Bolsonaro estanca a queda de popularidade, indica XP/Ipesp

A recém divulgada pesquisa XP/Ipesp mostra que na faixa de até dois salários mínimos, a oscilação positiva na parcela que considera o governo bom ou ótimo foi de 5 p.p. (de 21% para 26%), o mesmo que na Região Nordeste (de 28% para 33%). Ou seja, Bolsonaro ganhou apoio em uma faixa em que historicamente não o apoia.

Não por acaso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, confirmou que o auxílio emergencial contra os impactos econômicos da pandemia deve ter mais duas parcelas de R$ 300,00 – metade do valor atual do programa, que já tinha um custo estimado de R$ 51 bilhões por mês. Agora, Guedes sinaliza a possibilidade de unificar benefícios sociais em uma plataforma única chamada Renda Brasil, um “bolsa família” para chamar de seu.

No resultado agrupado, a parcela que considera a administração ruim ou péssima oscilou um ponto para menos (de 49% para 48%), e o que avalia o governo como ótimo ou bom oscilou dois pontos para mais (de 26% a 28%). Ainda que as variações sejam pequenas, já é o segundo movimento seguido na mesma direção.

Foram feitas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, de 9 a 11 de junho. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *