Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Avistagem de Baleias: de olho no mar de Cumuruxatiba

Avistagem de Baleias: de olho no mar de Cumuruxatiba - Foto: Pixabay
Avistagem de Baleias: de olho no mar de Cumuruxatiba – Foto: Pixabay
Sandra Belchiolina
sandra@arteyvida.com.br

Avistagem é uma palavra nova para mim e entrou no meu vocabulário desde que cheguei em Cumuruxatiba em um ano atípico – 2020. De imediato apaixonei-me pelo termo e corri para saber sobre ele. O mesmo vem do verbo avistar: pôr-se a ver, ver de longe. A definição no dicionário informal é: o ato de avistar durante uma procura. E é numa aventura e procura ao grande mamífero dos mares que o turismo também se desenvolve nessas terras de nossa querida Bahia.

Assim, a palavra capturou-me com todo significado que tem quando se está num lugar denominado Costa das Baleias e os gigantes visitantes passam pelo mar de Cumuruxatiba, Sul da Bahia. A partir de julho os  olhares voltaram-se para o mar, além barreiras de recifes em busca desse “turista de nossos mares”. A temporada de avistagem das Cantoras é principalmente de Julho a setembro

Mas quem são elas? As baleias jubartes, de nome científico: Megaptera novaeangliae. Magaptera é uma palavra do grego antigo que significa “grandes asas”. Definição bem dada para suas nadadeiras peitorais que parecem asas de pássaros e chegam a medir 1/3 do comprimento total de seu corpo, que em média variam entre 15 a 16 metros. Também são chamadas de baleia-corcunda, baleia-cantora, baleia-de-corcova, baleias-de-bossas. O peso de um adulto chega a 40.000 quilos, vivem entre 45 a 50 anos.

Um dos fundadores do instituto Baleia Jubarte, Enrico Marcovaldi, esclarece que “as fêmeas migram para as águas tropicais para ter os filhotes, após um período de gestação de 11 meses. Os machos também vêm atrás de parceiras, que estão no período fértil”. Elas deslocam-se do inverno rigoroso da Antártida para o Atlântico Sul. A região dos arquipélagos de Abrolhos – desde o sul da Bahia até o Espírito Santo – é o seu berço reprodutivo.

Em Cumuruxatiba há barcos para fazer a avistagem. O do Mestre Antônio Carlos é tradicional. Deixo a dica e a foto de sua placa que está de frente para o mar e para sua casa, Praia dos Barcos em Cumuru, local onde sempre avistamos Mestre Antônio Carlos olhando o mar. 

Avistagem de Baleias: de olho no mar de Cumuruxatiba - Foto: Arquivo Pessoal
Avistagem de Baleias: de olho no mar de Cumuruxatiba – Foto: Arquivo Pessoal
Referência:

https://g1.globo.com/ba/bahia/noticia/cerca-de-20-mil-baleias-jubarte-devem-passar-pelo-litoral-da-ba-na-temporada-de-reproducao-entre-julho-e-novembro.ghtml

https://www.dicio.com.br/avistar/

https://www.dicionarioinformal.com.br/avistagem/

*
Curta: Facebook / Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.