Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Carta para a lua nova

Carta para a lua nova - Fonte: Pixabay
Carta para a lua nova – Fonte: Pixabay
Daniela Piroli Cabral
contato@danielapiroli.com.br

(Dedicado à Luísa Bahia)

Eu sei que você está aí, escondida nas invisibilidades. Intangível pelo meu olhar de hoje e pelas despedidas mais difíceis de serem dadas. Você hiberna, impenetrável, como os corações feridos.

Mas você está aí. Eu sei disso. Você me guia com maestria na introspecção e na definição das bordas para os rituais da dor. As dores do corpo e as do espírito.

Eu sei que na regência dos ciclos, você camufla as agonias mais sagradas. Eu sei dos seus poderes naturais e sobrenaturais. Você interfere nos mares e nas marés. Me ensina sobre os ritmos e sobre o despertar. Mostra que o lado de fora quase sempre é muito hostil. E que o tempo só faz bem para quem sabe decifrar os seus segredos. Faz esquecer os amores ausentes. Eu sei do seu poder em mim. Eu sinto o seu feminino no meu. 

Eu sei dos seus enigmas. Você silencia, mas não se cala. Nunca. Revela a certeza da renovação e das metamorfoses humanas. De vez em quando, desvela eclipses. Você sopra o cheiro dos ventos frescos quando mudam as estações. Sinto sua mão me tocando com uma suavidade calma, tranquila e misteriosa, enquanto durmo.

Eu sei da sua potência e poesia. Sei dos seus movimentos e alinhamentos. Gosto de dançar no seu ritmo, de me abrigar na sua sombra escurecida. Sei das suas perfeitas posições entre os corpos, entre as continuidades e as impermanências.

Eu sei da sua potência obscura e expressiva. Entre poeiras cósmicas, nuvens e constelações, daqui a pouco você vai despontar. E, como eu, explodirá. Brilhante, será como fogos de artifícios nos corações adolescentes.

*
Curta: Facebook / Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.