O Brasil de Dilma e o Brasil de Aécio

Publicado em
A imagem acima é o mapa da votação para presidente, de ontem:
1. Onde a Dilma é mais conhecida, ela ganhou: Minas e RS. 
Onde Aécio é mais conhecido, ele perdeu: Minas e Rio de Janeiro. 
Isso é mera coincidência?
2. Aécio teve expressivo aumento de votos na reta final do primeiro turno porque o Texas brasileiro (leia-se, São Paulo), o estado mais conservador e, “coincidentemente” o mais rico do país, é o berço do antipetismo raivoso e violento. Onde, p. ex., se desenvolve com força o ódio aos nordestinos (que construíram aquela pauliceia desvairada).
3. O ódio de parte dos paulistas e de parte da classe média conservadora se deve ao fato, entre outros, que o PT governa para todos, mas principalmente para os mais pobres. Não é coincidência Dilma ganhar disparado no nordeste. Aquele pedaço de Brasil que está saindo lentamente do mapa da invisibilidade e mostrando, inclusive aos olhares dos estrangeiros, que o Brasil é muito mais rico, diverso e bonito do que o sul-maravilha. 
3.1. Tem sociólogo, ex-presidente, que chama os pobres de ignorantes. Ignorante é um sujeito escolarizado, mas desprovido de educação, inteligência (crítica) e sensibilidade.
4. Objetivamente, Aécio poderá até ganhar as eleições com a ajuda: dos setores mais conservadores e retrógrados da classe média; dos capitães-hereditários do agronegócio; de parte dos intelectuais saudosos da belíndia; dos barões da velha e podre mídia; de setores conservadores das igrejas (que gostam de manter uma boa cota de pobres pedintes e de joelhos para operarem seus milagres); de muitos eleitores ansiosos pelas “mudanças” travestidas de retrocesso; de muitos eleitores que caíram na cantilena do discurso midiático da corrupção que não expõe as mazelas do sistema eleitoral e dos corruptores e esconde parte dos verdadeiros saqueadores da nação (protegidos pela mídia do século 19 e pelo poder judiciário do século 13), e, finalmente, de algumas pessoas que, conscientemente, querem manter seus privilégios e detestam a justiça social (coisa de comunista).
5. O PT cometeu graves erros ao longo dos anos na presidência. Para a conseguir a governabilidade (num Congresso dominado por facções de interesses dos mais escusos), aliou-se com políticos da pior qualidade. Deu espaço em seus quadros para pessoas que envergonham quaisquer agremiações. Cedeu às pressões dos barões da mídia; dos banqueiros; dos empreiteiros-ladrões, como fez o PSDB quando governou o Brasil, diga-se de passagem. Nesse ponto, Luciana Genro tinha razão; ou seja, nesse quesito a briga do PT com o PSDB é como “o sujo falando do mal lavado”. Mas, apesar dessas graves “derrapadas”, o PT mudou o país, transformando-o numa nação mais justa, inclusiva, plural e democrática, superando o gueto dos 30% de brasileiros (aquele grupinho dos “inteligentes” do FHC). 
5.1. O PT errou feio ao aliar-se com Aécio na violência contra Marina. Deu novo fôlego ao pregador-mor do ódio ao PT. Isso terá um custo alto…
5.2. A maioria dos petistas quando exerce cargos públicos o fazem dentro dos parâmetros da boa gestão . Segundo dados da Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, de 2010, os dez partidos com mais políticos cassados por corrupção eram, nesta ordem: DEM (69); PMDB (66); PSDB (58); PP (26); PTB (24); PDT (23); PR (17); PPS (14); PT (10) e PPB (08). Outros partidos também tiveram políticos cassados… Isso a grande mídia não mostra.
6. Num país que ainda ostenta enormes desigualdades e que precisa de um estado interventor para a construção de um estado de bem-estar social, é legítimo votar num candidato que governará para 30% dos brasileiros… Mas, na minha opinião, não é ético.
7. Apesar de todas essas considerações, respeito quem pensa diversamente de mim.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *