Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Seu pedido é o número um bilhão na fila

O Juízo Final, de Jean Cousin
Victória Farias

Eu sempre achei que o Divino devesse um pedido de desculpas ao ser humano, por passarmos por tudo que passamos e por enfrentarmos aquilo que não pensamos enfrentar. Nunca me ocorreu, nesse caso, que nós devêssemos um pedido de desculpas ao Divino, por tudo que fazemos ele passar diariamente, e isso inclui – não única, mas especificamente – usar o nome Dele em vão e fazer produção de novela com fundo verde ruim. Sendo assim, desculpa. 

Digo isso porque não deve ser fácil ter que lidar com tanta gente falando sobre Ele ao mesmo tempo. Inventando histórias e outras coisas mais. Imagino o rosto Dele quando alguém diz: “Deus disse isso!” A reação mais óbvia seria: “Eu disse isso? Que dia foi que Eu não lembro? Eu não disse isso não ein”.

Outro dia, um dos que se diz fã de carteirinha, nos condenou: se Deus quiser, eu vou continuar meu mandato. Bom, acho que vamos ter que aguardar. Afinal, tem tanta gente no mundo esperando que Ele queira alguma coisa, que esse é mais um na fila. No final do dia, Ele deve pensar: “Eu só queria um sorvetinho, por que agora Eu tenho que decidir quem fica na presidência ou não? Injusto demais isso daí”.

Enquanto seguimos esperando que decisões sejam tomadas no além mundo e repassadas apenas para os escolhidos, persistimos habitando o solo sagrado desse país. Despojado de qualquer senso do ridículo e citando versículos desconexos para justificar o injustificável. “Tudo bem, a união LGBTQI+ é pecado, mas essa barba aparada aí, é o quê? Última moda na Babilônia?”  

Tenhamos fé que isso tudo, um dia, vai passar. Nesse meio tempo, espero que os anjos façam um rápido trabalho riscando a lista de desejos. Minha avó disse que se Deus quiser, ela vai cozinhar meu prato preferido para o almoço. E entre decidir o futuro de uma nação e comer, eu prefiro com molho de tomate, queijo e carne moída.

*

Curta: Facebook / Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.