Rodrigo Maia quer fim de obstrução das votações

Há um mês, a Câmara dos Deputados não vota nenhum projeto, em face das obstruções tanto da oposição quanto dos partidos da base do governo. O presidente da Casa, deputado Rodrigo Maia (DEM/RJ), vinha tentando impedir as obstruções, mas sem sucesso.

Na quarta-feira (27), Maia declarou, em coletiva de imprensa, que espera responsabilidade dos parlamentares para que as votações voltem a ocorrer devidamente. A obstrução da pauta tem ocorrido tanto por causa da Medida Provisória (MP) 1000/2020, que cria o auxílio emergencial residual e amplia o valor de R$ 300,00 para R$ 600,00, quanto pela instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO). 

Enquanto a oposição ao governo briga para que a MP 1000/2020 seja pautada no Plenário, seus aliados pedem a instalação da Comissão Mista de Orçamento (CMO) nos seus termos, com a deputada Flávia Arruda (PL/DF), representante do Centrão, como presidente. Maia alega que a MP 1000/2020 deve ser endossada, antes de tudo, pelo governo, ou a oposição continuará obstruindo a pauta até que seus interesses sejam legitimamente atendidos.

É esperado que, em algum momento, o Presidente da Casa paute a MP 1000/2020, de modo a atender às expectativas da oposição e, portanto, minorar os conflitos dentro do Parlamento e com o próprio governo. Ao votar a MP, a Câmara abrirá novamente a possibilidade de que matérias do interesse do Executivo sejam votadas, a exemplo da regulamentação do teto de gastos públicos. Quanto à CMO, caso não haja acordo para a sua instalação, o regimento interno permite que as matérias sigam diretamente para o Plenário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *