Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Vestiário azedado, uma história que se repete

Max Pereira
@pretono46871088
@MaxGuaramax2012

Parece óbvio, mas muita gente se esquece dos jogadores, além de patrimônio da instituição, são quem, dentro de campo, vestem o manto sagrado e, por isso, precisam de toda a tranquilidade e de equilíbrio, mental, emocional e psicológico, tanto quanto de um primoroso condicionamento físico e de um bom arcabouço tático, para render o que ele de fato pode produzir e dele se espera.

A torcida atleticana já se habituou a ouvir e a ler nas redes sociais atleticanas e não atleticanas e até mesmo a naturalizar rumores sobre as razões desses momentos, cada vez mais recorrentes, de irregularidade do time, que buscam, quase sempre, debitar as atuações pouco ou nada convincentes tão somente a comportamentos heterodoxos dos atletas ou a possíveis desvios de caráter dos mesmos. Em razão disso as especulações geralmente ganham corpo e se transformam em “verdades” inquestionáveis, tornando o terreno cada vez mais fértil para a proliferação da intolerância, da fúria e do ódio de uma torcida que já é naturalmente passional. E, um alerta: os bons momentos que tanto incomodam os inimigos também são geratriz de um noticiário tendencioso e corrosivo.

A cada atuação do time sob o comando de Cuca fica mais visível a olho nu que vários jogadores, cada qual de maneira distinta e muito particular, se ressentem claramente dos óbvios e transparentes problemas que se instalaram no vestiário atleticano. Ainda que não se saiba nada de forma oficial, é claro como água, que existem problemas graves nos interiores do Atlético.

Problemas de vestiário são comuns e recidivos no futebol. Lembro-me de Luiz Matter, auxiliar de Levir que, no passado, substituiu o titular no banco de reservas em um clássico contra o América, e que deixou claro, em sua coletiva, que, naquele momento, tanto as pressões externas, quanto as internas, estavam afetando o vestiário e o rendimento do grupo. Ao dizer que as pressões vindas de fora do clube eram maiores e mais prejudiciais que as pressões internas, Matter fez, talvez até sem o ter percebido, uma sutil crítica à crônica incapacidade do clube de enfrentar e neutralizar as ações nocivas dos agentes externos. E, ao falar em pressões internas, ele admitiu que existiam, de fato, problemas intramuros e acabou por dar razão àqueles que, naquela oportunidade, já haviam percebido e alertado que as coisas não andavam bem lá na Cidade do Galo.

Aconteceu com Sampaoli e hoje a história claramente se repete, mostrando que o clube continua tão frágil quanto no mister de se blindar e proteger seus ativos. Em suas coletivas Cuca e Cuquinha, ao contrário de Matter, sempre se esquivaram de se aprofundar sobre os atuais problemas de vestiário que, provavelmente, os fizeram perder o grupo e justificam as atuações irregulares do time atleticano. Um amigo atleticano certa vez me enviou uma mensagem dizendo que não há nada que desestabilize mais um homem que os desequilíbrios de seu lado emocional. Nem a falta de dinheiro tira tanto o sossego de um homem, emenda ele. E completa: “compete ao gestor do grupo chamar para si a responsabilidade e resolver a questão em favor do time, preservando o jogador envolvido em qualquer ataque ou noticia tendenciosa.”.

Os sinais de que o vestiário atleticano, ao mesmo tempo em que se contorce em razão de problemas internos mal resolvidos, está também sendo pesadamente afetado pelas pressões vindas de fora do clube e por ações nocivas de agentes externos, emergem claramente do semblante anormalmente carregado de vários jogadores dentro de campo, do futebol amarrado que o time está exibindo, do claro desconforto tático e posicional de outros, da corajosa e kamikaze entrevista de Hulk, publicizando o descontentamento que, claramente não é só dele, e alertando o mundo atleticano para o que está acontecendo.

Porém, nem tudo são espinhos. O jogo contra o América de Cali, ainda que o time não tenha sido brilhante, tenha vencido sem convencer, não tenha se mostrado coeso taticamente, tenha tido altos e baixos coletivos e individuais e, ainda tenha exibido claramente alguns problemas recorrentes e preocupantes, entre eles um péssimo condicionamento físico, mostrou situações, momentos e posturas que dão alento ao torcedor. Menos mal que, durante vários momentos da partida, o senso profissional e o comprometimento com a meta do clube tenham se imposto ao moral baixo. O episódio da expulsão de Nathan é emblemático e diz muita coisa.

O futebol evoluiu em muitos aspectos. Uma coisa, porém, permanece imutável: a alma do boleiro. O jogador de futebol só respeita a dois tipos de pessoas na hierarquia de comando. Quem ele gosta e quem ele percebe que é do ramo, i.e., quem entende profundamente dos meandros do futebol. Talvez a inexistência de alguém na linha de comando do clube que saiba comandar, que mostre que é do ramo e que saiba se fazer gostar e respeitar, seja uma pedra do sapato dos gestores do clube.

Assim, não é a simples e sofrida vitória diante da equipe colombiana e os dois gols de Hulk, vilão para alguns, herói para outros, que terão resolvido de vez os delicados problemas de vestiário que Cuca e o Atlético enfrentam. É preciso habilidade, discernimento, comando e conhecimento do meio.

55 thoughts to “Vestiário azedado, uma história que se repete”

  1. Tenho visto a dívida do CAM passando das nuvens e seu patrimônio a cada dia mais ameaçado. Continuando assim numa década não haverá patrimônio, terá sido devorado pelas dívidas crescentes. Quem gosta do time somos nós os torcedores; os quatro R gostam de outras coisas, sendo uma delas muito fácil deduzir qual seja.

  2. Boa noite Eduardo Ávila, Max e demais Atleticanos e Atleticanas.

    Estava conferindo os últimos comentários da resenha de hoje e vi que eu não podia ficar de fora dessa.

    É muito bacana ler e saber que apesar dos pontos-de-vistas (ou a vista de um ponto!) diferentes uns dos outros, fica nítido o exemplar respeito que todos demonstram em seus comentários.
    Tiro o chapéu!

    Nós amamos e somos loucos pelo Galo, por isso reclamamos, xingamos, cobramos e cornetamos às vezes.
    A gente quer ver o Galo campeão de tudo que disputa e já tem 7 anos que não comemoramos um título importante. Isso não só incomoda e irrita bastante todos os Atleticanos fanáticos — que sonha todos os anos com o Bi BR –, como também deixa-nos impacientes e agitados.

    Queremos ver o time pronto, jogando com Raça, Garra e técnica suficiente em todos os jogos.
    Não é pedir muito!
    Afinal, temos o melhor CT, temos bons jogadores, torcida fanática, Mecenas na retaguarda, estádio a caminho, planejamento, etc.

    Não pedimos muito, nem somos exagerados: “queremos um bom time, com comando e ambiente adequado para que as coisas fluam”!

    Saudações Atleticanas!

  3. Boa noite.
    Como usuário de espaço “formador de opinião” e atleticano, o autor deveria guardar as suposições de crise para outro momento.
    Time mostrou outra disposição no último jogo, notou-se claramente.
    Aos poucos vai surgindo a escalação ideal, pena que o Zaracho se lesionou.
    Nestes tempos em que o torcedor raiz não está podendo ir aos campos, os de rede social deveriam seguir o ditado “muito ajuda quem não atrapalha”.

  4. Boa tarde amigos do Galo. Antes de vir para o NOSSO GALO, o Cuca fez o Santos, que enfrentava problemas políticos, elenco desfeito e salários atrasados, jogar um futebol que encantou a mídia esportiva, e realmente dava gosto ver o time do Santos jogar. Ele, Cuca, promoveu muitos jogadores da base Santista, muitos se revelaram promissores e alguns foram bem negociados, proporcionando uma boa receita para o clube. Resumindo, a situações no Santos era muito ruim antes do Cuca.
    Aqui no NOSSO GALO, ele, Cuca, pegou um time montado, pois o time alternativo comandado pelo Lucas Gonçalves estava voando em campo, diretoria eleita por consenso, elenco de jogadores que todo técnico quer e os salários em dia ( hoje n sei ). Daí pergunto : Qual é o problema Cuca?
    P.S.: Se voces tivessem que escolher entre Ygor Rabello e Iago Madaia, quem voces escolheriam?

  5. O Galo contratou muito jogador Qualhada, pagando ótimos salários, tinha que azedar o vestiário. Em 1976, o Galo contratou um jogador chamado Bozó, mas esse tanto de Qualhada, com salários a peso de ouro, acho que é a primeira vez.

  6. Tá muito claro que o problema do galo é este: não tem um cara que manda , significa se sampaoli com e meia duzia de assessores não teve controle ,mas vamos lá. precisa o presidente ir a campo,,junto com o técnico, mais o diretor o gerente ai é o que menos tem ascendência. Estes caras que são responsáveis tem que dar aula de relacionamento, responsabilidade, comprometimento ,imposição tática e técnica colocar isto na cartilha e quem não corresponder ou distonar vai pra geladeira , chama o investidor ou agente e fala : olha ai keno se tu não chutar cinco bola no gol por jogo ta fora, as bolas chutadas fora não conta, por cima do gol nao conta se não ganhar do lateral na corrida nao vale ista vale para shasha savarino, nacho nathan etc e se tomar cartao vermelho gancho

  7. Hoje a manchete do Globo Esporte foi “Clima leve e alegre no GALO após vitória na Libertadores”

    A Globo é mais atleticana que o blogueiro que só fica querendo plantar crise.

    DEIXE O GALO TER UMA SEMANA DE PAZ!!

    GALO É AMOR, NÃO É SIMPATIA!

    1. Zeca, boa noite.

      Se o ambiente está ficando mais leve, como noticia a Globo, é sinal que estava pesado, não? A entrevista explosiva de Hulk, a troca de farpas entre ele e Cuca, a ida do presidente à Cidade do Galo para apagar o incêndio e a reunião que o treinador fez com todo o elenco e, não apenas com Hulk, é tudo produto da minha imaginação?

      Saudações alvinegras.

  8. Paulo Silva,

    Como você responderia a essa sua insinuação feita em um seu comentário abaixo se estivesse em meu lugar? Por enquanto apenas digo o seguinte:

    Estranha-me a agressividade.

    Você não sabe e não é da conta de ninguém, mas vou te contar o seguinte.

    Tenho duas profissões e já estou aposentado. Escrevo aqui e em outros espaços sobre futebol e sobre o Atlético GRACIOSAMENTE. OU SEJA, NÃO RECEBO NADA.

    Tanto a minha opinião, quanto a minha pauta, nunca estiveram à venda.

    Por favor, devolva-me o respeito com o qual sempre tratei você e todos os leitores.

  9. BOA TARDE .
    ESSE JOGADORES GANHAM MUITO BEM , RECEBEM MILHÕES PARA SERVIREM AO CLUBE E OBEDECEREM DENTRO DE CAMPO O QUE LHES FOI PASSADO PELO TÉCNICO.
    AGORA , ESSES QUE SE AVENTURAM A FORMAR PANELINHAS , CONSPIRAÇÕES PARA DERRUBAR TREINADOR , NÃO PODEM SER CHAMADOS DE JOGADORES , MAS DE MOLEQUES , CAFAGESTES , MERCENÁRIOS , QUE NÃO HONRAM O SEU SALÁRIO NÃO RESPEITAM A TORCIDA NEM A CAMISA DO CLUBE.

  10. SAUDAÇÕES ALVINEGRAS.
    Amanhã tem Galo
    E isso, somente isso já é suficiente para eu ficar feliz.
    Amanhã é dia de fazer um belo tira gosto na casa do meu Amado Pai, tomarmos uma cerveja bem gelada e sentarmos na frente da TV. E meu Pai reclama viu, o jogo todo, me lembra alguns amigalos aqui do blog, rsrssssrrr, mas independente de vitória ou derrota sempre é um momento único.
    O Galo me proporcionou momentos mágicos em minha vida juntamente com meu Pai, seja no Mineirão desde minha infância e até antes da Pandemia, ou seja na frente da TV.
    O simples fato do Galo existir sempre foi nosso motivo de alegria.
    O meu sentimento pelo Galo será sempre de Gratidão.
    TE AMO MEU GALO
    BICA BICUDO
    AMANHÃ É DIA DE GALO, E ISSO POR SI SÓ JÁ NOS DEIXA MAIS FELIZ.

  11. Até na nossa família tem problemas desse tipo, imagina em times de futebol!!!! Isso vai existir sempre!!!
    Então toca a bola e sigamos em frente acreditando!!!

  12. Abaixo às Cornetas!!!!

    Pelo amor ao Galo!!

    A torcida cansou de torcer pra time ruim e carregar o time nas costas!

    Agora q tem time bom, não tem mais torcida????

    PARECE UM BANDO DE CRUZEIRENSE DISFARCADOS!

    KD A TORCIDA DO GALO???

    1. “A torcida cansou de torcer pra time ruim e carregar o time nas costas”!

      Deveria ter parado o comentário em “TORCIDA CANSOU”.

      ps.: com todo o respeito, é claro!

  13. Caros,

    Ai!!! ai ui eia uuu e ai de NOVO e de RENOVO: “Ainda que não se saiba nada de forma oficial, é claro como água, que existem problemas graves nos interiores do Atlético”

    Existem problemas graves nos interiores do Atlético, mas PASSANDO O PANO fica tudo bem ou SÓ EU POSSO FALAR, pq se OUTRO falar tá criando crise…então tá COMÉDIA!!!

    Posso?

    Ficamos aguardando a LOROTA de q os caras tão prestando um favor em jogar no NOSSO CAM! O Clube Atlético Mineiro dá todas as condições prá qq MEQUETREFE deitar e rolar por aqui, tranquilão, e ainda com o apoio da INCONDICIONAL…Pq será q a gente tem dificuldade em admitir q se PE

    Comparar CUCA com qq outro, sob qq aspecto, O melhor e mais EFICIENTE, com O SERVIÇO COMPROVADO (Ah titulo é coisa de cartório, quem ganhou foi o time em campo, foi o VESTIÁRIO, Bah! Muleques!), O CARA q por aqui passou desde 1987, beira a cegueira. Apenas TELÊ pode ser comparado a CUCA (minha maior ligação com TELÊ é 87 e ñ 71)…

    SAMPAOLI hj reconheço fez um trabalho BOM , apenas a FÓRMULA SALTITANTE se esgotou qnd A NOTA da MARSELHESA falou mais alto q a NOTA da nossa CORNETA! Até aí tudo bem. Aqui no CAM tem PRESSÃO sim, é da NOSSA tradição…tenho a impressão q ñ falávamos a mesma língua…

    A 1ª providencia do CUCA foi exercer a TRANSPARÊNCIA, q nego aqui no NOSSO CANTINHO cospe como se fosse bicota de 51, e chamar o SUPERHERÓI na responsa). Isso é vestiário (tem malandro q acha q se ganha jg em vestiário, e eu pergunto, qual bola q se jg em vestiário? CRUZES, sai pra lá ma ma ma!) …é brincadeira?…Isso é jogar A FAVOR da instituição (malandro, ce tá ganhando muito, muito mais q todo mundo e num tá resolvendo, então vc ñ jg)…SIMPLES! Isso é valorização da HIERARQUIA com responsabilidade! E ainda deixa PÚBLICA a bronca! Jogar prá debaixo do tapete, PASSAR O PANO?

    Coisa muito importante: “se o vestiário tá AZEDO, é simples, é só vir no NOSSO CANTINHO nas 3ª e 6ª feiras e PASSA O PANO! Óia aí a solução! VIVA A FILOSOFIA e “prá TODA PROBLEMÁTICA UMA SOLUCIONÁTICA”. Dá-lhe meu bom e velho MARAVILHA!

    TODO GRANDE TIME…homenageando o grande PAULO ROBERTO 29/04/2021 às 08:41 “TENHO DITO E REPETIDO , QUE COM ESSE GOLEIRO NÃO VAMOS GANHAR NENHUM TÍTULO IMPORTANTE.”

    “O TODO GRANDE TIME COMEÇA COM UM GRANDE GOLEIRO!” Ñ queiram INOVAR, nem NOVAR, nem RENOVAR o q ñ pode…a máxima é CRUEL!!!…ou resolvemos isso ou perdemos moral prá reclamar de LD, de VOLANTE, de Tchê Tchê ou qq outro SUPERERÓI. FATO!…como um time pode ir pro jg sem GOLEIRO? GOLEIRO E CENTROAVANTE, sempre o FORTE do CAM! Oh São KAFUNGA, ajudaí!

    1º a cantar essa pedra aqui no Canto foi o nobre BARROS PRETO E BRANCO (na mosca e na pulga), eu n conhecia o MEQUETREFE MÃO D QUIABO pois confesso q ñ gosto de FUTEBOL q ñ seja o FUTEBOL do NOSSO GALO (exceção à LARANJA MECÂNICA, q prá mim foi a única REVOLUÇÃO de FATO no futebol desde q A RAINHA resolveu liberar o ludopédio pros súditos!)..

    voltano:

    RUBÃO, Patrão NOSSO e do menenins!: Rubão, fi!

    Há outras carência, RUBÃO, pai, fi e etc., mas se vc resolver essa as outras peças se encaixam, EU ACREDITO! E segura o CUCA, tem um estoque de Santa e unha e cornetas prá dar e vender: VENDER VENDER VENDER, q esse ñ seja NOSSO IDEAL!

    Por hj fica sendo assim!

    Abs!

    1. Alexandre, boa tarde.

      Primeiro, o artigo é de minha lavra e nao do nobre blogueiro, nosso grande Guru.

      Segundo, não criei nenhum fato e nem fiz nenhuma crítica a quem quer que tenha divulgado qualquer coisa. Me ative ao vestiário atleticano, claramente com problemas.

      Ou a entrevista rumorosa de Hulk a alguns dias, o semblante amarrado dos jogadores durante os jogos, o jogo igualmente amarrado, irregular e sem alegria do time, partida após apátrida, são meras ilusões desse articulista?

      Saudações atleticanas.

    1. Vitor, boa tarde.

      Como respondi acima ao Alexandre não criei nenhum fato. Me ative ao vestiário atleticano, claramente com problemas.

      E pergunto também a você: a entrevista rumorosa de Hulk a alguns dias, o semblante amarrado dos jogadores durante os jogos, o jogo igualmente amarrado, irregular e sem alegria do time, partida após apátrida, são meras ilusões desse articulista?

      Saudações atleticanas.

  14. Esse papo de vestiário rachado é balela.
    O Corinthians foi campeão Brasileiro por 2 anos seguidos (98 e 99) e os caras simplesmente se odiavam fora do campo. Vários já deram entrevistas sobre isso, tinham grupos separados, panelinhas e etc. Mas quando entravam em campo eram unidos pelo mesmo objetivo, respeitavam a camisa do Clube e jogavam tudo que sabiam.
    Se pegarmos na história, são inúmeros exemplos de times que foram campeões e não se davam bem. Da mesma forma que elencos com jogadores “bonzinhos e cheios de amizade” foram absolutos fracassos.

    Então o motivo do rendimento abaixo do esperado no Galo não é esse que o nobre cronista quis revelar.
    O que falta, de verdade, é qualidade técnica pra alguns, falta culhões pra outros e falta comprometimento e profissionalismo pra uma grande parte dos atletas.

  15. Insatisfeitos, amigo, estamos nós, a torcida, que não possue a mordomia, o alto salário , a falta de cobrança de uma diretoria fantasma, inexistente . que outorga, de mão beijada a estes individuos , o paraiso na terra. Que oferece uma estrutura ímpar, sem igual e recebe . de contrapartida, atuaçoes vexatorias , eliminações em torneios , prejuizos imensos ao clube , custo / beneficio que parece piada de mau gosto. Exemplo, este tardelli, agora preparado para arrasar no fim do mineiro, para sua conveniente renovação de contrato. Assistimos, em campo, amigo, negligencia, falta de futebol decente , descompromisso , sempre blindados com a desculpa de readaptação ao novo treinador , mudança de estilo de jogo ainda não assimilada pelos atletas, descompromisso com clube e torcida.Tudo pode, de maneira racional e simplista , sincera, ser colocada desta maneira,ao rachado, nebuloso, dolorido vestiario atleticano: FALTA DE PROFISSIONALISMO , VERGONHA NA CARA , DE JOGADORES, TREINADOR, DIRETORIA

    1. Meu caro Evandro Pereira,

      Respeito seu desabafo, mas “este tardelli” faz isso não….Tardelli depois de Guará é o maior matador de marias, bora respeitar um bucadimmm…

      Abraço, Galo Sempre!!

      1. Amigalo Robson respeito seu posicionamento, ainda mais feito com consideraçao e respeito, como deve ser entre nós atleticanos, Posso ter exagerado e me exaltado, perdoe,mas tenho por mim que matadores de marias sáo wagner. cachaça, itair e batoré

  16. Prezado Max, ótimo dia

    Receita simples para “desazedar” o vestiário: mandarvo Cuca e Cuquinha para pqp, trazer de volta o interino Lucas Gonçalves, que em pouco tempo mostrou que conhece mais de futebol do que o roedor de unhas.

  17. Bom dia,

    Max, não é possível que você seja tão pessimista e crítico ao atual comandante do Galo. É normal quando muda o técnico acontecer insatisfações do elenco. Natural. Assim foi por exemplo, com o Levir em 2014. Colocou Tardelli no banco, que na época ficou p. mas retornou ao time voando. Vamos apoiar o Galo, cara! Time evoluiu no último jogo e não foi pouco, foi 90% pelo menos. E vai melhorar mais! Cuca é top, não adianta questionar. Ganhou a Libertadores com a gente, Brasileirão com Palmeiras e vice da lúltima liberta com o Santos num vestiário com salários atrasados, impeachment de presidente. Questionar o que desse cara? Calma aí, uai!

    Abraço

    1. Luiz Galo, boa tarde.

      Reconheço ter sido bastante crítico ao trabalho de Cuca e à sua contratação em outros artigos. E o fui por considerar e continuar achando que ele está no lugar errado e na hora errada.

      Cuca vive um momento pessoal extremamente delicado e se mostra bastante melancólico, o que contraindicava a sua contratação.

      Não há nada de persecutório na minha análise.

      Este artigo, contudo, indica razões que ultrapassam a seara e a responsabilidade do treinador nesse azedamente do vestiário. Portanto, não atribuo a totalidade dos problemas apenas a Cuca.

      Saudações atleticanas.

  18. Bom dia, Eduardo, Max Pereira, atleticanas e atleticanos.
    Muito bem, MAX PEREIRA, o vestiário do Galo parece tumultuado? Quem e como o está tumultuando? Você se esqueceu de dizer. Será a diferença salarial entre os jogadores? Porque alguns ganham uma fortuna para não apresentarem nada de interessante em campo. Outros querem fazer valer o que ganham, pouco ou muito, e não têm a oportunidade para fazer isso. Promover a estabilidade emocional, mental e psicológica em grupo é função de quem comanda. Isso é prerrogativa de comandante. Ninguém pode fazer isso por ele, pois, tais elementos da relação humana emanam de quem comanda. Se o grupo não confia no comandante a coisa desanda e a instabilidade se apropria dos comandados.

    Resta, então, uma única questão: Como o grupo vai confiar num comandante instável emocionalmente, consumido por uma depressão que de tão intensa domina a sua face?
    Como confiar e se sentir seguro sendo comandado por alguém que transpira insegurança?

    Vestiário instável é sempre resultado de falta de comando. Ponham ordem na casa e o vestiário deixará de ser instável e se tornará vibrante.

    1. Paulo, boa tarde.

      O artigo responde à pergunta que vc formula no início de seu comentário. A crítica que faço é em relação à gestão de grupo, para mim historicamente deficiente no clube.

      Não aponto ninguém especificamente porque odiaria deflagrar uma caça às bruxas. Prefiro criticar o modelo de gestão e trato do futebol.

      De resto, ao longo de sua explanação você vai ao encontro do meio texto.

      Muito obrigado e saudações alvinegras.

  19. Jogadores ganhando Fortuna para Jogar Futebol (Diversão) onde a maioria da População ganha miséria e enfrenta maiores adversidades, não pode se sentir abalado ou utilizar disso como desculpa na produtividade.

    Ganham muito bem, possuem médicos, alimentação diferenciada, transporte descente e várias regalias que nem 5% da população mundial tem.

    Desculpe, mas é muito Mi Mi Mi para tentar justificar o injustificável !

    Tem que correr, tem que jogar com raça, tem que aceitar críticas, tem que se motivar, obrigação !

    E a imprensa tem que parar mimar e passar a mao na cabeça desses mercenarios corpo mole !

    1. ALEXANDRE ,

      não sei se você se refere a alguma coisa que
      tenha lido no texto , pois não acompanho as
      notas de sexta-feira .

      Mas , quanto à sua postagem , comungo do
      mesmo entendimento .

      Os mais bem pagos profissionais do mundo
      não têm O DIREITO de não cumprirem suas
      tarefas de maneira exemplar .

    2. Prezado Alexandre, Saudações. “E a imprensa tem que parar de mimar e passar a mão na cabeça desses mercenários corpo mole!”

      E quem vai pagar o jabá? Ou você acha que essa “imprensa” vive só do seu salário?

      1. Paulo Silva,

        Como você responderia a essa sua insinuação feita nesse seu comentário acima se estivesse em meu lugar? Por enquanto apenas digo o seguinte:

        Estranha-me a agressividade.

        Você não sabe e não é da conta de ninguém, mas vou te contar o seguinte.

        Tenho duas profissões e já estou aposentado. Escrevo aqui e em outros espaços sobre futebol e sobre o Atlético GRACIOSAMENTE. OU SEJA, NÃO RECEBO NADA.

        Tanto a minha opinião, quanto a minha pauta, nunca estiveram à venda.

        Por favor, devolva-me o respeito com o qual sempre tratei você e todos os leitores.

    3. Alexandre, bom dia.

      Respeito como sempre as opiniões divergentes. Mas, divirjo inteiramente. Os jogadores de futebol, INDEPENDENTEMENTE dos salários que recebem e da estrutura que lhes são oferecidas para trabalhar são, antes mesmo de serem atletas, SERES HUMANOS, e, como tal, falíveis e factíveis de serem acometidos por qualquer problema que qualquer outro simples mortal.

      Erram e acertam como qualquer um, têm virtudes e defeitos como qualquer outro ser humano.

      Falei da alma do boleiro com conhecimento de causa. E, nada do que escrevi, elimina o direito do comando e da torcida de cobrar. Mas, cobrar tem que vir associado ao que se ofereceu. E NÃO BASTA OFERECER APENAS ESTRUTURA E RECURSOS MATERIAIS. Construir um bom ambiente é fundamental. E é coisa que não se constrói unilateralmente.

      E pode ter certeza que se não houvesse um mínimo de espírito profissional no grupo o Atlético não estaria disputando a Libertadores e, sim, a série B, lado a lado com o rival.

      Muito obrigado.

    4. Perfeito seu comentário. Os caras tem mordomias a perder de vista. Muito mimi mimi. Sempre tem gente e imprensa para passar o pano para eles.

  20. Bom dia!
    Quando Cuca chegou e nem quis tomar conhecimento do bom trabalho em pouco tempo realizado pelo interino, preterindo descaradamente os garotos da base que estavam mostrando um bom trabalho, ele estava dizendo em alto e bom tom que era o “dono da cocada preta” e que ninguém entendia mais que ele. Isso desmotiva todo mundo. Jogador e torcedor.

  21. Salve Massa , Galuppo e Guru!

    O futebol assim como em qualquer outro segmento é regido por competitividade, e no nosso clube não é diferente, quando os próprios jogadores competem pela titularidade na equipe, pelo protagonismo, pela liderança de grupo e o pior, quem terá o maior salário do elenco.
    Esta competitividade acarreta criação de panelas que ficam se digladiando para assumir o comando gerando um clima de trairagem, desconfiança e desunião. É fato que panelas sempre vão existir e se tivemos a do Elias bunda de bigorna, Fredcone, Robinho, Luan, hoje pelo que dizem por aí a panela do Rever é a mais forte.
    Então meu caro Galuppo a tal tranquilidade, equilíbrio mental, emocional e psicológico que vc citou, devem vir dos próprios jogadores, pois o clube oferece todas as condições de um bom trabalho para eles, ao dispor de uma das melhores estruturas do futebol mundial, salários compatíveis e até fora da realidade em dia, corpo técnico de alto nível e principalmente apoio de uma torcida apaixonada e vibrante.
    Então meu caro, o problema está nas mãos deles mesmos e eles precisam enxergar que a competitividade que eles precisam ter, deve estar dentro do campo contra aqueles que vestem uma camisa diferente da nossa.
    E para encerrar existe uma maneira muito fácil de ver se o grupo está unido: é só ver o comportamento dos jogadores nas comemorações após um gol.

    1. Caro JBHGALO, bom dia.

      O grande Galuppo agradece a referência, pode ter certeza, mas a responsabilidade do texto de hoje é minha.

      Panelas são normais em qualquer grupo, dentro e fora do futebol. As disputas pela titularidade e pelo protagonismo, se mal conduzidas como acontece recorrentemente no Atlético, podem, de fato, azedar o ambiente.

      Mas, quando vemos na comemoração de um gol titulares e reservas comemorando juntos, inclusive quem está na suplência direta do autor do gol, percebe-se que este não é o maior problema do vestiário atleticano. Ou quando uma grande defesa de Everson é festejada efusivamente por Rafael também fica claro que os problemas maiores se devem a uma gestão deficiente de grupo.

      Os vídeos e as fotos dos treinamentos mostram à larga que o grupo se gosta e que o ambiente entre eles é bom. Ninguém brinca com quem não gosta.

      Só pode cobrar quem tem moral para fazê-lo.

      Saudações atleticanas.

  22. Bom dia a todos. Gostaria de deixar uma pergunta. Se temos um técnico que pertence ao quadro do clube, que recebe seu salário, pra que esse tal de cuquinha? Porque pagar salário a esse cara que de treinador não tem nada e pq não colocar o técnico do quadro do clube para comandar o time em dias de jogo onde o cuca não pode comandar?
    Em qual empresa que vc contrata um diretor com currículo e pra uma reunião importante manda seu auxiliar? Será que nas empresas dos mecenas funciona assim? DU VI DO.
    O Galo gosta de arrumar problemas, gosta de viver sob tensão, gosta de sofrer e nós torcedores é que damos a cara.

    1. Miguel, Saudações Atleticanas!
      Prezado! Essa é fácil de responder: pq o amadorismo sempre esteve presente_ com raríssimas exceções_ no 2º andar da Av. Olegário Maciel – 1516 – em Lourdes. Já tivemos comissões técnicas com técnico,auxiliar técnico, cinegrafista p gravar treinamento,Wagner Tardelli( árbitro aposentado) como instrutor de arbitragem, Rincón ( treinador de sistema defensivo),instrutor de cx de areia,auxiliar do preparador físico,preparador físico,nutricionista e sua auxiliar e mais um monte de cargos inúteis q deram como retorno ao GALO um campeonato Mineiro,um 5×1 em pleno Maracanã e a vexatória 18ª colocação na rabeira da tabela do Br qdo enfim estancaram com a sangría amadorística q vinha se instalando no @Atletico[ pelo visto a sangría continua até o presente momento]. Essa comissão foi em 2010 e contava com quase QUINZE pessoas q não acrescentaram nada ao Clubes,a não ser onerá-lo financeiramente. Tiveram outras e na hora do aperto quem segurou a peteca foram os profissionais fixos que são jogados p escanteio qdo chega um bam bam bam desses q nem precisa citar nomes,pois são os mesmos q deixam o Clube em apuros nas competições e com as calças na mão qdo são demitidos. Mas não se pode apontar o amadorismo presente em nossa Agremiação_ por enquanto nossa_ ,quem ousa apontar o óbvio é taxado de termos esdrúxulos e de anti- Atleticano para dizer um mínimo. Vida q segue e o Clube é quem paga!
      PS: Muito bem colocados vossos questionamentos. Abs

  23. Max, bom dia!

    Dentro da sua linha de raciocínio diria o seguinte: desde o ano passado, com Sampaoli, os jogadores com raras exceções não eram titulares absolutos em suas posições. Esta condição seguiu com o técnico das primeiras partidas deste ano.

    Com a chegada de Cuca este rapidamente trouxe um reforço com status de intocável, ou seja evidenciou o fim da meritocracia.

    O problema é que o Tchê Tchê é um jogador do mesmo nível técnico dos outros, por isto não ocorreu situação semelhante com a chegada de Nacho. Este sim, acima da média.

    Abraço,

    1. Luiz Fernando, bom dia.

      Se o elenco atleticano fosse assim tão ruim de grupo eu teria pena de Tchê Tchê.

      Cuca, no lugar errado e na hora errada, vem errando e muito. Claro, poderá haver alguém no elenco que possa tomar birra dele, transferindo ao colega o descontentamento com o treinador que, aliás existe e é de muitos ali dentro. Há sempre esse risco.

      E, claro, o talento, a experiência e a forma com que ele abraçou os novos companheiros contribuiu para que Nacho também fosse abraçado por eles.

      Um jogador diferenciado é sempre bem visto pois é fator de credibilidade e respeito para o grupo, além de vetor de valorização da carreira de quem jogar ao seu lado. Os jogadores do Atlético entendem isso.

      Saudações atleticanas.

  24. Saudações caros Eduardo, Max e apaixonados pelo Galo. Eu fico impressionado como damos eco aos supostos problemas do nosso clube de coração. Está claro como neve que desde a chegada do Cuca, e até com o Sampaoli anteriormente, o Galo sofre um bombardeio de críticas do eixo e que ecoa também no jornalismo mineiro. Toda vez que o Galo tenta montar um time de destaque e competitivo este “inferno” acentua. Não quero dizer que não exista problemas, o que é comum em qualquer família normal, mas me preocupo com a ressonância que estas notícias geram e que podem sim se converter em crises que poderiam ser evitadas. Estou sentindo falta daquele apoio incondicional que era característico da torcida mais fanática do mundo, que não potencializava, ao contrário, amenizava possíveis crises internas ou geradas por elementos externos. O mesmo não ocorre na imprensa paulista para determinados clubes, que ao contrário do que ocorre com o Galo, os problemas são amenizados no noticiário, vide a cobertura das dívidas dos clubes. Tem um clube aqui que deve mais de um bi, sem considerar a dívida do estádio e não se fez tanto barulho como o que ocorreu com nosso clube de coração. Acho que devemos repensar como torcida e não cair nesta corrente de destruição que tentam imputar ao Galo. Precisamos apoiar a equipe e não criar um fogo “amigo” . Sei que a preferência por técnico ou jogador A ou B é de cada um, mas o Galo é de todos e temos que protegê-lo das linhas inimigas.

    1. Sorogalo, bom dia.

      Deixar de falar ou amenizar o que se passa nos interiores do clube quase sempre produz o mesmo efeito que jogar a sujeira para debaixo do tapete: um dia a bomba explode e, talvez, não haja solução.

      O pulo do gato é o forma, o como, o “timing” e quem vai atacar o problema.

      Saudações atleticanas.

    1. TEOBALDO ,
      eu também passo .
      Sem ler , pois que a minha cabeça não é
      repositório de abstrações .

  25. Concordo que os jogadores necessitam de tranquilidade. Mas, fica a pergunta, que não quer calar: eles proporcionam alegria e tranquilidade à sua imensa torcida?

    1. Galoindio, bom dia.

      Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha. No caso, tenho certeza de uma coisa: para produzir bem qualquer jogador, além de ser bem preparado técnica, física e taticamente, tem também que estar bem emocional e mentalmente.

      Aliás, os aspectos mental e emocional são fundamentais e imprescindíveis no futebol de hoje.

      E cabe ao clube buscar garantir essas condições.

      Saudações atleticanas.

      1. “Quem nasceu primeiro? O ovo ou a galinha?”

        Já respondi essa pergunta aqui no blog, mas o faço novamente: Quem nasceu primeiro foi o ovo, botado por mim, consequência de ter passado muita raiva provocada pelo Atlético.

  26. Bom dia Max. Bom dia a todos. Esses jogadores estão insatisfeitos com o que mesmo? Uai o que fazem no Galo Rodrigo Caetano, Victor e Eder Aleixo? Cadê aquela história de ligação entre a Diretoria e os jogadores?

    1. DOMINGOS SÁVIO ,

      que tal fazermos uma campanha para
      a volta do Procópio para arrumar essa
      parada dessa turma de mercenários ?

    2. Domingos, bom dia.

      Boa pergunta. A meu ver Rodrigo Caetano, em que pese mostrar qualidades de executivo e, não obstante, ser ex-atleta profissional, mostra dificuldades de comando de grupo e, Victor, não tem tem o distanciamento pessoal e emocional para exercer essa função, pois, até bem pouco tempo era um deles. O Santo pode, apenas, ajudar aqui e ali, enquanto amadurece e busca moldar um perfil de comando.

      Éder, cuja alma de boleiro escapa por todos os seus poros, tem o perfil exato para fazer o que faz como auxiliar. É amado é venerado pelo grupo.

      Enfim, o Atlético carece de alguém que saiba comandar, seja do ramo e se que saiba se fazer respeitar e gostar. Um perfil ainda inexistente no clube.

      Saudações atleticanas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.