O tempo se aproximou de mim

Silvia Ribeiro Um belo dia o tempo se aproximou de mim e me disse: Quero permissão para passar por você. No momento aquilo me pareceu pedante demais. No entanto achei que talvez fosse melhor me abrir para as suas intenções. Afinal de contas ele tinha lá o seu charme. Diga-me: O que quer de mim? E com aquele seu jeito maroto ele tocou o meu … Continuar lendo O tempo se aproximou de mim

Uma clausura ficando pra trás.

Silvia Ribeiro Vejo o que tem do lado de fora do portão. Tudo é muito significante. A rua parece ser estreita, e o pó do asfalto faz coceira no meu nariz. Sinto como se esse espaço fosse a casa de muita gente, e me confundo com uma república cheia de cabeças pensantes. Transeuntes e bichinhos ao léu contando suas histórias num teatro vazio, recitam experiências … Continuar lendo Uma clausura ficando pra trás.

Se você não me conhecer por dentro

Silvia Ribeiro Nada do que eu disser irá te tocar se você não me conhecer por dentro. Todas as palavras se tornam vãs, e sem som, diante de tudo que você pode saber de mim, apenas “me sentindo”. Você só irá me desvendar se não tiver medo de vivenciar o meu gosto, de brincar com os meus devaneios, de falar com a minha cintura. E … Continuar lendo Se você não me conhecer por dentro

Todas as paredes ouviram falar de amor

Silvia Ribeiro Ele nunca soube se eu voltaria. Mesmo não acreditando naquela imagem, o seu sorriso me dá boas-vindas me convidando pra entrar. Arrisquei qualquer assunto sem narrativas sedutoras, mas ele estava ocupado demais em encontrar algum atalho que abreviasse aquela sua quentura inquieta. Por alguns segundos que me pareceram perpétuos o silêncio da sua ausência se fez. E na varanda junto com as minhas … Continuar lendo Todas as paredes ouviram falar de amor

O segredo da felicidade

Silvia Ribeiro Sempre achei que o segredo da felicidade é essa falta de garantias que ela nos oferece, e o seu jeito de empurrar o lúdico pra dentro da gente, sem sequer perguntar o que vamos fazer com ele. Na maioria das vezes não sabemos mesmo. A sua particularidade em chegar e sair deixa as minhas vivências falastronas, e me faz pular a janela pra … Continuar lendo O segredo da felicidade

Ponto de ônibus

Silvia Ribeiro As minhas pernas já reclamavam daquela exaustiva demora, até que finalmente o ônibus chega. E naquela briga de quem entra primeiro um lugar vazio enche o meu cansaço de alegria. Esbaforida demoro alguns segundos pra perceber que não estava sozinha, e ao olhar para os lados uma emoção me fez remexer na cadeira. Não conseguia me desvencilhar daquele olhar azul que parecia refletir … Continuar lendo Ponto de ônibus

Uma mulher que dentro do seu corpo não se cala

Silvia Ribeiro O meu coração sequer percebeu que aquela ausência já havia durado o bastante, apesar das lembranças me aconselharem a seguir. Um calor escaldante costumava falar com a distância de igual pra igual. E isso as vezes era engraçado. Era tudo muito inacabado. Não só pelo espaço em branco que ainda poderia ser escrito, mas pela pressa de não perder de vista todas aquelas … Continuar lendo Uma mulher que dentro do seu corpo não se cala

Saudade dói ou faz cócegas?

Silvia Ribeiro Não vou dizer que dentro de mim não há espaços para saudades. Mas algumas precisam saber morrer. Às vezes, vamos dedilhando lembranças e grande parte delas parecem sem sangue, à espera de um milagre. E aquele impulso para um pertencimento que nos entenda não passa de uma fuga das nossas emoções, porque na verdade só existe um anseio de vida, contando uma velha … Continuar lendo Saudade dói ou faz cócegas?

O meu sapato de dança

Silvia Ribeiro Com você vivi as artimanhas do amor, e na busca de inventar uma demora pra aqueles entardeceres, que se declaravam pra mim como uma ventania de outono. Os nossos corpos tinham assunto, e não havia outra razão pra me entregar, que não fosse aquela alquimia que me embelezava por dentro. A nossa libido era bem humorada, e na delicadeza de uma linguagem egoísta, … Continuar lendo O meu sapato de dança

Cinderela

Silvia Ribeiro Tenho uma Cinderela sempre à espreita dentro de mim. Tem dias que ela dá uma de louca mudando a história, e se transforma na Bela Adormecida tirando um bom cochilo, mas nada que a impeça de esperar pelo seu príncipe. Embora seja um pouco mandona, até que nos damos bem. E nesse mundo de modernidades, nem sempre esses príncipes se manifestam em seus … Continuar lendo Cinderela