Skip to main content
 -
Daniela Piroli Daniela Piroli

Psicóloga clínica, graduada também em terapia ocupacional, curiosa sobre a vida e o mundo humano.

Eduardo de Ávila Eduardo de Ávila

Advogado e Jornalista sugere debater e discutir – com leveza – situações que vivemos no nosso dia a dia.

Guilherme Scarpellini Guilherme Scarpellini

Jornalista que se interessa por tudo o que a todos pouco interessa. E das beiradas, retira crônicas.

Rosangela Maluf Rosangela Maluf

Professora universitária na área de marketing e nas montanhas de Minas lê, escreve e sonha!

Sandra Belchiolina Sandra Belchiolina

Psicanalista, consultora de viagens, amante da vida, arte e cultura na sua diversidade. Vamos conversar de viagens: nossas e pelo mundo.

Taís Civitarese Taís Civitarese

Pediatra formada pela UFMG. Trabalha com psiquiatria infantil e tem um pendor pela filosofia.

Victória Farias Victória Farias

Jornalista e estudante de Relações Internacionais, além de editar o blog fará uma crônica semanal do nosso cotidiano.

Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar

Foto: Arquivo Pessoal - Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar
Foto: Arquivo Pessoal – Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar
Sandra Belchiolina
sandra@arteyvida.com.br

O Centro Histórico de Salvador é Patrimônio da Humanidade desde 1985, título concedido pela UNESCO. Hoje a cidade antiga, capital da Bahia, acolhe o turista com suas igrejas barrocas, lojas, centros culturais, restaurantes, casarões da época colonial, museus.

São muitas riquezas histórico-culturais! Entre elas, a Igreja São Francisco de Assis, considerada umas das sete maravilhas do mundo português. No coração do Centro Histórico está o Pelourinho, que tem uma beleza cênica memorável. 

O nome oficial do Largo do Pelourinho é Praça José de Alencar, e fica situado na parte antiga da cidade. Atualmente, chamado de Centro Histórico.

Foi um local de muitas crueldades com os negros escravos condenados. Açoitados, eram amarrados ao pelourinho –  origem do nome que é reconhecido

Esse das Bahianas, do Oludum e de muitos outros tambores. Ali, numa sacada, está uma imagem de Michael Jackson (aquela que ele aparece no clip). Cantor que também aproveitou dos sons e ritmos do Pelourinho.

Ontem, dia 04 de dezembro, o Pelô (como é carinhosamente chamado), estava vestido de vermelho e o povo rendia homenagens a Santa Bárbara e a Inansã, seu sincretismo no camdoblé. Ambas protetoras dos ventos e tempestades.

O local mais estratégico para apreciar a beleza da região é a Fundação Casa de Jorge Amado.

Foto: Arquivo Pessoal - Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar
Foto: Arquivo Pessoal – Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar

 “Se for de paz, pode entrar” – esse é o lema da Fundação Casa de Jorge Amado (lembrei de Bacurau). Inaugurada em 1987, o espaço tem como objetivo preservar e estudar os acervos bibliográficos e artísticos do escritor Jorge Amado e também, “incentivar os estudos e pesquisas acima de toda literatura feita na Bahia, criando um fórum permanente de debates sobre a realidade brasileira.

Do seu sótão é possível olhar para o Largo do Pelourinho e além. É uma visão emocionante e carregada de memória de nosssa história, cultura e arte.

Estão no campo da visão: Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, Igreja do Santíssimo Sacramento da Rua do Passo, Igreja da Ordem Terceira do Carmo, Igreja e Convento da Ordem Primeira do Carmo.

Olhando para isso tudo está Jorge Amado. Autor apaixonado por sua Bahia, e que deixou 45 obras publicadas.

Algumas já viraram filme como Tenda dos Milagres e Capitães de Areia, Gabriela (esse como novela que eternizou a atriz Sônia Braga).

Foto: Arquivo Pessoal - Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar
Foto: Arquivo Pessoal – Pelourinho da Cidade Plantada sobre a Montanha, Penetrada de Mar

Dali, Jorge contempla da sua eternidade, sua Salvador, terra amada por ele. Num quadro no centro da Casa pode-se comprovar com suas próprias palavras:

“Essa é a minha cidade e em todas as muitas cidades que andei, eu a revi num detalhe de beleza. Nenhuma assim, tão densa e oleosa. Nenhuma assim, para viver. Nela quero morrer, quando chegar o dia. Para sentir a brisa que vem do mar, ouvir à noite os atabaques e as canções dos marinheiros. A cidade da Bahia plantada sobre a montanha, penetrada de mar.”

A casa que Jorge Amado viveu com Zélia Gattai, por 40 anos, fica no bairro Rio Vermelho. Transformada num memorial, é outro ponto turístico de Salvador. 

O grupo Oludum, seu tambores e muito outros percussionistas estão por ali também. Enche o Pelô de ritmo e sons, meu Rei!

Salve, Salve Salvador, salve, salve Bahia sua linda!

Salve, salve a Cidade plantada sobre a montanha, penetrada de mar.

Ahh… Do sótão da Casa de Jorge Amado, pode-se ver o Mar penetrado a montanha-cidade.

Para saber mais:

http://www.jorgeamado.org.br/?page_id=24

https://www1.folha.uol.com.br/folha/ilustrada/ult90u16252.shtml

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.