O Caso Weintraub

Como amplamente noticiado, o Ministro da Educação Abraham Weintraub foi prestar depoimento hoje na sede da Polícia Federal em Brasília. O depoimento é parte do inquérito no Supremo Tribunal de Justiça, que apura o suposto cometimento do crime de racismo pelo ministro.  Weintraub até tentou evitar o desgaste de ir até a sede da PF hoje, mas o pedido de adiamento foi indeferido pelo decano do STF, o Ministro Celso de Melo.

O causa do inquérito foi o post em sua conta no Twitter no qual disse que a China vai sair “relativamente fortalecida” da crise do coronavírus e que isso condiz com os planos do país de “dominar o mundo”.

Na publicação (vide imagem ao lado), posteriormente apagada, ele troca a letra “R” pela letra “L”, ironizando o fato de alguns chineses falarem desse jeito, conforme a peça apresentada pela Procuradoria-Geral da República.

Mesmo o tweet sendo o primeiro a dar causa a um inquérito policial, Weintraub é um gerador de polêmicas em série e tem sua competência constantemente questionada no Congresso Nacional. Uma renúncia do ministro chegou a ser cogitada durante o dia, o que foi desmentido.

A realidade é que a Educação tem um dos maiores orçamentos da Esplanada, com R$ 108 bilhões de reais previstos para 2020. Ou seja, é altamente visado por partidos políticos. Não por acaso, parte dessa verba já está sob o controle de um indicado do deputado Ciro Nogueira (Progressistas/PI).

Ciro Nogueira conseguiu emplacar seu chefe de gabinete na Câmara dos Deputados – Marcelo Lopes da Ponte – para o comando do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que tem um orçamento de R$ 29,4 bilhões neste ano.

A saída de Weintraub pode significar mais espaço para negociar com os partidos de centro. No entanto, a presença dele no governo está alicerçada no núcleo mais forte da administração Bolsonaro, o ideológico familiar. Então, pode-se esperar uma mobilização importante dos apoiadores nas redes.

Agora há pouco, Weintraub twittou: “Prestei depoimento à PF em respeito à Polícia. Fui muito bem recebido pelo Diretor-Geral Rolando e por toda sua equipe. Agradeço especialmente a você, que me apoia na luta pela LIBERDADE!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *