Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o Ecossistema de Inovação Brasileiro. Instagram: @beatrizbevilaqua

Startup mineira capta R$ 5 milhões e aposta em carreira do futuro

Rafaela Herrera, Fernando Americano, Felipe Matos e Arnobio Morelix. Crédito: Divulgação

A aceleração dos processos de transformação digital, trazida pela pandemia, assim como crescimento recorde de investimentos em startups, vêm aumentando fortemente a demanda por profissionais qualificados no setor. A falta dessa mão de obra está provocando um apagão de talentos qualificados em tecnologia. Segundo dados da consultoria McKinsey, haverá 1 milhão de vagas não preenchidas nessa área no Brasil até 2030. Ao mesmo tempo, o país não forma pessoas qualificadas na quantidade e qualidade demandadas pelo mercado.

Pensando nesse problema, Felipe Matos se juntou aos co-fundadores Rafaela Herrera, Fernando Americano e Arnobio Morelix para criar a Sirius, uma escola de tecnologia voltada para a formação de profissionais na área, tendo como diferencial uma forte aproximação com empresas empregadoras.

Matos vivenciou esse problema na pelo, convivendo com milhares de startups nos últimos anos, em suas passagens por fundos de investimento, pela aceleradora Startup Farm e pelo programa governamental Start-Up Brasil e é considerado referência em empreendedorismo tecnológico no país. “Contratar em tecnologia vem se tornando cada vez mais difícil, especialmente depois da pandemia, já que empresas estrangeiras também passaram a assediar profissionais do Brasil para trabalhar remotamente”, comenta. “Ao mesmo tempo, vivemos num país com a realidade social do Brasil, que enfrenta um crise econômica e têm um enorme contingente de desempregados. Queremos com a Sirius juntar esses dois mundos, preenchendo essas vagas através da qualificação dessas pessoas, o que também traz um enorme impacto social para nossas formações”, completa.

Segundo Matos, a Sirius está encerrando em Agosto uma captação de R$ 5 milhões em investimentos para iniciar suas operações, inicialmente em formato online e posteriormente, em modelo híbrido, com pólos físicos em São Paulo, Belo Horizonte e Florianópolis. Participaram da rodada investidores como Garan Ventures, Rafael Assunção, Camila Farani, bem como empreendedores fundadores de startups, como Rodrigo Cartacho (Sympla), João Selarin (TotalVoice / Zenvia) e Gustavo do Valle (Decorado). O grupo de investidores traz ainda executivos de empresas do Vale do Silício, como Twitter, Zoom, Zendesk e Intercom.

A sede da Sirius será em Belo Horizonte, em parceria com o Órbi, hub de inovação da capital mineira. A escola investiu em infra-estrutura, como estúdio próprio de gravação junto ao espaço. No futuro, a Sirius pretende expandir seus polos para as principais cidades brasileiras.

A Sirius concentrará suas formações em programas de micro-certificação de 6 meses, com trilhas nas áreas de Ciências de Dados e Inteligência Artificial, Desenvolvimento de Aplicações para Internet e Gestão de Produtos Digitais. Matos afirma que os principais diferenciais dos cursos estão na metodologia de formação e na proximidade com empresas empregadoras. “Todo processo de aprendizado é prático, baseado no desenvolvimento de projetos reais, desenvolvidos em parceria com empresas empregadoras. Mesclamos conteúdo de alta qualidade com peer learning – em que estudantes aprendem uns com os outros, com oficinas e mentorias individualizadas. Dentre nossos professores e mentores, temos profissionais que trabalham como gestores e C-Leves de startups e grandes empresas de tecnologia, como Nubank e iFood, além de pesquisadores com passagens por Berkeley e Stanford”, informa. “Também temos a presença de empresas empregadoras em todas as etapas do processo, da seleção, aos desafios reais do curso, passando pela possibilidade de contratação”, complementa.

Primeiro Fellowship de Ciência de Dados do Brasil

Já estão abertas pré-inscrições para o primeiro Fellowship de Ciência de Dados do Brasil. Nesse programa, organizado em 4 módulos, os estudantes aprenderão os fundamentos da captura, manipulação, tratamento e visualização de dados, em grandes volumes, utilizando diversas ferramentas em nuvem e modelos baseados em inteligência artificial. O curso terá um formato “mão na massa”, com projetos reais e mentorias, duração total de 6 meses, sendo 3 voltados para a formação intensiva e 3 para acompanhamento dos profissionais. Os candidatos interessados já podem se pré-inscrever pelo website da Sirius em www.sirius.education.

Oportunidade para profissionais e empresas empregadoras

Além da oportunidade para profissionais que queiram se qualificar na área de tecnologia, a Sirius apóia empresas empregadoras no recrutamento e seleção de novos profissionais e na qualificação acelerada de profissionais já contratados. Na Sirius, as empresas trabalham e podem participar no processo de co-criação dos cursos, com mentorias, imersões práticas em seus desafios, além de oferecerem bolsas de estudo para custear a educação de pessoas que não podem pagar. “Nessa primeira edição do nosso fellowship, para cada aluno pagante, a Sirius irá oferecer em parceria com as empresas duas bolsas integrais para aqueles que não possam pagar, de forma a ampliar o acesso a essa formação a um maior número de pessoas e ampliar a diversidade do nosso quadro de estudantes”, diz Arnóbio Morelix, co-fundador da Sirius e coordenador do Fellowship.

Quem são os fundadores da Sirius?

Felipe Matos (CEO)

Referência nacional e internacional em empreendedorismo tecnológico e startups, já apoiou o desenvolvimento de mais de 10 mil startups, que atraíram R$1 bilhão em captação. Empreendedor serial com 3 saídas e foi CEO da aceleradora Startup Farm e COO do programa governamental Start-Up Brasil.

Rafaela Herrera (COO)

Reconhecida como jovem promissora pela Forbes Under 30 em 2019 e Young Leaders em 2020, já impactou mais de 100 mil pessoas com conteúdos de liderança e  apoiou cerca de 1000 startups em sua passagem pela Startup Farm e como Head de Startups no Cubo Itaú. 

Fernando Americano (CMO)

Executivo de marketing que se transformou em empreendedor do setor educacional, como cofundador da Le Wagon na América Latina. Mestre em negócios e marketing pela CELSA na França, combina visão, criatividade e habilidades em tecnologia e negócios para o lançamento de produtos e marcas.

Arnobio Morelix (CIO)

Executivo com 10+ anos de experiência nos EUA e Vale do Silício, cientista de dados com mestrado em University of California, Berkeley. Foi Chief Data Scientist na Inc. Magazine, contribuidor em Data Science em Stanford University e CIO no Startup Genome, liderando times de PhDs, cientista de dados e consultores nos EUA, Alemanha, e Índia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.