Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Torcida sente falta do Galo Doido massacrando o adversário

O Atleticano é um ser diferenciado mesmo. O time não está lá essas coisas, mas o Torcedor jamais abandona e deixa de acompanhar em toda e qualquer competição. Se domingo passado éramos mais de 43 mil no Mineirão, seguramente na partida frente ao Tupinambás teremos um público ainda superior. Além do jogo eliminatório com o time de Juiz de Fora, vamos comemorar antecipadamente os 111 anos de fundação. Diga-se, nunca é demais repetir, com as mesmas cores e o mesmo nome.

E mais, com um time bem distante de outras grandes formações que tivemos no passado. Destacaria os times de 1971, do final dos anos 70 e início dos 80 e – evidentemente – aquela deliciosa bagunça de 2013. Se em 71 tínhamos Renato, Vantuir, Oldair, Ronaldo, Dario entre outros; na virada da década seguinte foi a vez de Reinaldo, Cerezo, Luizinho, Eder e tantos craques que encantaram o Brasil e o mundo.

Para falar de 2013 começaria com Ronaldinho, sem deixar de mencionar Victor (o santo), Rever, Pierre, Bernard, Jô e Tardelli. Qual a diferença dessas equipes com a atual? A meu juízo duas básicas. Grande aproveitamento de jogadores da base, notadamente o time da época do Rei. E a mais evidente, dentre elas, time que jogava para frente em busca do gol. Em todas essas formações, eram quatro atacantes que buscavam o gol a todo o momento.

Temos atualmente o Ricardo Oliveira, Alerrandro e ainda estreou no meio de semana o Rafael Papagaio. Referência dos times A, B e C do Galo nesta temporada, todos eles vêm jogando isolados no comando de ataque. Seja qual for a formação escolhida pelo treinador, mesmo quando não delira escalando três volantes, o sistema é defensivo e inibe aquele Galo rompedor que o Atleticano gosta e sempre apoiou.

Em 1971 o ataque era Ronaldo, Dario, Lola e Tião. Humberto Ramos ainda atuava bem avançado e contávamos com Beto e Spencer como opções ofensivas. No final dos anos 70, além de Reinaldo, nosso ataque teve em momentos diferentes, Pedrinho, Marcelo, Paulo Isidoro, Eder e tantos outros.

Já o time de 2013, com dois volantes que protegiam bem a defesa: Pierre e Leandro Donizete (eventualmente Josué) nos dávamos ao luxo de ter um quarteto ofensivo que deixava qualquer adversário em desespero. Ronaldinho, Tardelli, Jô e Bernard. Os placares elásticos eram uma constante.

Onde está o problema? Claro que nas mãos e definição do treinador. Optar por congestionar de volantes, que sequer povoam e protegem o sistema defensivo, é chamar o adversário para o nosso campo. Com isso, correr riscos e ser derrotado por Cerro Portenho, Nacional do Uruguai e que Deus nos proteja, não seja assim com o fraquíssimo Zamora. Falta ousadia.

Além disso, insistindo na ousadia, falta coragem de lançar jovens jogadores como faziam Telê Santana, Barbatana e até o Cuca. Na partida do meio de semana, depois de um começo fulminante, o time recuou e por pouco não cede o empate. Alerrandro marcou numa penalidade, mas no segundo tempo Papagaio sumiu no gramado pela falta de quem se aproximasse.

Entre os jovens garotos, alguns mostraram qualidade, mas não vem tendo sequencia. Citaria os casos do Bruninho, que fez um belo primeiro tempo; Cleiton vem se revelando ser uma ótima opção e ainda Danielzinho, Marquinhos, Papagaio, que merecem adquirir rodagem para se tornarem realidade. Para tanto, fundamental é que o treinador se inspire naqueles três que citei acima. Se assim o fizer, breve teremos boas opções para compor o elenco e disputar vaga no time principal.

Em tempo: descubram logo um lateral esquerdo ainda para a atual temporada!

*fotos: UAI/EM

46 comentários em “Torcida sente falta do Galo Doido massacrando o adversário

  1. O MAICON BOLT É MUITO MELHOR QUE D. TERANZ. O TERANZ TODA BOLA QUE PEGA OLHA LOGO PRÁ TRÁS E RECUA , O BOLT AO CONTRÁRIO , PARTE PRÁ CIMA , o que é o papel de qualquer bom atacante.
    AGORA LEVIR , VOLTAR COM ELIAS É BRINCADEIRA.
    ELIAS NÃO.
    VAMOS GANHAR ESSE MINEIRO.

  2. domingo,24_03.foi sò colocar o elias e o galo toma gol.o time nao tem esquema tàtico,joga com uma preguiça danada como se estivesse em amistoso.tudo isto è culpa deste arremedo de tècnico.e cà entre nòs,este tal de jair nao joga nada.

  3. Que me desculpem os fanáticos de plantão, os poetas intransigentes, os ufanistas, mas eu quero postar aqui minha opinião com um pouquinho de realidade do que me aconteceu em Dublin na Irlanda.

    Há um bar lá chamado Australiano, lugar onde se assiste jogo de tudo quanto é lugar.

    Pois bem, a primeira vez que fui assistir um clássico entre o Galo e o Cruzeiro, recente na cidade, esperava encontrar mineiros e atleticanos para prosear um pouco, pois minha cabeça já estava á epoca fundindo no começo com tanto inglês.

    E o que ocorreu para minha surpresa o número de torcedores era muito maior no bar. Ganhamos o jogo mas saí muito irritado do bar por conta disso.

    Mais um tempo e nas resenhas de boleiro, os brazucas davam mais valor pro lado de lá da Lagoa, que o nosso. Um registro: a torcida do Grêmio é a mais nojenta do Brasil.

    Então quando o Galo ganhou principalmente a Libertadores e eu
    explodi. Depois veio a Copa do Brasil. De lavar a alma. Fiquei em cada conquista buzinando 3 dias.

    Gente … já se passaram vários anos e nós estamos falando de Galo Doido até hoje. Enquanto isso o azulinho e a turma nadando de braçada.

    Eu quero é caneco e menos poesia. Mais realidade e menos verso. O nosso barco está ficando pra trás. Todo mundo está vendo: menos nós.

  4. Bom Dia!
    O que está escancarado é o fato de que Levir não está demonstrando vontade, “gana” de vencer, de reverter placares quando estão adversos. Não demonstra qualquer conhecimento dos adversários quando escala o seu time e nem durante a a partida. Como explicar aquela formação bizarra com Elias de “atacante”, jogando em casa em uma libertadores contra um time bastante limitado? Jogos de libertadores em casa são para massacrar o adversário, deixá-los com medo. doidos para acabar o jogo! Mas Levir caiu naquela frase do Luxa: “O medo de perder tira a vontade de ganhar.”. O Levir que temos hoje está muito convicto da história de ser “burro com sorte” e como eu já disse, a sorte passa, mas a burrice, essa continua… Mesmo tendo um elenco limitado, esse time não está jogando “no limite da limitação”, não estão tirando tudo que esse elenco pode render.

  5. O futebol brasileiro está de baixíssimo nível. Como pode uma seleção de futebol como a nossa depender e um único craque.??? A verdade é que só temos Neymar , o resto é japonês.
    Qual o craque tem o nosso GALO ??? Nenhum.
    HOJE O NOSSO PRINCIPAL PROBLEMA É O ESQUEMA TÁTICO. LEVIR ESTÁ COMPLETAMENTE PERDIDO.
    Agora Caro Eduardo Davila , esperar que dessa nossa BASE vai sair alguma coisa que preste , aí já é querer se iludir demais. A NOSSA CATEGORIA DE BASE É MUITO RUIM. NÃO REVELA UM ÚNICO CRAQUE A DÉCADAS. Ou alguém aí considera Bernard e Jemerson craques.??? CRAQUES, nunca foram.
    Craque é REINALDO E TONINHO CEREZO. Estes sim , estão entre os melhores do mundo em suas posições.
    ACORDA LEVIR. BOTA ESSE TIME PRÁ CORRER.

  6. Terans, Levir? E a volta de Ricardo Oliveira? Putamerda! Mas como gosta de complicar! Coloca o Bruninho na esquerda e o artilheiro Alerrandro, seu burro!!

  7. Boa tarde, Eduardo. De que adianta um galo doido massacrando o adversário para no final não ganhar nada? O que aquele timaço dos anos 80 ganhou? E a seleGalo? Eu sinto falta de um time inteligente que ganhe títulos. Mas um time inteligente só se consegue com diretoria inteligente. E as que o Galo tem só sabem massacrar o time e o patrimônio do CAM. Ah, como sabem massacrar.
    Saudações alvinegras.

  8. Boa tarde Eduardo e massa. Desde 2014 não temos mais o galo doido massacrando o adversário,Levir voltou ultrapassado e burro e não sabe armar um galo doido. Ok mais me desanima nesta diretoria que não tem competência para contratar um lateral esquerdo para ser titular e desaparecer com Fábio Santos do time. Alias o vice-presidente disse que está difícil de contratar um lateral esquerdo é muito incompetência. Que venha o tupinambás ,vai galooooooo.

  9. Achei péssima a escolha do dudu nobre pra fazer o show na esplanada do Mineirão no domingo. Além de ser um cantor ruim, fraco, ainda é torcedor declarado do framengo. Deveria ter sido contratado um artista mineiro e Atleticano (por favor, sertanojo não!!!!). Nós mineiros, ainda somos muito provincianos e temos o péssimo hábito de valorizar a grama do vizinho mais do que a nossa. Uma pena, o campo vai estar cheio e perdemos uma oportunidade de realizar um evento que tivesse nosso DNA. Sigamos! SAN

  10. Campeonato Mineiro vale nada. Simples assim. Só existe um adversário para uma final mais que anunciada. Os regionais ocupam boa parte do calendário com jogos horríveis e tediosos. Minha opinião é que deveriam ser extintos. Porém, sabemos que isso não vai acontecer por várias razões. Assim sendo, porque as Federações em conjunto com a CBF não os padronizam? Por exemplo, todos os regionais com 10 clubes apenas. Fase de classificação com 9 jogos, os 4 primeiros fazem a semifinal e final em jogo único. O campeão faria 11 jogos. Começaria em meados de janeiro, e terminaria em fevereiro (1 mês e meio de duração), com o BR na primeira semana de Março. BR com jogos só aos finais de semana (parando em datas FIFA) e Copas no meio de semana. É tão difícil? Falta boa vontade. Um estadual com 3 meses de duração está fadado ao fracasso.

    1. Caro,
      Ok, concordo. Mas enquanto ele existe nós ñ tamos nem aí e entregamos prás marias? É isso q vc propõe. Acorda, irmão, para de repetir o SUPER JC bajulador de poderosos. O Mineiro é uma competição, quer vc queira que ñ…Se o Galo entra, entra prá competir eVENCER… É cada um…

  11. Boa tarde xará e amigalos! Pra mim Levir Culpi já está com prazo de validade vencido. Suas “teorias” já são ultrapassadas e só ganhou a Copa do Brasil 2014 porque pegou um time pronto, entrosado e de qualidade. O elenco que temos hoje no GALO é limitado e mal escalado. Não espero nada em 2019 deste elenco. A defesa tem bons zagueiros, mas zagueiro sozinho não rende. Laterais não marcam e meio de campo não marca ninguém. Ficam só na ameaça de marcação. Qualquer time com atacantes rápidos deita e rola em cima do GALO. O único jogador que desequilibra pela inteligência, dedicação, mesmo limitado fisicamente é Luan. Liberaram o Otero. Depois de sua saída apareceu alguém melhor do que ele? Sua saída resolveu o problema financeiro do GALO??? Esse Bolt foi contratado pra que????? Papagaio???? Não existe mais lateral esquerdo para contratar???? Então o GALO de hoje é reflexo da incompetência administrativa de uma péssima safra de dirigentes ruins que temos no Conselho e que assumem a Presidência e Diretoria do Clube. Brasileirão está logo ali…..

  12. Como eu gostaria de estar escrevendo aqui neste espaço hj com nosso time em primeiro lugar na fase de grupo da libertadores. Como eu gostaria que o atleticano desse menos atenção ao campeonato rural e desse mais prioridade às grandes competições. Parece que o atletico tem sede de ganhar o rural e não às outras competições que realmente interessam. ta mais q explicado que nosso time é o que mais ganhou o rural e em contrapartida tomamos lenhada em todas as outras competições do time do outro lado da lagoa.

  13. O negócio é o seguinte, Elias tá velho, não tem mais mercado pra ele. Não estou dizendo que outros clubes não o queiram. Sim, eles querem. Só não estão dispostos a desembolsar pra te-lo. A real é que o Galo perdeu. Jogou dinheiro no ralo. Fez uma péssima aposta quando gastou o que não tinha pra contratar esse ex jogador em inatividade. Agora já era. Então, é tentar passá-lo pra frente enquanto dá pra pegar uma merrequinha qualquer e se livrar desse salário absurdo que essa cara ganha por mês.
    Entendeu, Marquês? Não faça uma burrice ainda maior de renovar com esse, esse,…

  14. Um belo texto, nostalgia nesse dia chuvoso, emociona. Lembrei-me de meu Pai, quando eu era criança não me contava historinhas de princesas, sim as peripécias dos Super-Heróis Dadá, Reinaldo, Cerezo e cia. E assim fiz/faço com o meu.

    Mudando o assunto,
    Em minha opinião, depois do distrato com o cone, a melhor coisa que 7 Ziza Câmara fez foi essa volta ao Mineirão. O pobre ficou feliz por ir ao estádio acompanhado dos filhos, as crianças ficaram felizes, a maioria da Massa gostou. Aí me vem o Gargamel com suas bocarrotices.
    Já o defendi, sabemos que tem o seu valor, mas como não sou kalilzete, eu sou ATLETICANA, digo: cala a boca, Kalil! “Futebol não é pra pobre”, não é. Nem caridade. Mas um Clube bem administrado, sem a folha inflada com pagamentos de filhos de ex-presidentes, sogra, parentes de jornalistas que cobre F1 e jogadores inúteis como diaRea e cia…poderia – mais vezes – dá essa alegria ao verdadeiro Torcedor que carregou o Galo nas costas nos anos negros. Por que essa teimosia com o Independência e ingressos caros???
    Tentando se desvincular do fantoche, disse ainda que deixou as contas equilibradas. Oras, se o seu pupilo Nepô quem fez a merda toda sozinho, por que ganhou como prêmio um cargo à frente do projeto da Arena? E quanto era o salário dele? Segundo o Jornal O Tempo a sogra ganharia 30mil… Agora foi nomeado num 2 do Min. Do Turismo, quem indicou? Seria Nepô um Queiroz?
    Aí vem a melhor parte da entrevista: Kalil demonstra insatisfação com Sette. Pensou que o Tenente cheio de empáfia iria se sujeitar à “hierarquia” do General Dono do Clube. Mas ao que parece a criatura se voltou contra o criador. GARGALHADAS.
    Senhor Kalil, se quer fazer algo útil peça pra abrir a caixa preta e branca da sua gestão, do Nepomuceno e da atual (em especial contratos feitos por Gallo) e exponha à Massa. Ah, e “devolva” a Adriana Branco ao CAM. Desde já agradeço.

    #GNVQuerVotar

    1. Ola Dra, que TRISTE………..tem jeito de explicar a frase “…dá essa alegria ao verdadeiro Torcedor que carregou o Galo nas costas nos anos negros.” O que seria “anos negros”? Os melhores anos do Galo? ou poderia ser “anos brancos”?

      1. Olá Antônio Carlos Mata,

        “TRISTE” por uma questão de semântica? Lamento. Sim, eu posso explicar:
        Quanto ao verdadeiro Torcedor que carregava o Time nas costas, eram os mais humildes que lotavam o Mineirão pra empurrar Times de perebas, não? “ Time de preto, de favelado, mas quando joga Mineirão fica lotado”. Não considero justo que agora que demos uma “melhorada” queiram excluir esse Torcedor do estádio.
        Quanto aos tempos negros:
        Etimologicamente negro vem do latim niger, que vem a significar: preto, sombrio, tenebroso, tempestuoso, infeliz, de mau agouro, enlutado, fúnebre, triste, melancólico, mau, perverso, malévolo, pérfido.
        Não fiz alusão à raça, pois para mim se existe a raça branca (que é cor) existe também a raça preta. Concordo com militantes de movimentos de combate ao racismo que dizem que “nem todo negro é PRETO”, dizem ainda que “ não é monitorando palavras que vamos eliminar o racismo”.
        Outro dia vi um homem aqui comparar o futebol do Galo ao “samba do crioulo doido”, e ninguém disse que ficou TRISTE. Se eu fosse vitimista, feminista, racista ou outros “istas”, diria: que TRISTE, está sendo misógino comigo.
        Como NÃO sou (as únicas bandeiras que levanto são as do Respeito e do CAM), humildemente refaço a frase: ‘tempos melancólicos’; está bem? Se o senhor se sentiu ofendido, peço as mais sinceras desculpas.

        Atenciosamente,
        Lucy S.

          1. Respondi com honestidade e dados comprovados negando sua afirmação anterior. LAMENTÁVEL é o modo falacioso com que tenta – usando apenas uma palavra – manipular meus argumentos à sua conveniência para não reconhecer que errou. Acusações e paranoias são características dos abusadores emocionais.
            Saiba que não tenho disposição para que descarregue sobre mim as SUAS doses de frustração e negatividade. Se te faz bem, continue monitorando meus textos.

            Abraço.

  15. Olá amigos da bola!

    Me permita caro Eduardo, aproveitando o título instigador de hoje, usar este espaço para publicar uma crônica que fiz, falando sobre futebol brasileiro “atual”, foi feita por mim, mais ou menos há 15 anos atrás, de lá para cá, só piora.

    CRÔNICA SOBRE O FUTEBOL BRASILEIRO ATUAL

    AUTOR – JORNALISTA – ANDRÉ TEIXEIRA NUNES
    ———————————————————————–

    MEDO DE TER CORAGEM!….

    Aos poucos, morre o futebol arte brasileiro!…
    Estão desvirtuando as características de nossos jogadores!

    Em qualquer segmento, atividade que desempenhamos, “o medo”, isso mesmo, “o medo” é o nosso maior obstáculo. É o pior inimigo que temos pela frente. Ele é cruel e nos faz reféns de nós mesmos, impossibilitando-nos de prosperarmos. Incrível não? Às vezes, nos vemos incapazes de realizar algo, que lá no fundo, bem lá no fundo, sabemos que temos condições de executar. No entanto, por causa dele, “o temido medo”, somos aprisionados e derrotados, principalmente por causa de nossa incapacidade de superá-lo.

    Existem vários tipos de medo! o medo de encarar uma dificuldade qualquer, o medo de fazer uma prova decisiva, o medo de arriscar um chute a gol e errar o alvo, o medo de colocar em campo, um time ofensivo, enfim, o medo de termos coragem! E por traz desta palavra pequena e aparentemente insignificante, “MEDO” oculta-se o maior de nossos oponentes, aquele que mais consegue nos vencer, ele é insistente e aterroriza as nossas pretensões. Somos prisioneiros dele, “DO MEDO”.

    No atual futebol brasileiro por exemplo, existe treinador que exagera no medo, infelizmente é o que mais ocorre no Brasil, logo aqui, terra de solo fértil e de matéria prima preciosa, a espera de ser encontrada e lapidada, afinal de contas, não é atoa que somos penta-campeões mundiais, mas do jeito que vão as coisas por aqui, a continuar assim, nunca mais conquistaremos títulos. No passado, tínhamos um arsenal farto, mas os nossos treinadores não se deram conta disso. Então, a maioria começou a inventar, a copiar o futebol pouco criativo da Europa, e as coisas se complicaram gradativamente, desde então, apareceram vários treinadores “retranqueiros” e aos poucos o nosso futebol arte, foi desaparecendo. “Talvez isso tenha ocorrido, pelo pragmatismo de que tudo no exterior é melhor”.

    Do outro lado, os europeus priorizavam a defesa, por faltar qualidade no ataque. O arsenal deles era ínfimo, por isso passaram a importar tantos jogadores, na verdade a vontade deles, sempre foi explícita, ter jogadores habilidosos e criativos. Mas habilidade e criatividade, são dons inerentes principalmente aos brasileiros. Mas então, o que fizeram nossos profissionais da bola? Simplesmente, deixaram de fabricar boas armas e aos poucos, fomos perdendo nosso poderoso arsenal ofensivo.

    É fato, o futebol brasileiro vem morrendo ao longo dos anos e as raízes da mediocridade e do fracasso, estão cada vez mais profundas e resistentes e enquanto não houver uma reciclagem na cabeça daqueles que promovem o esporte, nada muda. A verdade é que há muito, estão matando o nosso futebol, principalmente no nascedouro, “nas categorias de base”. Hoje em dia, os jogadores habilidosos são preteridos, os robustos, prestigiados. No futebol brasileiro de hoje, não existiria lugar para Garrincha, Zico, Reinaldo, Romário, Bebeto e tantos outros craques que fizeram no passado, o futebol “arte”. Eles seriam eliminados nas famosas peneiradas e talvez nem chegassem a participar do processo seletivo, seriam barrados mesmo antes de entrarem em campo, pois os principais requisitos da maioria de nossos treinadores, são: Altura e força. Mas graças a Deus que antigamente, essa filosofia não era unanimidade por aqui, muito pelo contrário, ou então, nunca teríamos conquistado tantos títulos.

    Mas como já havia dito anteriormente, o Brasil é terra de pedras preciosas, basta serem encontradas e lapidadas e para isso ocorrer é preciso começarmos do zero, a filosofia da qualidade e da ofensividade, precisa retornar aos gramados brasileiros e para começar, tem que ser nos nascedouros, nas categorias de base. É um trabalho a longo prazo.

    Um outro problema, é a podridão do congresso nacional, que tomou conta também, da Confederação brasileira de futebol, a CBF. Mas isso é uma outra história que fica para o próximo capítulo.

    O Futebol Mercantilista Brasileiro

    Valeu, até o próximo comentário!
    A imagem pode conter: 1 pessoa, óculos de sol e atividades ao ar livre

  16. Olá amigos da bola!

    O Atlético precisa de uma coisa!….

    De um presidente torcedor, apaixonado pelo clube, apaixonado pelo futebol!…..

    Quer um bom exemplo???

    O Eduardo de Ávila!
    Se esse cara fosse nosso presidente………. Ah!….. cara!…… Certeza que nosso GALÃO DA MASSA seria uma máquina de jogar futebol e de ganhar títulos importantes. Isso, pelo simples fato de que o nosso Eduardo é torcedor ferrenho, apaixonado!……

    O problema do galo é esse! Não temos um torcedor no comando….
    O nosso Galo sempre foi comandado por gente que usa o clube para outros fins…. Gente do ramo empresarial, gente política, gente isso, gente aquilo………!!!!!…. Chegamos ao cúmulo do absurdo, de ter na presidência, gente que não entende de futebol, que não gosta de futebol…. Aí fica difícil.

    Quanto ao time!
    Já disse aqui várias vezes!…… Futebol brasileiro atual é fraco! Nossos péssimos treineiros retranqueiros, ao longo dos anos conseguiram matar nossa habilidade, matar a arte, a magia do futebol brasileiro. Magia essa, que no passado encantou os europeus, e por esse motivo, vinham aqui buscar nossos meias habilidosos, nossos centroavantes matadores.
    Nossos horrorosos treinadores abdicaram da habilidade em detrimento da estatura e força, isso ocorreu, ocorre, no nascedouro, na base…. Lá, o pré-requisito para conseguir vaga no clube, não é mais a habilidade. São outras coisas que definem quem fica. São: a estatura, a força, é jogador de empresário que entra por esse, aquele motivo, é o filho desse, ou daquele camarada, indicado por esse ou aquele camarada, que isso, que aquilo, e por aí vai.
    Um trabalho sério na base, seria a solução dos problemas do Galo a médio longo prazo, se as peneiras fossem realmente sérias, buscassem exclusivamente a habilidade, tenho certeza, nosso Galo seria um dos maiores do mundo.

    Retornando ao time, nosso elenco não difere tanto dos considerados mais fortes do país. São todos mais ou menos mesma coisa, todos japoneses. O que define as conquistas ou não, são principalmente os treineiros….. E nós não temos bom treinador, aliás, não tivemos bom treinador nos últimos anos. Só passaram por aqui, retranqueiros.

    Resumindo, com retranqueiro a frente do Galo, perderemos tudo. O cara é muito medroso. Por causa do medo do sujeito, perdemos todos os jogos da Liberta, ele amarrou o time, ele limitou o time apenas a se defender, nossos adversários são fraquíssimos, se o galo entra jogando pra frente, marcando alto, jogando em velocidade, venceríamos fácil. Mas……..

  17. Sigo e apóio o nobre blogueiro.
    O DNA do Galo é ofensivo! A torcida grita ” Vai pra cima deles Galooô”, e não “Vamos segurar”. Porisso o Luan não pode sair. Quando começam aquela rodinha no meio campo de passes laterais e para trás, ele vai para cima. Pode perder a bola, sim. Mas se não vai para cima, não se faz gol.

  18. Caros,
    Concordo, Telê/Barbatana/Cuca, os maiores da Era Mineirão. Em outras épocas houve grandes treinadores e excelentes times…Ñ ESQUECER!
    Tradição aprimorada: na passagem do Independência pro Mineirão as serelepes vaidosas dominaram o futebol mineiro com um futebol técnico, cadenciado, sonolentozzz…Telê chegou prá quebrar isso e retomar a hegemonia; montou um time catimbeiro, o oposto do lado de lá, baseado na velocidade, na compactação, na garra. Criou assim um Escola Atleticana (sim, Srs.) muito respeitável q, nas década de 70, com Barbatana, e 80, agregou muita técnica no ingrediente…Cuca, q ñ retorna ao Galo pq a VAIDADE de “Quem Ganhou a LA” ñ permite, foi o perfeito CULTOR dessa Escola Alvinegra, acrescentando à técnica, à garra, genialidade. Aquela bagunça era tudo q nosso CAM precisava ali.
    Houve um hiato antes: nos anos 90 nós passamos a experimentar pesado o SEM SAL da MEDIOCRIDADE…em fins de meados dos 90 Levir aportou aqui pela 1ª vez. Entre idas e vindas desse MEDIOCRE e similares, passamos todo o 2000 no SAL. Acham coincidência q qnd teve chance de fazer trabalho digno aqui, fugiu pro Japão, naquela etapa de retomada 06/08/08? Cabe parênteses pro COMEDIANTE pq ele é idiolatrado pelos cabeções da CdoBr14. Ñ querem enxergar o óbvio a partir das próprias e atuais atitudes do entregador de camisa comediante…é por causa das viúvas q ele ñ abandona o osso…trabalhar, REFORMULAR, q é bom, nada.
    7, fi, seja vc mesmo…o comediante tá na hr extra…
    SOS TORCIDA ALVINEGRA!
    Obs.: tomara q a gente ganhe o desprezado Mineiro, já é alguma coisa…
    Obs.: ñ boto fé em categoria de base q apelida seus jogadores tudo em inho: e um tal danielzim, brunim, marquim, etc. Ah! e R10? P..era Ronaldim Gaúcho…então q seja Danilzim Serra2, Brunin da Conceição (cruz credo! toc toc toc), Marquim Killer etc…Tamo já cheio pipoca, perna de pau, cerca lourenço…chega de jogadorzim…
    APOSTA: Cuca arruma os bambi em 3,2,1…
    GALO SEMPRE!

  19. Sabe do que eu sinto falta meu amigo temporão?! De um GALO que jogue futebol,apenas isso! É pedir muito? Talvez! Quem teve a oportunidade de ver estes times citados em vossa letra de hoje,sente falta de um “trem” simples que este pessoal fazia,jogavam bola, muita bola. 4 3 3 com dois pontas abertos e dois meias alimentando o centro avante, nunca mais! Abs, saudações e #GALOSempre

  20. Impressionante. O blogueiro não esquece de atacar o lado azul, que mudando ou não de nome é o que representa o estado com dignidade, ganhando títulos e mais títulos e fazendo dois terços da torcida mineira feliz. Inveja mata viu ?

    1. Afoncio, pela centésima vez. Vamos ver se você entende. O Cruzerim pode ser, por ora, o clube de mais títulos, afinal precisa disso. É caso de necessidade. Para poder aparecer na foto ao lado do irmão mais velho e mais alto. Mas o Galo é o clube de maior e mais vibrante torcida. É por isso que ele é grande. Entendeu? É porque tem a maior torcida. Fique com seus títulos. É a única coisa que têm. Sua torcida tem a vibração de uma reunião de condomínio e a virilidade de um convento.

  21. Bom dia!
    1) No meio da semana o Galo começou avassalador, abrindo 2×0 de cara. Aí eu pensei, “o Baeta não vai aguentá”, mas infelizmente o Galo, de uns tempos pra cá, seja com o time A, B ou C, consegue transformar uma partida muito fácil em muito difícil. Isso revela que o treinador não sabe mexer as peças, não sabe mudar uma equipe pra melhor, não sabe comandar um vestiário.

    2) É a quinta vez que Levir passa pelo Galo e ele ainda não aprendeu o que é isso, e revelou essa semana não saber nada, absolutamente nada sobre a MASSA. Pedindo apoio da torcida contra o Zamora? Como assim? Isso nunca foi preciso! A não ser que ele esteja com ideias malignas de voltar com Patric e Elias.

    3) Desanimadora a fala do vice presidente Lázaro Cunha, sobre a busca por um lateral esquerdo. Isso é uma vergonha! Isso é um absurdo! Estamos no fim de março e até agora essa diretoria incompetente não trouxe um lateral esquerdo, mesmo vendo todos os jogos, o Galo levando gols, que na maioria, nascem naquele setor, pois o fraquíssimo FÁBIO SANTOS, só sabe fingir que marca, não sabe atacar, não sabe cruzar e não sabe cabecear.

    4) A Galoucura canta, a Massa se levanta e o coro é: “Vai pra cima deles Galôooo!” Mas parece que treinador e jogadores estão surdos! É muita murrinha dentro de campo. Acho que vai levar um tempo pra nos livrarmos da inhaca que o Elias deixou no time.

    5) Muita saudade de ver Cerezo levantando a cabeça e mandando um lançamento de 50, 60 metros, encontrando o Rei que iria deixar 2, 3, 4 marcadores pra trás e com uma cavadinha genial ia fazer a bola chegar mansamente às redes adversárias.

  22. Salve Massa e Guru!

    Caro Guru, vc realmente ainda acredita num bom trabalho do piadista burro com sorte? Eu não. Se na sua última saída do clube houve injustiça, agora a injustiça para mim é sua permanência. Além de um esquema tático covarde, a escalação de jogadores que nitidamente já mostraram que não tem competência para jogar no clube, mostram o desprezo que este sr. Tem para com a torcida. E para piorar nossa diretoria mostra sua incompetência ao não contratar um lateral esquerdo, fazendo com que a torcida continue passando raiva como carequinha. E para piorar agora vem o entregador de camisas convocar a torcida, como se isto fosse necessário, e como se a torcida estivesse contente com seu trabalho. Que dureza !!!!

    Té + e FORA triunvirato ELIAS, FÁBIO SANTOS E PATRIC!!!! FORA PIADISTA BURRO INCOMPETENTE COM SORTE!!!!

  23. Bom dia Eduardo e Atleticanos. Como deve ter sido bom ter a oportunidade de ver os grandes times de 1971 da segunda metade dos anos setenta e inicio dos anos oitenta jogar. Para os privilegiados atleticanos que tiveram essa oportunidade, penso o quão decepcionante é ver o Atlético com esse time de futebol de quinta categoria, capitaneado por um treinador que vem demonstrando o quanto defasado ficou.
    Dos grandes times do Galo que vi jogar, os da década de oitenta e o campeão da libertadores de 2013, é nítido o quanto o time atual do Atlético caiu em termos de qualidade técnica e tática – a diferença é abissal. Faz mais de dois anos que não me lembro de uma partida de futebol em que o time do Atlético apresentou-se como um time de primeira linha, com futebol bem jogado e de qualidade, mesmo percebendo a fraqueza e falta de qualidade dos adversários.
    Quais são as causas dessa derrocada? crise financeira, diretoria sem qualificação administrativa e capacitada para gerenciar o futebol do clube, faltas de cuidado com as divisões de base, efeitos da famigerada lei pele, corrupção, contratações abusivas e mal avaliadas, etc… Certamente alguns desses motivos o Atlético sofreu como todos os demais clubes do |brasil . O problema de o Atlético estar com time inferior aos times de ponta atuais no brasil são os efeitos das péssimas administrações que passaram por Lourdes. Atualmente, a diretoria do Atlético parece ter a torcida como seu rival. Assim mantem total reserva e portas fechadas em dar transparência ao que estão fazendo administrativamente e financeiramente dentro do clube. Quanto ao futebol, este por sua própria natureza, é transparente e o que se vê é uma diretoria repleta de erros e decisões equivocadas, mantendo um treinador ultrapassado e um time limitado, cheio de carências e com enroladores profissionais da bola, ganhando salário muito além daquilo que deveriam pelo produto que entregam. O cenário atual é digno de levar à bancarrota qualquer clube, mas o Atlético, pela sua força, grandeza, estigma e pela torcida que tem, consegue se manter na luta e firme de que tal situação passará e em futuro próximo espera-se administradores melhores, capacitados capazes de elevar o clube às mais altas conquistas que é o lugar do Atlético e não ser mero participante de campeonatos. Saudações Atleticanas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*