PSDB adia prévias e escolhe Garcia para concorrer em São Paulo

Nesse domingo (21), o PSDB decidiu suspender o processo de prévias do partido que escolheria seu candidato à presidência para 2022. O pleito estava sendo realizado por meio de um aplicativo e começou na manhã do domingo, apresentando instabilidades no decorrer do dia que impediram o voto de diversos filiados. As prévias foram inicialmente estendidas por algumas horas antes de serem efetivamente suspensas.

A perspectiva é de que uma decisão sobre a continuidade do processo seja tomada nesta segunda-feira (22). Os pleiteantes à vaga, Eduardo Leite (governador do RS), João Doria (governador de SP) e Arthur Virgílio (ex-prefeito de Manaus) possuem opiniões distintas sobre como resolver o imbróglio. Doria e Virgílio propõem que o processo seja retomado no dia 28 e Leite pediu publicamente a sua retomada o mais cedo possível. Contudo, alguns integrantes do partido apontaram que aliados de Leite tentam articular nos bastidores para que as prévias sejam adiadas para 2022. Todo o ocorrido tende a agravar a fragilidade já marcante dentro do PSDB sobre a escolha de um candidato para 2022.

O novo episódio se soma a diversos outros conflitos internos que antecederam a realização das prévias em 2022. Para além da divisão interna acerca dos favoritos, Doria e Leite, o processo eleitoral em si foi alvo de diversas discussões, desde sobre o peso do voto para filiados sem mandato até a utilização de um aplicativo e não urnas físicas para recebimento dos votos. Com a postergação das prévias, é possível que conflitos internos entre os pré-candidatos e a direção do partido aumentem ainda mais, uma vez que tanto Doria quanto Leite manifestaram inquietação na semana passada sobre o voto por aplicativo.

A disputa sobre a resolução concreta do imbróglio das prévias tende a acirrar a rivalidade entre os governadores em um momento que o partido já está rachado entre suas candidaturas, elevando também a chance de posterior judicialização do processo. Caso ela ocorra, outra consequência pode ser o atraso do início formal da pré-campanha do candidato escolhido. Em um cenário no qual ambos os governadores não apresentam um desempenho destacado nas pesquisas eleitorais, um possível atraso tende a dificultar ainda mais uma melhoria nos seus índices nos levantamentos.

Em paralelo, o PSDB oficializou o nome do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, como candidato da legenda ao governo do estado. Garcia foi o único inscrito nas prévias estaduais, apesar dos esforços de figuras do partido para convencer o ex-governador Geraldo Alckmin a participar. A escolha do nome de Garcia já era esperada, uma vez que foi o indicado de Doria para concorrer em 2022 e que Alckmin já havia indicado que não participaria das prévias. O ex-governador segue com destino indefinido, avaliando possibilidades de ingressar em diversos partidos antes das eleições de 2022.

Garcia não apresenta bom desempenho nas pesquisas eleitorais até o momento, uma vez que é pouco conhecido no estado e que pode concorrer com nomes mais populares como Alckmin, Haddad (PT) e Márcio França (PSB). Ainda assim, o PSDB é uma sigla muito tradicional em várias regiões e um esforço concentrado do vice-governador tende a melhorar seus índices durante o próximo ano, especialmente se Doria for o escolhido do partido para disputar a presidência e deixar o comando do governo estadual em abril.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *