Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Valor de ingresso e extracampo

JPG mktplace 300x250Com a cabeça mais leve, depois de confessar certa decepção com o magro um a zero frente ao Juventude, faço algumas breves reflexões para o nosso bom debate aqui no “Canto do Galo”. Não sem antes fazer dois registros.

O primeiro, que, a convite da Ambev, pude acompanhar a partida de um lugar privilegiado no nosso salão de festas. A visão do jogo, o ambiente gostoso e aconchegante desde a chegada ao estádio, o atendimento, música ao vivo no salão abaixo, enfim outro Mineirão que o jornalista ainda não conhecia. Agradeço o convite, confessando que estou aberto a próximos, contando desde já com meu consentimento e “aceite”. ObriGalo!

O outro, diz respeito a nós mesmos, Atleticanos “cornetas” que somos. Em que pese a necessidade do Erazo ter sido substituído logo no inicio da partida, com um corte no rosto, o equatoriano voltou à equipe. Ao contrário do que me disseram na porta do Independência, no último domingo, ele ficou fora daquela partida por ter sentido dor no joelho.

Me foi dito que ele estava fora da temporada de 2016, me provocando uma nova crise de ira contra o departamento médico, a fisiologia e a preparação física. Ainda bem que só me expressei assim lá e no momento. Não levei o assunto adiante. Como é difícil ser dirigente de um time de massa.

Considerações breves, deixando de lado a questão do time, treinador e jogadores, ainda me sugerem ampliar o debate acerca de duas situações que já discutimos aqui no nosso blog. Aquele espaço que a Minas Arena bloqueia para proteger o torcedor adversário é – no mínimo – ridículo. Perder, sabe-se lá 15 mil ou 20 mil lugares para proteger 30 torcedores, como vimos ontem no Mineirão, é debochar do Torcedor.

Claro que se aquela área fosse liberada, o encanto e a distribuição do Atleticano seria ainda muito mais bonito do que vem sendo. Não sei dizer se a responsabilidade é da Minas Arena ou do Polícia Militar. De um ou de outro, até mesmo se for de um terceiro, esse fato agride o bom senso. Para quem já foi ao mesmo estádio com 123 mil pessoas, o que pensar?

comemoração gol no Juventude e torcida ao fundo 28-09-16
Fotos: Bruno Cantini/Atlético

Igualmente, renovando posição e opinião já assumida, entendo que se deve reservar um espaço menos procurado para o Atleticano de menor poder aquisitivo. Tudo bem que esse valor único de R$ 50 é mais sugestivo e apetitoso que os altos custos do Independência, mas não podemos perder de vista que o Galo é o time das classes A, B, C e também da D e da E.

Esse mesmo valor para um assalariado inviabiliza sua presença no estádio. Se tivéssemos ingresso a R$ 25 ou R$ 30, teríamos colocado ontem mais de 50 mil torcedores no Mineirão. Espero que para as próximas partidas em que a diretoria optar pelo nosso salão de festas esses Atleticanos tenham vez para acompanhar o time do nosso coração.

É sabido que o Atleticano faz a diferença, então vamos ajudar o Torcedor a jogar com o time. Ontem, naquele apagão do segundo tempo, o grito da arquibancada era a única coisa bonita no Mineirão. A Torcida bem que tentou incendiar o time em campo, não se entregando à apatia e falta de vontade de alguns jogadores.

8 thoughts to “Valor de ingresso e extracampo”

  1. Incrível, não quero ser corneta , não quero ser chato, sou otimista e Atleticano por natureza , vou até usar parte do texto de perfil de nosso querido blogueiro ” Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de nosso Galão. ”

    Mas ontem no mineirão, eu, um anônimo no meio da massa , assistindo o jogo, escutando a Itatiaia e torcendo como um GALO DOIDO fiquei novamente decepcionado.

    Decepção só não é pior do que derrota. Não somos simpatizantes, não vamos em jogos só na boa e nunca deixamos de apoiar mesmo nos raros momentos de entressafra e constatamos que dentro de campo tem muita gente jogando sem RAÇA E AMOR como diz nosso HINO GLORIOSO. Isso para mim não serve. Esquece esquema tático, cbf, enfim qualquer zica. O que falta é vontade.

    Foi nitído ontem. Mesmo assim a massa apoia e sofre junto. Mas que me deixa triste ver um “timaço” sem alma, deixa viu.

    Feliz como sempre pela vitória , e triste pela falta de raça de muitos.

    PS Sem cornetismo

  2. Boa Tarde Ávila,
    Com o time jogando a bolinha atual, pode cobrar R$1,00 o ingresso que não iremos lotar o mineirão e tampouco o indepa. Não porque somos torcedores omissos, como o atual plantel alvinegro, mas devido à apatia, falta de gana e raça dos nossos jogadores. Temos o melhor preparador físico do Brasil, o Carlinhos Neves, para aturarmos os jogadores abrirem o bico no segundo tempo, “mortos”, aos 10/ 15 min da etapa complementar, não dá para aceitar…é brincadeira de criança, só pode!. O alento para as pretensões aos títulos da Copa do Brasil e brasileirão, vêm do departamento médico nas recuperações de Luan, Maicosuel e Marcos Rocha, principalmente Luan pelo espírito alvinegro, de muita luta, raça e entrega, o cara sai de campo esgotado, dá até orgulho ver…o Donizete também tem a mesma atitude, precisamos de mais jogadores com esta entrega e atitude dentro de campo. Nepomuceno, o povo quer saber!?…cadê a cobrança na comissão técnica, jogadores e departamento médico?; tá na hora da sua presença ser mais constante no C.T. Marcelo Oliveira, até quando vai insistir no Clayton, Carioca e Jr.Urso como titulares? . Temos bom elenco, temos peça, aí vai uma dica, podemos entrar com Donizete e Dátolo compondo o meio nos lugares dos volantes meias bocas titulares atualmente e Otero no lugar do Clayton. Finalizo com aplausos, palmas e destaques para as atuações brilhantes do zagueiro Gabriel, joga muito o garato, precisa é de mais rodagem, ao técnico do Juventude o Zago, pois anulou o atlético no final do primeiro tempo e segunda etapa da partida e para a nossa torcida, esta até com honras, pois tem feito mais que o elenco merece, visto o futebol que os mesmos tem praticado e não entregamos os pontos, pelo contrário, estamos carregando o time nas costas, ou melhor, no grito mesmo!. Pqp!, é a melhor torcida do Brasil!…

  3. Caro Eduardo, boa noite! Estou passando para mostrar minha total insatisfação com o que vem jogando o nosso galo. Muitos, principalmente por parte da impressa devem estar vendo também, mas como fazem quase sempre, estão aguardando para falar na hora que a “vaca for pro brejo”. Ta difícil ver este time com MO na beira do campo, sei lá o que ele enxerga, foi assim no palmeiras até ser dispensado. O tal de Rafael Carioca, deve ser apadrinhado por algum, porque fica em campo rebolando, tocando de lado, e não marca ninguém. O Junior Urso, coitado! Ai quando perde a culpa é da zaga, sendo que o Léo Silva, anda se matando porque o meio não chega em ninguém, marcar é uma coisa e cercar é outra. quem joga futebol ou entende um pouco sabe disso. Sinceramente, não vamos longe este ano, nos resta assegurar a vaga na libertadores. Conseguido a vaga é repensar num treinador capaz de comandar a equipe na competição. Aí vai minha sugestão: Abel Braga. Por hora chega de falar deste time sem alma, sem pegada, sem competitividade. Abraços,

  4. Só gostaria de lembrar que se faz necessário uma mudança de postura de quem manda no Mineirão, é inadmissível aquele corredor que temos que passar para adentrar no estádio. É ridículo! ficamos parecendo boi indo para o abate, fazem-se uma revista que certamente se fosse como antes, deveria ser feita após a catraca como era feito no Mineirão dos bons tempos. O correto seria deixar a esplanada livre para que os sofredores, isso mesmo, sofredores pudessem circular livremente comendo seu churrasco, seu tropeiro quando chegasse em seu portão, ai sim ser revistado! Falta boa vontade, falta visão, o público não pode ser tratado desta forma! Cheguei ao estádio às 19:00 horas, ai, foi aquela luta para chegar no portão que me daria cesso ao estádio! Dureza viu! Frequento esse estádio deste a década de 70, estive em muitos jogos com 90 e 100 mil pessoas, hoje, para um publico de 36 mil expectadores, você fica meia hora naquele corredor para ser revistado. Por isso, muitos torcedores estão ficando em casa, nos bares e etc, é mais confortável, cerveja gelada e além de que, você pode reunir todos os seus amigos.

    1. Excelente depoimento, Celivaldo .Com muita riqueza de detalhes, você relatou com os torcedores são maltratados no Mineirão ,mesmo pagando ingresso tão caros .
      E a razão é essa que você apontou mesmo : falta de boa vontade, gente que não é do futebol e nem empreendedor sério . Só pegou o estádio para se arrumar e ganhar dinheiro fácil .

  5. Venho falando desde o início. Marcelo sempre foi um treinador fraco. Conquistou títulos pela qualidade dos elencos que tinha à disposição. Seus times jamais mostraram variação tática e sempre foram samba duma nota só. O prep.físico que o acompanha, Juvenílson, foi muito criticado no coritiba, …….e palmeiras. Nada disso que está acontecendo com o GALO é novidade (falta de esquema tático, sufoco todo jogo). Todos os times dirigidos por Marcelo, até os que venceram, passaram por isso. Qualquer um que acompanhe futebol com olhar crítico sabe que marcelo tinha pouquíssimas chances de sucesso. Gente boa, Atleticano, mas pra ser treinador do GALO isso é pouco, tem que ter competência, e isso tá mais que mostrado que infelizmente nosso treinador não possui. SAN

  6. A torcida do Galo está ficando cada dia mais chata e parecida com a torcida azulada. É impressionante como os cornetas insistem em detonar sempre o time, seja nas derrotas ou nas vitórias. Nunca estão contentes. Isso já encheu o saco, galera!

    Foi assim com Levir Culpi, foi assim com Aguirre e agora está acontecendo novamente. Qualquer um que esteja no cargo de treinador do Galo é fritado pela própria torcida. Pra que isso??
    Marcelo Oliveira já provou ser competente e vencedor, não preciso falar sobre o currículo dele, mas muitos insistem em persegui-lo.

    Ontem vimos o Barcelona passar sufoco pra vencer um time pequeno da Alemanha. Vimos o milionário elenco do Manchester City, treinado pelo badalado Guardiola, empatar com um time escocês.
    Vimos um time emergente do Equador ser finalista da Libertadores este ano. Ou seja, o futebol é imprevisível e absolutamente inconstante. Qualquer equipe do mundo sofre oscilações, não é privilégio do Galo. Mas alguns não enxergam isso.

    Vivemos hoje a MELHOR fase da história do Clube Atlético Mineiro, com conquistas importantes, grandes craques vestindo a camisa do time, briga por títulos todo ano, enfim… Precisamos participar ativamente disso, ao invés de apenas criticar.
    Estamos na disputa de 2 títulos nacionais, mas pelo pessimismo e radicalismo nos comentários, a impressão é que o time está prestes a cair pra segunda divisão. Menos, minha gente.
    A cobrança sempre é válida, desde que feita com bom senso.
    Devemos mudar nosso comportamento e apoiar o time nessa fase boa, ou vamos chegar no futuro com o sentimento saudosista de que “éramos felizes e não sabíamos”.
    Acorda, nação ATLETICANA!!!

    1. Amigo Guimarães, Isso realmente acontece e é próprio do ser humano, quando o sujeito fica rico, ele não quer mais comer lingüiça, só quer entrar na Picanha. O torecedor do galo tá desse jeito. E agora me aparece o DÁtolo com os amigos presos com dinheiro escondido na cueca. É demais pro nosso coração sofrido pelo nosso galo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.