Skip to main content
 -
Gustavo Fonseca é Cofundador do Doutor Multas. Criado há 9 anos com o objetivo de ajudar os motoristas, já evitou que + de 5.200 clientes perdessem a CNH com consultoria administrativa personalizada. É dedicado a disseminar conteúdo relevante para conscientizar as pessoas sobre as Leis de Trânsito.

Estresse infantil: dicas para evitar esse problema

Compartilhe nas redesShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

O estresse infantil tem diversas causas, entre elas estão as mudanças de rotina, excesso de atividades e o próprio relacionamento conflituoso com os pais.

 

Com essa pandemia, as crianças passaram a ficar mais tempo dentro de casa, em meio às telas de celulares, televisão e, muitas vezes, sem uma rotina saudável.

 

Esses também são fatores que podem prejudicar o desenvolvimento infantil, já que o contato com o mundo externo ajuda na socialização.

 

Portanto, se você quer evitar que o estresse nas crianças prejudique o desenvolvimento infantil do seu filho. Preparamos 5 dicas para colocar em prática, apostando em um ambiente saudável de estado de completo bem-estar, físico, mental e social.

 

1- Invista em atividade física para combate ao estresse infantil

 

A atividade física ajuda não só as crianças a combater o estresse tanto em adultos como nas crianças, pois é um tipo de tarefa que melhora o humor e consequentemente, controla o estresse.

 

Por isso, estabeleça pelo menos alguns momentos da semana para realizar uma atividade física, converse com a criança para saber quais as suas preferências.

 

2- Tenha um relacionamento saudável com a criança

 

Falta de abertura para diálogo, ambiente com muitas críticas e poucos momentos de qualidade em família podem contribuir para o estresse infantil.

 

A criança que não se sente confortável com os pais, pode desencadear sérios problemas psicológicos, como a depressão infantil e ansiedade. 

 

Para encurtar os laços com as crianças, passe um tempo com as crianças, fazendo atividades lúdicas como assistir a um filme e atividades manuais.

 

Nessa última dica, use materiais que trazem praticidade nas tarefas manuais e estabeleça momentos de lazer em família, crie momentos para compartilhar sentimentos e atividades que mexem com a imaginação dos pequenos.

 

3- Cuidado com o excesso de atividades

 

Uma agenda lotada de atividades extracurriculares podem trazer muito estresse para a criança.

 

Saiba que o tempo ocioso pode favorecer a criança, desde que ela encontre através da imaginação e criatividade, modos para criar brincadeiras, jogos e atividades prazerosas para seu cérebro.

 

Deixar a criança brincar e usar a imaginação para criar brincadeiras, isso ajuda na descoberta de habilidade e contribui para o bom desenvolvimento infantil. 

 

4- Redes sociais também causam estresse

 

Tanto na criança como no adulto passar muito tempo frente às telas pode trazer níveis altos de estresse, afetando negativamente a saúde mental, que traz baixa autoestima e insegurança.

 

A sobrecarga de informação pode trazer muita pressão para a vida real, principalmente, pela forma que é compartilhado o conteúdo, através de “vidas perfeitas” nas redes sociais.

 

5- Estabeleça hábitos de uma vida saudável

 

Criar uma rotina não é prejudicial para as crianças, muito pelo contrário, ajuda a organizar o dia a dia, desde que os pais levem o tema com uma certa leveza, sem cobranças em excesso.

 

Nessa rotina, priorize a boa alimentação e invista em horários para lazer, seja para passar um tempo em família, tempo para brincar ou qualquer outra atividade que traga prazer.

 

Dormir bem também é um hábito saudável que ajuda a prevenir o estresse infantil, por isso, estabeleça horários para dormir, prepare o ambiente e crie uma rotina para o dia a dia do pequeno. 

 

O estresse infantil pode ser identificado através dos comportamentos das crianças, pelo excesso de choro, dificuldades para dormir, desobediência, dores de cabeça e entre outros sintomas.

 

Procure ajuda de um psicólogo ou fale com o médico pediatra, se observar esses sintomas com frequência.

Compartilhe nas redesShare on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.