Skip to main content
 -
Pedro Henrique é professor, blogueiro e cruzeirense fanático. Escreve desde 2012 e já teve passagens no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Siga @RealPedrin no Twitter e acompanhe diariamente os comentários do blogueiro. Curta a fan page oficial do blog no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/

Simples e objetivo

Ábila precisou apenas de uma finalização para mandar a bola para a rede no jogo de ontem. (Foto: Thiago Parmalat/Light Press/Cruzeiro)

Vencemos de novo. Se no ano passado, quando eu estreei neste espaço, eu vinha aqui para comentar inúmeras derrotas do nosso time do coração, neste ano eu só tenho falado sobre vitórias. Dois meses de trabalho, dois meses sem saber o que é sair derrotado de campo. Às vezes fica até repetitivo, pois os jogos têm sido semelhantes – em termos de nível do adversário e até mesmo da condição dos gramados. Mas eu prefiro assim. Que comentemos sempre vitórias, até o final da temporada. Se assim for, você sabe, no final comemoraremos títulos.

No jogo de ontem contra o Murici, de Alagoas, pela terceira fase da Copa do Brasil, o Cruzeiro teve que enfrentar um adversário muito complicado: o gramado. O campo foi, sem dúvidas, a coisa mais difícil a ser superada. Tivemos que improvisar, nos adequar, jogar feio às vezes, tomar mais cuidado ao fazer qualquer passe e lançamento e ficar com o alerta ligado a cada vez que o nosso oponente tinha a posse de bola, já que eles conhecem o pasto, digo, o gramado, melhor que a gente.

Superamos o péssimo gramado fazendo um jogo simples e objetivo. Por vezes os jogadores tiveram que lembrar seus tempos de amadores, em gramados amadores e em competições amadoras (porque, vamos combinar, em uma competição oficial do nível da Copa do Brasil um estádio desse deveria ser vetado sem nem ter o que discutir). Do lado de fora, a comissão técnica teve de aguardar uns banquinhos para que eles pudessem se assentar. E os reservas só podiam se aquecer de seis em seis, pois o espaço não era suficiente. Tudo isso foi superado pelo Cruzeiro na noite de ontem.

Nos primeiros minutos, a Raposa foi agressiva, tentou sentir o gramado e, a meu ver, foi até bem. Depois o jogadores recuaram bastante, deixaram o Murici jogar, apostaram no contragolpe. Assistindo à partida, a gente percebia o perigo: se nesta fase fosse jogo único, o Murici teria o pasto a seu favor. E isso aconteceu nas duas fases anteriores. A partida não foi lá de encher os olhos, como a gente esperava. Não poderíamos correr o risco de lesões e de provocar um desgaste desnecessário.

O primeiro gol veio de bola parada, em cobrança de Thiago Neves e desvio de cabeça do zagueiro Manoel. Fico extremamente satisfeito por perceber que nossas jogadas de bola parada estão sendo decisivas. Foi assim contra a Caldense e em outros jogos. Parecia que seria só isso mesmo. 1×0, com gol de bola parada. Mas eis que Mano Menezes fez o que todos queriam: colocou o argentino Ramón Ábila em campo, aos 37 minutos da etapa final. Todo mundo sabia que aquele era um jogo para o Wanchope. Pelas condições do gramado, pela objetividade que o jogo pedia, etc. E foi preciso apenas UM chute para que Ábila marcasse mais um gol para a Raposa. Era jogo pra Ábila.

E o Cruzeiro saiu de campo com a vitória mais uma vez. Fez o que tinha que ser feito. Foi simples e objetivo. Tomou os cuidados que tinha de tomar. Serviu-se da bola parada e da eficiência de Ábila. Enfrentou o adversário dentro de campo, venceu o Murici e o gramado, sem “mimimi”. Pronto. Agora vamos ver se no Mineirão o time adversário vai conseguir jogar bola.

Para fechar, vamos aos destaques (positivos e negativos) do jogo. O Alisson, na minha visão, fez um bom jogo. Foi o jogador que mais participou, que mais cobrou atenção dos seus companheiros. Não teve assistência nem gol, mas sua participação foi importante (de novo, repito, mais uma vez: na minha opinião). O volante Ariel Cabral também fez um bom jogo ontem. Sobis tentou e batalhou muito. Thiago Neves protagonizou uma furada espetacular, mas sua experiência e bola parada nos ajudaram ontem. Ábila não é necessário dizer. Era jogo pra ele. Quem não impressionou, a meu ver, foi o lateral Fabrício, que cumpriu seu papel, mas não é mais aquele Fabrício da primeira passagem de Mano Menezes. Arrascaeta não conseguiu jogar ontem, creio que por causa do gramado mesmo. Pelo menos essas foram as minhas impressões. E vocês, o que acham?

Pedro Henrique

Olá, o meu nome é Pedro Henrique. No Twitter, sou conhecido como o @RealPedrin. No blog, todos me chamam de PH. Desde 2012, escrevo sobre o Cruzeiro. Já redigi no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Não sou daqueles blogueiros que gosta mais de cutucar o rival do que de analisar o próprio time. Minha missão aqui é colocar o meu ponto de vista - dentre tantos milhões de pontos de vista possíveis - e abrir o espaço para o debate, para a troca de ideias. E prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Ei, você curte o blog? Então curte lá a nossa fan page no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/. Muito obrigado! Sejam todos bem-vindos!

58 comentários em “Simples e objetivo

  1. Fabrício inexistiu no jogo de ontem. Ele simplesmente não atacava hora nenhuma, nunca fazia ultrapassagem e o lado esquerdo ficou morto. Cabral e Henrique foram Cabral e Henrique, nada de novo. Alisson realmente tentou muito, mas ainda acho que o Rafinha já fez muito mais para merecer um lugar no time. E o ápice foi o Mano falhar em prejudicar o Ábila. colocar jogar de área quando o time mal está atacando é a piada do ano do Mano. Mas o Abila foi lá e mostrou como se faz. Mano errou ontem, e muito. Precisa ser capaz de mudar mediante necessidade. Aqui esse time vai tomar um passeio igual o Rio São Franciso.

  2. Boa leitura do jogo. Quem assistiu viu que o gramado ALTO atrapalhou todo mundo, até o Murici. Acho que nunca vi tanta roubada de bola, porque ela parava antes do cara conseguir dominar.

    E viva o Abilão!!! O Mano tentou queimar ele de novo com 8 min em campo (como contra o América TO), mas o tiro saiu pela culatra. Dois toques na bola, um gol. Nada mais a declarar.

    1. Será que só eu acho esse Ábila fraco? O cara não tem habilidade nenhuma, em vários jogos foi um a menos em campo, além de errar gols feitos. Vide ano passado, contra flamengo, etc…

  3. ola, é a primeira vez que comento no blog e gostaria de versar neste espaço, brilhantemente ilustrado pela inteligencia do nosso blogueiro,
    algumas palavras sobre um jogador, injustamente perseguido, Ariel Cabral. Esse rapaz chegou ao cruzeiro em 2015, com o time em péssimas condições , ainda treinado por Luxemburgo, a única vez que realmente senti que poderíamos cair, até mais que em 2011. E não só a inspiração de willian que naquele meio de ano para ao final se superou em todos os níveis, mas as participações decisivas de Cabral exercendo um controle técnico IMPENSADO para aquele meio de campo de 2015 , com domínio de bola, bons passes e até enfiadas decisivas , como no jogo contra o são Paolo daquele ano. Em 2016 atuou com malemolência, parecia estar desinteressado, disperso, mas este ano , já tem nos ajudo bastante. É UM JOGADOR TÉCNICO, INTELIGENTE E FOI DECISIVO no Único teste de verdade deste ano, contra o mineiro, tendo atuação primorosa. Inteligente, rápido nos passes, bons lançamentos, da dinâmica na saída de bola. É claro que no auge, lucas silva é mais jogador, mas isso é em teoria, baseado no que ele já fez. Creio que se deva dar mais oportunidades ao garoto, para quele corresponda às expectativas e demonstre, na prática estar acima de Cabral. Pois hoje Cabral realmente merece a titularidade.

    1. Felipe o problema é Cabra e Henrique jogando juntos, os dois são lentos, perde muito na marcação no meio de campo, tem que ter um volante com mais pegada, por isso tem que jogar com o Hudson ou Romero um desses 2 tem que estar no time, o Sobis por exemplo jogou praticamente de volante, poderia muito bem ter dado chance pra eles nesse jogo e ainda com Léo na zaga que é outro jogador muito lento também só chega atrasado nas jogadas alem de ser muito afobado, a mesma coisa acontece com o Rafinha que produz muito mais para o time que o Alisson e ser reserva dele.

  4. Boa leitura do jogo. Quem assistiu viu que o gramado ALTO atrapalhou todo mundo, até o Murici. Acho que nunca vi tanta roubada de bola, porque ela parava antes do cara conseguir dominar.

    E viva o Abilão!!! O Mano tentou queimar ele de novo com 8 min em campo (como contra o América TO), mas o tiro saiu pela culatra. Dois toques na bola, um gol. 7 jogos, 312 min, 6 gols, um a cada 53 min. Nada mais a declarar.

  5. Como você disse PH, esse era um jogo para o Ábila. Também acho que o Sóbis se encaixa melhor no esquema do Mano, mas há determinadas situações que precisamos de um atacante menos participativo e mais objetivo, e esse é o Ábila. Jogo em gramado ruim e/ou com adversário retrancado, não tem que pensar duas vezes, tem que colocar o Wanchope. Daqui a pouco o Sóbis vai ficar saturado de tanto jogo, e o Mano vai ser obrigado a colocar o Ábila de qualquer jeito.

  6. Era um jogo para o Ábila de fato e não entendi bem as escolhas do Mano. Gramado simplesmente não ajudou, mas sem reclamar o Cruzeiro venceu e certamente colocará o time reserva na partida de volta e é aí que eu quero ver até aonde vai a panelagem do Mano Meneses.

    Quanto a atuações, de tão ruim tecnicamente, fica difícil encontrar um que se destacasse, e me veio a cabeça a atuação do Rafinha ou Rafael, que fez apenas uma (ótima) defesa.

    Quanto aos piores, na minha lista vai:

    Os dois arames lisos, Henrique e Ariel, seguido de Alisson e Arrascaeta. Esse último já anda devendo.

    Finalmente domingo teremos um jogo que pode nos proporcionar um melhor teste.

    P.S – O que o Romero virou?

    1. Romero virou escutador de piadinhas do senhor Mano Menezes. Várias foram as vezes que a câmera focalizou os dois no banco e eles riam de algo. Inaceitável essa tal “coerência” do gaúcho.

  7. Não dá pra fazer qualquer análise devido ao pasto que o Cruzeiro jogou. Poderia ter ficado 0x0 como foi contra a URT tranquilamente, não tivemos nem uma maior posse de bola como está acontecendo em todas as partidas. O resultado foi bom pra mostrar que a bola parada vai ser uma boa arma nesta temporada, e que o Ábila é um atleta de alto nível profissional, que sabe entender as preferências do treinador e esperar suas oportunidades.

  8. ABILA 18 GOLS(E JOGANDO POUCO) AS VEZES MENOS DE 10 MINUTOS. DIZEM QUE ELE E RUIM E E MESMO E BEM RUIM, MAS METE GOL, EXENCIA DO FUTEBOL. NO JOGO DE ONTEM O MESMO DE SEMPRE, MEIO CAMPO INESISTENTE, O PESSOAL DO MUNIRI GANHOU TODAS. MAS ESTAMOS CUMPRINDO A OBRIGAÇAO QUE E VENCER ESSES TIMES FRACOS, POIS O ANO PASSADO NEM ISSO ACONTECIA.

  9. Nossa que jogo chato gramado péssimo (que dava até para ver umas moitas de braquiaria la no meio), time enjoado, mas to gostando de ver que em todos esse jogos enjoados o time está tirando um coelho da cartola, isso é muito mais muito bom, versatilidade, nem vou comentar a performasse dos jogadores em campo não, pois ali foi um jogo de raça e vontade mesmo, 2017 vai ser bom e que venha os jogos grandes logo para começarmos a ter certeza que bom ventos estão vindo.

  10. É isso mesmo P.H., conforme você escreveu no 1º §, é muito bom comentar em cima de vitórias. Veja bem e ainda tem comentarista aqui querendo acabar com os campeonatos regionais!? Realmente concordo muito que o “Alisson” participou muito do jogo, e chamou a responsabilidade para si. O T.N. depois daquela furada, acho que ficou com vergonha, e resolveu se esforçar mais e ajudou muito mais a equipe. Até ali estava insonso. Já o Ariel Cabral, como você disse “fez um bom jogo” obserevei que ele foi inteligente e jogou de acordo com a característica do pasto, porque aquilo deveria ter sido vetado de “plano” sem questionamentos ante a CBF. O Ariel deu trombadas, e como a bola não rolava, mas quicava, Ele parava na frente dos jogadores do Murici e ganhava no porte físico. Contribuiu muito com o time. Já o Abilão entrou pra definir. Gostei. Parabéns P.H.

  11. Inacreditável a CBF deixar jogar num pasto daquele. Acho até que a CBF, com a grana que recebe, poderia ajudar a manter gramados de equipes menores para um mínimo de condição para prática de futebol profissional. Futebol é muito caro pra que equipes grandes corram risco de jogar num lixo daquele e perder seus principais investimentos para uma temporada. Ali tinham no minimo 5 tipos de gramas diferentes. Inaceitável!!!!!!!

    Sobre o jogo: mais uma vez Mano erra na leitura do que o jogo pede. Abila devia sair no onze inicial de cara!!!!! Era jogo mais físico do que técnico. E é hora de repensar nas primeiras opções pra esse jogador de lado de campo, Rafinha pede passagem, até pela sua experiência. Respeito a opinião do blogueiro, mas Alisson e Elber pra mim são dois foguetes molhados!!!!!!! Alisson deveria ficar mais umas 3 horas após os treinos para melhorar finalização e Elber deveria treinar estilo a época do Telê Santana, antes de dar um passe/cruzamento ter que dizer qual a cor da bandeira que o treinador tem em mãos. Incrível como não consegue dar sequencia em nenhuma jogada!!!!!!

  12. Simples… muito simples por sinal! Quanto a furada do T.Neves, acho engraçado… todo mundo usando o argumento do gramado ruim para justificar o jogo fraco… “ah, tudo bem, o gramado ruim, o jogo foi feio, mas tudo bem! Foi o gramado…” Agora vejo muitos criticando a furada do T. Neves e ninguém mais lembra do gramado ruim, que provavelmente foi o causador da furada. Do mesmo modo que todos estão relevando o fraco futebol devido ao gramado, deveriam fazer o mesmo quanto a furada do T.N., que essa sim seria mais justificável devido ao gramado.

  13. Tentei assistir até os 10 do segundo tempo, mas comecei a cochilar! Ainda bem que tinha outras opções de jogos da libertadores pra assistir e salvar a noite.

  14. PH, vi o mesmo jogo que você, por isso sua análise está correta, justa! Não obstante, acrescento: Rafinha, no pouco que jogou, foi muito melhor que Tiago Neves, péssima partida pois sentiu muito o campo, Sóbis e Álisson. Henriquem Léo e Fabrício deixaram muito a desejar também. Ariel foi muito bem. Nossas jogadas de ataques mais esclarecidas originaram-se de lançamentos ou de tabelas com ele. Desarmou muito mais que o Henrique também! Verdade, verdadeira.
    Veja como a JUSTIÇA verdadeira, a de DEUS, age. O Mano PANELEIRO E PERSEGUIDOR, sempre coloca o Ábila em instantes finais com o propósito de jogar ele contra nós torcedores. Assim, como foi contra a Tombense, ele ontem pouco jogou, não mais que 11 minutos, deu 2 chutes e marcou o gol que restaurou a grandeza do nome Cruzeiro na Copa Brasil. Por isso retranscrevo aqui lapidar definição do que é ´ser técnico PANELEIRO, como o Sr. Mano Menezes: ” UMA COISA É O TREINADOR TER JOGADORES DE CONFIANÇA, MUITO SUPERIORES EM DESEMPENHO E IMPORTÂNCIA TÁTICA (COMO COM O AB) E OUTRA É TER PROTEGIDOS. ” A proteção aos queridinhos, Léo, Sóbis, Henrique, Cabral já começa a conscientizar aos cruzeirenses mais esclarecidos e isto pode induzir à Diretoria a tomar alguma providência, quem sabe, e deixar de mimimi, pois mimimi nunca resolveu coisa alguma, somente complica, rsrsrsrs!!!

  15. Realmente o Ariel Cabral tem surpreendido esse ano. Mostrou um interessa muito maior e tem tido volúpia nas apresentações celestes. O Fabrício… ah o Fabrício… esse deveria ser a última opção para a lateral esquerda. O que será que o Bryan fez de tão errado que não consegue desbancar nem o sósia do Zé Roberto (único aprendizado que ele trouxe do Palmeiras foi esse cabelo de Medusa. Manoel foi importante, jogou sério, foi astuto e comprometido. Léo, o acompanhou (vai ser sem expressão assim lá no América, viu). Arrascaeta, tem arrancada, mas a velocidade final dele parece de um carro com motor cansado… sempre perde pros zagueiros na corrida ou no corpo… só consegue êxito se deixar o cara no chão. Mas tudo bem, é um jogador importante e já melhorou muito desde que chegou a BH. Sóbis, mais uma vez um batalhador. Joga sério, joga limpo, chama o jogo, não se esquiva, põe a perna mesmo! Alisson, o foguete molhado (igual ao Elber) até jogou bem contra o Murici, mas precisa caprichar mais nas finalizações. Nem direção, nem força… aí complica pra fazer gol (haja visto que Henrique tem mais gols que ele na “era Mano”, conforme informado no site do SE). Falta-lhe explosão. Thiago Neves ainda tá com a perna pesada, errando uns passes que geralmente são fáceis para alguém com sua habilidade, mas tem boa participação nas bolas paradas. Ábila (também acho que era jogo pra ele) fez o que veio fazer no Cruzeiro: GOL! Pouca técnica, estatura média, mas é bom finalizador (embora protagonize alguns remates que me remetem a um cabeça de bagre), espero que tenha mais eficiência quando atua durante todo o tempo e que aprenda com o Sóbis a participar mais das ações ofensivas. O Rafinha (que eu até achava dispensável, quando veio pro estrelado) me fez mudar de opinião a seu respeito. Tem criado jogadas interessantes, utilizando de sua fácil mudança de direção pela sua leveza, e também é um cara que tem um passe de bom nível. Sobre os restantes: Ezequiel: OK! Henrique: OK! Rafael: OK!, sem brilhar, mas cumprindo bem o papel em campo.

  16. Acho que estamos todos enganados com este ataque do Cruzeiro. Fraquíssimo! Porque não testar o Hudson e Lucas Silva no meio de campo? Pior do que Henrique e Cabral tenho certeza de que não serão. Quanto o Cruzeiro pegar times melhores aí vamos ver se o Mano fez bom trabalho! Não estou botando fé neste time.

  17. Poxa, realmente o gramado estava muito ruim, mas o Cruzeiro tem jogado no Mineirão e apresentado o mesmo padrão de jogo lento e burocrático. Acho o Léo muito lento, Cabral também é bem técnico mas é lento demais. Para o time jogar com o Cabral, tinha que jogar outro volante mais mordedor com mais velocidade. Então ficam o Henrique e o Cabral com o mesmo estilo de jogo, toque de bola, domínio e lentidão. Não gosto mesmo. Fora o Mano querendo queimar o Ábila. Abilão é grosso mas tem fome de gol. Alisson e Élber precisam mesmo treinar finalizações exaustivamente.

    1. Concordo, Daniel. A transição da defesa para o ataque está indo a passo de Fisquinha 62. Quando Lucas Silva jogou pela primeira vez, entrando no segundo tempo, a bola voava da defesa pro ataque.
      Não estou aqui “cornetando” Henrique ou Cabral. Apenas acho o mesmo que você: eles jogam parecido e o meio campo está devagar. Cabral tem muita habilidade na perna esquerda, lança muito bem, e Henroque marca mais. Enfim, cada um tem suas virtudes. Mas quando o Cruzeiro contratou o Cabral, o Superesportes conversou com jornalistas da Argentina, e quase todos falaram a mesma coisa: que ele era habilidoso mas deficiente na marcação, e que atuava melhor como meia-armador. Ou seja, não se pode dizer que o Cruzeiro não sabia.

  18. Pra não me chamarem de corneteiro, gostaria de lembrar alguns pontos positivos: Time invicto; Rafael, Manoel, Ábila bem; time tem esquema tático definido; elenco com muitas opções; jogadas de bola parada. Já os pontos negativos: Jogo lento e previsível; Mano teimoso; substituições previsíveis; Ábila com poucos minutos de jogo. Vamos Zeroooooo!

  19. Sei que muitos vão me criticar aqui mas o Cruzeiro tá precisando perder! Nos últimos 3 jogos tá nítido que o time tá entrando em campo de salto alto, achando que pode vencer quando quiser. Maior exemplo disso é o Arrascaeta que começou o ano muito bem mas agora tá num preciosismo gigantesco, posso dizer o mesmo do Robinho que ainda tem muita garra pra marcar mas atacando tem sempre tentado as jogadas mais difíceis. O time tem jogado pro gasto e dominado os adversários, mas tá precisando colocar os pés no chão e jogar com mais vontade.

    1. Olá Pedro Henrique, estou dando um tempo. mas continuo lendo os seus textos e os comentários dos colegas, quero dar um tempo para ver este time enfrentar pelo ao menos uns 5 times com mais tradição, estou com esperança na temporada mas no momento vi apenas apenas alguns lampejos do que pode acontecer no decorrer do ano mas acho que ainda tem que mudar muitas coisas e principalmente atitudes apesar dos times do Mano fazer 2 gols é goleada , mas no momento vejo as vitórias como no tempo do Deivid as vitórias estão acontecendo mas não me convencendo e concordo com o colega Luan acima pra mim também o time está jogando de salto alto e além do mais com preguiça, tomara que domingo não deixe escapar pontos preciosos contra o América.

  20. Tinha prometido a mim mesmo não comentar(cornetar) mais aqui, mas algumas manchetes mexe com a gente. Mano diz que é justiça o que está fazendo com os jogadores, para mim é uma grande inverdade; veja o que ele está fazendo com Ábila, Romero e daqui a pouco vai fazer co Rafael, está na certa queimando todos. ontem ele colocou Elber em campo só para atender sua família que estava presente, isso existe em um time profissional? Não falo mais de Henrique, pois muitas viúvas deles aqui irão me atacar, mas ele jogou ontem?

  21. O Alisson acha que joga muito mais do que realmente joga. É individualista. Nunca pensa com antecipação como dará sequência na jogada. Precisa de orientação e treinar finalização com a bola em movimento. Tem que devolver a mesma atenção que todos os colegas dentro de campo dão para ele. O Egoísmo é o maior dos obstáculos dos melhores resultados.

  22. PH, muito boa a sua crônica. Mas, mesmo não sendo “corneteiro”, tem algumas coisas que precisamos levar em conta — e você já o fez, lembrando da famosa “coerência” que Mano Menezes tanto apregoa.

    1. MANO MENEZES É UM TÉCNICO APENAS RAZOÁVEL: em 3 anos à frente da seleção, aclamado pela população e pela imprensa, ele obteve resultados pífios. Teve todo o tempo do mundo para experimentar suas “convicções”, convocou uma penca de jogadores, e o que se viu foi um time do nível de Parreira e com resultados piores que Dunga. Ele ajudou o Cruzeiro por 2 vezes a sair da zona da degola, mas nunca fez o time jogar como campeão. E as 12 partidas invictas deste ano não são demonstração disso. Apenas no jogo com o Atlético o Cruzeiro pareceu levar a partida a sério. Fora isso, jogou com preguiça e achando que pode ganhar a hora que quiser. Em alguns casos, a escalação foi muito errada (por ex., conta a URT).

    2. MANO MENEZES É ALTAMENTE INCOERENTE: com essa história de “joga quem estiver melhor”, ano passado ele tirava o Ábila para colocar William bigode. Isso não tem explicação. Caicedo tem jogado mais sério que o Léo, e quando o Manoel volta, Mano o coloca no banco. Ontem, o jogo parecia futebol de areia. O Muruci sabia disso e dava toques altos, em vez de rolar a bola no chão. Cabral percebeu isso e passou a fazer a mesma coisa. Era jogo de força, não de toque de bola. E o Ábila ficou no banco. Era partida pra ele, que precisou de uma mísera bola para fazer o gol. E daí o Mano ainda coloca Elber na partida. Gosto muito do Élber, mas ele nem viu a cor da bola.

    3. HENRIQUE E CABRAL ESTÃO SIM JOGANDO BEM, e exatamente por esse motivo não deviam ter entrado em campo nas duas partidas — América TO e Muruci. O desgaste foi enorme, e não havia necessidade, com Hudson e Lucas Romero no banco. Este último tem sido sistematicamente desprezado por Mano Menezes. Não tem lógica. Da mesma forma, em determinadas ocasiões poderiam ser usados Romero, Hudson ou Lucas Silva para dar entrosamento a eles e poupar Cabral e Henrique de desgaste.

    4. A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: porque Rafinha é reserva do Alisson? PH, eu acho que Alisson é bom, voluntarioso, mas quando pega a bola não solta mais. Puxa de lado e chuta, na maior parte das vezes por cima do gol. Rafinha tem tido muito mais visão de jogo, sabe passar e cruzar. Alisson não sabe.

    5. FABRÍCIO NÃO!! POR FAVOR NÃO. É o mesmo que jogar com um a menos. Foi assim com a URT também. O quase gol do Murici ontem foi debaixo do nariz dele. Não cercou nem deu combate, deixou o jogador virar e chutar. Quando o Rafinha tomou para si a lateral esquerda, o jogo ficou diferente.

    6. Agora marque minhas palavas e no final do ano conversaremos sobre isso de novo: MANO VAI FRITAR O ÁBILA ATÉ ELE PEDIR PRA SAIR ou o Cruzeiro devolvê-lo ao final do ano. Isso de colocá-lo em campo com 8 minutos no relógio é pra dizer que colocou e depois falar que ele não foi produtivo. Em 2 ocasiões antes do segundo gol, ele estava posicionado em ótimas condições de receber na área. Tivesse o Cruzeiro um lateral esquerdo em campo, era cruzar e ele mandava pro gol. Não vou entrar aqui na conversa de “quem é melhor, Ábila ou Sóbis”, porque esse assunto já deu. O que eu ressalto é a teimosia de Mano Menezes, que quer que Ábila seja Sóbis. Ele não sabe ler os atletas que tem e quer (à moda de Luxemburgo) que eles façam o que ele manda. O Ábila, quando recebe em boas condições, tem aproveitamento maior que Sóbis, William, Douglas Coutinho, Riascos e Rafael Silva juntos. Foi uma excelente contratação. Mas ele depende sim de bolas lançadas em profundidade (é só ver os gols dele na temporada passada na Argentina). E para receber as bolas, os armadores e laterais tem que jogar de forma a cruzar/lançar bolas à frente dele, e não nas costas, para ele voltar e armar a jogada. Mas Mano insiste no tal “jogador que se movimenta”, daí a insistência em mantê-lo no banco. Com menos minutos de jogo, ele tem mais gols que Sóbis e o resto do ataque. Da mesma forma, Arrascaeta não é um trator que passa por cima dos adversários, e não adianta tocar pra trás e achar que ele vai driblar toda a zaga. Mas Mano quer que ele se vire nos 30, enquanto Alisson pega a bola e não solta mais.

    Enfim, são minhas opiniões. Fiquem à vontade para discordar, mas com respeito por favor.

    1. Marcelo. Gostei do comentário. Texto enorme mas não cansativo. Citou prós e contras sem denegrir a imagem de ninguém. Este espaço democrático foi bem aproveitado por voce.

  23. Eu particularmente gosto do Henrique. Ele é experiente, um dos jogadores mais tranquilos em campo e se mantem mesmo quando o jogo ta dificil, mais infelizmente ninguem vence a idade. Ele nao tem mais 20 poucos anos e nao consegue ter a mesma agilidade pra marcar e chegar a frente como em 2008/2009. Porem e um bom volante, mais Romero, Hudson e Lucas Silva estão muito acima dele, sem contar que a tendencia é que com ritmo de jogo, principalmente romero e lucas, melhorem ainda mais pois são jovens e tem muito pra evoluir Já o Henrique não vai passar do que estamos vendo hoje. Pelo contrario, só vai piorar.
    Entao, por mais que goste do Henrique, nao entendo o pq ele é titular de um time que possui Lucas Silva, que encantou o mundo em 2013/14 e Romero que todos reconhecem o potencial que tem.
    E o Cabral? Leia tudo denovo só trocando o nome. Passa bem? Lucas Silva melhor! Marca bem?(Não) Lucas Silva melhor! Lança bem? Ops acho que não! Bate bem de longe? Nem dá pra comparar!
    Unica diferença é que ele tenta correr com a bola, mais com a velocidade dele não sai muita coisa.

  24. Oh Marcelo tem jogadores que são só de 2º tempo, tais como: Rafinha, Alisson e Élber, quando o outro time já está mais cansado. Mas o MM é um grande técnico que tem os seus queridinhos como qualquer outro técnico. Mas Ábila não está sendo fritado não, tanto que ele está sempre entrando e dessa vez ele conferiu. É isso que nós queremos, seja o tempo que entrar, teve oportunidade, mande pras redes. Abraços.

    1. Concordo, Gerson. O Cruzeiro já teve Alex Alves, que era um endiabrado no segundo tempo mas, quando jogava de titular, era um zero em campo. Mas exatamente por esse motivo eu creio que o Cruzeiro estaria melhor servido com Rafinha titular e Alisson entrando no segundo tempo. Rafinha arma jogadas, levanta a cabeça pra cruzar, sabe ir à linha de fundo. Alisson é rápido, driblador, ou seja, atrapalha o zagueiro quando ele já está cansado. Élber é a mesma coisa. Lembra do gol dele no Figueirense ano passado?

  25. Gostei do jogo, foi quase tão bom quanto Barcelona 6 x 1 PSG( Atlético de Paris), kkkk.
    O Cruzeiro controlou a partida, não dá para jogar de forma intensa naquele gramado e correr o risco de perder jogador por lesão.

  26. Continuo sem ver a tal “grande evolução” entre o grupo de jogadores deste ano e os dos anos de 2015 e 2016. E vamos nos lembrar que no fiasco de 2016 estavam lá titulares Léo, Manuel, Henrique, Cabral, Arrascaeta….e o gauchão teimoso ainda me ressuscita o HORRENDO Fabrício….jogador SEM FIBRA, SEM GANA. Se eu fosse o dirigente fanfarrão ficaria mais esperto e reforçaria este grupo com um grande zagueiro e mais um BOM ATACANTE. Quem acredita que Abila tem qualidade para encarar equipes TOP do Brasileiro….que Arrascaeta ASSUMIU de vez a camisa do Cruzeiro….e que o Alisson ainda vai jogar MUITA bola……..acredita em papai noel e em gaylo bi campeão!!!

  27. TOUCHDOWN! Tive oportunidade de entender e assistir esse tal de futebol americano,mas nunca tive interesse.Agora com o Cruzeiro dentro,nao penso duas vezes,ja virei fan.Chega logo domingo!

    1. Futebol americano é um porre de todo jeito. Mesmo sendo Cruzeiro. O único que dá pra assistir é um torneio que as jogadoras jogam de lingerie, que passa em canal fechado às vezes.

  28. Ótima comparação, PH: no início, você só falava de derrotas. Agora, só de vitórias. Muito bom.

    Foi um jogo de várzea em horário nobre da TV.

    Essa é a cara da fase inicial da Copa do Brasil, o torneio de integração nacional. Acho válido porque mostra o país que não conhecemos.

    Eu teria entrado com o Ábila desde o início.

    O Ariel Cabral deve ter sido um ótimo peladeiro na Argentina, pois se adaptou perfeitamente ao gramado. O mesmo eu não falo do Tiago Neves, que deveria ter sido substituído no intervalo.

    O melhor foi a torcida da família do Elber. Coisa de várzea mesmo. Podiam ter ficado com ele por lá.

  29. Puxa vida Nunca vi tantos corneteiros Como este ano.
    90% das msg são negativas, não vêem nada de bom no time.
    Bom é o outro time do outro lado dá lagoa né?
    Me mostrem um time no Brasil que esteja melhor que o Cruzeiro neste início de ano.
    Este tal de Geraldo 66 é muito amargo Deus me livre, que cara chato.
    Vamos apoiar pessoal, sei que não está uma maravilha, mas deixem de ser Bi polares.
    Vamo, Vamo Cruzeiro

    1. Respeite o colega meu amigo.
      Prefiro os comentários dele do que os Deus!
      A exigência da torcida do Cruzeiro que é nosso diferencial, não deve ser mudada.

    2. Eu, particularmente, não sou bipolar. Acho o time mediano e tá longe que despertar alguma empolgação ou expectativa por títulos como alguns acham. Sou dessa opinião desde o início. Portanto, nenhuma BIpolaridade.

  30. Pessoal reclamando do Abila, Mas o cara é matador nato e ainda lhe falta confiança e adaptação, visto que nunca teve uma real sequência de jogos.
    Não tenho dúvidas de que, se o Mano deixar, será o artilheiro do brasileirão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *