Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Visionário, Revolucionário ou um Louco Irresponsável?

Max Pereira
@pretono46871088
@MaxGuaramax2012

Tentar acertar as escalações e as substituições de Sampaoli já virou moda nas redes sociais atleticanas. Imagino que nas rodas de apostas deva acontecer o mesmo.

O surto de COVID, que se abateu sobre atletas e funcionários do clube, testou os limites da inventiva e, principalmente, da ousadia e dos recursos táticos do emblemático e genioso treinador argentino. E, para deixar a tarefa de Sampaoli mais complexa e desafiadora, as contusões, as suspensões e os desequilíbrios físicos e de ritmo de jogo de alguns jogadores como Nathan, se somaram aos problemas causados pelas sucessivas infecções provocadas pelo Novo Coronavírus.

Tradição se constrói, história se escreve, DNA de campeão se transmite. Assim como quem semeia ventos colhe tempestades, quem inova e ousa descobre novas possibilidades, experimenta novos caminhos e conquista novos mundos.

Muito se fala da ideia de jogo de Sampaoli. Mais do que um desenho tático que enlouquece os adversários, a ideia de jogo do argentino faz os seus jogadores desafiarem os seus limites, de modo que eles, em graus e velocidades diferentes, vão se redescobrindo e ampliando suas capacidades táticas e cognitivas de movimentação.

Ainda que seja claro que atuar em sua zona de conforto seja um handicap precioso, como Hyoran deixou claro diante do Botafogo quando se constituiu, do ponto de vista tático, na expressão máxima do time atleticano, o Atlético, mesmo estando ainda longe do ideal, já permite ver uma evolução individual e coletiva mais do que interessante.

Handicap: uma pseudo vantagem que um concorrente tem em relação ao seu atual oponente, considerando seus resultados anteriores.

Quem pede recebe e quem desloca tem a preferência. Essa máxima do futebol, esporte coletivo por excelência, adquire com Sampaoli uma visão futurista onde cada um joga em prol do todo, onde o exercício de múltiplas funções é sinônimo de comprometimento.

Assim, pouca importa se o time entra em campo sem laterais e volantes de ofício, pois haverá sempre alguém absolutamente despojado de vaidade e inteiramente disponível para o exercício de funções táticas e afins que suprirão essas ausências.

Sempre defendi a tese de que o que acontece dentro de campo é consequência direta e óbvia do que acontece fora das quatro linhas. Mas como o sucesso depende de múltiplos fatores, entre os quais interação, harmonia e sintonia entre os atores envolvidos, o processo de construção do time dos sonhos, vencedor e campeão, é uma via de mão dupla.

Ah! Mas por que tem que ser sempre tão sofrido assim? Simplesmente porque o fazemos, dirigentes, atletas, funcionários e torcedores, ser assim. É preciso romper com a síndrome do sofrimento e da desnecessidade de títulos.

Se aquele emblemático “Eu Acredito” for transformado em uma força revolucionária que venha de dentro, do mais profundo do ser de cada atleticano, as coisas sairão muito mais fáceis.

Assim como no time de Sampaoli é cada atleta no seu pedaço, cada um em sua função, jogando e buscando interagir harmonicamente, no clube a sintonia entre dirigentes, funcionários e atletas é vital ao sucesso. 

E, para a receita a lá Sampaoli ficar pronta, o time enlouquecendo os adversários e a massa, mais revolucionária e transformadora do que nunca, vigiando e vibrando junto.

34 thoughts to “Visionário, Revolucionário ou um Louco Irresponsável?”

  1. Olhem nossa base dando resultado! Confiança ganhou das smurfetes com gol olímpico do Castilho, revelado pela nossa base e ainda jogador do Galo! SAN

  2. Que felicidade ler os comentário hoje e náo ver nenhum argumento … pro ano que vem , o time não está pronto… tenhamos calma , atleticanos estão afoitos…. apressado come cru… zaracho precisa de tempo (o vargas precisou?)… o que são cinquenta anos…(também conhecido como meio seculo)… nada de afobação… o projeto é para o ano … uma vaga na libertadores tá de bom tamanho…bla …bla…bla… A hora é agora, meu galo querido

  3. Assisti ontem, a live de Andre Repsold, adoro ele, Beto Guerra , Breno Galante. Fora este espaço aqui , estas lives do galo complementam meu dia , atleticano juramentao , forjado no sofrimento , calejado nas escaramuças contra as forças malignas do eixo. Fred Melo Paiva, genial como sempre, disse certa vez que na década de oitenta foi violentado , os dois lixos, cbfla e globolixo se uniram contra o galo e mostrou a ele, a perversidade da roubalheira, da maracutaia sem fim, também me senti assim e desde então meu ódio so fez aumentar, Quando Repsol chama raí e a turma que queria um casuismo de anular um jogo , contrariando um lance corretamente marcado, com a clara intenção de roubar, tirar vantagem na desonestidade , quando os chama de calhordas e desonestos , a minha admiração por ele, somente cresce. Um formador de opinião se rebelando contra as safadezas de pessoas sem carater e moral. Com um discursinho politicamente correto e na prática , a velha . suja e manjada corrupção brasileira. Parabéns, André , torçamps para que este lixo se vá e venha uma nova geração dotada de honestidade e faiplay. Falando de sampaoli. ano passado era um matirio assistir jogo do galo, com ele, contamos os dia pra ver o galo em campo, amassando, arregaçando quem estiver na frente

  4. A coisa mais interessante que a gente lê
    aqui e ali é a disposição das pessoas em
    defender suas idéias .

    Alguns, simplesmente, dizem o que lhes
    dita seus sentimentos e suas certezas .

    Outros só se sentem plenos quando, na
    defesa de suas opiniões , encontram um
    lugarzinho para criticarem outrem .

    Ooops, acabei de entrar para o clube do
    divâ …..

  5. boa tarde Eduardo e massa e max pereira. para mim o El loco colocou o galo no patamar de 2013.2014 mais ainda ganhou só o mineiro se ganharmos o brasileirão ai sim fica no patamar do tele Santana. cuca e Levir de 2014.espero que isto acontece para acordar está Lisboa fria. rsrs.se o El loco se não inventar vamos calar a imprensa do rio e são paulo. globolixo e cbflixo. vou sempre criticar o El loco e elogiar quando precisar e estou confiante que vamos gritar é bicampeão brasileiro. a galo nos deixa sonhar. bom final de semana aos amigalos. vai galoooooooo.

  6. Boa tarde, Max Pereira. Sem discordar do título do seu artigo, digo que o doidão pode ser qualquer coisa menos doido, bobo ou burro. E também não é revolucionário. Não se discute o fato dele trazer mais graça e alegria ao futebol do Galo. Porém, quem conhece o time alvinegro e sua história sabe que ele sempre foi aguerrido e lutador. Não é à toa que o Mangabeira escolheu o galo como símbolo desse time. Uma pesquisa simples mostrará que o Galo sempre esteve entre as melhores artilharias dos campeonatos e torneios que disputou e também com as piores defesas. Não há novidade nisso hoje. O Galo poderá ser o campeão deste brasileirão simplesmente estando atento à sua história e aperfeiçoando um pouquinho só o seu modo de defender-se, sem relaxar na agressividade que tanto nos encanta.

    Defesas ganham campeonatos. Não há dúvida quanto a isso. Mas, não ganham sem um ataque que funcione. Portanto, bola na rede lá na frente e bola pro mato lá atrás porque isso é campeonato.

  7. Fala, Sampaoli. Bom dia, cara!
    Concordo com o Max quanto ao treinador. Responsável pela mudança de postura do time. Só quem tá com saudade do Levir ou do Abelão e de ‘jogar por uma bola’ que está querendo balançar o barquinho.
    E por falar nisso, ontem escutando o canal do Beto Guerra, fiquei sabendo que, se aproveitando do episódio da ‘festinha’ do amigo do Sampaoli, alguns sujeitos anônimos, quiseram balançar o barquinho espalhando faixas anônimas contra o treinador pela cidade.
    E toda essa pressão surtiu resultado. O barquinho se mexeu. Acelerou e foi pra frente. A diretoria e mecenas começaram a discutir a renovação do seu contrato…
    E concordo com o Beto Guerra no caso das faixas anônimas. Essa frouxa e pálida tentativa de pressão contra o Sampaoli é coisa de cruzeirenses e/ou flamenguistas. Só pode ser. A maioria esmagadora da Massa está apoiando o treinador e acreditando no time. Que se afogou com o Dudamel e parece ressuscitar agora ‘sob nova direção’.
    Pois é, quem desde a saída do Cuca (que também foi muito criticado antes da Libertadores) deixou a corneta ligada no modo automático vai ter dificuldades de entender agora que o Galo está mudando para melhor.

  8. Vai ser este ano, tem que ser este ano.
    Esse BR é nosso.
    Assim que devem pensar Diretoria, elenco e torcida. Mentalidade vencedora.
    Bora fechar com time, apoio, apoio e apoio. É uma chance real de título.
    Alo Galo, estamos com vc. Nós acreditamos. Joguem por nós.

  9. Bom dia amigos do Galo. Sampaoli, cada um tem sua opinião, alguns o criticam insistentemente pelo salário que ganha, pelo seu jeito de ser, pelas contratações, pelas substituições e até pelo COVID, imaginem então, se o NOSSO GALO não estivesse na ponta da tabela?
    Minha opinião? Renovem com ele antecipadamente e ponto final.

  10. Sampaoli pode entrar na galeria dos maiores treinadores da nossa história caso conquiste o que esperamos dele: o Brasileirão e a Libertadores (ou 2 Brasileiros seguidos). E de quebra dar uma bela enrabada na nossa freguesia local.

    É o que esperamos, pois o argentino é um cara absolutamente competente, muito corajoso e apaixonado pelo que faz. Sua metodologia assusta quem não está preparado para recebê-la. Ele é uma mistura de louco e gênio, quase um sujeito bipolar, que vai do céu ao inferno em segundos.

    Tenho a impressão que irá se tornar ídolo eterno da massa, pois adoramos a tal bipolaridade.
    Mas tem que ser campeão! Foi pra isso que foi contratado.

  11. Estou vendo uma revolução positiva no Galo em todas as esferas, só não vê quem não quer. Mudamos de patamar e acredito que é só o começo de um novo Clube Atlético Mineiro.
    Ps. 7C me surpreendeu ao não concorrer a reeleição, pensou somente no clube.

  12. A mariada tá tão Loka de inveja que está até colocando faixa em nome da torcida do Galo pedindo “fora Sampaoli”. É cada uma dessas “animalas”!

  13. Perdoem-me, mas sou obrigada a concordar com o Vuvynho (Viana para os não “íntimos”) essa Renova está mais para Revelha. Toda sexta tenho a impressão de ler o mesmo texto das semanas anteriores. Deve ser a idade, a minha é claro.
    Assim, hoje aproveito para falar com velhos amigos, ou amigos velhos, uma vez que a beleza da 3 idade tem sido tema recorrente neste espaço. Né, Gagaroto De Ávila?
    Viana, meu bebê com pensamentos da teoria da complexidade a lá Edgar Morim, se cuida e tome seu remedinho direito. Lully te ama.
    Jorge19, gosto muito de seus comentários, o de ontem foi “na mosca”.
    Teobaldo, tô contigo. Fora Everson chama gol, filhote do Bin Laden. Fora 7, fora Bueno, fora Pedro MARIA Magalhães, fora Menins. Ops, Menins ficam.
    Paulo Silva, querido, é muito bom acordar e te ler. Saudades dos textos seus e do José Roberto, esses sim criativos e nada enfadonhos.
    Galo Roberto, o amor platônico nada mais é que uma relação de amizade pura. E a nossa é muito afetuosa e verdadeira. Smacks
    Barata, caríssimo, lembra da máxima sobre as pessoas terem o direito de pensar errado? Pois é.
    Seu Ângelo, Baluarte Alvinegro, adoro vê-lo por aqui.
    A todos – e aos demais – o meu respeito e meu abraço.

    Obs.: Cadê você José Antônio?!

    1. Prezada Lucy, boa tarde.

      Muitíssimo obrigado pela crítica. O Renova Galo, do qual sou um dos fundadores, se contorce, de fato, no desafio de renovar-se e de não cair na armadilha do discurso recorrente, velho e rançoso.

      Como articulista tenho, também, essa preocupação. Por isso, contando mais uma vez com a generosidade do ilustre blogueiro, convido vc a visitar, conhecer e a criticar a minha coluna “ PRETO NO BRANCO” lá na plataforma do FALA GALO.

      Você não imagina o quão angustiante é, às vezes, eleger um tema para um determinado artigo. A história do Atlético é repleta de fatos, incidentes e crises recorrentes que clamam por análises e discussões que parecem repetitivas.

      Mas, dada a importância do fato às vezes torna-se necessário voltar ao tema mais de uma vez, buscando claro discorrer sobre sua evolução é possível desenlace.

      Assim, crítica como a sua é sempre bem vinda, pois nós deixa aberta e nos desafia a trazer sempre algo novo, algo inquietador para o leitor. As pauladas são, às vezes, mais construtivas e impulsionadoras, que os afagos, embora estes últimos nos aqueçam o coração.

      Ajude também ao Renova Galo a não envelhecer e a contribuir cada vez mais proativamente com o nosso Galo.

      Um grande abraço e saudações atleticanas.

      Max Pereira

    2. Caríssima Lucy!
      Você sabe, sou seu fã! Não nos abandone! De vez em quando, dai-nos o prazer dos seus scripts. Você é insuperável na arte de colocar as coisas no seu devido lugar. Saudoso abraço.

    3. Querida Lucy 10. Que bom tê-la conosco novamente. Sua lucidez encanta e mostra uma capacidade única de entender os demais AmiGalos. Pena que nem todos estão à altura de tuas letras. Some não. Bjos.

    4. Lucy,
      O blog fica mais lindo quando iluminado com sua presença. É sempre um prazer ler seus comentários.

  14. Caros
    Espero que o Zaracho evolua como o Alan Franco evoluiu. Os primeiros jogos do Alan Franco foram ruíns, mas hoje é titular!
    Futebol proposto pelo Sampaoli é bonito, mas o Mano Menezes tem um monte de títulos na carreira… então, saber retrancar é essencial para ser campeão!

  15. Boa tarde, Massa, Max e Guru!

    O estilo Sampaoli ainda será tema de muita discussão tanto entre nós atleticanos quando de parte da imprensa, principalmente do eixo, que está tentando a todo custo desmerecer o trabalho que está sendo feito. E com certeza será alvo de muitas críticas, já que a essência da equipe dele é a busca incessante pela vitória, coisa que o futebol brasileiro abandonou há tempos.
    Quando o time ganha ele é o melhor e diferenciado quando o resultado é adverso ele é teimoso e suicida. Já vi gente querendo que o time seja mais “pragmático” nos jogos, mas o que esta gente tem de entender é que a era dos enganadores tipo Elias bunda de bigorna acabou e não vai ter mais lugar para enganação na equipe, ou o famoso “finge que joga”.
    Jogador que não for aplicado taticamente, não for polivalente (há quanto tempo não via esta palavra) e não tiver comprometimento, estará fora e por isto Cazares e Otero já foram embora.
    E mais uma coisa boa está acontecendo, depois de muita espera e desilusão, parece que finalmente o resultado com as categorias de base estão acontecendo. Tudo bem que foi uma necessidade de momento, mas são quatro jogadores que atuaram no time principal.
    A árvore finalmente deu fruto.

  16. Cada dia que passa , cada mensagem que leio , cada comentário que ouço me trazem a certeza que o futebol deixou o campo de jogo e foi pairar em mentes brilhantes , alucinadas por narrativas , sonhadoras , criativas, a refletirem um mundo surreal onde as palavras tomam o lugar da … bola!

    Hoje , essas mentes ousadas e futuristas nos fazem crer que existe um mundo paralelo onde as coisas acontecem do mesmo jeito mas de forma diferente , ao sabor da criatividade linguística de cada um .

    1. Grande Barata, boa tarde.

      Você quando quer abusa da criatividade linguística e também sabe a métrica exata da ironia.

      Espero que a bola, nos pés dos jogadores do Atlético, iluminem o melhor do imaginário atleticano.

      Um grande abraço e saudações alvinegras,

  17. Tenho duas grandes críticas a Sampaoli:

    1-Falta de humildade: Em alguns jogos, se o galo se postasse mais para contra atacar, teria saído com resultado. Mas a insistencia em, mesmo já ganhando o jogo fora de casa, jogar todo em cima do adversário nos custou pontos preciosos.

    2-Desperdicio de investimento: Algumas contratações foram carissimas e, se não desnecessárias como everson, inexplicáveis como os 33 mi do Zaracho.

    Entretanto, acho que o item 2 já não tem jeito de corrigir, mas o item 1 tem. E o jogo contra o flamengo foi um exemplo de como o galo pode variar sua forma de jogar para massacrar adversarios. Se o Sampaoli ficar mais humilde, ganhamos o campeonato. Se não ficar, podemos ser romanticamente derrotados….
    Prefiro ser campeao.

    1. Convenhamos, Gustavo, humildade não é, exatamente, uma característica apropriada dos argentinos. Em relação ao Éverson a contratação dele só foi feita porque temos uma diretoria fraca que rendeu-se aos caprichos do Sampaoli. Particularmente, não tenho a menor confiança naquele cara. Já o Zaracho, até pela pouca idade, devemos dar um pouco mais de tempo até aumentarmos o tom das cobranças. O que é difícil de grande parte da torcida aceitar é que gastamos 200 milhas para ter um plantel “mais ou menos”, entretanto, se esquecem que nosso plantel era sofrível.

  18. Bom dia!
    Confesso que não entendo bulhufas de sistemas táticos no futebol. E nos times de várzea que joguei, minha posição sempre era no banco de reservas. Quando entrava era de lateral direito ou ponta direita. Já nas peladas eu era o rei. Quanto ao atual time do Galo, sob a batuta de Sampaoli, por mais que eu fique p da vida com algumas escalações e também com algumas substituições, não posso negar que o time, na forma e vontade de jogar é completamente diferente das últimas décadas. E com certeza, diferente pra melhor. Meu time do coração hoje não é covarde. Encara qualquer um em qualquer lugar. Confio numa melhora ainda e não vejo outro treinador pro Galo, no território nacional.
    E o Rafael, hein…aí vai ser difícil ser “o” goleiro do Galo.
    Maldita Covid!

  19. Bom dia Eduardo, Maz Pereira, atleticanas e atleticanos indefectivelmente apaixonados pelo Galão da Massa.

    Olha só que palavra feia para qualificar e homenagear um líder: “Indefectível”. Parece remeter a “defecção”, outra palavra horrorosa, tão feia quanto o futebol do Hyorrível, queridinho do doidão. Tem que ser doido para gostar de uma merda dessa, apesar do que ele jogou contra o Botafogo. Penso que o contrato dele está vencendo. Como dizia o genial Millor Fernandes: “Pensar é só pensar”. Ou seja, não é nada mais que um sentir e não significa que seja alguma coisa ou verdade.

    Pois bem, o que todos nós queremos é um Galo indefectível, que lute à exaustão para não deixar de lado essa chance quase única de ser campeão neste brasileirão. Não só o Galo mas, todas as equipes têm mostrado instabilidades ocasionais que acabam por equilibrar a disputa, não deixando nenhum time disparar em direção ao título. O Galo só precisa ser regular nesses últimos quinze jogos e certamente será campeão. Tem que ser “perfectível”.

    Como disse nosso AmiGalo Max Pereira: “É preciso romper com a síndrome do sofrimento e a desnecessidade de títulos.”

    E é por isso que o Galo tem que deixar de lado essa sua síndrome de perdedor e parar com essa mania de defecção. Afinal, defecção é palavra que lembra “defecação”, aquela função fisiológica de jogar fora pelo reto tudo o que sobra no intestino. E o Galo é mestre em defecação. Até parece pato.

    Indefectível, defecção e defecação, a meu ver são palavras muito feias, que no entanto, denotam ser muito positivas e essenciais se vistas só pelo seu prisma semântico. Não dá para o Galo ficar misturando-as enquanto disputa um campeonato e deixando de ser indefectível para se tornar defectível e defecador.

    Uma boa sexta-feira com um alegre happy hour para todos os indefectíveis atleticanos do mundo todo.
    O GALO ESTÁ VIVO, ATIVO E INDEFECTÍVEL EM NOSSOS CORAÇÕES. Tomara que ele não defeque em nossa esperança.

    1. Passando aqui apenas para cumprimentar por seus comentários. Sempre acesso este espaço tão democraticamente administrado pelo nosso Guru e a leitura de suas idéias se faz necessária para engrandecer e aprender a discordar de outras opiniões tão sutilmente. Sempre procuro por seus comentários, e sei que é um dos primeiros. Parabéns a você e outros que fazem deste espaço uma fonte inesgotável de informação, história e cultura.

      1. ObriGalo, Luiz Carlos Alves. É gratificante saber de sua apreciação. Traz alegria e estimula a ser cada vez mais “perfectível”. Um abraço atleticano.

    1. MARCOS ,

      se é a respeito do Sampaolli você foi curto e certeiro .
      Bastaram três palavras , uma virgula e um ponto final .

      1. Enganador que colocou o time em primeiro lugar do brasileirão. Talvez vcs estejam com saudades de OO ou Rodrigo Santana.

  20. Bom dia, Atleticanos! Com Sampaoli, temos sempre a certeza de que vamos tentar vencer. O time, com ele, será protagonista sempre. Isso me enche de orgulho! Chega de jogarmos por uma bola, fechadinhos lá atrás. É claro que ele comete erros, ainda bem, mas no geral, é o melhor que passou pelo Galo nos últimos tempos. Ganhando o brasileiro, entre no seleto grupo dos que, além de bons, foram relevantes, com conquistas. Enxergo o time com variações táticas dentro de uma mesma partida (do 3-4-3 com a bola, ao 4-3-3 sem a bola). Ritmo e intensidade. Corremos riscos, mas o caminho do risco é o sucesso. Não hã mais, no Galo, a divisão entre volantes e armadores. Temos meias, como Franco, Zaracho, Nathan, o próprio Hyoran, Borrero, entre outros, que podem e jogam de uma intermediária à outra. Marcam e atacam. Penso que o caminho que estamos trilhando é o correto e espero muito o título brasileiro ao final da temporada. Eu confio no Galo e no trabalho que vem sendo feito. Sigamos, Galo! SAN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.