Skip to main content
 -
Jornalista que cobre o mundo do empreendedorismo & startups. Apaixonada por tecnologia!

2ª edição do evento Greentech será online e cobrirá toda América Latina

Após o sucesso de 2019, e com o ano de 2020 que trouxe o Coronavírus e mostrou à população mundial a urgência de um maior investimento em tecnologias sustentáveis, a Greentech América Latina retorna a fazer seu evento focado em soluções que conseguem acelerar um futuro mais limpo. Para fomentar esse ecossistema de inovação na América Latina, a empresa dinamarquesa Green Innovation Group, uma das líderes em buscar inovação verde pelo mundo, novamente realiza o Greentech América Latina 2020.

A conferência será realizada via Zoom entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro, com painéis das 17h às 19h. A segunda edição do evento contará com a participação de mais de 30 especialistas do Brasil, Europa e Américas, além dos pitches das scale ups de toda a América Latina e Europa selecionadas para mostrarem suas iniciativas a corporações, governos e mercado de investimentos.

Estarão presentes nomes como o suíço Thomas Hügli, C-level da empresa de consultoria AXA, Cassia Moraes, CEO e fundadora da Youth Climate Leaders, o canadense Paul Allard, Chief Ecosystem Office do Impak Finance, plataforma que premia empresas de consumo sustentável, o lituano Boris Gancev, do departamento de Commodity Derivatives do Banco Santander, além do fundador e CEO do Greentech, o dinamarquês Martin Petersen, que esteve no Brasil na edição de 2019.

O objetivo do evento, acima de tudo, é conectar novas tecnologias com o mercado investidor para que esses negócios verdes prosperem. Nesta edição, cada dia terá um tema central, sendo o dia 30/11 destinado aos Mercados de Carbono, o dia 01/12 focado em Cidades Sustentáveis, o dia 02/12 em Energias Renováveis, o dia 03/12 nas novidades deste segmento, chamado de New Greentech, e o dia 04/12 será pautado por Investimentos em Greentech.

“O investimento global em ESG (Governança Ambiental, Social e Corporativa) e em tecnologias verdes vem crescendo consideravelmente ano a ano, em funçāo da necessidade de reduçāo de emissões de carbono na atmosfera e reduçāo de poluiçāo ambiental. No cenário atual, existe maior receptividade e um grande senso de urgência para estes temas. Diversos Governos, corporações e fundos de investimento tem procurado neutralizar seu impacto para contribuir com essa visāo. A Dinamarca por exemplo, criou um fundo chamado Green Future Fund recentemente para investir em tecnologias sustentáveis”, contextualiza o representante do grupo dinamarquês no país, Tiago Brasil Rocha.

O Greentech 2020 recebeu, ao todo, mais inscrições de scale-ups, startups com alto fator de escalabilidade, do que no ano passado. Elas são provenientes de toda a América Latina e trazem tecnologias que resolvem problemas reais relacionados à água e saneamento, biocombustíveis, biomateriais, blockchain, cidades sustentáveis, créditos de carbono, reciclagem de lixo, Inteligência Artificial, IoT, e até mesmo nanotecnologia.

Entre os dias 23 de 27 de novembro, cerca de 20 selecionadas de 9 países delas passam por sessões de mentoria antes do pitch final. Ao longo do evento as empresas selecionadas pelo Greentech e relacionadas aos temas centrais do dia farão seus pitches.

“Participar do GreenTech América Latina foi uma experiência transformadora para a Green Mining devido a qualidade dos mentores que foram colocados a disposição e a grande exposição que tivemos para empresas e investidores. A exposição como um dos vencedores nos deu ainda mais credibilidade no mercado nacional e internacional”, comenta Rodrigo Oliveira, fundador e CEO da Green Mining, uma das startups vencedoras da edição 2019 do evento.

“Além de eventos como o Greentech América Latina, o Green Innovation Group faz acelerações focadas em reduçāo do impacto de poluiçāo e emissões de CO2. Muitas empresas e governos buscam se readequar e alcançar atualmente o “Net Zero Impact”, que é a produção de energia feita de recursos renováveis correspondente à quantidade que é usada pela empresa durante 1 ano. Exemplo disso é a aceleradora Nordin, na Índia, que atua pautada pelo tema ‘100 cidades sustentáveis’. Negócios verdes apresentam alto potencial de crescimento e a América Latina tem potencial de adotar tecnologias estrangeiras, e exporter soluções”, finaliza Tiago Brasil Rocha.

As inscrições para o evento estão abertas e podem ser feitas no link:

https://www.greentechamericalatina.com/2020

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.