Teste com ônibus elétrico da BYD na capital começa semana que vem

Publicado em Sem categoria

Fotos: Viação Torres/Divulgação

Demorou bem mais do que o previsto para passar no ponto. Enfim, o ônibus elétrico K9, da chinesa BYD, finalmente tem data confirmada para ser testado em Belo Horizonte: a partir da próxima semana. O coletivo de piso baixo foi cedido à Viação Torres, operadora do Consórcio BH Leste, e aguarda somente vistoria da BHTrans para circular. A linha escolhida para a avaliação de desempenho da tecnologia, que promete reduções de até 81% no consumo energético e 75% no custo operacional, é a 5503A, que interliga o bairro Goiânia, na região nordeste, ao Centro da capital. Não há previsão de testes em outras empresas e linhas, de acordo com o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Belo Horizonte (Setra-BH).

Conforme antecipou o blog, a apresentação do ônibus elétrico faz parte da estratégia de divulgação da Build Your Dream Company Limited no Brasil. O fabricante chinês constrói fábrica em regime de CKD (montagem de componentes importados), em Campinas, interior paulista. Inicialmente o teste estava programado para começar em outubro de 2014, mas sucessivos atrasos em outras cidades, como Brasília, adiaram o cronograma. Ônibus elétricos não são novidade em BH: os trólebus (coletivos conectados à rede elétrica) foram utilizados na cidade até 1963 e só não voltaram a circular na Avenida Cristiano Machado, na década de 1980, por entraves políticos.

Como principais atrativos, a BYD aponta que o elétrico chinês apresentou boa relação custo/benefício em pesquisa internacional sobre mobilidade não poluente. O busão é equipado com baterias de fosfato de ferro e tem autonomia de 250 quilômetros.

Leasing para as baterias

Prevista de início para operar em julho e acumulando atraso, a fábrica de 20 mil metros de área construída da BYD em Campinas montará, além dos ônibus elétricos, as baterias de fosfato de ferro. O local abrigará um centro de pesquisa e desenvolvimento voltado à América Latina, como parte do ambicioso plano da marca chinesa de produzir localmente uma ampla linha de chassis para ônibus no Brasil, nos segmentos de 8 (micro-ônibus) a 18 toneladas, além de caminhões. A venda terá um plano de leasing específico para as baterias, com a promessa de um custo médio mensal semelhante ao consumo dos ônibus movidos a diesel. Com isso, a BYD planeja um custo operacional próximo aos dos coletivos já oferecidos no mercado – a bateria representa boa parte do custo de um veículo elétrico – algo inédito e por isso, desafiador.

Conta operacional

250

quilômetros de autonomia

1,2

Kwh/km de consumo energético, o que equivale a um custo operacional de R$ 0,24 por quilômetro

5

horas de tempo de carregamento

22

assentos

6

mil ciclos de vida nas baterias de fosfato de ferro

Ficha técnica

BYD K9

Tipo de motor   

Elétrico, embutido na roda de imã sincrono permanente em corrente alternada (AC)

Potência    90kWx2

Potência nominal    75kWx2

Torque    350nm

Velocidade máxima    70 km/h

Capacidade de inclinação    15%

Distância em relação ao solo    140mm

Dimensões

Comprimento    12m

Largura    2,55m

Altura    3,66m

Distância entre-eixos    5,95m

Peso em ordem de marcha    13,3 toneladas

Peso bruto total (PBT)    19 toneladas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *