Skip to main content
 -
Pedro Henrique é professor, blogueiro e cruzeirense fanático. Escreve desde 2012 e já teve passagens no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Siga @RealPedrin no Twitter e acompanhe diariamente os comentários do blogueiro. Curta a fan page oficial do blog no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/

Retrospectiva: Cruzeiro no Brasileirão 2017

Mesmo oscilante, Cruzeiro conseguiu terminar o Brasileiro na parte de cima da tabela. (Foto: Agência I7)

Final de ano é tempo de fazer retrospectivas. Sendo assim, hoje o blog apresenta os caminhos e descaminhos percorridos pelo Cruzeiro ao longo da temporada no Campeonato Brasileiro. Neste ano, o clube celeste teve um bom desempenho na competição nacional, embora tenha oscilado bastante durante o campeonato. Terminou na parte de cima da tabela, garantindo a 5ª colocação. Vamos, agora, recordar como foi a participação da Raposa no Brasileirão 2017.

A estreia foi contra o São Paulo, no Mineirão. Enfrentar o tricolor paulista é sempre muito difícil, mas acontece que nesta temporada eles erraram muito. Um dos principais erros foi a contratação de Rogério Ceni como treinador. Foi uma experiência similar a que tivemos aqui com Deivid. A inexperiência pesou muito. Com um gol de Ábila, a Raposa garantiu uma estreia com o pé direito no Campeonato Brasileiro. Para a primeira partida, o técnico Mano Menezes escalou o onze inicial com Fábio, Lucas Romero, Léo, Dedé, Diogo Barbosa, Hudson, Henrique, Arrascaeta, Alisson, Rafinha e Ramón Ábila.

Na segunda rodada, a Raposa foi até a Ilha do Retiro para enfrentar o Sport. O jogo foi decidido no primeiro tempo. Abrimos o placar com Alisson, e Diego Souza empatou, em pênalti cometido pelo goleiro Fábio. Com quatro pontos somados até então, o Cruzeiro foi até a Vila Belmiro enfrentar o Santos. Saímos de lá com uma belíssima vitória para cima do Santos. Thiago Neves marcou o gol da vitória, com a assistência de Ábila, que entrou no segundo tempo. E aí começou o drama. Na hora de embalar na competição, o Cruzeiro vacila feio diante da Chapecoense no Mineirão. Fizemos um jogo horrível. O adversário fez 2×0 e a China Azul não perdoou: vaias e mais vaias e mais vaias. Era inadmissível jogar daquela maneira que jogamos.

Na verdade, a torcida não aguentava mais aquele futebol reativo bem característico das equipes de Mano Menezes. Então, no jogo seguinte, contra o Bahia, o Cruzeiro prometeu uma nova maneira de jogar: mais ofensivo, propondo o jogo, do jeito que o torcedor gosta. Com problemas na escalação, o comandante celeste resolveu improvisar o volante Henrique na zaga. Logo no início do jogo o capitão da Raposa foi expulso e o Bahia abriu o placar. Mas o Cruzeiro mudou de postura como havia prometido. Mesmo com um a menos, não sofremos mais gols. A derrota por 1×0 foi ruim, mas a partir dali tudo seria diferente.

Estamos na sexta rodada. O Cruzeiro enfrenta o Atlético/GO no Mineirão e ganha facilmente por 2×0, com dois gols de Wanchope Ábila. Depois, veio uma derrota para o Corinthians em São Paulo. Jogamos muito bem, dava pra vencer tranquilamente, mas desperdiçamos muitas chances. Na sequência, um dos jogos mais emocionantes do ano. O 3×3 com o Grêmio, no Mineirão. Não dá nem pra descrever o sentimento em relação àquele jogo. Um misto de amor e ódio. A sequência foi difícil, e o Cruzeiro precisou poupar jogadores, mas não avisou a ninguém. Foi assim que a Ponte Preta venceu os nossos reservas no Moisés Lucarelli. O time que Mano Menezes mandou a campo rendeu muitas críticas ao técnico, que começou a ser bastante questionado já na 9ª rodada do Brasileiro.

Esclarecidos os motivos de o Cruzeiro ter atuado com um time reserva, veio o confronto contra o Coritiba, no Mineirão. Vitória com V maiúsculo, incontestável. Um pouco de paz. Adiante, o clássico contra o Atlético/MG. O inferno. 3×1 para eles. Ainda bem que o Palmeiras pagou o pato e perdeu pra gente aqui no Gigante da Pampulha pelo mesmo placar. Percebe a oscilação? Esse é o Cruzeiro de 2017. Já estamos na 13ª rodada, reta final de primeiro turno. O adversário é o Atlético/PR, na Arena da Baixada. O fuçarão, sem treinador, tem Kelly na beirada do campo. Lucas Romero e Rafael Marques dão a vitória para o time celeste. Precisando de uma sequência de vitórias, era necessário vencer o Flamengo, de Éverton Ribeiro e companhia. Mas no Mineirão o placar não sai do 1×1. O mesmo resultado da partida posterior, contra o Fluminense, no Giuliete Coutinho, onde a Raposa teve tudo para sair com os três pontos, mas não teve competência para isso.

O jogo seguinte, contra o Avaí, foi daqueles que nada deu certo. Tivemos o domínio total da partida, mas no único lance do time da casa, gol deles. 1×0. Raiva. Pior que isso foi só o empate sem gols no Mineirão com o Vitória. Vi de perto. Um horror. De dar sono. Time preguiçoso. No Raulino de Oliveira, o time de Mano Menezes surpreendeu o Vasco e aplicou-lhe uma goleada de 3×0, em um dos melhores jogos da Raposa no ano (e num dos piores dos cariocas na temporada). Para encerrar o primeiro turno, novo empate sem gols, desta feita com o Botafogo, aqui em Belo Horizonte. Altos e baixos, tropeços inesperados, vitórias surpreendentes, empates no momento errado, sobe e desce, desce e sobe.

Segundo turno do Brasileiro. Agora sob o comando de Dorival Júnior, o São Paulo bate o Cruzeiro no Morumbi por 3×2. Jogo duro, mas tínhamos condições de ganhar. Estreia do Digão. Lembra? Pois é. 2×0 contra o Sport, 2×1 contra a Chape, 1×0 contra o Bahia e 2×1 diante do Atlético/GO. Enfim, uma ótima sequência de vitórias. No Mineirão, empate com o líder Corinthians por 1×1. Vitória surpreendente contra o Grêmio de Renato Gaúcho, fora de casa, com gol do questionado Rafael Sobis. De virada, vitória contra a Ponte Preta, no Mineirão. Manoel e Thiago Neves. E aí, tropeço contra o fraquíssimo Coritiba, no Couro Pereira.

Calma, respira. Deixa eu te atualizar. Estamos na trigésima rodada. Clássico contra o Atlético. 3×1 pra eles de novo. Sem comentários. Depois, um empate em 2×2 com o Palmeiras, naquele jogo em que a imprensa nacional dava como certa a vitória dos paulistas. Ledo engano. Quase saímos de lá com a vitória.Foi por um triz. Já campeão da Copa do Brasil e sem muitas expectativas no campeonato, o Cruzeiro foi profissional e continuou jogando com seriedade. Vencemos o Atlético/PR aqui no Mineirão, por 1×0, e perdemos feio pro Flamengo, por 2×0, no Rio de Janeiro. Uma partida ridícula da Raposa. Uma das piores do ano. Na sequência, um excelente triunfo contra os meninos do Fluminense. 3×1. Jogador deles expulso, muitos desfalques, time novo e um Abel Braga desesperado no banco de reservas. E o que o pentacampeão da Copa do Brasil tem a ver com isso, rapaz?

Reta final do Brasileirão. 35ª rodada. O adversário é o Avaí. E tome frustração. Empate. 2×2. Em pleno Mineirão. A única coisa boa do jogo foi o emocionante retorno de Judivan aos gramados. Ele até deixou o dele, de pênalti. É Ju-di-van! Um novo empate na rodada seguinte, contra o Vitória. Um gol bonito do Alisson, de fora da área. Já sem muita empolgação e caminhando para os finalmentes, o Cruzeiro perde para o Vasco no Mineirão. 1×0. Lei do ex. Gol de Paulão Caveirão. Atuação bisonha da Raposa. E para encerrar o ano, empate com o Botafogo, no Rio. 2×2. Thiago Neves e Arrascaeta fizeram a festa da Nação Azul, mas o time da estrela solitária, brigando por vaga na Libertadores, não deixou que o Cruzeiro encerrasse o campeonato com vitória. O aproveitamento foi de 50% para uma equipe que marcou 47 gols e sofreu 39, deixando como consequência um saldo positivo de 9 gols.

MANDARAM BEM

Diogo Barbosa – 1436 passes certos

Thiago Neves – 11 gols e 7 assistências para gol

Thiago Neves – 57 finalizações certas

Thiago Neves – 38 cruzamentos certos

Lucas Romero – 81 desarmes certos

MANDARAM MAL

Lucas Romero – 36 faltas cometidas

Diogo Barbosa199 desarmes certos

Thiago Neves 42 finalizações erradas

Thiago Neves – 139 cruzamentos errados

Lucas Romero – 14 desarmes errados

Léo – 8 cartões amarelos

COMPARAÇÃO ENTRE GOLEIROS

Fábio – 30 gols sofridos em 30 jogos

Rafael – 8 gols sofridos em 8 jogos

DESTAQUE DO CRUZEIRO NO BRASILEIRÃO 2016

A Raposa foi a líder em finalizações certas: 206, sendo que 87 foram do meia Thiago Neves.

O QUE OS NÚMEROS DIZEM: UM APANHADO GERAL

a) os melhores são também os piores: como vocês podem ver, os nossos melhores jogadores foram também os piores. Acho que quem arrisca mais tem mais chance de acertar e de errar. Nesse sentido, Thiago Neves, Diogo Barbosa e Lucas Romero foram os atletas mais participativos nesta temporada.

b) goleiros com a mesma média: os números acabam com aquela discussão que perdurou algum tempo em 2017. Fábio e Rafael possuem a mesma média de gols na temporada. Os dois sofreram um gol por jogo, de acordo com a média. Só que o Fábio disputou muito mais jogos, obviamente. Ídolo e muralha azul, Fábio foi, novamente, um dos principais jogadores do ano, protagonizando defesas impressionantes e sendo responsável direto pela conquista da Copa do Brasil.

c) valeu o investimento: anunciado como o principal reforço de 2017, o meia Thiago Neves mostrou seu valor. Ele foi o artilheiro do Cruzeiro na temporada e o líder em assistências. O camisa 30 provou seu valor e foi um dos melhores da posição no Brasil. Esse é o nosso TN30!

d) calou os críticos: o zagueiro Léo, tantas vezes criticado pelo torcedor, assumiu a titularidade na zaga e fez dupla consistente com o garoto Murilo. Líder em campo e seguro na retaguarda, Léo foi, sem dúvidas, um elemento muito importante do Cruzeiro em 2017.

e) oscilante: o Cruzeiro só não brigou pelo título porque teve muitos altos e baixos nesta temporada. Como vimos na retrospectiva, a Raposa não conseguiu embalar nos momentos certos. Sempre vacilou quando não podia e entregou pontos preciosos para adversários considerados “pequenos”.

f) arrematador: acredite se quiser! Fomos a equipe que mais vezes arriscou nesta temporada. Principalmente pelos pés de Thiago Neves. Apesar de o setor ofensivo ser um problema, o Cruzeiro foi destaque nos arremates certos para o gol. E olha que nem tínhamos um centroavante. Que coisa.

Pedro Henrique

Olá, o meu nome é Pedro Henrique. No Twitter, sou conhecido como o @RealPedrin. No blog, todos me chamam de PH. Desde 2012, escrevo sobre o Cruzeiro. Já redigi no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Não sou daqueles blogueiros que gosta mais de cutucar o rival do que de analisar o próprio time. Minha missão aqui é colocar o meu ponto de vista - dentre tantos milhões de pontos de vista possíveis - e abrir o espaço para o debate, para a troca de ideias. E prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Ei, você curte o blog? Então curte lá a nossa fan page no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/. Muito obrigado! Sejam todos bem-vindos!

18 thoughts to “Retrospectiva: Cruzeiro no Brasileirão 2017”

  1. A considerar que nunca em 2017 tivemos um lateral direito a altura de envergar a camisa de titular, fomos aos trancos e barrancos com Ezequiel, Lennon, Galhardo e de improvisações na posição que nunca se firmaram como tal. Na zaga nunca soubemos quem eram os titulares, apesar das preferências, atuaram Manoel, Arthur, Murilo, Léo, Dedé, Digão, Kunt…..Já na esqueda Bryan nunca provou ser um lateral a altura de fazer sombra para o Diogo e me parece que ninguém da base foi testado para uma eventual necessidade. Na volãncia Henrique, Nonoca, Cabral, Hudson, Romero, LS16 também se alternaram para formar o setor, Daí para frente muitas improvisações, daquí e dalí, isto tudo sem contar com um centravante de ofício, pois o que tínhamos lo botaram afuera “Ábila” e depois quebraram cabeça com Sassá doidão, e outros dois garotos da base, tipo, vai lá e mata a onça. Conclusão! Com toda esta falta de planejamento e de determinação da comissão técnica em meio a um campeonato de baixo nível técnico, ainda conseguimos a 5ª colocação geral e uma “surpreendente” Copa do Brasil, conquistada aos trancos e barrancos e com muito sofrimento e “velas queimadas”. Valeu pela superação e esforço de todo o grupo. Destaques para o Fábio, Léo/Murilo, Diogo, Hudson, Romero, Arrascaeta e TN”T”rinta e os decepcinantes, Lennon, Ezequiel, Bryan, Elber, R. Marques e Sóbis/Desce, dentre outros esforçados como Alisson, Rafinha e o próprio Sassá….Valeu e muito pelo PENTA e consequentemente a vaga assegurada para a Libertadores na qual presisamos de reforços puntuais para as laterais e de um 9 “noventa” para jogar para dentro e podermos saírmos para os abraços. Que 2018 seja de muito trabalho, pés no chão e títulos. Cruzeiro Sempre……..Abçs

    1. Torço e muito para a recuperação do Dedé e do Judvan e que em 2018 possam nos ajudar e muito com o futebol promissor que sabem jogar. Ainda tem o Manoel, Robinho, Cabral, Raniel, Galhardo LS16 e o próprio Sóbis que espero não tenham desaprendido a andar de bicicleta. Saudações Azuis

  2. Acho que pra libertadores o Léo e o Henrique são fracos para serem titulares, acho o Henrique o volante mais fraco que temos, tem que dispensar urgente o Ezequiel, Lennon, Digão, Elber, R. Marques e o Alex. Poderia começar com todos bem fisicamente, o Fabio, Galhardo, Dedé, Fabrício Bruno ( Murilo), Egídio; Romero, Hudson, Bruno Silva, T. Neves, Sassá ( Judvan ou Raniel), Arrascaeta, lógico se todos estiverem em forma. Contratar mais uns 3 jogadores, teremos um ótimo plantel, e ainda subiria alguns garotos da base. Tem também o Caio Rangel ( joga de meia) que foi contratado, ele tem um estilo parecido com o William do Chelsea, é muito bom o garoto, tem muita habilidade. Poderia tentar trazer o Zé Rafael, ficaríamos com um meio de campo muito forte.

  3. É P.H., podia ter sido melhor! O Ramon Ábila podia ter ficado. Com ele muitos jogos que não marcamos gols, teria saido do zero. Tal como contra chapecoense, Vitória, Botafogo no primeiro turno, Bahia primeiro turno. E com certeza ele iria meter gol nas frang6x1as. Agora, não adianta chorar o leite derramado. Agora é contratar um matador, pra empurrar as bolas pra dentro. No ano que vem, que venha o tri da Libertas, e o Mundial. E também a Sulamericana. quem sabe o Hexa da Copa do Brasil. O primeiro clube a ser hexa da C.B., vai ser bom demais. Abraços.

    1. O Ábila vai ser motivo de lamentação por muito tempo.Respeito as decisões do Mano e sei que o time funciona melhor do jeito que ele decidir.Mas no futebol o que manda é gols,e o Ábila é excelente em empurrar a bola pra dentro.Se ele nao compunha do jeito do Mano,na minha opinião e de muitos, teria que colocar o time para trabalhar em volta dele,a não ser que tinha outros empecilhos que desconhecemos.

      1. Também queria saber quem é que iria pagar, ele simplesmente sairia por mais de 25 milhões, mais uma do Caloteiro Gilvan, é esse presidente que se diz honesto.

  4. Oscilação ao extremo,mas no fim um ano produtivo.Agora é levar as lições para 2018,e nem pensar em cometer os mesmos irritantes erros.Parabéns para o Cruzeiro FA,campeões em seu ano de estreia,ao Vôlei ,atletismo e claro, ao PENTA!!

  5. Não tem nada haver, mas muito estranho como o Cruzeiro trata o Georgemy goleiro de 22 anos (1,95m) com passagens por todas seleções de base e com 2 anos de experiência no futebol europeu!
    Tem coisas que acontecem no Cruzeiro que da vontade de parar de torcer, mas a paixão é mais forte!

  6. O Brasileiro desse ano foi tão fraco que fica a sensação que se o time tivesse sido um pouco mais estável no inicio do campeonato (principalmente na fase “Caicedo”) poderíamos ter sido campeões.

    Infelizmente o futebol brasileiro é isso aí, extremamente fraco e sem previsão de melhora.

    Eu não aposto na Libertadores do ano que vem, falta um talento individual pra resolver os jogos (Thiago Neves até tem o potencial pra isso mas precisa querer jogar bola). Acho que as chances de ganhar o BR18 são altas se trouxer alguns reforços pontuais.

  7. Galera eu sei que o meu comentário não faz parte do tema tratado no momento, mas é um absurdo uma notícia que eu li a respeito do Técnico Paulo Bento que ainda recebe dinheiro do cruzeiro, isso é um absurdo. É por isso que o cruzeiro está vivendo nessa crise alarmante de dívidas, quem deveria assumir essa dívida era o senhor Gilvan e sua turma de incompetente e pagar com o próprio dinheiro deles. Se o cruzeiro continuar com essa administração retrógrada daqui uns 4 ou 5 anos a instituição não vai existir mais. Aquele infeliz do Paulo bento veio aqui e só vez lambança e ainda por cima continua recebendo dinheiro do cruzeiro até hoje, isso é um absurdo.

    1. Também acho, é muita sacanagem que esse caloteiro desse presidente fez com o nosso Cruzeiro, e ainda vem falando bobagem querendo dar opinião na nova diretoria, graças à deus que ele foi cortado. Quero ele e longe do meu Cruzeiro, auditoria já.

  8. NOVA DIRETORIA: chama o garoto faz um contrato de 2 anos, que esse goleiro será boa moeda de
    troca no FUTURO se não for titular do CRUZEIRO junto com o GABRIEL BRAZÃO E ESSE ATLETAS TEM SER RESPEITADO NA TOCA. Georgemy goleiro de 22 anos de (1,95 cm),.
    CONTRATAM O PABLO EX CORINTHIANS PRA ZAGA
    MAXWELL ALA ESQUERDA EX PSG. disputar com O EGIDIO DEIXAM O BRAYAN ATÉ DEZEMBRO 2018.
    ALA DIREITA GALARDO E EZEQUIEL E OLHA MERCADO DA ARGENTINA OU DO PARAGUAI ALA DIREITA SE CASO NÃO ENCONTRAR NO FUTEBOL NACIONAL.
    BRUNO SILVA JÁ E DO CRUZEIRO.
    HUDSON OUTRO QUE VAI CONTINUAR NA TOCA.
    FALTAM 2 ATACANTES QUE SABE SER FRIO NA HORA DE FINALIZAR. SOFREMOS TAL DE FALTA DO HOMEM GOL. CADÊ O PRESENTE DE NATAL E ANO NOVO. AOS CRUZEIRENSE.

    QUEREMOS 4 A 6 REFORÇOS QUE POSSAM chegarem e nos ajudar levantar A TAÇA EM 2018.
    PREPARAM O NONOCA E O LUCAS ROMERO. SERÃO TILULARES EM 2018.
    FABIO, VITOR FERRAZ ACERTAR COM O SANTOS, , DEDÉ, PABLO EX CORINTHIANS, EGIDIO, E
    NONOCA , LUCAS ROMERO OU ( HUDSON) E BRUNO SILVA ACERTAR COM O BOTA , ARRASCAETA E TIAGO NEVES E SASSÁ.

    1. Ezequiel, Bryan, meu deis mim ajuda ai, esses dois não serve nem como reservas, na base tem muitos garotos melhores que esses dois. O Pablo ai eu concordo.

    2. 1- Goleiro raramente tem muito valor de mercado e goleiros jovens e bons não faltam no Cruzeiro;
      2- Maxwell se aposentou já faz um bom tempo, hoje é diretor no PSG;
      3- Pablo é caro e não é melhor que o Manoel, gasto completamente desnecessário;
      4- Lateral direita anda bem escassa em todo o planeta, são raras as boas opções, principalmente na Argentina.

      Fora isso, gosto da possível chegada do Bruno Silva, não gosto da ideia do Hudson ficar (não vale esse esforço) e com certeza ainda precisamos de um bom lateral direito, um lateral esquerdo reserva (talvez o retorno do Mena ou Pará seja uma boa alternativa), um bom centroavante (tem bastante opções no mercado) e, idealmente, um meia pra dividir a responsabilidade com o TN.

  9. Temos que parabenizar ao grupo do Cruzeiro FA pela conquista do Brasil Bowl de forma invicta, superando as equipes do Flamengo Imperadores, Santos Tsunami, Corinthians Steamrollers, Botafogo Reptiles, Vila Velha Tritões, Coritiba Crocodiles na semi e o João Pessoa Espectros na grande final disputada lá no campo do Indepa. Realmente uma conquista invicta que ficará na história logo em seu primeiro ano após a parceria do Sada junto com o CEC e o BH Eagles. Valeu e muito….
    Com relação ao Volei o Cruzeiro esta na Polônia para disputa do Mundial, tendo sua primeira partida já amanhã às 17:30 hrs com transmissão do Sport TV. O Cruzeiro foi a única equipe brasileira a conquistar o mundial de volei e olha que foram três as conquistas a nível mundial. Tamo junto. Abçs

    1. Incrível como os emplumados cacarejantes são pés frios sô! Depois que o Cruzeirão passou a disputar no Volei, naturalmente eles passaram a torcer para o Minas, só para secar. De lá pra cá, já somos HEPTA do mineiro, ganhando em todas as edições. Agora no Cruzeiro FA, passaram a “torcer” para o Minas Locomotiva no qual aplicamos um sonoro 42 x 0. Êta povo dos pés frios sô. Abçs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.