Skip to main content
 -
Rosa Maria Miguel Fontes Jornalista e escritora. Contato rosamaria.fontes@hotmail.com

Cidade repete seu Festival Literário

Pela terceira vez, Belo Horizonte promove o Festival Literário Internacional (FLI-BH), de 25 a 29 de setembro, no Centro de Referência da Juventude e no Parque Municipal. Toda a programação é gratuita e aberta às escolas e público em geral, além dos autores, editoras e demais profissionais do livro.

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e da Fundação Municipal de Cultura, apresenta a terceira edição do Festival Literário Internacional de Belo Horizonte (FLI-BH). O evento acontece entre os dias 25 e 29 de setembro e as inscrições para a seleção dos participantes das oficinas e lançamento de livros que integram a programação do Festival já estão abertas.

As oficinas acontecem no Centro de Referência da Juventude (CRJ) e no Parque Municipal Américo Renné Giannetti, enquanto os lançamentos de livros acontecem apenas no Parque. As inscrições começam no dia 11 de setembro e vão até às 23h59 de amanhã, 19 de setembro.  

A escolha do tema “Do Livro à Voz: Narrativas Vivas” revela  o compromisso que o festival assume em tornar visível o espaço da oralidade, reconhecendo nela a origem da própria literatura.

O festival literário é uma importante rede de compartilhamento de ideias e crescimento intelectual, que a cada dois anos enche nossa cidade de cultural e literatura. Um evento gratuito feito para todos. Se você é apaixonado por literatura, não deixe de participar.

A importância do festival

O Festival Literário Internacional de Belo Horizonte (FLI-BH) nasceu, em 2015, da convergência de políticas públicas de acesso ao livro, à leitura e à literatura que a Prefeitura desenvolve através da Fundação Municipal de Cultura. Realizado a cada dois anos, além de ser a culminância das ações destinadas ao acesso ao livro e a promoção da leitura na capital mineira, o festival é inteiramente dedicado à literatura oferecendo oficinas de leitura, escrita literária e ilustração, mostra de cinema, narrações de histórias, rodas de leitura, palestras, feira de livros e diversas atividades voltadas ao universo literário.

Seu propósito é trazer à cena a diversidade que a literatura expressa. Às vozes do texto literário, somam-se as vozes das ruas, dos saraus, da academia e a voz do público leitor.  Durante quatro dias, essas vozes ecoam em oficinas, saraus, recitais, leituras, debates e lançamento de livros. A ideia é romper com as divisões entre centro e periferia, entre guetos, grupos e classes sociais, entre o tradicional e o novo, e nos apossarmos da força que vem de diferentes territórios, com a variedade de culturas, de gêneros e de opções de expressão.

Das atividades humanas, a arte é a que mais nos lembra que precisamos de emoção para prosseguir. A literatura ocupa aqui um lugar especial por ser capaz de acolher toda a diversidade, emprestar voz aos que não podem falar, falar de igual para igual com aqueles que querem silenciar o outro. Ela possibilita a troca de experiências, o diálogo entre os saberes, a reflexão sobre as conquistas e perdas individuais e coletivas.

As oficinas

Escritas Urbanas – Renato Negrão (Belo Horizonte): O objetivo da atividade é a produção do texto poético, oferecendo aos participantes um ambiente de compartilhamento de experiências, preservando os caminhos e as propostas individuais. Inscrição: https://bit.ly/2m7qIeN

Colagem Criativa: recorte e composição – Roberto Marques (Belo Horizonte): O objetivo geral da oficina é despertar, estimular a criatividade como um todo e apresentá-la como uma técnica que surpreende e inova, permitindo ótimos resultados criativos. Inscrição: https://bit.ly/2lNWIEt

Carolina: a artista para além do diário – Dalva Maria (MG): A atividade busca promover um olhar sobre a autora Carolina de Jesus, para além da favelada que escreveu um livro e mostrar a artista que ela era: compositora, dramaturga, contista, romancista, cronista, musicista. Inscrição: https://bit.ly/2m999v0

Tranças do Verbo: palavra e imaginário afro-brasileiro – Allan da Rosa (SP): A oficina vai abordar a letra negra e a literatura que marca presença na história brasileira e que efervesce na periferia de São Paulo hoje, fornecendo inclusive subsídios e práticas que contemplam os debates sobre a lei 10.639/03. Inscrição: https://bit.ly/2k9Zjbw

Narrativas Insubmissas: memórias, escrevivência e mandinga – Júlia Elisa (Belo Horizonte): A atividade propõe uma experimentação e reflexão sobre e pela construção de narrativas interdisciplinares, possibilitando exercitar a poesia como dispositivo por uma auto-revolução e reencontro de si, a partir de subjetivações insubmissas. Inscrição: https://bit.ly/2ka03NQ

Leitura de Imagens: oficina de estudo e análises da imagem dentro do livro ilustrado – Anabella López (Buenos Aires): A oficina analisará a relação entre as linguagens escrita e visual nos livros ilustrados e seus usos como instrumento na leitura de imagens, buscando compreender como a ilustração constrói uma narrativa e como ela reflete na lógica interna e interpretação de cada livro. Inscrição: https://bit.ly/2k9YOON

Oficina Poética do Sarau Libertário – Bruna Kalil Othero (Belo Horizonte): A atividade reúne exercícios e provocações literárias com o intuito de incentivar a escrita de poesia por pessoas interessadas no assunto. Inscrição: https://bit.ly/2maYsIn

Escrita Criativa e a LiteraRua – Vito Julião (SP): A oficina consiste na sensibilização ao fazer poético da escrita cri(ativa), por meio de uma imersão na maneira como cada participante se relaciona com a poesia e sua escrita. Inscrição: https://bit.ly/2kDwOTU

Oficina Feminina de Rap: literatura, poesia e rima – Lana Black e Negah Thé (Belo Horizonte): O objetivo da atividade é a formação de mulheres na cultura Hip Hop, incentivando o público feminino que está inserido na cultura e também pessoas que possuem interesse em conhecer pouco mais sobre esse universo. Inscrição: https://bit.ly/2kEOjmC

Leitura de Cartas Dramáticas – Lygia Peçanha (Belo Horizonte): A oficina+performance propõe uma experiência de compartilhamento de histórias de amor e busca exercitar o ato de transportar algo privado e individual para o coletivo e público. Inscrição: https://bit.ly/2maZGU5

Fonte: www.contaumahistoria.com.br

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *