Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o mundo do empreendedorismo & startups. Apaixonada por tecnologia!

7 maneiras de reduzir falhas na construção de um negócio

Ivan Marques, co-fundador da Sevensete

Empreender no Brasil é, naturalmente, andar por um solo escorregadio. Segundo dados do IBGE, mais de 22 mil empresas fecharam as portas em 2017. E, desde o início da pandemia, foram, em média, 716 mil negócios fechados. Um dos grandes desafios dos empreendedores é entender que não basta ter uma ideia inovadora, é preciso criar uma operação sustentável, se planejar e fazer uma boa gestão.

Ivan Marques, MBA em Transformação Digital e Futuro dos Negócios pela PUC-RS e co-founder da  Sevensete, Venture Builder que auxilia empreendedores a construírem, executarem e transformarem suas ideias, destaca que  todo negócio possui uma vida ativa em curso e precisa ser acompanhado dia após dia. “Infelizmente, no empreendedorismo, nunca  vai existir aquela sensação de “missão cumprida”. A cada dia há uma nova missão para as empresas  que querem crescer ou até sobreviver ao longo do tempo, por isso, é preciso estar atento ao que acontece no mercado”, reforça Ivan.

De acordo com o especialista, existem  7 maneiras simples para  reduzir as  falhas na iniciação de uma empresa, entre elas:

1. Ter uma definição clara de qual problema você está resolvendo

A chance de sucesso aumenta significativamente para negócios que descobrem a real “dor” do seu cliente, aquilo que de fato ele quer ou precisa. “Os empreendedores que conhecem o problema que estão resolvendo são muito mais autênticos e ágeis em acompanhar tendências e descobrir novas oportunidades”, afirma Marques.

2. Desenvolver uma solução (escalável) que resolva esse problema

A maioria das ideias inovadoras acaba morrendo quando a solução proposta não resolve o problema. Ela, muitas vezes, pode ser simples, mas isso não garante o sucesso se não tiver demanda. Por isso, o sócio da Venture Builder ressalta que bons empreendedores costumam criar protótipos simplificados para testar a eficácia e as resposta dos clientes para depois ir construindo o que falta.

”Nem sempre um produto muito bom gera um retorno que seja suficiente para manter o crescimento do negócio. Apostar em produtos que possam ser comercializados e distribuídos facilmente, ou seja, que têm poder de escala, pode gerar altos ganhos a curto prazo”, reforça Ivan.

3. Criar um bom planejamento

Entender qual é o problema que está propondo resolver e achar uma solução que de fato resolva esse problema, é apenas o primeiro passo. Mas, nada acontece bem sem um planejamento mínimo. Planejar a execução significa estudar cenários, criar caminhos possíveis, descobrir alternativas para antecipar os prováveis problemas que possam surgir, reduzir as falhas e economizar nos custos desnecessários com os quais nos deparamos em diversos momentos. “Quem nunca pensou ‘ah, mas se eu tivesse visto isso antes, seria diferente…’, não sabe o valor e a importância de um planejamento”, comenta o executivo.

4. Estruturar a monetização

O modelo de receita costuma ser o coração de todo negócio. A forma como a empresa ganha dinheiro tem um impacto direto em todas as demais linhas. Por isso, gerar altos ganhos, que dependem de altos custos, nem sempre é vantajoso.. O especialista ressalta que é preciso calibrar a margem, diminuir as despesas e gerar receita recorrente de forma simplificada.

5. Entender como o cliente vê seu negócio

Um cliente bem atendido e satisfeito é um cliente fiel. Se ele ainda paga pelo seu produto ou solução, significa que você está no caminho certo. “O cliente é, e sempre será, o maior objetivo de todo empreendimento. Ele pode ser usado como um termômetro constante. Por isso, se em algum momento houver insatisfação, é melhor voltar para o início e reestruturar algo, ou seja, entender qual o problema, qual a solução ideal, etc” explica, Ivan.

6. Pesquisar o tamanho do mercado

Descobrir um problema e criar uma solução nem sempre trarão o sucesso esperado. Quando a oportunidade do mercado é muito limitada, não significa que o negócio é ruim, mas que existem poucas pessoas que precisam ou querem comprar, diminuindo a escalabilidade. Além disso, o setor pode ser imenso, mas se houver muitos concorrentes atuando, voltamos ao cenário limitado. Entender o mercado é essencial para ser bem sucedido.

7. Escolher bem quem faz parte do time

Talvez esse seja um dos maiores desafios de todo negócio: as pessoas. Por mais tecnológica que seja, toda empresa precisa de pessoas. Encontrar um time que tenha aderência com a cultura, possua as habilidades necessárias e que aceitem o desafio proposto às vezes pode ser muito caro, mas faz toda a diferença na trilha do sucesso.Abrir um negócio e empreender não é uma tarefa simples, mas, mesmo com os desafios, não existe receita pronta. É preciso estar atento e se aperfeiçoar todos os dias”, conta o sócio da Sevensete.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.