Conheça o projeto de BRT de Uberlândia, no Triângulo Mineiro

Publicado em Sem categoria

Fotos: Marcos Michelin/EM/D.A Press

Enquanto Uberaba segue com o projeto de BRT – com 14 ônibus do tipo padron – parado e terá de passar por ajustes para rodar, a vizinha Uberlândia, a 99 quilômetros de distância, pode sair na frente na implantação do transporte rápido por ônibus. Prevista para ser concluída num prazo de dois anos, a ampliação do atual sistema integrado de transporte (SIT), que já conta com um corredor para ônibus e cinco terminais de integração, prevê a construção de cinco novas pistas exclusivas, quatro novos terminais, 76 estações de transferência (ETs) e embarque em nível, com plataformas e portas de embarque a 90 centímetros de altura. A inspiração para a nova frota de 80 ônibus do tipo padron e articulado, com ar-condicionado e suspensão a ar, vem do Move: duas unidades do transporte rápido por ônibus de Belo Horizonte foram enviadas ao maior município do Triângulo Mineiro para testes.

Embora a prefeitura de Uberlândia considere o corredor Estrutural Sudeste na Avenida João Naves de Ávila, já existente e com plataformas de 28 cm de altura, um BRT, a estrutura não possui plataformas de embarque em nível – um dos cinco itens básicos que identificam o transporte rápido por ônibus, de acordo com o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP).

Com a expansão e adequação do SIT ao conceito de BRT, o sistema será reforçado com novo pavimento na baia das estações, radar para invasão de faixas para ônibus e campanhas de conscientização. No corredor da Avenida João Naves de Ávila serão instalados monitores informativos sobre as linhas nas 13 estações existentes. O projeto contempla câmeras de segurança nas ETs, mas a uso dos equipamentos dependerá do orçamento – R$ 132 milhões, no total, com recursos oriundos do programa PAC 2 do governo federal.

Estação de transferência (ET) já existente

O primeiro dos cinco novos corredores a sair do papel será o Corredor Estrutural Leste, localizado na Avenida Segismundo Pereira, ainda com plataformas de 28 cm de altura. O projeto, segundo a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Settran), está pronto e em fase de licitação. A execução dos quatro demais corredores – Estrutural Norte (Rua México, Av. João Pessoa, Av. Adriano Bailoni e Av. Cleanto Vieira Gonçalves), Oeste (Av. Belo Horizonte, Av. Fernando Vilela, Av. Marcos de Freitas Costa e Av. José Fonseca e Silva), Estrutural Sudoeste (Av. Getúlio Vargas) e Sul (Av. Nicomedes Alves dos Santos) –, aponta o órgão, ainda depende do término dos projetos executivos. Quatro novos terminais de integração se somarão aos cinco já existentes: Novo Mundo, Jardim Patrícia Jardins e Universitário.

Operação indefinida

Apesar da previsão de término em 2016, a prefeitura de Uberlândia não concluiu, por outro lado, a parte operacional do novo sistema. A justificativa é a de que será necessário realizar novas pesquisas de demanda, viagens e número de passageiros transportados/dia por causa de novos empreendimentos imobiliários na cidade, oriundos do programa federal Minha Casa Minha Vida.

Panorama do corredor da Avenida João Naves de Ávila

Fotos: Prefeitura de Uberlândia/Divulgação

O SIT conta hoje com uma frota de 418 ônibus que atendem a uma média diária de 235 mil passageiros transportados em 5 mil viagens (97 mil quilômetros rodados). Nos fins de semana, a demanda é menor: 3,6 mil viagens, 135 mil passageiros e 67 mil quilômetros aos sábados; 2,6 mil viagens, 65 mil passageiros e 50 mil quilômetros rodados aos domingos.

O projeto

37,9

quilômetros de extensão

80

novos ônibus, com ar-condicionado e suspensão a ar

5

novos corredores, além do já existente na Avenida João Naves de Ávila (que passará a contar com ônibus articulados, gradualmente)

4

novos terminais de integração

76

novas estações de transferência

R$ 132

milhões de investimento

2

anos de obras

Frota contará com 80 novos ônibus como os do Move

Marcos Michelin/EM/D.A Press

Elementos básicos de um sistema BRT

1) Faixas exclusivas

Tornam as viagens mais rápidas e evitam atrasos que seriam causados por congestionamentos do tráfego misto.

2) Alinhamento das faixas de ônibus

O corredor localizado no eixo central da via evita que os ônibus tenham que circular nas faixas próximas às calçadas, onde há muito movimento de carros e caminhões parando, estacionando e entrando em acessos ou ruas transversais.

3) Pagamento da tarifa fora do ônibus

O pagamento da passagem é feito na própria estação, o que elimina atrasos causados por enormes filas para embarque dos passageiros e pelo pagamento da passagem no interior dos ônibus.


4) Tratamento das interseções

Não permite que outros veículos cruzem faixas exclusivas dos corredores de BRT em interseções. A medida é muito importante para assegurar a prioridade de circulação e facilitar a passagem dos ônibus pelas interseções.

5) Plataformas de embarque em nível

A plataforma da estação fica no mesmo nível do piso dos ônibus, permitindo um embarque rápido e fácil. O piso em nível dá acessibilidade total a passageiros em cadeiras de rodas, carrinhos de bebês, idosos e pessoas com deficiências.

Fonte: Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP)

Enquanto isso…

BRT light parado no ponto

Inicialmente previsto para dezembro de 2012, depois fevereiro e julho do ano passado, o transporte rápido por ônibus de Uberlândia continua parado no ponto. O BRT light, que conta com uma pista exclusiva para ônibus com embarque em nível em estações-tubo inspiradas nas de Curitiba, na Avenida Leopoldino de Oliveira – principal via da região central –, passa por obras de recapeamento, segundo a prefeitura do município. Além da conclusão das obras dos dois terminais (Leste e Oeste), o sistema também depende de reparos nas 12 estações (algumas foram depredadas) e atualização da identidade visual dos 14 ônibus BRT do tipo padron, sem uso desde dezembro de 2012, quando foram entregues. O corredor tem 5,1 quilômetros de extensão.

Um comentário para “Conheça o projeto de BRT de Uberlândia, no Triângulo Mineiro

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *