Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Em 2020, talvez

Foto: pixabay - em 2020 talvez
Foto: pixabay – em 2020 talvez
Rosangela Maluf

Talvez eu caminhe na chuva, alugue um carro,  viaje de trem; talvez venda a moto, pegue o metrô; talvez procure os mapas, visite a Índia e o Ceilão; talvez um cruzeiro, um barco a velas, uma jangada, talvez me perca por aí!

Talvez me mude de casa, faça ginástica, aprenda tarô; talvez perca peso, volte para a yoga, me cure dos medos, me livre das culpas; talvez crie uma iguana, escreva um livro, aprenda crochê, quem sabe, tricô, talvez me encontre por aí!

Talvez reúna os amigos, estoure champagne, solte foguetes e encha balões;  se não morrer cedo, talvez me acalme, faça uma novena, escreva um diário, aprenda a fotografar; talvez uma terapia, meditação; talvez um instrumento – flauta doce ou violão; ayurvédica, mandala colorida, sari indiano, talvez me escutem por aí!

Talvez me torne mais jovem, mais magra, mais louca; compre mais livros, não veja TV; talvez me olhe no espelho, sorria e me ame um pouco mais; talvez aprenda xadrez, mahjong no celular, novas canções em francês; talvez um livro de contos, um ano sabático, dolce far niente, sem política e sem políticos, talvez me solte por aí!

Talvez troque os óculos, faça nova tatuagem, ouça harpas toda noite; talvez olhe mais vezes pra lua, conte mais estrelas, faça novos pedidos aos anjos; talvez viva uma intensa paixão, encontre um grande amor – talvez ainda dê tempo;  talvez ainda possa sonhar, quem sabe; talvez me vejam por aí!

Talvez possa ser mais feliz agora, talvez seja novo o ano, belo o caminho, leve o fardo ; talvez seja longa a vida, forte o coração, imensa a vontade e grande a certeza de que tudo será melhor, muito melhor; talvez eu grite bem alto:

Que venha 2020!!!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.