Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Súplica

Suplica - Fonte: Pixabay
Suplica – Fonte: Pixabay
Daniela Piroli Cabral
contato@danielapiroli.com.br

Senhor da sabedoria, o tempo passa implacável na frente do espelho. Ele modifica minha face em instantes, me torna irreconhecível no momento em que me olho.

O tempo, dono dos ritmos, dos ciclos e das cadências. Ele que é uno, indissolúvel, eu lhe suplico. Por favor, acelere, ande rápido. Só dessa vez, venha também implacável e cure logo as dores dos corações dilacerados, que pulsam em carne viva.

Limpe e purifique as tristezas, os medos e as incertezas desse ano que só chove lágrimas. Restaure urgentemente o âmago das famílias dos cem mil que precocemente partiram, impedidos de terminar o ciclo nesta terra. Ampare todos aqueles que esperam milagres e os que se foram, impedidos de se despedir.

Senhor tempo, junte os fragmentos, cole os cacos. Ofereça as respostas que tanto precisamos. Para que tanto céu? Para que tanta noite? Para que este profundo mar de privações: de afeto, de sentido e de comida? Não compreendo essas suas mensagens que em nada me parecem familiares ou claras. 

Não seja cronológico, não respeite os ponteiros do relógio. Seja intenso, subjetivo, e liberte rápido os prisioneiros deste tempo presente.

Seja audacioso e desafie sua própria linearidade. Inverta suas dimensões e nos projete em um campo menos absurdo da existência. Nos devolva as galáxias, a beleza, o sorriso. 

Ative em mim o fio da criação. As prosas, os poemas e a música já não são mais suficientes. As palavras faltam. Seja inspiração para o parabéns de arco-íris.

Você que, intangível, é remédio para todos os males. Por favor, conteste as abstrações e nos atravesse em sua concretude. Passe por todos nós, seja catalisador das transformações necessárias. Seja cura, não importa a estação do ano.

Na sombra da crise, das perdas e do perigo, nos roube o normal, mas seja semente, transcendência. Nos devolva a capacidade de amar sem medida. Faça de novo a revolução no meu coração. 

Não nos abandone, venha nos tirar da carência, da fraqueza, da solidão. Nas contradições da vida, nos proporcione encontros que valham a existência. Nos dê sentido, ainda que provisório. Porque o permanente, sei bem que é ilusório.

Em breve, tudo isso será um rastro desbotado na linha da história. Mas, por favor, senhor tempo, observe. Tudo ao redor é pulsão de vida lutando para sobreviver. Mas, confesso ser difícil manter a vida nessas condições. Perambulamos vacilantes, nos equilibrando nos limites tênues do abismo. 

E o destino não pode ser tão esmagador assim.

*

Curta: Facebook / Instagram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.