Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o Ecossistema de Inovação Brasileiro. Instagram: @beatrizbevilaqua

Low-code é opção para gestores automatizarem suas operações

Rafael Bortolini, Head de Produto da Zeev

As tecnologias de low-code – programação com pouco código –  que permitem que empresas desenvolvam com facilidade seus próprios softwares e aplicativos – têm ganhado cada vez mais popularidade. Segundo pesquisa realizada pela Forrester Research, empresa norte-americana de pesquisa de mercado que estuda o impacto existente e potencial da tecnologia, as plataformas em low-code irão representar 75% do total de softwares criados em 2021. No entanto: como esta tendência pode, na prática, auxiliar gestores na automatização de processos internos?

“Sabemos que cada organização tem suas dores com procedimentos e processos que poderiam ser digitalizados e executados de forma automática. Porém, as equipes  de TI, em geral,  estão sobrecarregadas. Existe ainda um déficit de profissionais de TI no mercado e isso atrasa todo o desenvolvimento tecnológico das áreas de negócio. É aí que o low-code pode ser uma opção para se considerar. Uma vez que qualquer profissional, mesmo sem ser expert de desenvolvimento de software, pode criar uma solução. É fantástico” , explica o Head de Produto da Zeev, Rafael Bortolini.

A Zeev é referência no desenvolvimento e fornecimento de softwares que utilizam tecnologia low-code. Mais de 200 marcas dentro e fora do país contam com suas soluções para terem seus próprios softwares mesmo com seus administradores tendo pouca ou nenhuma experiência em programação de códigos.

Para Bortolini, a automatização de processos com pouco código aumenta a produtividade, uma vez que o tempo necessário para a criação das soluções é menor, assim como os custos de manutenção. “Nesta prática, pelo menos 80% do desenvolvimento de um sistema pode ser feito por uma pessoa sem nenhum conhecimento técnico. Isso é a democratização da tecnologia e o poder na mão de quem realmente está no dia a dia da empresa”, contextualiza ele.

O mercado global, por sua vez, entende essa vantagem na automatização que esta prática proporciona. Uma pesquisa divulgada pela The State of Low-Code 2021,e realizada pela Mendix, empresa americana de plataforma de software de pouco código, apontou que os departamentos de tecnologia estão buscando essa democratização no desenvolvimento de softwares. Mais de 60% dos profissionais de TI entrevistados concordam que o low-code é uma prática alternativa para atender suas demandas.

“Acredito que qualquer pessoa pode criar softwares que facilitem as suas rotinas de trabalho independentemente da área que atua. Seja dentro de um hospital ou na operação de um banco, a automatização de processos se torna muito mais possível. E o melhor: pautada pelas necessidades reais dos times. O que nos motiva muito em nosso trabalho com a Zeev é a possibilidade de ajudar com essa revolução em curso”, finaliza Bortolini.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.