos para os jogadores do Corinthians, em jogo decisivo dentro do Itaquerão. Inimaginável um juiz consultar o VAR e anular um golaço do Corinthians dentro do Itaquerão, que poderia mudar os rumos do jogo. Não inverteu faltas, não segurou nem intimidou os jogadores do Cruzeiro. Há juízes bons e honestos, esse de ontem é um ótimo exemplo.

    Parabéns também para o Itair Machado e para o Wagner Pires, tão criticados no início. Merecem esse BI e HEXA.

    Bom demais. Agora temos dois 6×1. Somos BI e HEXA e, ainda, quebramos o tabu de nunca ter vencido no Itaquerão, estádio construído com o nosso dinheiro para beneficiar o time de um presidente corrupto. Isso não tem preço.

  22. Não vou ser tão crítico como deveria, mas estou felicíssimo com o Hexa, mas nunca vou aprovar esse futebol retranqueiro, repito, temos jogadores que podem jogar ofensivamente, o time sofre e o torcedor também sem ter necessidade, pois o grande problema do time é o famoso passe errado e displicência nas finalizações, que ao meu ver no segundo tempo foi apenas uma bola do Léo em cima do Cássio e o gol do Arrascaeta no mais não incomodamos a defesa adversária e corremos o risco de ver tudo ir pro ralo , porque o árbitro amarelou com o penalti dado e compensou na falta no Dedé, que podem ver o lanche foi um excelente ator, pois ficou olhando a jogada e quando a bola entrou ele começou a se contorcer no chão apesar que isso dizem “faz parte” no futebol. estamos na LA do ano que vem e que a diretoria comece a planejar desde já porque tem uns 10 jogadores ai neste elenco que gostaria de ver longe da toca.

  23. Pessoal,hoje não vou comentar sobre o hexa,Pois o tempo está resumido.
    Sei que vai ter infiltrados em nosso espaço. Por isso vou deixar um texto do hino deles. &&&&&&& Jogamos com uma camisa que um horror, Sofrer, sofrer, sofrer, de inveja de ver o CRUZEIRO VENCER. Somo Hexa.
    Zerooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooô.
    Saudações Celestes*****!

  24. Somos e chatos de mais, tudo ta ruim. Com Mano sem Mano o que vale e os títulos. É disso essa Instituição chama Cruzeiro Esporte Clube conhece bem. Agora imagina uns e outros que nunca foi Bi e já ta no estaleiro a um bom tempo. Viva a vida, Viva o Cruzeirão Cabulosooooooo. Ser cruzeiro bom demais.

  25. Aí PH.

    O importante é ser campeão. E com sofrimento tem mais emoção!!
    Seguinte, o grupo todo está de parabéns, mas alguns se destacaram.
    Vamos lá: Fábio, o Mito Dedé, Romero, Thiago Neves e “Arrasca”.
    Agora é planejar melhor 2019 e fazer um papel melhor na Libertadores.

    Saudações celestes!!!

  26. Parabéns PH por ser blogueiro desse time fantástico que é “A Raposa Astuta” e a todos nós cruzeirenses por mais essa conquista, e ao Mano Menezes que segurou as buchas e fez esse time campeão de novo. Que gostoso. Que felicidade. A Raposa astuta dá baile no Itaquerão, de garra e de atitude e de bom futebol. Foi um espetáculo. Abraços cruzeirenses.

  27. É PH grande jogo. Nosso time cascudo mostrou mais uma vez ao que veio. Grande espetáculo de muita garra e poder de decisão. Partidas assim ficam para a história. Com a sequência do Mano e nossa história gloriosa de títulos, fizemos até as frang6x1as mudarem o treinador, para um treinador mais experiente, também cascudo. Pura inveja, elas tinham que continuar com seu novato lá, para caírem mais umas cinco posições no brasileiro. Mas… ser campeão é bom demais. Vai Raposa astuta sempre sem medo de ser feliz. Abraços.

  28. Parabéns Nação Azul……!!!
    Vejo este time vencer desde 1965, em sua primeira partida no Mineirão, eu então com 10 anos!

    Parabéns a todos da equipe!
    Meu chapéu no chão e minha homenagem a esse menino azul, Lucas Romero!

  29. Calamos o Itaquerão, apesar de toda mídia paulista não acreditar que isso fosse possível. Parece que eles não aprenderam ainda que o Cruzeirão cabuloso é o maior papa copas deste país. Isso é um orgulho pra nós Cruzeirenses e a mídia mineira deveria agradecer muito este clube, pois sem ele Minas Gerais seria minúscula em termos de futebol. Parabéns aos guerreiros azuis, diretoria, treinador e principalmente à china azul, que sempre que precisa carrega esse time nas costas. Vejo um grande ano de 2019 com essa conquista, pois faturamos alto e com isso o time poderá ser ainda mais qualificado para as disputas dos diversos campeonatos. Feliz demais da conta. Zeeeeeeeroooooooo…..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *