Breves notas sobre segurança pública em Minas

Publicado em
FICA VIVO:
É de conhecimento público que, quando assumiu o governo de Minas, em 2011, o ex-governador Anastasia prometeu ampliar os núcleos do programa Fica Vivo para 100 unidades. Passados quatro anos e não obstante o aumento dos homicídios em Minas (especialmente juvenis), o Fica Vivo saltou de 34 para 38 núcleos [Ninguém sabe o número correto, pois em alguns Centros de Prevenção à Criminalidade há o Fica Vivo, noutros não. Aliás, (des)informações sobre (in)segurança pública em Minas não é novidade]. 
Pois bem, o governo agora, disse-me uma “andorinha”, fechou dois núcleos do programa: um em Uberaba e outro em Sabará. Isso, sem contar, informa a mesma fonte, o sucateamento do programa de modo geral… E mais: além do fechamento dos Centros de Prevenção, mais de 100 estagiários foram desligados. 
Como o programa é terceirizado (dado que em Minas quase tudo é terceirizado), cabe também indagar se a entidade gestora também está sofrendo cortes… 
PIMENTEL COMEÇA “BEM”
O primeiro secretário anunciado por Pimentel, de Defesa Social, me assusta. [Detalhe: medo e (in)segurança caminham juntos…]. Vi o currículo do deputado indicado. Não tem um pingo de conhecimento na área. Mas conhece bem carvão e mineração e outros “ãos”… Será que é o primeiro sinal do fatiamento entre partidos e financiadores de campanha? 
Uma “bola de cristal” me informou que o indicado é bem visto por setores conservadores da Polícia Civil mineira. Talvez, por este motivo, o anúncio tenha sido feito numa reunião de delegados (Observação: temos delegados sérios e comprometidos com mudanças profundas na segurança. São minoria. Uma pesquisa nacional que fiz aponta que os delegados brasileiros figuram entre os grupos policiais mais conservadores e pro ‘status quo” do modelo atual de segurança pública…)
Tomara que nos cargos de segundo escalão da SEDS apareçam os perfis técnicos (Outra observação: técnico aqui, não no sentido do burocrata tradicional, mas no sentido de especialista na área, capaz de entender politicamente os problemas e propor soluções viáveis). E que esses cargos sejam preenchidos por profissionais que conheçam as mazelas do atual modelo que temos… Porque o desarranjo da segurança pública em Minas não permite amadores…
A não ser que Pimentel queira “lavar as mãos”, como fez quando prefeito de BH – deixando o controle da segurança nas mãos de um grupo de policiais reformados…
PARLAMENTO JOVEM 2015 DISCUTIRÁ SEGURANÇA PÚBLICA
Uma boa notícia sobre segurança pública em Minas (só para variar!). O tema do Parlamento Jovem Minas Gerais (programa de educação para a cidadania que envolve a Assembleia Legislativa de Minas, a PUC Minas e cerca de 40 municípios mineiros – através de Câmaras de Vereadores) do próximo ano será “Segurança Pública e Direitos Humanos”. 
Teremos boas oportunidades de dialogar com os jovens sobre SEGURANÇA PÚBLICA COMO DIREITO e não como limitação de direitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *