Skip to main content
 -
Pedro Henrique é professor, blogueiro e cruzeirense fanático. Escreve desde 2012 e já teve passagens no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Siga @RealPedrin no Twitter e acompanhe diariamente os comentários do blogueiro. Curta a fan page oficial do blog no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/

A torcida do Cruzeiro não é mais a mesma

Torcida do Cruzeiro tem feito a diferença em campo. (Foto: Reprodução/Twitter)
Torcida do Cruzeiro tem feito a diferença em campo. (Foto: Reprodução/Twitter)

Nos últimos anos o torcedor do Cruzeiro tem se destacado no cenário nacional. Isso porque temos protagonizado grandes festas e atitudes impressionantes nos mais extremos momentos pelos quais o clube já passou até agora: da glória do bicampeonato ao inferno da luta contra o rebaixamento. No Campeonato Mineiro de 2013 é que essa história de mudança no comportamento do cruzeirense se inicia, pois na derrota acachapante para o Atlético/MG no primeiro jogo da final é que se iniciava um movimento marcante para a história do clube: o “fechado com o Cruzeiro”.

Diante de um resultado bastante complicado de se reverter para a conquista do título estadual, o torcedor cruzeirense criou uma campanha de apoio e de blindagem: era preciso mostrar para os jogadores que estávamos com eles e que era possível virar o jogo e ganhar o campeonato. O apoio nas redes sociais, a concentração na porta da Toca da Raposa para esperar o ônibus celeste sair, a recepção no Mineirão e o apoio incondicional vindo das arquibancadas marcaram o movimento “fechado com o Cruzeiro” naquele ano. O título ficou com o Atlético, que perdia o jogo por 2×0, mas conseguiu marcar um gol no final da partida que dificultou ainda mais a missão do time azul e branco.

Depois, veio a conquista do Brasileiro em 2013. Durante a campanha, as torcidas organizadas criaram vários cânticos de apoio e de festa que entraram para a história do clube, como o “Nós somos a festa”, o “Cru-zei-rô” e “Uma cerveja, por favor”. Quem não se recorda dos jogos contra o Botafogo e Grêmio naquele ano? Naquelas partidas o torcedor foi, de fato, o décimo segundo jogador em campo. Em 2014 veio o bicampeonato e o vice na Copa do Brasil e a torcida cruzeirense era exaltada na mídia pelas grandes festas e o show nas arquibancadas. Anos de glória para o clube e para a torcida, que estavam numa sintonia quase que perfeita. O presidente Gilvan, o diretor de futebol Alexandre Mattos, o técnico Marcelo Oliveira e o torcedor criaram um pacto de união inabalável.

Após os dois títulos no campeonato nacional, vieram a luta contra o rebaixamento, as perdas no comando técnico e na diretoria e sucessivos erros cometidos pela gestão do mesmo presidente que outrora havia se tornado bicampeão brasileiro. Numa partida memorável contra o Santos, no Mineirão, após mais uma amarga derrota, o torcedor mostrou que não ia abandonar o clube e, então, vieram os gritos de “zeiro, zeiro, zeiro” que arrepiaram, emocionaram, fizeram chorar quem podia ouvir aquele cântico que representava amor e desejo de mudança. O pacto de união foi restabelecido, o Cruzeiro contratou o técnico Mano Menezes e quase conquistamos uma vaga na Copa Libertadores da América.

Agora, em 2016, a história da luta contra a degola se repete, porque a diretoria continuou errando e o torcedor teve que entrar em ação novamente. Assim como no ano passado, houve muito protesto por parte da torcida, já que mesmo quando entoava os gritos de “zeiro, zeiro, zeiro”, os jogadores não conseguiam fazer as coisas acontecerem dentro de campo. Foi preciso fazer muito barulho para que a diretoria agisse e consertasse os erros que ela mesmo havia cometido. Agora, com as coisas voltando para o seu devido lugar, o que vemos é o Mineirão lotado com quase 50 mil pessoas para ver um time que luta contra o rebaixamento jogar. Uma festa impressionante que faz inveja em qualquer clube de futebol. Os jogadores adversários devem chegar no Mineirão e pensar “um dia eu quero estar do lado de lá, sendo apoiado por essa torcida maravilhosa”. E ainda continuamos a criar músicas de apoio e fazemos de tudo para que a nossa festa nas arquibancadas seja o diferencial que o time precisa para conquistar vitórias dentro de campo.

A mudança no comportamento do torcedor cruzeirense é nítida. Antigamente, quando sofríamos um gol, as vaias começavam. Hoje não vemos mais isso. Às vezes quando o time leva um gol, a torcida canta mais alto ainda. Aquele jogo contra o Internacional é prova disso. O colorado marcou aos 2 minutos do primeiro tempo e depois disso o barulho feito pelo cruzeirense foi ensurdecedor e suficiente para desestabilizar o adversário. Placar final: 4×2. Ainda é possível verificar que nosso torcedor está mais atencioso em suas análises e procura evitar a superficialidade passional típica de quem assiste futebol. Talvez estejamos aprendendo a ser torcedores de verdade: aqueles que cobram incessantemente, mas sabem fazer uma boa festa. Continuamos chatos, insuportáveis, querendo cada vez o melhor para o nosso Cruzeiro – pois esse comportamento está no DNA de todo cruzeirense genuíno – mas estamos entendendo melhor o futebol e o nosso papel como torcedor.

* Às vezes os nossos textos demoram para aparecer no site do Portal Uai. Para você não precisar ficar esperando, curta a página do blog Nós Somos Cruzeiro no Facebook ou siga o blogueiro no Twitter!

** Não se esqueça que você também pode sugerir temas para publicação no blog. Este espaço é democrático e de todos nós, cruzeirenses. Ajude-nos a construir o blog!

Pedro Henrique

Olá, o meu nome é Pedro Henrique. No Twitter, sou conhecido como o @RealPedrin. No blog, todos me chamam de PH. Desde 2012, escrevo sobre o Cruzeiro. Já redigi no Blog Azul Estrelado, Camisa 11, Lance Activo, Guerreiro dos Gramados e Bloguerreiro. Não sou daqueles blogueiros que gosta mais de cutucar o rival do que de analisar o próprio time. Minha missão aqui é colocar o meu ponto de vista - dentre tantos milhões de pontos de vista possíveis - e abrir o espaço para o debate, para a troca de ideias. E prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo. Ei, você curte o blog? Então curte lá a nossa fan page no Facebook: fb.com/blogsomoscruzeiro/. Muito obrigado! Sejam todos bem-vindos!

67 thoughts to “A torcida do Cruzeiro não é mais a mesma”

  1. Não sei ao certo de onde saíam este tipo antigo de torcedor, talvez eles sejam os que hoje criticam o “apoio incondicional” de alguns, mas eu sempre fui deste “novo perfil” de cruzeirense, desde os anos 90 e é desta década que eu trago memórias de apoio inigualável ao time, vencendo, ganhando títulos, jogando bem, perdendo, sendo desclassificado e jogando mal. O problema é que criaram uma história de que nós só vamos “na boa” e os veículos de comunicação mineiros trataram de espalhar este boato, hoje muito torcedor acredita nisto e dai surgem alguns embates na Toca 3 entre a galera do “apoio incondicional” e a galera da “corneta incondicional”….

    1. Márcio Vicente , quem diz que atorcida do Cruzeiro só vai na hora da decisão está cometendo um grande erro. Apesar da torcida cruzeirense ter públicos excepcionais em diversas partidas decisivas , ela comparece maciçamente em quaisquer circunstância . O que eu sentia falta na torcida do Cruzeiro historicamente falando é que ela comparecia com muita força aos jogos mas, como quase todas as torcidas brasileiras , só cantam quando o time estava bem no jogo . As únicas exceções entre a storcidas brasileiras são as do Grêmio e a do próprio Atlético Mineiro ( característica que esta parece estar perdendo, pelo que li dos textos dos seus próprios cronistas ) .
      Mas parece que o torcedor do Cruzeiro está começando a se tornar mais aprticipativo durante os jogos . E ,com a festa visual lindísima que sempre fez com o seu azul fantástico , será um show á parte no mundo do futebol .

    1. Contra o Santa Cruz só no segundo tempo e após o primeiro gol que a torcida começou a cantar. Antes não. Eu estava lá e vi. Achei estranho isso, mas tudo bem!

  2. Concordo mais uma vez com você meu caro. Eu penso Pedro Henrique que a diretoria deveria aproveitar esse potencial e explorar ainda mais o programa de sócio torcedor. Aliás essa semana ultrapassamos a marca de 77 mil sócios. O que você pensa? Saudações celestes.

  3. PH, pela sua foto, és novinho, mas cruzeirense. Entretanto, essa sua estória é coisa de sua geração, se for. A torcida do Cruzeiro é fora de série desde que a acompanho, década de setenta, diga-se. Embora já devesse estar nascido no recorde do Mineirão, 97, né?, não deves ter notícias de 90, 80, 70 e pelo que ouvi dos 60. Concordo que contra o Santos no ano passado foi demais. Mas eu, francamente, escutá e gritava era: Cruzeeeiiro, Cruzeeeiiro…

    1. Rômulo vc foi perfeito em seu comentário, as décadas 60 e 80 então, ainda são mais especiais, fases de transição entre grandes scuadras azuis em que o clube passava por maus bocados dentro das quatro linhas e fora delas administrativamente.
      Essa fase fico marcada pela grande mobilização da torcida nas arquibancadas e fora delas,pois ajudaram na estruturação física da entidade emprestando inclusive sua própria força de trabalho…
      Enfim, muitos torcedores não sabem disso, nem eu sei explicar exatamente essa historia de amor, então essa cv de ‘a torcida está mudando’ é cv fiada,pq ela sempre foi fanática e apaixonada assim.

  4. Excelente análise da china azul nos ultimos anos.Agora que sabemos que somos influentes na produtividade do nosso amado clube,devemos ser cuidadosos e inteligentes,para que nossas atitudes tenham +e+ eficácia.Standing tall Fox 4×1 Roasted Rabbit for dinner.

    1. Sim, qual o motivo de não vaiar o Lucas com era vaiado o Alano agora que está que o time está melhorando para ver se a Diretoria não despacha ele também.

    1. Tirar o Sobis?????? Brincadeira hein. Somos Cruzeiro e vamos apoiar sempre. Somos a torcida que abraça o time e faz a diferença. Fechado com o Cruzeiro. Somos Cabulosos

    2. Getúlio, Alisson no lugar de Sóbis? Para né…
      Alisson é um ótimo reserva e o Sóbis está sendo um dos mais participativos taticamente…
      Agora, o restante das substituições eu concordo..

  5. Caro PH.Bom dia! Gostaria de cumprimentá -lo por seus excelentes comentários. Apesar de jovem mostra bastante experiência. Você tem um brilhante futuro. Sou torcedor do Cruzeiro desde 1965.A maioria dos seus leitores nem havia nascido. Naquela época futebol e torcida eram um pouco diferente. Outros tempos! Concordo que a torcida do maior de Minas, hoje, é mais barulhenta ,participativa, bonita, vistosa. Mas não é mais combativa ou com mais raça de que no meu tempo.É importante lembrar que nos anos 60 e 70 éramos minoria no Mineirao. Tínhamos que ganhar no berro! Bons tempos! Abraços!

    1. Leonardo, bom dia. Tenho recebido vários comentários sobre o torcedor dos anos 70. Sobre esse torcedor dos anos 70 eu infelizmente não posso falar, porque não tenho conhecimento de causa, mas a nossa grandiosa história e pessoas como você, que vivenciaram aquele momento, nos ajudam a entender melhor o que é a nossa torcida. Por isso, agradeço também a você pelo comentário e por contar um pouco sobre os anos 70. Muito obrigado pelas suas palavras em relação aos meus comentários aqui no blog. Sigamos juntos! Um grande abraço!

      1. Sem contar que contavavamos com a Charanga do Aldair Pinto,q como o colega mencionou acima,eramos minoria e com a Charanga , contavavamos o tempo todo……….mas um detalhe: nossa torcida,exigente,é a única que vaia com 20 segundos de jogo.Também,exijimos pois quem viu Tostão,Dirceu Lopes,Piazza,Raul,Nelinho,Batata,Alex,Fenomeno,Dida,Douglas,Jairzinho……..ficou mal acostumada

        1. Concordo com quase tudo que você falou, Jaime. Também sou daquela época. O Cruzeiro foi mais que o Barcelona é, hoje. Entretanto, quando você diz que a torcida do Maior de Minas era minoria, não posso ver da mesma forma. Talvez fosse um pouco menor, porque não chegávamos à metade do estádio, local situado em frente às cabines de rádio e tv. Entretanto, a distância ocupada pelas frangas não chegava a uns dez metros além daquela metade, contada a partir da linha do meio de campo. Hoje, somos esmagadoramente maioria! A torcida rival pode, até, encher o Independência, mas quem enche o Mineirão somos nós. Eles, inclusive, têm vergonha de nos enfrentar neste estádio, com as duas torcidas, porque será motivo de piada, de tanta diferença…

    2. Leonardo somos companheiros então destes anos maravilhosos, mas parabenizo o torcedor atual, com certeza foram outros tempos outras atitudes mas sempre empurrado o Cruzeirão . Pedro Henrique mais uma vez venho te parabenizar pelo belo Post.

  6. Olá pessoal,
    Eu sou bem mais velho dos que aqui opinam e, realmente a torcida mudou de comportamento, na minha opinião.
    Pra mim, o jogo marcante foi o contra os Santos. Eu vejo os jogos pela Tv porque não moro em Bh e foi emocionante a atitude da torcida naquele jogo. Atitudes como aquela nos faz sentir orgulho de ser Cruzeirense. É dizer para o time: ‘ Estamos com vocês em qualquer circunstâncias’ e , tem que ser assim sempre. Vaiar o time e alguns jogadores só ajuda o adversário.
    E, nesse momento, temos que mostrar mais apoio ainda por que o Cruzeiro não está numa posição confortável. Qualquer vacilo e, estaremos no Z4.
    Esqueçam o passado, os erros e, pensemos só no presente pois, é o único tempo em que podemos fazer algo para que o futuro seja melhor.
    O próximo jogo será fundamental o apoio incondicional, por que sabemos que o América é uma espécie de “asa negra” do Cruzeiro.

  7. Parabéns Pedro Henrique! Dos Posts muito bons que vc sempre posta este para mim foi o melhor de todos. Penso que com ele vc fez o verdadeiro perfil do torcedor cruzeirense. Um pouco de cada matiz com predominância do DNA de querer e lutar sempre para ser e ter o melhor! E isto incomoda, aborrece, principalmente quando a diretoria vacila e o técnico se distancia da torcida na escalação. Somo a torcida mais exigente porque a mais apaixonada e ao mesmo tempo inteligente. O cruzeirense logo ve e se apercebo do perigo, da falha e também do bom e do justo.
    Nenhuma torcida no Brasil tem o privilégio de ter Blogueiros como nós: PC Almeida, Bellini e agora você. Isto faz toda a diferença e contribui muito para a formação e manutenção deste nosso perfil de torcedor cruzeirense vencedor e admirado em todo o país.
    O exemplo de jogar junto que vem das arquibancadas tem e sido um espetáculo grandioso e engrandecedor. Além disto participamos com indicações e cobranças oportunas e consistentes como foi a da contratação do Arrascaeta, do Ábila e agora como aqui alguém indicou o Sassá, para mim a maior revelação deste Brasileiro. Como temos muitas moedas de trocas: Neilton, Rafael Silva, Leo, Riascos, Gabriel Xavier, Pisano e etc, precisamos agir rápidos para qualificar o elenco, principalmente zagueiro e laterais. Um grande abraço e continue destilando seu talento neste admirado espaço.
    Como sugestão de tema, indico: um estudo aprofundado sobre o fatiamento dos jogadores da base, com nome e porcentagens.

    1. Com todo o respeito pelo seu comentário, Ronaldo, mas não posso concordar que o Sassá seja uma boa contratação para o Cruzeiro. Ele não faz o tipo que Cruzeiro sempre primou em ter em seu elenco, que é de jogador responsável, de grupo, de sintonia com o clube e a torcida. Pelo contrário, o jogador botafoguense é muito identificado com seu clube, sua torcida, com o Rio de Janeiro, além de marrento. Historicamente, não temos boas lembranças de jogadores vindos da Cidade Maravilhosa, com raras exceções, como por exemplo o Roger Flores. Eles estão acostumados às praias de seu estado, sempre arrumando uma desculpa para regressarem, quando defendem camisas de clubes de outros estados, seja forçando cartões amarelos, seja fingindo estarem contundidos. Lembra-se do Edmundo – o animal -? Chegou a perder um pênalte contra seu Vasco da Gama, jogando pelo clube estrelado. Um grande abraço!

  8. sou cruzerense da velha guarda e msmo quando eramos minoria ja cantavamos em auto e bom som empurra a cachorrada empurra a cachorrada sou cruzeirense e sempre fui nojento doente a e sem mais cruzeiro ate morrer zeroooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

  9. Parabéns, PC. O que chama atenção em seus textos, além da qualidade de conhecedor do assunto, é seu português. Bacana mesmo. Dá gosto ler palavras tão bem escritas (coisa rara, hoje em dia, viu). Percebe-se seu cuidado em desenvolver as concordâncias. Não é necessário ser nenhum expert na nossa amada língua pátria para perceber.
    Seus textos são ótimos.
    Fiquei freguês de carteirinha.

  10. Estou morando em Rondônia. Incrível a quantidade de torcedores do Cruzeiro por aqui. É importante destacar o crescimento de nossa torcida fora de MG. Uma torcida empolgante nos estádios é essencial para conquistar novos torcedores, daqueles que assistem os jogos pela TV, principalmente crianças, futuros torcedores.
    E mesmo morando longe, acabei (não tem nem 15 minutos) de me associar para ajudar o clube. #fechadocomOCruzeiro #Cruzeirotimedopovo

  11. Para os camaradas que não gostam de ouvir criticas a determinados jogadores, digo a eles o seguinte: Acompanho o Cruzeirão desde o final da década de 1950, quando a imprensa preto e branco só falava nos “Galináceos” e eramos minoria, as vezes eu era o único cruzeirense em uma turma de dez pessoas. Com o advento do Mineirão o Cruzeirão cresceu, agigantou, a torcida também e não parou mais. Chegou a ser mais conhecido e temido que o Santos de pelé na America do Sul. Isto causou a inveja geral, em Minas e no Brasil. Talvez por isto até hoje perseguem o Cruzeiro, Federação, CBF, com os apitadores sempre dando um jeitinho, como em 1974 contra o Vasco, 1976 contra o Inter, mais recente Corintians etc. Vi craques de verdade jogando, talvez por isto fica difícil aceitar certos pernas de pau. Agora, engana quem acha que criticar o errado é não apoiar o time, muito pelo contrário, afinal os caras são bem pagos estão ali para obter resultado. O pior é quando além de pífios são molengas sem raça, sem compromisso com a equipe. Se o cara joga mal mas se esforça corre o jogo inteiro tudo bem, mas ver determinados camaradas que perderem a bola e ficarem olhando o adversário partir para o gol é demais. Isto tem acontecido com alguns e é inadmissível, pelo menos para mim, não no meu time, afinal eu já nasci muito “AZUL” Desde a primeira vez que vi o Cruzeirão jogar aos 7 anos de idade, a camisa era um pouco diferente, mais simples, mas causou-me o mesmo entusiasmo que sinto hoje ao vê-lo entrar em campo. Essa camisa sem igual é para ser respeitada, quem envergá-la deve fazer com amor e dedicação.. CRUZEIRO SEMPRE!!!!

  12. P.H. Gostaria de saber se esse apoio seria igual, se o Bento estivesse no comando ainda com Alano, Gino, Bruno Ramires… Sem querer criar atrito, sou CRUZEIRENSE e quando posso saio daqui de Itabira para apoiar o time em qualquer circunstância.

  13. Realmente .. aquela partida contra o atlético foi um divisor de águas.. estava naquele jogo.. senti aquele clima.. aquele amor pelo cruzeiro que vinha de todos os lados.. não importava se perdessemos, estávamos com o time.. ir busca-los na toca.. leva-los ao mineirao.. duvido que aqueles jogadores já tinham visto um apoio assim.. e se verão em outro lugar

  14. Até o meio-dia de hoje,pensava que o jogo seria hoje.Um domingo sem Cruzeiro ninguém merece,pior que um domingo sem cerveja.Cruzeirão vai aterrorizar o Mequinha quinta-feira.

  15. Com o CRUZEIRO até debaixo d’Água. Pessoal nos anos 70 a torcida do cruzeiro já encantava o Mineirao. Quando o time entrava em campo (na época) podia soltar foguetes. O Mineirao era tomado por fumaça azul e branca papel picado. Sobre lembrar da pra ficar arrepiado. A. Nossa torcida ja era fanática e empurrava o time que só tinha craque, eles correspondiam. Ficava esperando o próximo jogo.. Vcs podem ver na internet.
    Abraço

  16. A coisa mais engraçada que eu acho, é quando vem um atleticano dizer que nós só vamos no estádio nas boas. Quando isso acontece, eu só viro pra ele e falo: Amigo, deixa que de CRUZEIRO, o CRUZEIRENSE entende… kkkkkkkkkkkkkkkkkk ve se pode, franga querendo ensinar o CRUZEIRENSE A TORCER PARA O CRUZEIRO… esse é o estilo que da certo desde 1921… e voces, de tanto bater palmas pra medíocres, tiveram que jogar contra o América de Natal e fazer festa ainda.. huashsuaa aqui é CRUZEIRÃO CABULOSÃOO…. falei

  17. A torcida do Cruzeiro é Fanática, sempre foi. Prova disto é a quantidade de títulos que esta equipe ganhou em praticamente todas as décadas, principalmente na era do futebol moderno, leia-se de 1950 pra ca, quando o esporte bretão passou a ser jogado em CAMPOS DE FUTEBOL (estádios). Nosso estilo de amor ao Cruzeiro é igual ao dos times maiores times do Brasil ( Sao Paulo, Internacional, Flamengo, Santos) nós exigimos, e exigir é diferente de ser conivente com qualquer jogadorzinho que faça 30 gols no campeonato mineiro e 15 gols no rival e depois nao arruma nada. A torcida do Cruzeiro quer ver no Cruzeiro os melhores jogadores e ganhando taças, por que o que é lembrado são as taças. O Real Madrid não é lembrado por ter mais vitorias em classicos contra o Atlético de Madrid ( ganhar de atléticos pelo mundo nao é honra pra ninguém), ele é lembrado por ter 11 taças da Liga dos Campeões.

  18. Certo de que a torcida da Cruzeiro é igualável à Corinthians e Flamengo. Em Minas é a maior disparada ante a segunda colocada que é a torcida do Flamengo. No Brasil é a quinta potência. Prova disto são as pesquisas de todos os meios de comunicação. Torcida de verdade não deixa o time cair. Torcida de verdade comparece e apoia. Somos a torcida do time do Povo!!!

    Parabéns à maior de Minas… vocês são demais!!! CRUZEIRO SEMPRE!!!!

  19. Faço das suas, as minhas palavras Edgar. “Um domingo sem Cruzeiro ninguém merece,pior que um domingo sem cerveja.Cruzeirão vai aterrorizar o Mequinha quinta-feira.”

  20. Só que a imprensa mineira, atleticana, fica exaltando a torcida do outro lado da lagoa, que joga naquele estadinho do Independência…. Lamentável! Mais lamentável ainda é aquela reportagem com o técnico (?) Deivid que foi fazer um “estágio” na Europa e voltou dizendo que pelo que aprendeu lá estava certo, que faria tudo de novo como fez no Cruzeiro, pois errado estavam seus dirigentes. Hilariante! O cara vai passear na Europa, procura seus ex-parceiros que tem influência nos clubes de lá, vê uns treinos, tira uma fotos e volta falando que concluiu um estágio e os clubes brasileiros caem no engodo! Tchau Deivid……

  21. Bom dia,
    Gostaria que alguém criasse um cântico para quando o Cruzeiro entrasse em campo e que pudéssemos cantar em todos os jogos. Dando um exemplo, quando a Juve (Veckia sinhora) da Itália entra em campo é simplesmente de arrepiar qualquer um e acho que isso que devemos criar, sei que temos vários cânticos legais mas ainda nos falte um que empolgue os jogadores e a própria torcida quando entrarem em campo, e falta também principalmente quando estiver lotado fazemos mosaicos com o escudo do Cruzeiro, vai ai uma sugestão ao pessoal do marketing!

  22. Realmente excelente texto PH. Mostrou de uma maneira bem clara como somos e precisamos ser para ir além. Temos que sempre apoiar o time e também sempre querer evoluir. Time está bem mas nunca será perfeito, sempre vamos buscar uma melhora. Caso hoje claro em relação ao Lucas, não vem sendo criticado durante os jogos pelo simples interesse de deixar ele jogar a pouca bola que tem com o mínimo de pressão possível o que nos favorece. Ao mesmo tempo a torcida toda sabe que já passou da hora de testes com o Ezequiel pois o Lucas não se justifica dentro da equipe. Acho isso muito saudável. Precisamos sempre querer melhorar mesmo que não seja muito. O Lucas é um nota 4 no máximo, se o Ezequiel entrar e for um nota 5 ou 6 continuaremos com um jogador longe do ideal. Mas, ao mesmo tempo, teremos uma melhora significativa na posição. Sempre apoiando, sempre pra frente e sempre cobrando. Sempre Cruzeiro.

  23. Belo texto PH! Vc constantemente aborda temas interessantes e atuais , de forma objetiva e simples e quase sempre fala aquilo o que boa parte da torcida quer lê. Com relação a nossa torcida tenho algumas observações . Nossa torcida começou a crescer pra valer a partir da década de 60 , sobretudo quando muitas pessoas do interior passaram a admirar e torcer p/ aquele timasso de 66 . Desde então , a China Azul cresce a passos largos até que no final da década de 80 e início da de 90 , passamos a assumir a liderança do nosso estado .Contudo , nossa torcida mesmo sendo a maior , sempre foi conhecida por ser exigente demais , gostar de eespetáculo, só ia na boa e só apoiava quando time jogava bem . Era só tomar um gol , mesmo com o time ganhando , que a torcida esmurecia . Quatro exemplos clássicos disso que estou falando : 1) na final do brasileirao 98 contra o curintias , na partida do Mineirão, com 100 mil pessoas no estádio , após o time sair na frente com 2×0 , foi só time tomar o primeiro gol , a torcida calou e o adversário empatou . 2)Em 2003, na final da copa do Brasil contra o modesto flamerda , o time ganhando de 3×0 , tomou só um golzinho e a torcida ficou toda tensa no estadio , mas com aquele timasso em campo, não tinha como o título escapar. 3) Por fim , o exemplo mais vergonhoso da final da libertadores em 2009 , quando o ingresso foi caríssimo , limitando o povão de ir , só foi playboy ao estádio assistir calado aquela virada do Estudiantes sem qualquer estímulo de reação da torcida ao time4)ano passado contra o River , quando a torcida também foi ao Mineirão e ficou calda assitindo o River jogar . Mas nos últimos anos ,nossa torcida também já deu varios espetáculos bonitos de apoio ao time, sobretudo quando liberou o povão para ir ao estadio , como na final da supercopa em 91 , em uma partida pela mercosul de 99, quando após perdemos por 7×3 pro Palmeiras no jogo de ida , a torcida lotou o Mineirão no jogo de volta e NÃO PAROU DE CANTAR e por fim , os jogos do segundo turno do Braileirão 2015 , embalados pelos gritos de zeeeeeerooooo que na minha opinião foi o maior exemplo de apoio incondicional ao time já feito pela China azul . Penso que a torcida do Cruzeiro vem mudando seu comportamento , sobretudo a partir da criação de novas musicas , ma gostaria que essa vibração dentro do estadio ocorresse durante TODO O JOGO , principalmente quando o time estivesse mal em campo , pois é o barulho da torcida é que levanta o time e o carrega nas costas , vide exemplos da torcida do Boca que não para de cantar um minuto se quer , na vitoria ou na derrota , e por isso mesmo o time perdendo, há raça em campo e busca pelo gol . Eu prefiro 20 mil no estadio cantando e vibrando do que 50-60 mil calado , só apoiando no espetáculo . Que o espírito de 2015 baixe e permaneça na alma ´do Cruzeirense. Deixemos de ser mais exigentes e sejamos mais vibrantes e intensos!

  24. Falou tudo e mais um pouco . Excelente comentario. A torcida do cruzeiro desde quando eu acompanho smp foi mais na boa msm , smp fui a favor do apoio incondicional e smp serei.Quando via a torcida das frangas empurrando o time , apoiando msm perdendo, msm passando vergonha ,imaginava a torcida do cruzeiro um dia sendo assim. Hoje vejo isso , como voce disse , desde aquela final de 2013 , e a torcida das frangas só indo nas boas . Tenho orgulho da torcida do cruzeiro hj em dia , nessas horas que vemos quem é realmente torcedor. Parabens pelo texto.

  25. O colega Rafael lembrou aí em cima de uma goleada que tomamos do parmera (7×3), ok, eu me lembro dessa goleada que tomamos, mas me lembro também da atropelada que demos na porcada no brasileiro de 2007 (5×0), pagamento com juros e correção. Saudações.

  26. eu enquanto a bola está rolando estou apoiando, se não jogar bem ou se não demonstrar raça…eu reclamo após o jogo. como todo bom cruzeirense que teve sua infância na década de 90, sou muito exigente e não aceito nada mais do que ser o 1º. agora gostaria muito que as organizadas fizessem jus à alcunha e se organizassem para cantar as mesmas músicas ao mesmo tempo, seria muito foda ver o mineirão todo em sintonia.

  27. A China Azul sempre foi magnífica e apoiou o time!
    Que me lembre o Mineirão lotado e balançando nas duas Super Copas!
    e na Copa Brasil 1993, nossa nas oitavas contra o Nautico, perdemos de 1×0 lá e dps no Mineirão fizemos 2×0 de cara, mas dps perdemos 1 jogador expulso (Boiadeiro) se não me engano, e no 2ºt mais um expulso (Nonato) se não me engana tbém, puts um gol do Timbu e o Cruzeiro rodava, mas a torcida da geral começou a marcar o ataque do Nautico, a vaiar os jogadores pernambucanos, seguramos o 2×0 e arrancamos pro título!
    o que a torcida nunca suportou foi apatia, como no 3×0 pro River ano passado, pqp o time foi apático desde o 1 minuto de jogo!
    mas o detalhe maior é que os ingressos ficaram mais caros, elitizou a torcida, tirou o povão do estádio!
    além de tudo o fim da Geral tirou uma magia do Mineirão, bem como o “enxugamento” do estádio tirou o balanço da arquibancada, tu é louco aqle negócio balançava q vc tinha q pula e agita pra não se treme de medo da coisa cai!!!
    Vms Cruzeirooooo!!!

    1. Concordo com você Alisson e discordo do escritor. A torcida sempre foi assim. Quem acha que não é porque é jovem, não viu tudo e talvez vocês é que tenham mudado de atitude nos últimos tempos.

      Eu vivi o deserto de títulos da década de 80 e as vitórias de 90!!

      Eu me lembro da final de 87! Eu estive em toda a campanha de 91 e 92 da supercopa, quando a média — média de público era 53.000 torcedores!!!

      Depois de ver o time perder os 3 primeiros jogos da Libertadores de ’97 inclusive para o Grêmio no Mineirão, estive nos outros 2 e vi o Cruzeiro ganhar do Grêmio nas quartas! Quando todo o Brasil dava o time como eliminado e a torcida deu SHOW!! Olhem e aprendam!!!

      O Mineirão balançava e quanto mais balançava mais a torcida pulava!!!
      Estive nas finais de 93, 96, 98, 2000 da Copa do Brasil: a torcida sempre apoiou, até mais do que hoje! Na arquibancada era: “Cruzeirense não cansa!!”

      Não havia a bobagem do apoio incondicional enquanto burradas eram feitas pela diretoria, o povo ficava nervoso! Lembro até hoje das matérias no Globo Esporte com a venda do Ronaldinho em ’94!

      A China Azul nunca mudou e nunca vai mudar!!! O que mudou foi o perfil dos torcedores mais jovens que pegaram o time um timaço e tem em 2011, 2015 e 2016 como exceções, mas quem carregava o time nas costas em 80 e 90 ainda esta aí e NADA MUDOU! TEMOS A TORCIDA MAIS VIBRANTE COMO SEMPRE!!

      É isso!

  28. Sei que nao tem anda a ver com o assunto mas, li que o maicon ta sem clube. Pra mim seria a solução para nossa lateral direita. O que acha PH e leitores

  29. Já escrevi uma vez, se não me engano quando o blog era do PC que assisti grandes e épicas partidas do cruzeiro. Do final de 70 para cada assisti quase todos os grandes jogos do cruzeiro. Vitórias ou derrotas não importa. Vi o time da Supercopa que depois de 3 ou 4 a zero a torcida entrava no show e fazia mais de uma dezena de olas seguidas. O pau quebrando no campo e a torcida fazendo ola.
    Vi as libertadores exceto a primeira que foi no Chile. Vi o gol de Elivelton e Verón levantando a taça.
    Os três títulos brasileiros recentes.
    O cruzeiro perder para o Inter na semi final copa união numa quinta depois do atlético perder para o flamengo na quarta
    As copas do Brasil inclusive a derrota para o atlético.
    Passei raiva com Dedé de Dora. Adorava Joãozinho e boiadeiro.
    Renato gaúcho de faixa na cabeça (atualmente o politicamente correto não deixaria).
    Vi nonato, Sorin, Cris, Dida, Alex, Douglas, Ricardinho, Dedé, Goulart, Everton, Ronaldinho (antes de ser gordo), Rivaldo (irc), moreno, dracena, Leonardo Silva (chegou aqui um ilustre desconhecido), Balu, palinha (os dois), Tostão (2°)… enfim sorri, sofri, confesso que nunca chorei, nem de alegria nem de tristeza, mas tenho um gorgulho imenso de falar que sou cruzeirense.
    Não brigo, mato ou morto pelo Cruzeiro. O esporte não é isso.
    Minha luta é na arquibancada vencendo o torcedor adversário no grito incentivando meu time mais que ele.
    Que saudade de cruzeiro e Atlético com um cordão de isolamento enorme de uns 200 cm. Isso mesmo… 2metros de isolamento.
    Duas linhas de policiais afastada no máximo 2m uma da outra separando as torcidas.
    Não esqueço, um dia que um cruzeirense fez um osso de isopor e amarrou em um bambu. Ele do lado de cá segurando o bambu com o osso encima da torcida atleticana e a “cachorrada” pulando no osso. Muito hilário.
    Ou então o episódio da flanelinha. A gente segurando um monte de flanelinha para acenar para a torcida do galo e para nossa surpresa quando tiramos as flanelas eles gritaram “quem for bicha balança as flanelinha”. Sumiu tudo.
    É isso que eu sou. Torcedor fanático de meu cruzeiro que fico alegre ou triste. Eu me emociono com tudo do meu Cruzeiro exportação.

    VAMOS CRUZEIRO

  30. É companheiro Valério, quanta saudades de tudo isso que vc relatou. Como você vivenciei também tudo isso na história do nosso querido Cruzeiro Esporte Clube. Acrescento à sua lista de jogadores inesquecíveis, Zezinho Figueiroa, Ozires, ou seja, a lista é enorme. Hoje os tempos são outros, mas a paixão pelo maior de Minas continua. Pena que atualmente o clube não está sendo tão bem administrado e na minha opinião estamos perdendo terreno em relação aos demais clubes do Brasil. É só observar os acontecimentos nos últimos dois anos, onde estamos brigando na parte de baixo da tabela. Que venham tempos melhores e que o maior de Minas continue nos dando tantas alegrias. Simbora Cruzeiro…

  31. Gente, e esta notícia de que o Perrela quer voltar pra presidência do Cruzeiro? O Gilvan tanto fez que fez o povo sentir saudades do ex-mandatário.

    1. Perrela foi um grande presidente, porém construiu seu império em cima do Cruzeiro, isso é FATO!!!
      Infelizmente não podemos ter uma “LAVA-JATO” no Clube pra apurar isso aí!e o Conselho sempre aprova as contas daquele jeito, afinal sempre ganham “um por fora”!!!
      Ninguem nunca pediu uma auditoria externa!!!
      Gilvan não entende nada de futebol, só foi bicampeão brasileiro graças ao Mattos, vms ver se vai entregar o Clube com as finanças em dia (coisa que Perrela não fez pra ele) e se dps não vai comprar: helicóptero, fazenda com castelo, iate e etc…
      Gilvan nunca mais!
      Perrella, piorou, NUNCA MAIS MESMO!!!
      precisamos de “sangue novo” e acho que seria: Sergio Santos Rodrigues, tendo o Bruno Vicintin (este tá “podado” pelo GPT) como vice!!!

  32. Não acho que a torcida não mudou. Já vi a torcida aplaudir o time após eliminação em Libertadores em 98 contra e vaiar o time numa vitória por 3×0 contra o Mamoré. Isso porque o Cruzeirense é diferente, entende de futebol. Sabe que resultado é importante mas não define o que foi o espetáculo. Se a torcida algum dia vaiou não foi sem justiça, pois, com certeza o time não deu o máximo que poderia dar. O Cruzeirense sabe quando um jogador e uma equipe tem potencial e quando não tem. Raramente se engana. O Cruzeirense é Cruzeirense todo dia, toda hora. Não se empolga com resultados, se empolga com bom futebol. Em resumo: somo exigentes, mas para o bem do Cruzeiro!

  33. Muito legal o texto do Valério. Alisson, quem foi expulso contra o Náutico foi o Paulo Roberto aos 40 do primeiro tempo, a gente ganhando de 2 a 0 e se o time de Pernambuco fizesse um gol nos eliminaria. Foi tenso, muito suado o jogo.
    Quanto ao Perrela pessoal, pelo amor de Deus, o Cruzeiro não precisa de um senhor desse quilate pra gestor do clube. Ferraram a Dilma, o Lula, o Zé Dirceu e mais um monte. Quando será que vai chegar a vez deste senhor? O Cruzeiro Esporte Clube não pode ser chacota nacional por causa de uma pessoa escusa, não podemos ser apelidados de “quatrocentos”. Temos de barrar esse sujeito, no berro. Queremos um Brasil melhor, queremos um Cruzeiro melhor, não queremos foras da lei. Não precisamosde gangsters para nos guiar. Saudações.

  34. Respeito a opinião de todos aqui , mas a torcida do Cruzeiro por ser muito exigente , já deixou muito de apoiar em alguns jogos decisivo , pois pra mim , apoiar não é só colocar muita gente no Mineirão, é cantar, gritar e pular o tempo inteiro. Ja citei alguns exemplos aqui e volto a citar de novo pois a caso a torcida tivesse apoiado o time em todo o jogo , talvez não tivesse perdido: 1 )na final da libertadores de 2009 ;2) ano passado contra o River ;3) retrasado contra o San Lorenzo ;4) final do brasileiro de 98 . Foram jogos lástimáveis , que embora o Mineirão estivesse cheio , parecia que todo mundo que estava lá dentro tava era contra o Cruzeiro , eu estive em 3 desses jogos e por mais que eu cantava, as pessoas do meu lado permaneciam caladas e só abriam a boca pra chingar . Foram ao Mineirão para ver espetáculo, não pra pressionar o adversário e apoiar o time. Não é a toa , que muitos jogadores adversários e gente da imprensa procuram disseminar a fama de tempos passados que a torcida do Cruzeiro chega a um ponto do jogo , se o time não estiver bem , começa a jogar contra o próprio Cruzeiro. A época que mais deu orgulho da nossa torcida foi o segundo semestre do ano passado e cito 3 jogos emblemáticos : 1) empate 1×1 contra as Lurdinhas , a torcida não parou de apoiar um minuto , com um a menos , parecia que estávamos com 10 a mais , só não ganhamos por incompetência de um pênalti mal batido pelo Willian ; 2) empate 0x0 contra o gremio , show da torcida , parece que todo mundo saiu rouco do mineirão ; e por fim o exemplo mais importante : derrota de 1×0 para o Santos no Mineirão , ali começou a mudança de postura da torcida , não havia 15 mil pessoas no estádio , mas a torcida começou a cantar durante todo o segundo tempo , empurrando o time , parecia que havia 100mil pessoas no estádio , de arrepiar , nunca senti coisa igual , quase aquele fraquissimo time dirigido pelo luxaburro empatou. Não é a toa , que ano passado a crônica esportiva do Brasil inteiro pagou pau pra nós.. Pra mim , torcida atuante é aquela que embala o time, faz os adversários sofrerem e sentirem a pressão , não aquela que se deixa empolgar somente pelo futebol do time . Que o espírito do torcedor de segundo semestre de 2015 permaneça em nós para sempre ! Fora os modinhas!

    1. Rafael, infelizmente, quando o time está prestes a ser campeão (Estudiantes, Corinthians) ou joga como favorito (San Lorenzo, River Plate) aparecem torcedores modinhas. São torcedores do Cruzeiro, ok, mas não entendem que no futebol também há resultados ruins. E quando o time sofre pressão ou não está bem, deveriam saber que é possível mudar as coisas na base do apoio e do grito. Por isso, digo para todo mundo, em 2011 só nos salvamos porque jogamos em 7 Lagoas. Eram 10 a 15 mil por jogo, mas eram fanáticos e no jogo da redenção mostramos aos cacarejantes quem manda em Minas. Eu estava no jogo contra o Santos e o público foi de 8 mil e poucos pagantes.
      O Cruzeiro detém os recordes de público do Mineirão, mas, na minha opinião, se tivéssemos um estádio para 40 mil pessoas, tipo o dos gambás, seríamos imbatíveis nas arquibancadas. Eles se tornaram fortes por causa disso e porque a torcida entendeu o jogo tático dos técnicos Mano e Tite e têm paciência para aguardar um gol salvador até o fim do jogo, nós somos mal acostumados e queremos sempre o jogo bonito, com jogadas clássicas.
      Isso é efeito (não defeito) do fato de que nosso time é o que teve mais camisas 10 clássicos entre todos os outros. Vejamos alguns: Dirceu Lopes, Tostão (para muitos ele era um 10), Palhinha, Tostão II, Careca, Boiadeiro, Luís Fernando, Palhinha II, Valdo, Alex, Montillo, Éverton Ribeiro, De Arrascaeta, entre tantos outros craques que jogavam em outras posições e nos maravilharam nas arquibancadas. Esse é nosso privilégio e por isso somos Cruzeiro. Quem só sabe reclamar não sabe o que é paixão.

  35. Mudou! Mudou mesmo….mas longe de ser isto que você escreveu, amigão! O que mudou é que com a reforma do Mineirão e o programa de sócios temos um outro perfil de torcedor. Menos povão, menos favela e mais pessoas com maior poder aquisitivo. São patricinhas com seus smart´sphones fazendo suas self´s durante o jogo, e camaradas bombados sem camisa azarando as minas. Antigamente era mais nego magrelo, fumando maconha e com roupas rasgadas. Hoje é mais elitizado, e obviamente isso muda um pouco. Mas, vaia do mesmo jeito, apoia do mesmo jeito, frequenta do mesmo jeito, falta do mesmo jeito. A modernização do Mineirão e e enfraquecimento de uma das maiores organizadas do Cruzeiro, abriu espaço pra torcidas organizadas gourmet, que tem mudado o panorama…isso inclui musicas novas, maioria de exaltação ao clube e não as (antigas) TO´s. No mais, torcedor é torcedor em todo lugar….

  36. Falou tudo Wendell, quando o time tá bem ! Quando o time é favorito ou etsa prestes a ser campeão , aparece um tanto de modinha que vai ao estádio quediante de um resultado ou momento ruim do time , calam-se ou começam a reclamar ,chingar… Tem alguns aqui nessa coluna que criticam o apoio incondicional , falam que graças as cobranças é que somos grandes hoje . Eu penso , que dentro de campo tem q ser apoio incondicional , vejam o exemplo da torcida do Boca . é realmente uma torcida diferente , os caras levatam o time , carregam os jogadores nas costas. Esse ano , no jogo Boca x Indepiendente del Vale , o boca mesmo perdendo de 3x 1 , o time já sabia que não tinha mais chance de classificar , a torcida continuava catgando e em nenhum momento o time , mesmo com um a menos, parou de dar sangue em campo , indo em busca do gol, e ainda conseguiu fazer mais um gol e o jogo terminou 3×2 . Por esse motivo , , La Bombonera é tão temida e o Boca é hexa campeão da libertadores. A torcida do Cruzeiro em condição de ser a mais temida do Brasil , visto q é a torcida q tem maior número de músicas , que modesta a parte , são as mais bonitas . Não existe torcida mais criativa que a nossa. Basta apoiarmos nosso Cruzeirão Cabuloso durnate todo ojogo , independentemente da vitória ou da derrota .
    Por fim gostaria de citar mais um jogo em que a torcida deu um show: jogo de volta da final do mineiro 2007 , após ter perdido de 4×0 no jogo de ida e o Fábio ter tomado o gol de costas , 5 mil guerreiros cruzeirenses foram ao Mineirão , cangaram e apoiaram o tempo intiro e calaram 40 mil Lurdinhas e de quebra colocamos água no chop delas, pois vencemos o jogo de 2x 0. hehehe

  37. Sinceramente, este post foi totalmente equivocado e desnecessário! Você não foi no Mineirão ver o nosso time nas décadas de 80 e 90 para escrever essa besteira! A torcida do Cruzeiro não mudou, ela continua fiel e participativa! COMO SEMPRE! Pedro, sugiro que leia ou veja videos no youtube sobre a torcida do Cruzeiro antes de você ter nascido…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.