Skip to main content
 -
Rosa Maria Miguel Fontes Jornalista e escritora. Contato rosamaria.fontes@hotmail.com

“Amigas que se encontraram na história”

Livro ilustrado infantojuvenil, lançamento da mineira Quintal Edições, fala da amizade de 20 grandes ou famosas mulheres que mudaram o mundo

Sabia que a cantora de jazz, Ella Fitzgerald, era muito amiga da atriz Marilyn Monroe?

 

A editora mineira Quintal Edições faz sua estreia no segmento infantojuvenil com o livro ilustrado “Amigas que se encontraram na história”, de Angélica Kalil e Mariamma Fonseca. A publicação fala da amizade de grandes mulheres que revolucionaram a forma de viver das mulheres e ajudaram a revolucionar o mundo:

Rainha Elisabeth I, da Inglaterra, e a pirata Grace O’Malley, da Irlanda;

Bartolina Sisa e Gregória Apaza, bolivianas, indígenas aimaras, da etnia da Cordilheira dos Andes;

Qiu Jin e Xu Zihua, chinesas, jornalistas e feministas;

Annie Jump Cannon, americana, e Cecília Payne-Gaposchkim, inglesa, ambas astrônomas;

Frida Kahlo, mexicana, artista plástica e Chavela Vargas, costa-riquenha, cantora;

Nise da Silveira, médica psiquiatra e Ivone Lara, compositora, cantora e enfermeira, ambas brasileiras;

Ella Fitzgerald, cantora de jazz e Marilyn Monroe, atriz, ambas americanas;

Mae Jemison, primeira astronauta negra e Nichelle Nichols, atriz da série de ficção científica Star Trek, ambas americanas;

Emma Watson, francesa, atriz e Malala Yousafzai, paquistanesa, defensora dos direitos de meninas também frequentarem escolas, Nobel da Paz;

Amma ou Mariamma Fonseca e Angélica Kalil, ambas brasileiras, jornalistas e autoras de “Amigas que se encontraram na história”.

Essas são as duplas de amigas analisadas no livro. A força e importância da amizade entre mulheres que se destacaram na humanidade em diferentes tempos. A proposta é inspirar leitoras e leitores de todas as idades e mostrar o poder de transformação da amizade entre mulheres.

“Amigas que se encontraram na história” dá visibilidade a essas histórias e mostra como as mulheres retratadas no livro conseguiram romper com o que a sociedade esperava delas. E destaca que, embora culturalmente tenhamos aprendido que a amizade entre mulheres é fútil, mal vista e que as mulheres se rivalizam, a verdade é que o resultado da união feminina é de uma potência enorme e foi capaz de coisas incríveis.

Na contracapa o livro já diz:

“Amigas de infância. Amigas do trabalho. Amigas que se conheceram mais velhas. Amigas da escola. Amigas que foram cunhadas. Amigas de uma vida inteira. Amigas à primeira vista. Amigas que não se perderam de vista. Amigas improváveis. Amigas de revolução. Amigas de coração. Amigas que se encontraram na história.”

Duas jovens amigas dispostas a lutar: Emma Watson, francesa, atriz e Malala Yousafzai, paquistanesa, Nobel da Paz

Emma e Malala

O livro traz dados biográficos que a história, jornalistas, roteiristas etc, muitas vezes, deixaram passar despercebidos. Mas a sensibilidade das autoras, felizmente, trouxe ao conhecimento do leitor. Muito interessante também é a sinalização do tempo com as datas muito bem marcadas no texto e que o projeto gráfico, de autoria da Café com Chocolate Design, destaca com muita habilidade e beleza.

Acredito que essas Amigas vão tocar muito no coração de jovens leitoras. Estas já encontraram o mundo bem mudado, mas são capazes de reconhecer o valor da vida de cada uma dessas mulheres citadas no livro e como a amizade entre as duplas foi determinante no legado delas para o mundo.

Vou citar, aqui, pequenos trechos que tratam da amizade entre Emma Watson e Malala Yousafzai, por que elas são contemporâneas e, acredito, que suas trajetórias vêm sendo acompanhadas de perto pela maioria das leitoras jovens.

Emma: “As crianças e adolescentes de hoje sabem muito bem quem ela é! Aos nove anos foi escolhida para interpretar um papel especial no cinema. Foram vários filmes e o público viu a pequena atriz _ a Hermione da saga Harry Potter_ crescer junto com a personagem.”

Malala: “Pessoa mais jovem na história a ganhar um Nobel da Paz, tinha 17 anos. Desde muito pequena defende o direito de as meninas frequentarem a escola, que em muitos lugares do mundo ainda não é permitido”.

As duas notáveis marcaram os tempos atuais com duas frases:

Se não eu, quem? Se não agora, quando?” (Trecho do discurso de Emma Watson, na Organização das Nações Unidas, em 2014)

Uma criança, um professor, um livro e uma caneta podem mudar o mundo”. (Trecho do discurso de Malala Yousafzai, na Organização das Nações Unidas, 2013)

Processo criativo

As autoras e amigas Amma (à esq.) e Angélica Kalil – Foto: Divulgação

Angélica Kalil e Mariamma Fonseca, amigas que também fazem parte da história, marcadas no último capítulo do livro, falam sobre essa pesquisa e produção literária.

“Durante quase dois anos nos debruçamos sobre livros, filmes, séries, fotografias, pinturas, músicas, reportagens. Era como se tivéssemos uma lanterna jogando luz em pequenos trechos de uma floresta escura. Ao encontrar um pedaço de história, íamos juntando com outros até formar a narrativa do livro.

A pesquisa para a escrita se misturou com a das imagens e técnicas de ilustração. E depois de vários testes, um traço manual, feito com guache e lápis de cor, foi o que melhor se encaixou nas nossas personagens. Cada capítulo tem uma paleta de cores própria, pensada para ambientar o tempo e o espaço de cada dupla. Os desenhos de apoio acabaram ganhando mais importância do que previmos ao ambientarem o mundo exterior e interior das amigas.

Para ilustrar as mulheres que viveram há mais tempo, usamos como referência pinturas e filmes de época. Nas mais recentes, as fotos foram grandes guias, mesmo que o desafio fosse dar uma nova interpretação a ícones do século XX. E como acontece quando trabalhamos juntas, o limite entre texto e ilustração é difícil de definir, pois o a criação acontece realmente na parceria. Uma autoria que se dá entre duas mulheres amigas que enxergam o mundo de forma parecida.

Delícia viver este processo. Da nossa amizade, tiramos potência para iluminar a amizade de outras mulheres. Foi uma honra.

As autoras

Mariamma Fonseca (Amma) nasceu em Eunápolis, Bahia, e vive em Belo Horizonte. É formada em Jornalismo, Artes Visuais e atualmente estuda Design Gráfico. Idealizou o site Lady’s Comics (2010) sobre Mulheres e Quadrinhos e coordena uma gibiteca (desde 2009) em sua cidade natal. É mãe da Iara, trabalha como ilustradora freelancer e nas horas vagas se dedica a estudar o livro para infância. É Amma que fez as ilustrações para esse livro

Angélica Kalil é roteirista e editora, trabalhou em produções da TV Cultura, Canal Futura, Sesc e Univesptv. Jornalista com pós-graduação em roteiro para cinema e televisão pela Universidade Autônoma de Barcelona. É mãe da Tarsila e diretora do canal no Youtube “Você é feminista e não sabe”, onde faz entrevistas sobre o tema a partir de diferentes recortes.

“Amigas que se encontraram na história” é o mais novo trabalho de autoria das amigas Mariamma e Angélica. O primeiro foi livro “Você é feminista e não sabe”, com entrevistas ilustradas, lançado de forma independente por meio de financiamento coletivo em 2017.

O livro ilustrado “Amigas que se encontraram na história” é todo colorido, com formato 17 x 21,5cm, capa em brochura, interior em offset 90gr e 180 páginas. A publicação pode ser adquirida por R$60,00 na loja on-line da Quintal Edições pelo link http://loja.quintaledicoes.com.br/.

A editora

A mineira Quintal Edições nasceu com um objetivo: criar espaço para que as mulheres possam encontrar seu lugar como autoras. E não é sem motivo que nos dedicamos a esta proposta. Ainda que, nos últimos anos, as mulheres venham recebendo – de maneira ainda lenta, mas crescente – maior atenção dentro do mercado literário, o espaço da mulher escritora ainda é restrito, enquanto os homens continuam sendo maioria incontestável.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *