Notícias da ONU: novo tratado sobre comércio de armas e custo da telefonia móvel no Brasil

Publicado em

Representantes da ONU pedem novo tratado sobre comércio de armas

Representantes de Agências das Nações Unidas pediram na quinta-feira (16/02) que um novo tratado sobre comércio de armas seja adotado na Conferência Diplomática das Nações Unidas sobre o tema, que será realizada em julho. Para os especialistas em assuntos humanitários, é preciso aumentar o controle sobre o destinatário das vendas dos Estados, assim como a rigidez sobre o comércio de armas leves.“O custo humano de tais controles inadequados, da correspondente disponibilidade generalizada e do mau uso de armas é inaceitavelmente alto”, declararam conjuntamente a Administradora do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Helen Clark, o Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados, António Guterres, o Diretor Executivo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Anthony Lake, e a Alta Comissária da ONU para os Direitos Humanos, Navi Pillay, em nome da Subsecretária-Geral para Assuntos Humanitários, Valerie Amos.Segundo os Representantes, a nova proposta terá de exigir que Estados avaliem os riscos de sérias violações do direito humanitário internacional e dos direitos humanos que podem ser cometidas com a transferência de armas; abranger a venda de armas convencionais, incluindo as de pequeno porte (estimada em 7 bilhões dólares por ano), e munições; além de assegurar controle sobre todo tipo de transferência, como transporte terrestre e transbordo, empréstimos e arrendamentos.Fonte: Escritório da ONU no Brasil.Minuto da telefonia móvel no Brasil é um dos mais caros entre países em desenvolvimento, revela ONU

Em um relatório da ONU divulgado nesta quarta-feira (15/02), sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC’s) para o avanço do setor privado, o Brasil aparece como um dos países em desenvolvimento em que o preço da ligação de celular é o mais caro. A diferença no valor pago pelos brasileiros pelo minuto em planos pré-pagos pode ser até dez vezes superior.Entre outras análises sobre o uso de TIC’s no mundo, o estudo Economia da Informação 2001 compara os preços praticados no Brasil em 2010 com China, Rússia e Índia. O preço médio pago por um minuto de ligação dos brasileiros foi de 0,11 dólares, enquanto para um chinês, russo ou indiano, o valor não ultrapassa os 0,05 dólares. Na Índia esse valor é 0,01 dólar.Para chegar ao preço médio por minuto, o estudo combina a receita média usada pelos usuários com esses serviços e os minutos consumidos.O estudo também revela dados sobre o mercado de trabalho nas TIC’s. A Finlândia é o país com a maior parcela de atividades econômicas domésticas relacionadas à tecnologia da informação e comunicação, com quase um décimo da força de trabalho de negócios não-agrícolas empregadas no setor.De acordo com a Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), responsável pela pesquisa, essas tecnologias ainda estão na sua infância em muitas economias em desenvolvimento. A falta de dados mais abrangentes, por exemplo, é vista como uma consequência do fosso digital.O banco de dados da UNCTAD atualmente contém informações sobre 57 economias.Fonte: Escritório da ONU no Brasil.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *