Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

“Vamos aguardar” AB

A frase, muito conhecida do título, é de um mala e “baba ovo” que já passou por Belo Horizinte. Pois, sendo bem curto, a “nova direção” chegou causando.

Não temos poder de gestão e tampouco escalamos time, mas somos – agora muito mais – exigentes com resultados. Promover mudanças radicais em meio às competições são por conta e risco de quem tomou essa decisão.

Estamos em segundo no BR e semifinais com o sub20. Prefiro aguardar o encerramento de ambas pra poder aplaudir ou vaiar. Tem quem saiu ser ter sido ovacionado, como pretendida.

Então, vamos aguardar!

Sou Atleticano. Independente de quem adninistra, treina ou joga. E exigente!

Boa sorte! A nós!

14 thoughts to ““Vamos aguardar” AB”

  1. Acredito que a demissão do Alexandre Mattos foi por ele ser responsável pelas contratações e milhões gastos, com Everson, Mariano, Sasha, Etc.

  2. APOIO O PRESIDENTE NA DEMISSÃO DO ALEXANDRE MATOS . OUTRAS MUDANÇAS E DEMISSÕES TAMBÉM PRECISAM SER FEITAS , CLARO TUDO PARA A MELHORIA DO CLUBE.
    AGORA É AGUARDAR , APOIAR E COBRAR , COBRAR , MUITO.
    QUEREMOS TÍTULOS.
    QUEREMOS TÍTULOS.
    QUEREMOS TÍTULOS.
    ESSE ESSE É O NOSSO OBJETIVO , OCUPAR DEFINITIVAMENTE O NOSSO LUGAR , QUE É NA PONTA , BRIGANDO POR TODOS OS TÍTULOS.
    AVANTE GALO.
    QUEREMOS UM GOLEIRO.
    QUEREMOS UM GOLEIRO.
    QUEREMOS UM GOLEIRO.

  3. Boa noite,

    Como sempre as atitudes da torcida são incoerentes com os fatos.
    Ao ser divulgado oficialmente que a decisão da demissão foi do colegiado inclusive dos 4rs então não cabe contestar.
    O presidente neste caso foi apenas o testa de ferro, aquele que botou a cara para bater.
    Não sabemos em qual momento o Mattos desagradou o comando, mas, aconteceu e pronto.
    Quem gastou 200 milhões em contratações pode e deve escolher que vai gerir seu ativo.
    Questionei antes de saber, mas, agira com o comunicado oficial ficou mais fácil.
    Segue o jogo….

  4. Agora é dar tempo ao tempo.

    Vamos aguardar onde tudo isso vai chegar.

    Se vierem os títulos todos os mimimis e as lambanças irão pra debaixo do tapete.

    O futebol funciona assim. Prefiro esperar.

  5. Boa tarde xará e amigalos!
    Sergio Coelho deve ter seus motivos para demitir Alexandre Mattos. Só acho que deveria ter esperado o Brasileirão terminar. Não é hora de mudanças no Departamento de Futebol tendo em vista que estamos atualmente na Vice Liderança do campeonato. O tempo dirá se a decisão de dispensar Mattos agora foi acertada…..

  6. SAUDAÇÕES ALVINEGRAS.
    Já não bastasse algumas lutas pessoais de gigantes que estou passando.
    Agora vem o Galo e demite aquele que eu entendo como o melhor Dirigente do Brasil.
    Estou com uma pulga atrás da orelha, queria que o Sette tivesse ficado, e mais ainda o Matos. Depois de Maluf foi sem dúvida nosso mais gabaritado dirigente.
    Sou otimista por natureza, mas não gostei de forma alguma da escolha desse Sergio Coelho para presidente. Apesar que foram os Menins que o escolheram né.
    Então é torcer como sempre para da certo.
    Saudações Alvinegras

  7. Decisão de substituir o Matos foi ousada. Tirar um com currículo e apostar em outro desconhecido acho arriscado. O tempo dirá. Só espero não esperar mais 50 anos

  8. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde, em alguma coisa eu teria que divergir da Lucy. Normal.

    Na minha opinião, eu achei apropriada a mensagem do Atlético ao Cruzeiro por conta do centenbrio deles. Dirigente não é ‘representante de torcedor’. Tem de ser profissional. Deixa a zoação para a torcida. É diferente da época do Kalil que pegou o Galo lá embaixo sendo humilhado pelos rivais. Não baixar a crista e bater de frente como ele fez, foi muito bom à autoestima do torcedor e ao próprio clube.  Hoje os tempos são outros, estamos construindo o nosso futuro enquanto eles ficam lá lambendo o passado deles.

    Além disso, eu acho que não vale a pena dar muita importância para eles como eles nos deram, por exemplo, quando disputávamos o único mundial de clubes da Fifa com a participação de um time mineiro. Ninguém bate em cachorro morto e naquela ocasião eles provaram isso, comemorando mais do que um título a sorte do rival que eles tanto trëmëm e que não obteve o sucesso que eles tanto temiam.

    Aliás, foi o desespero deles de ver o Galo com Ronaldinho quase campeão brasileiro de 2012 (não fosse a CBFlor) que deu início ao suicídio financeiro deles que começou em 2013. Literalmente tomaram uma overdose de dívidas para ter o ‘barato’ fugaz de conquistar (ou adquirir com doping financeiro?) alguns títulos que alimentaram a sua vaidade, a sua arrogância e a sua soberba e que agora, como causa-consequência, pariram a humilhação, a vergonha e a ruína. Enfim, na minha opinião, a diretoria do Galo fez bem em não bater em cachorro morto.

    Quanto ao Mattos. Na minha humilde opinião e análise dos fatos, ele foi ‘demitido’ junto com o Sette no episódio do Thiago Neves. Só que enquanto o Sette passou a cumprir aviso prévio até o fim do mandato, o Mattos foi mantido para não prejudicar o time e até porque quem tinha que demiti-lo seria aquele que participou junto com ele na lambança Thiago Neves.

    É só ver que na semana anterior, o Sette dava entrevista dizendo ser candidato a reeleição e na semana seguinte já dizia que ‘faz parte de um grupo e bla, bla, bla…’.

    O fato é que se o Sampaoli pediu o jogador ou se o Mattos sugeriu o nome a ele, pouco importa. O Sampaoli não precisava saber da incompatibilidade do jogador no clube, mas o Mattos, sim, precisava saber e matar o assunto no ninho.

    Por outro lado, todos sabem que o Sette era bastante centralizador e autoritário, então o Mattos não seria tolo de avançar no negócio sem o aval ‘de quem manda’ (ou achava que mandava).

    Reza a ‘lenda’ que o assunto Thiago Neves foi tratado em sigilo pela dupla, sendo ocultado até dos investidores (que são quem de fato mandam) e que só não teve desfecho pior porque um dos diretores ‘deu com a língua nos dentes’ e levou o caso para a imprensa. A repercussão antes do fato consumado só permitia uma solução: desfazer as tratativas.

    Se os fatos ocorreram assim mesmo, e essa é apenas uma hipótese possível, para além da barbeiragem da dupla, houve também quebra de confiança pois o assunto dessa importância simbólica foi tratado pelo presidente sem o conhecimento e aval dos investidores.

    Lembrando que o Mattos é amigo do Sette e foi contratação dele, sem passar pelos investidores. E é absolutamente natural que quem esteja investindo e arriscando seu dinheiro queira alguém contratado por eles e de sua confiança no posto. Até para não ficar novamente como ‘marido traído’ na história.

    P.S. 1: A primeira medida do presidente recém-empossado foi demitir o diretor de futebol. Evidente que a decisão já havia sido tomada muito tempo antes.
    P.S. 2: Por que um presidente já chega demitindo um profissional de prestígio no mercado sem ao menos trabalhar algum tempo com ele para descobrir suas deficiências ou incompatibilidades? Será que foi o presidente mesmo que demitiu ou ele só cumpriu as formalidades de presidente?
    P.S. 3: Arriscado mandar embora um profissional qualificado e não ter outro para substitui-lo. Falam de Rodrigo Caetano. Quando ele avisou que sairia do Inter e não deu prosseguimento a nenhuma proposta que recebeu ele já tinha sido procurado pelo Galo? Estava esperando a saída do Alexandre Mattos para começar as negociações ‘oficiais’?
    P.S. 4: Já vi ‘torcedor’ de jogador e até ‘torcedor’ de presidente. Mas é a primeira vez que estou vendo ‘torcedor’ de diretor contratado pelo clube. Êh Galo!!!

    1. Boa Tarde,

      Gostei de ler suas considerações, não tenho opinião formada sobre este assunto, então foi mesmo esclarecedor.
      Só fico na duvida se já havia uma demanda pronta como diz, incluindo outros nomes de diretores e outros cargos, ou simplesmente estão agindo como políticos, nomeando os correligionários, espero que não.

      1. Oi Wellington, boa noite.
        Não acredito numa ‘ação entre amigos’. Ao menos em todas as entrevistas, o Rubens Menin fala de profissionalizar o Galo. Para mim, mais que o dinheiro investido, esse será o grande legado dos mecenas. A gente vê por aí quem não se conforma com o modelo profissional que está sendo implantado e que fica atirando a esmo. Faz parte do processo de mudança que, ao que tudo indica, não tem mais volta.

  9. Deixa ver se eu entendi: Só porque mandamos o Diretor de Futebol embora (eu não concordo com essa atitude do Sérgio Batista) o blogueiro trocou o post? Sacanagem, pô!!!

    1. Não houve troca de post, até porque nunca isso ocorreu. Quando se publica um novo texto, usualmente faço isso, o anterior desce na página e pela ordem temporal. O anterior, como o da manhã de hoje, permanece no blog.
      Achei bom esclarecer. Não houve e nunca ocorreu “troca” de postagens.

  10. Uau. Agora vai. Demitir o melhor diretor de futebol do país; colocar na presidência um cordeirinho do pior presidente de todos os tempos; “prestigiar” um técnico falastrão, inventor e fraco (técnico nota 6, com aborrecimento nota 9; faço aqui um mea-culpa: eu acreditei que ele tivesse algum talento: TEM NENHUM)… começamos MAL, bem MAL. E o que começa mal, só pode termina ainda pior. HORRÍVEL.

  11. Boa tarde Eduardo. Boa tarde a todos. Espero que outras demissões sejam efetivadas inclusive do Eder e do Reinaldo que nada produzem no Galo. Foram profissionais e receberam pelos serviços prestados. Esse Reinaldo além de ter encerrado a carreira no Cruzeiro( onde jogou duas partidas) ainda disse em entrevista ter sido uma honra jogar no rival. O Eder foi campeão da copa do Brasil no rival. Chega de usar a paixão da torcida para continuar sugando o galo, sem produzir nada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.