Bolsonaro volta a criticar TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) após ‘motociata’ em São Paulo. Na ocasião, o presidente se dirigiu diretamente ao vice-presidente da Corte, ministro Alexandre de Moraes, que assume a presidência em agosto. Bolsonaro questionou se Moraes irá prendê-lo por não confiar no sistema eleitoral, após direcionar novos ataques ao sistema de votação brasileiro.

Segundo ele, o TSE teria se tornado um “clube fechado”, onde “o que se fala é lei”. Recentemente, também criticou o TSE devido ao acordo realizado com o Whatsapp com vistas a conter a disseminação de notícias falsas durante o pleito deste ano. O presidente Bolsonaro disse que deve se encontrar com representantes da plataforma para discutir os termos do acordo.

A tensão entre os Poderes Executivo e Judiciário se faz presente na gestão de Bolsonaro desde 2020, porém, conforme as eleições se aproximam, o TSE tem protagonizado a maioria das críticas feitas pelo presidente. Alexandre de1’Moraes, que é o próximo presidente do TSE, já emplacou como principais bandeiras o combate contra informações falsas e a garantia da lisura do processo eleitoral, temas caros ao presidente Bolsonaro e seu eleitorado mais ideológico, que defendem o voto impresso e livre funcionamento das mídias sociais.

Vale destacar que, dentre todos os pré-candidatos ao Planalto, Bolsonaro lidera a mobilização através das redes sociais. Desse modo, tal acordo entre Whatsapp e TSE, a essa altura, seria desvantajoso para o mandatário. Devido à natureza do acordo, somente decisão do próprio colegiado poderia alterar os seus termos. Portanto, o caminho legal seria o uso da Advocacia-Geral da União (AGU) para recorrer ao próprio TSE.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *