Coronavírus: Bolsonaro cai, mas Mandetta sobe

De acordo com pesquisa Datafolha publicada nesta segunda-feira (23), 35% da população aprova a maneira como Jair Bolsonaro tem gerido a pandemia do coronavírus no Brasil, ao passo que 33% da população vê a gestão como ruim/péssima. A atuação do Ministério da Saúde, por sua vez, foi bem-vista por 55% dos 1.558 entrevistados. A gestão dos governadores é vista como ótima ou boa por 54%.

Pesquisa XP Investimentos

Similarmente, pesquisa publicada pela XP Investimentos mostra que a avaliação positiva do governo Bolsonaro – ou seja, aqueles que o veem como ótimo/bom – caiu de 34% em fevereiro para 30% em março. Ao mesmo tempo, a avaliação ruim/péssima ficou estável em 36% e a regular passou para 31% (antes 29%). No que tange especificamente à gestão da pandemia, a pesquisa XP mostra que 40% dos entrevistados aprovam o governo em geral, enquanto o Ministro da Saúde, Henrique Mandetta (DEM/MS), é visto por 56% da população como ótimo/bom. Tais dados somam-se à pesquisa Atlas Político, publicada no dia 19 de março, que mostrava que 64% dos entrevistados reprovavam a forma como Bolsonaro lidou com a chegada do vírus ao Brasil.

Coronavírus e Atividade Econômica

Atitudes do Presidente, como convocar e participar de manifestações à despeito das recomendações do Ministério da Saúde e de diminuir a seriedade da pandemia, fizeram com que ele fosse amplamente criticado, tanto por outros políticos como pela população. Este movimento, aliado à queda nos indicadores econômicos, contribuiu para consolidar uma imagem negativa da sua administração perante a crise gerada pelo novo coronavírus.

Governadores X Presidente

Por outro lado, vale notar a avaliação positiva recebida pelos governadores, que estão sendo vistos como alternativas viáveis e responsáveis perante uma suposta inação do governo federal. Bolsonaro deve agora se esforçar para contornar essa situação, mas até o momento não alterou substancialmente seu discurso e continua a afirmar que medidas mais restritivas serão prejudiciais para a economia.

Esse discurso visa manter a polarização do debate político e eximir o Planalto dos efeitos negativos que serão sentidos na economia e dividir essa conta com os governadores. Esse tipo de discurso causa problemas para a articulação política com os entes federados e pode continuar a resultar em respostas distintas das diferentes esferas.

Desidratação da Base de Apoio

Apesar da queda nos níveis de aprovação, é notório que aqueles que aprovam a gestão de Bolsonaro permanece estável (em cerca de 30-40%). O movimento da opinião pública dependerá da velocidade do avanço do surto e da capacidade de resposta dos serviços públicos – a perspectiva atual é que haja uma trajetória de desidratação da base de apoio do governo.

3 thoughts to “Coronavírus: Bolsonaro cai, mas Mandetta sobe”

  1. a equipe do Bolsonoro é a melhor da história. imagina se estivéssemos passando essa crise com o PT ou Centrão no comando. seria o fim….

  2. Se o Ministro da saúde está em alta, é sinal que o presidente Bolsonaro, soube escolher seus ministros com base técnica e conhecimento, diferente do PT que era amigos, apadrinhamento e sem nenhuma competência….

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *