Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Último final de semana sem Galo

Ufaaa! Já não aguentamos mais essa longa espera, aliada ao cartão de apresentação do estilo a ser implementado pelo novo treinador. Entre saídas e chegadas, volto a insistir, que estamos no lucro. É o meu sentimento, evidentemente, que sem a pretensão de unanimidade e tampouco de eventuais discordâncias.

Afinal, um bom debate – desde que respeitadas as opiniões divergentes – creio ser muito saudável para o Torcedor e até mesmo internamente. Se gostava do Junior Alonso, quero apreciar ainda muito mais o indiscutível talento do Godín. Da mesma maneira, e quem esteve atento às minhas manifestações, confiava que Diego Costa – com uma boa pré temporada – iria render muito.

Percebo depois da rescisão amigável, que além da falta de vontade do jogador também a diretoria teve seus motivos para essa liberação. Indiscutivelmente, nesse caso, até prova em contrário, não temos reposição à altura do jogador brasileiro naturalizado espanhol. Nada impede, entretanto, que entre os que subiram e mesmo entre os contratados possa surgir algo surpreendente.

E vou um pouco além, acredito que ainda vamos ter uma boa surpresa até o início das grandes competições da temporada que está começando. Por enquanto, vamos já na quarta-feira, em Nova Lima, ter essa mostra do que podemos esperar do El Turco e dos jogadores. Diga-se, em termos de elenco, o Galo é praticamente o mesmo que foi campeão Brasileiro e da Copa do Brasil.

Temos tempo, consequentemente, exercer o dom da paciência – caso necessário – para a montagem e as características do novo comandante Atleticano. O Mineiro, sem dúvida, será um bom laboratório. Serão 11 jogos na fase classificatória, sendo que seis deles em Belo Horizonte. O Galo só sai para pegar o Vila Nova (Nova Limas), que é colado na capital, Uberlândia, URT (Patos de Minas), Pouso Alegre e Democrata (Governador Valadares).

Aqui vamos ter, além dos outros dois times de Belo Horizonte, também Tombense, Patrocinense, Athletic e Caldense. Quero demonstrar que serão jogos suficientes para experiências, caso necessárias, que poderão sugerir a tolerância e confiança do Torcedor. Até porque, não vamos desconsiderar, entre os 12 concorrentes, quatro avançam à fase decisiva.

Não consigo admitir, com titulares ou mesmo um time todo alternativo, o Galo tem de ter lugar nesse mata mata decisivo. E mais, a partida final, por força de mudança do regulamento, será em jogo único. Apesar de tanto questionamento onde adotaram essa medida de um jogo para decidir o troféu, aqui optaram por ser dessa maneira. Nem diria que é experiência, pois já vem sendo praticado em competições internacionais e com críticas.

Fechando nossa prosa deste sábado, para os próximos dias de preparação e mesmo nas duas primeiras rodadas, Allan e Keno estão fora de combate. Ambos testaram positivo nessa nova onda da pandemia, que já tinha o zagueiro Micael afastado pelo mesmo motivo. Receio, não sem motivo, de uma novo surto no elenco do Galo. No Brasileiro de 2020, por causa da festinha do Sampaoli e comissão técnica, sofremos com desfalques. O mesmo se repetiu com o sub-20 na Copa São Paulo.

Minha condição de otimista, caso isso aconteça, sinaliza que poderá ser em boa hora. Durante o Mineiro e ainda distante das grandes competições nacionais e mesmo a Libertadores. Desde que não contamine todo o grupo e ao mesmo tempo, pois se for depender daquilo que vimos na copinha, coloca em risco até a possibilidade de classificação entre os finalistas do campeonato estadual.

Aguardemos pois os próximos dias!

*fotos: Pedro Souza/Atlético

20 thoughts to “Último final de semana sem Galo”

  1. Bom dia!
    A final de jogo único parece que foi interesse de times menores- da série b, c , d-.
    Final com dois jogos a superioridade do elenco Atleticano iria se fazer valer.
    Em jogo único os times pequenos se fecham e podem tentar a sorte nos pênaltis.

  2. Bom dia para todos!
    Luiz Felipe e Felipe Felício devem ser dois rapazes nascidos em Goiás, que cantam músicas sertanejas e devem ser muito afinados,assim espero, com a nutelação do futebol acabaram os apelidos e agora todos são chamados respeitosamente por nome e sobrenome. Só o futebol que sumiu mesmo,mas os nomes hoje em dia aparecem.
    E o Diego Costa hein? Estava com má vontade de jogar aqui e no ganbá não conseguiu nem chegar aos pés do Giovanne Augusto ,que pensava que a felicidade morava na em Itaquera .

  3. bom dia Eduardo e massa. chega novembro mas não chega quarta-feira para ver nosso galooo a jogar. rsrs.ainda penso eu que precisamos de livrar de 2 jogadores Guga avenida e borrero.Guga é muito fraco e borrero é mediano. e precisamos de reforços lateral direito. camisa 10 e volante para ser reserva pitbull reserva para o Allan. os rivais se reforçaram e não vá dar brechas ao galo.inter.gambas. bambis.flor.então galo abre o olho.

  4. Bom dia!
    Confiante em El Turco. Paciente com ele até o quarto jogo. Não creio que renovará o contrato com o Galo no final da temporada. Se for mal, sai em 3 meses. Se for bem, vai querer ir pra Europa, $hina ou pras Arabia$. Pra o campeonato mineiro, eu entraria com o time reserva e pegaria, daquela mulecada horrível da copinha, apenas o Tomaz da LE. O goleiro também é bom, mas infelizmente pra ele, temos bons goleiros de sobra no profissional.
    Disse no início que estava confiante em El Turco, se ele não inventar, porque na verdade estou esperando mesmo é por Everson, Mariano, Arana, Allan, Jair, Zaracho, Savarino, Hulk, Keno e até no Ademir.

  5. Pois é, seu MAX , sobre o Conselho, salvo raríssimas exceções, pois que elas existem em qualquer regramento, a turma lá é de uma inutilidade cósmica .

  6. Barata, vendo a entrevista do Luis Felipe do Felipe Felicio, pensei na hora de como o efeito Nutella está dominando o futebol. Os dois jogadores resolveram chamar o técnico Antônio Mohamed, por apelido, e para perplexidade dos atleticanos raízes, passaram a se repetir ao treinador, pelo apelido de Tonny. Ai é pracaba, explica pra esses Nutella, que o apelido de Antônio no Brasil é Toim……. Se querem chamar o treinador por apelido, que escolham Turco ou Toim….Simples assim..

    1. DOMINGOS ,

      rindo muito aqui .
      Esse ano vai ser uma festa pra CORNETAGEM .

      De minha parte , por enquanto deixo rolar , não palpito , quem sou eu pra sugerir alguma coisa .

      Mas que será uma diversão, não tenho dúvidas .

      Ah! , acredito que iremos ter futebol em campo também , para comentar..

    2. Domingos Sávio,

      Chamar El Turco de “Tonny” é prácabá!!!

      Partir da meninada da BASE a tentativa de descaracterização da cultura raiz atleticana revela apenas o que pode ser uma das razões de tanto insucesso nas categorias de BASE, no longo prazo observando.

      Os jogos na Copa SP mostraram um time atleticano, além de fraco tecnicamente e mal treinado, um time fraco fisicamente, assim como fraco de mente, coração, alma, espírito e pé de ferro.

      Assisti as quatro partidas na competição e não vi os caras ganharem uma dividida.

      Ou acaba com o efeito Nutella na Base ou o efeito Nutella vai acabar com a Base do Galo.

      1. Pois é Ernest, tinha de passar uns vídeos do Cafuringa, do Dinho, do Eder Lopes, do Leandro Donizette, do Paulo Isidoro, Dionisio, para esse Savinho, Felipe Felicio, Luiz Felipe, para ver se eles entendam o que é raça. Aliás, eu queria o Leandro Donizette fazendo estagio como técnico no Galo, para assumir esse Sub20. Sinceramente o visual desses ” dois nutelas” é desanimador …

    1. Vem… só que ele se casa umas três ou quatro vezes por ano…sempre em momentos decisivos do time.

    2. Prezado Teobaldo. VAPOOOOOOO!!! O Galo deve passar pelo menos a cinco quilômetros de distância dessa família costa. Lembra do Fabio Costa e agora do Diego Costas ? O único da família Costa que deu alegria pra massa foi um goleiro adversário num gol antológico do Vanderlei.

      1. TEOBALDO ,

        cerveja com bolo é pracabá !!!

        Vcs , ultimamente , estão hilários por demais .

        Só rindo aqui …

  7. Bom dia Avila. Bom dia a todos. No elenco atual do Galo, tem Neto, Micael, Vitor Mendes, Calebe, Echapora, Felipe Felicio, Savinho ( mistura de Reinaldo com Ronaldinho), Rubens, Guilherme Castilho, Gabriel Delfim e Luis Felipe, ou seja mais de um time completo de jogadores oriundos da base do Galo. Se essa turma não for colocada para jogar na fase de classificação do Mineiro, como ensina BARATA ai é pracaba. Rodrigo Caetano, tá faltando tres na barca do Galo: Borrero, Guga e Tche tche…

    1. DOMINGOS ,

      o Nacional de Manaus ainda existe ?
      Seria uma boa saída pra aproveitar tanta gente .

  8. Bom dia, Massa e Guru

    Compartilho de sua opinião, caro Guru, quanto às saídas e chegadas, vida que segue, pois o ambiente é favorável.
    E prova disto e que ninguém comenta, é que após aquela fatídica bola fora do Guga na comemoração do título do Flamerda, parece que alguém acordou e passou a apresentar a história do clube, para aqueles que estão chegando. Então, todos sem exceção já chegam falando Atlético Mineiro sim, mas Galo também.
    Não, não é que eu não goste do clube ser chamado pelo seu nome, mas o atleticano, Mário Marra foi muito feliz, quando disse: “… O galo é algo que só pertence ao Atleticano…”. E melhor não se fala mais em torcida do Atlético e sim MASSA, como somos conhecidos.
    Belo cartão de visitas de quem está chegando, já antevendo que:
    A FELICIDADE MORA AQUI!

  9. Prezados Ávila, atleticanas e atleticanos!
    O galo continua ser o time a ser batido em 2022. Muito provavelmente o campeonato brasileiro deste ano vai ser muito mais difícil. Todos grandes times se reforçaram e reforçaram muito. Vamos aguardar como será o time na gestão do “El Turco “. Estou confiante, mas só saberemos como o galo vai jogar, depois de 5 ou 6 jogos, tempo necessário para ajustar o time. Iniciaria o mineiro, a exemplo do ano anterior, com o time alternativo, treinando o time principal para o quadrangular que vai definir o campeão.
    Este será o último fim de semana sem o galo. Ainda bem…
    Hoje e sempre, galo!!!

    1. ÂNGELO ,

      permita-me : time tem que ser montado de uma vez .

      As “alternativas” vão sendo aproveitadas ao longo da formação do time principal .

      Time base escalado , lança um novato no meio e outro no ataque hoje , jogo seguinte um beque e um lateral , e assim sucessivamente , independentemente do resultado da partida em curso .

      Assim vai dando pra ver se os caras têm condições de assumir responsabilidades .

      Assim foi com Vantuir , com Romeu , com Lacy , com Lôla …

      Exceção ( sempre existe ) foi com Barbatana , que lançou 49 jogadores de uma vez só .

      Também, com aquela qualidade…..

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.