Skip to main content
 -
Doris Alcântara é mineira do Vale do Aço, mulher, mãe do Kiko, da Lu e da Tal, empresária, apaixonada por esportes, viciada em American Football!!

Traída pela FEMFA mais uma vez

 

Ego. Uma palavra tão pequena, mas de impacto tão grande. Um dos maiores problemas do American Football no Estado e também no Brasil.

Em Outubro de 2017, recebi a proposta do dono da Revista Minas em Cena, de produzir uma revista inteira dedicada ao American Football em Minas. A proposta era contar minha trajetória e os trabalhos desenvolvidos até ali. Ter parte dos lucros da venda dos espaços e assinar a edição. Seria um case perfeito para o esporte. Respondi que sim, mas, que não poderia fazer nada sem a presença da FEMFA, e dos times em Minas. Estava disposta a dividir os lucros com a instituição, que poderia beneficiar os times mineiros com alguma ajuda. Acrescentei ainda que o Governo do Estado era um dos principais apoiadores e que deveria ter destaque na edição. O dono da revista entendeu e concordou em conhecer o gestor da FEMFA e trabalharmos os 04 juntos… a revista, a FEMFA ( que representava os direitos dos times), o Governo e eu. Sai dali e fui reunir as partes.

Após a reunião e apresentação de todos os interessados, fui traída pelo gestor da FEMFA na ocasião, que procurou o dono da revista e pediu a minha exclusão do projeto, pois, eu nada tinha com o esporte segundo ele. Que o projeto deveria acontecer apenas com ele e com o Governo.

Não tenho dificuldade em continuar afirmando e salientando as dificuldades de ser uma mulher e trabalhar num esporte ainda com um percentual mais elevado de homens no comando do que mulheres. Agravado por uma sociedade ainda muito machista como a nossa. E não estou afirmando com essa colocação que meus erros são consequência do machismo. Minhas falhas são responsabilidade minha e se eu não tivesse essa clareza, não estaria aqui tratando desses assuntos todos e assinando ao final de cada relato.

Fato é que, tive que lidar com o machismo sim em todo o tempo e com uma manifestação da limitação humana ainda mais gritante, o Ego. Juntos, o Ego e o Machismo, formam peças fundamentais na construção da única contrapartida oferecida a mim, ingratidão.

Como nunca joguei em nenhuma das linhas ao lado dos ilustres “donos do American Football” no meu Estado, na concepção deles, eu deveria ter me contentado com a oportunidade de trabalhar para enaltecer os grandes homens no poder no universo da bola oval, mas, jamais achar que poderia construir lado a lado com eles.

Tudo certo usarem minhas conexões como próprias, excluírem minhas atuações, diminuírem meu empenho, invertendo os valores e situações, ocultando meu verdadeiro trabalho e amor ao esporte. Afinal, eles são os donos da bola e do que venha disso. Vieram antes de mim e isso faz deles detentores do que quer que seja construído.

Esse pensamento, postura e atitude, refletem no esporte e retiram dos atletas, times, fãs, as oportunidades tão necessárias para visibilidade, profissionalização, entrada dos parceiros financeiros tão almejadas. Se estivéssemos lutando juntos, ao invés de uns contra os outros, todos teriam melhores oportunidades.

Relatei aqui no blog, através dos vídeos anteriores e agora finalizando com esse, pelo ao menos duas grandes oportunidades para o esporte em Minas Gerais, que foram destruídas por ego de gestores imaturos e inseguros. Adidas e Minas em Cenas. Dois parceiros que vieram através das minhas conexões e atuação, mas, que foram atropeladas por orgulho e maldade humana.

Tantas oportunidades reunidas em um único parceiro que, apresentei ao gestor da FEMFA naquela ocasião e possibilitei a parceria, era celeiro de inúmeras outras. Mas a velha mania do ser humano de querer ser o centro das atenções, e ser maior que o objetivo que o trouxe até ali, impossibilitou a realização de tudo que era possível. E para arrematar com chave de ouro, trataram de difundir um discurso negativo sobre quem sou. Quando pessoas não conseguem manipular quem você é o que pode fazer, vão manipular o que querem que os outros pensem a seu respeito.

Finalizo aqui os relatos sobre esse período com Minas Locomotiva e FEMFA. Segue o último vídeo dessa fase.
Afirmo, eu entreguei mais que prometi. Em contrapartida recebi ódio, mentiras, traições e principalmente ingratidão.

 

Eu sou Doris Alcântara e esse é o seu Helmet ON.

Bjukas Ovais

2 thoughts to “Traída pela FEMFA mais uma vez”

  1. Dóris, bom dia! Sou profissional em Marketing Esportivo. trabalho com FA e esse sujeito fez a mesma coisa comigo. Ele só quer para ele, rouba os seus contatos, difama pessoalmente e assume a cerne de tudo. Ele não vale absolutamente nada, egocêntrico, doente, ganancioso. O seu relato é o meu relato. Não se destrua por um sujeito como esse, não deixe isso contaminar a sua vida. Ele se locupleta da ideia e do trabalho dos outros , mancha o esporte e o Marketing Esportivo pois, tenta passar por profissional da área, nunca foi e nunca será.

    1. Bom dia José Maurício! Sinto muito por você. Infelizmente minha história é uma dentre tantas. Obrigada por compartilhar sua experiência, e me apoiar. Normalmente recebo apenas ataques. Continue firme realizando seu trabalho. O bem sempre vence.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *