Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o Ecossistema de Inovação Brasileiro. Instagram: @beatrizbevilaqua

Novo Nordisk e Bluefields lançam programa de inovação aberta com aceleração de startups

A Bluefields, aceleradora de negócios, está junto com a Novo Nordisk em um programa de inovação aberta com foco nos segmentos de alimentos, saúde e agronegócio

Inovação aberta é o conceito que está movendo empresas sólidas no mercado como a Novo Nordisk e ajudando indústrias e organizações a promoverem ideias, pensamentos, processos e pesquisas, a fim de melhorar o que fazem e identificar novas oportunidades. A Bluefields, aceleradora de negócios, está junto com a Novo Nordisk em um programa de inovação aberta com foco nos segmentos de alimentos, saúde e agronegócio, o Biodigital Startups. Muito além da aceleração das startups, o programa ainda oferece: intercâmbio cultural entre startups e empresas, validação de soluções inovadoras das startups para ajudar empresas nos projetos internos e de seus clientes, e inovação cruzada, onde as companhias participantes cooperam entre si, trocando melhores práticas de inovação e identificando desafios em comum.

Para a Novo Nordisk, empresa global líder em pharma presente no Brasil desde a década de 90, fazer parte do programa é a possibilidade de aprender e ensinar com o Biodigital Startups. “Acreditamos que a inovação é construída com conhecimento adquirido em conjunto com diferentes agentes do ecossistema de inovação e a startup é um deles. Além disso, temos como estratégia acelerar nossa jornada e entender a forma de organização das startups. Sabemos também que os membros do ecossistema podem se ajudar mutuamente, então acreditamos que podemos contribuir para o crescimento de algumas dessas novas empresas construindo juntos soluções e compartilhando nossa experiência também,” explica Juliana Cunha, gerente de Inovação e Estratégia da Novo Nordisk.

As startups que participarão do programa podem ficar empolgadas com os planos da Novo Nordisk para quem participar do projeto! “Vamos trazer para a startup a visão de negócio com necessidades reais do nosso mercado. Queremos em contrapartida aprender com os processos das startups e que ao final do programa os produtos desenvolvidos ou aprimorados possam ser passíveis de serem implementados por nós”, conclui Cunha.

Oportunidade para outras empresas

A Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) só em 2020, gerou mais de 152 novas tecnologias que atingem tanto o setor agro e alimentício. Impulsionada pela necessidade de soluções na pandemia, as healthtechs em 2020, foram o terceiro setor de maior atuação no mercado de startups no Brasil, segundo dados da ABStartups (Associação Brasileira de Startups), são 396 empresas no setor de saúde e bem-estar. Esses dados evidenciam que o Brasil tem uma profunda vocação para inovar em saúde, alimentos e agronegócio.

A Bluefields quer expandir o programa para mais duas empresas parceiras com sintonia nas áreas presentes no programa. Ao desenvolver sinergias entre grandes companhias, empreendedores e tecnologias aplicadas nestes setores por meio de iniciativas como o Biodigital Startups, são criadas oportunidades de acelerar os ecossistemas de inovação e contribuir para a economia do país.

“Aceleradoras têm vocação de coadjuvante. Muitas startups de hoje serão as grandes empresas de amanhã. Então fomentar relacionamentos entre essas startups e empresas como a Novo Nordisk, que construíram ao longo de décadas uma história em inovação, é algo muito relevante para o ecossistema brasileiro”, conclui Paulo Humaitá, fundador e CEO da Bluefields.

Método de aceleração

O programa de aceleração Biodigital Startups consiste em 12 encontros onde serão aplicadas metodologias de desenvolvimento de negócio, focadas na estruturação da startup, cujo conteúdo será disponibilizado 100% online, assim como todas as interações. Cada grupo de 10 startups selecionadas terão um Startup Partner, para acompanhar a evolução da startup, além de conectar com mentores e investidores.

Serão analisadas startups em estágio inicial de comercialização ou fase de tração. Os itens avaliados são: time e perfil dos sócios, aderência e potencial de negócio entre startups e empresas participantes, prontidão tecnológica e outros critérios técnicos.

Serviço

Biodigital Startups

Inscrições abertas até 31 de julho de 2021

CLIQUE AQUI para se inscrever no programa:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.