Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o Ecossistema de Inovação Brasileiro. Instagram: @beatrizbevilaqua

Com a Cuidas, empresa alcança resolutividade de 100% nos chamados de saúde entre funcionários

João Henrique Vogel, CEO e cofundador da Cuidas

Desde o início da pandemia, a atenção para temas de saúde dentro das empresas se tornou questão essencial. Entre os brasileiros, 53% declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano, segundo pesquisa do Instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial e divulgada em abril deste ano.

Para aumentar o acesso dos colaboradores a atendimentos e acompanhamentos médicos, a Um Grau e Meio, empresa que desenvolveu um software que detecta de maneira automática incêndios em plantações, florestas e áreas de proteção ambiental, iniciou sua parceria com a Cuidas, healthtech de Atenção Primária à Saúde, em julho de 2020. Com isso, trouxe conforto para os colaboradores e tendo mais um canal para sanar dúvidas em relação à saúde.

“Com a Cuidas, os colaboradores da Um Grau e Meio se mostram muito mais engajados com o seu cuidado, conseguindo manter a taxa de resolutividade em 100% desde que começamos a cuidar deles. Isso significa que todas as demandas que foram trazidas para o time de saúde foram resolvidas por completo, sem a necessidade de encaminhamento para especialistas ou para o Pronto Socorro/Emergência”, explica João Henrique Vogel, CEO e cofundador da Cuidas.

Criada em 2018, por três colegas que se conheceram nos Estados Unidos durante a universidade, a Cuidas traz um olhar multidisciplinar e integralizado para a saúde, com o objetivo de entender as necessidades e ações necessárias para cada indivíduo.

Além do sucesso com as taxas de resolutividade, a Um Grau e Meio também conseguiu  um  engajamento de 89.29%, de seu time com a solução da Cuidas. Isso significa que aproximadamente 90% da empresa teve algum ponto de contato com a healthtech em algum momento nos últimos 3 meses – seja atendimentos, encontros ou participações em ações coletivas. Boa parte dos atendimentos foram focados em temas gineco-obstétrico (17%), junto com a temática de saúde mental (17%), seguido de questões relacionadas ao sistema digestivo (11%).

“Acredito que um ponto de destaque com a Cuidas, foi uma Ação Coletiva sobre a pandemia do Covid-19, onde nela, a equipe de saúde foi responsável por sanar diversas dúvidas sobre o tema, inclusive falar sobre possíveis fake news que estariam sendo disseminadas na mídia e afins. Neste sentido, a Equipe da Cuidas teve um papel fundamental em centralizar as informações sobre o vírus, bem como os principais cuidados e como cada pessoa pode se cuidar e se manter mais saudável durante este período”, destaca Emerson Ribeiro, CFO da Um Grau e Meio.

O atendimento de Atenção Primária à Saúde, além de ser referência em países como Austrália, Canadá e Reino Unido, é também o que conhecemos aqui no Brasil como “porta de entrada” do Sistema Único de Saúde, o SUS. Segundo Vogel, a Cuidas é uma empresa que usa a Atenção Primária para cuidar da saúde física, mental e social do seu time, com tecnologia e dados para melhorar a experiência e engajamento. Para ele, o case de sucesso com a Um Grau e Meio exemplifica bem este propósito.

“Os números que conseguimos alcançar com a Um Grau e Meio nos mostram que estamos no caminho certo. Solucionar todas as demandas internamente com o nosso time de saúde, evita que os colaboradores tenham que procurar outras especialidades ou encarar filas de espera nos postos de saúde e consultórios. É nisso que a Cuidas acredita e para isso que trabalhamos”, finaliza Vogel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.