Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o Ecossistema de Inovação Brasileiro. Instagram: @beatrizbevilaqua

Matchbox desenvolve programas de estágio e trainee para identidades femininas

Patrícia Garcia, coordenadora de projetos de Recrutamento & Seleção da Matchbox

As empresas estão  cada vez mais preocupadas com diversidade no time de colaboradores, principalmente como cativar novos talentos para integrar a equipe. Construir uma marca empregadora e bem posicionada é essencial no recrutamento, e,  para isso, muitas organizações buscam mecanismos para atrair e melhor avaliar esses públicos nos mais diversos perfis. Neste sentido, a Matchbox, HRtech especializada em soluções de employer branding, desenvolve programas de estágio e trainee com foco, exclusivos e afirmativos para companhias interessadas na contratação de mulheres e demais identidades femininas, entre outras populações minorizadas.

De acordo com Patrícia Garcia, coordenadora de projetos de Recrutamento & Seleção da Matchbox, em 2020 já existia a intencionalidade de trazer cada vez mais pessoas diversas para os programas de estágio e trainee que a HRtech conduz, mas ainda não eram programas 100% afirmativos. “No ano passado tivemos uma mudança e as empresas perceberam a necessidade da criação e efetivação de programas afirmativos. A Matchbox passou a ser parceira tornando os programas reais, por meio dessa ótica de equidade de oportunidades”, completa Garcia.

Dentro desse contexto de mudanças e seguindo a tendência de pluralidade nos processos seletivos, a HRTech está traçando estratégias de atração para chegar até essas pessoas de forma assertiva, positiva e engajada. Além disso, buscar canais de divulgação e parcerias que promovam pautas de diversidade no mercado de trabalho, vem sendo imprescindíveis para que as identidades femininas se identifiquem com o propósito do programa. “É importante destacar que esse e outros programas de estágio e trainee são planejados pensando na experiência das pessoas candidatas e suas particularidades”, conta Patrícia.

Atualmente, existe uma conscientização de que o mercado de trabalho deve ser de todas as pessoas, apesar de não existirem muitas mulheres acessando o mundo corporativo e alcançando cargos de liderança. Processos afirmativos como esses, podem ser porta de entrada para as pessoas candidatas que nunca tiveram oportunidade e que vão acrescentar nas organizações com suas visões de mundo. “Após esse processo de conscientização, os programas afirmativos conseguem levar a diversidade para dentro das organizações potencializando a inovação, criatividade e entregando produtos ou serviços que sejam representativos para todas as pessoas consumidoras”, finaliza Patrícia Garcia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.