mood-1335737_1280

Oração de ano novo

Publicado em blogueiros

Nesta passagem de ano não darei sete pulinhos sobre as ondas para que meus desejos sejam realizados em 2017, não escreverei uma lista de intenções nem jogarei flores a Yemanjá em nome da esperança. Ao contrário, nesta noite de ano novo eu me quero desesperado: não sobrecarregar mais amanhã com os afazeres de agora, não esperar mais. Desesperar.

Quero um trato novo com o tempo, em que eu me responsabilize em ouvir todas as palavras que me dizem agora, sem perder uma sílaba, em observar tudo o que acontece neste momento, sem distração, em perceber tudo o que me chega através da pele da intuição, sem medo. E, assim, estando eu plenamente presente, possa ele, o tempo, cumprir sua parte que é abrir a única janela possível para os jardins do paraíso: agora.

Na estreia do ano novo, desejo alucinar relógios e contemplar estrelas, destruir o monopólio dos poetas e trazer a poesia para o lugar dela que é a rua em qualquer esquina, encantar passarinhos e ressuscitar latas velhas abandonadas no quintal, assim como fazia Manoel, tão saudosamente, de Barros. Quero jogar no lixo as preocupações – aqueles cordões que o medo usa para manipular pessoas. Confiar.

Substituir, no meu altar doméstico, o deus que faz por mim pelo Deus que faz comigo. Entender que todo momento é santo e cada ação sagrada, que todo trabalho é purificador desde que a atenção esteja nele mergulhada e o talento seja a razão de ser tanto da mão que esculpe quanto da escultura. O dinheiro, materialização natural da energia empregada, que seja libertado da tentação das gavetas e do medo que as criou. Fluxo.

animal-2683_1280            Quero a coragem de soltar as rédeas e admitir que a vida nunca estará sob meu controle. Em plena cavalgada, dar a face ao vento. Em lugar da crença insana no desamparo, quero a alegria desembestada de me deixar levar, sabendo-O em nós e não acima. Testemunhar os milagres acontecendo por todo lugar, em vez de acreditar neles. Sabendo-me, gargalhar de todas as crenças de que a vida é sobrevivência e resistência. Ao clarão dos foguetes, que o riso seja solto e do prazer eu saiba até pela respiração. Ser.

Quando, vestido de branco, abraçar minha mulher, quero minha mente sã e em decorrência a dela e a nossa, quero a mente dela livre e em consequência a minha e a nossa. E, assim, desabitados das ilusões e do medo, a gente possa, juntos, desadoecer a humanidade e reconhecer as cores do mundo, os olhos de toda gente para sempre libertos dos cinzas e tons pastéis. E se, ao romper o primeiro dia, o despertar surpreender ainda uma melancolia em mim, que eu não perca a oportunidade da comparação entre ela e a alegria de ontem, entre a paz e o medo, para que a escolha seja feita com total clareza. Amém!

3 comentários para “Oração de ano novo

  1. O querer de um poeta é diferenciado. Pura sensibilidade. Ele decreta a caducidade das mensagens de ano novo, tal como as conhecemos. E, em seu novo querer, ele indica o caminho a ser percorrido em busca de mudanças reais. Esse caminho está dentro de cada um de nós. Falou e disse. E mais não precisa ser dito, apenas sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *