Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Ser Atleticano é um Ato de Fé

 Max Pereira
@pretono46871088
@MaxGuaramax2012

Há 62 anos assisti, pela primeira vez em minha vida, o Atlético jogar ao vivo, sentado nos ombros do meu velho e saudoso pai. Era uma noite fresca e com ar de chuva de uma quarta-feira que lá vai distante. Onde? No velho estádio Antônio Carlos, onde hoje se ergue o Shopping Diamond Mall. Naquela época 95% da população de BH era atleticana. Por isso, e até hoje, Galo e povo é uma coisa só. Para mim e para todo o sempre, amém. Embora os tempos sejam outros, com crescimento e diversificação da população, a massa do Galo continua absoluta em Minas. E a paixão cada vez mais desmedida e inexplicável.

O vermelho foi sempre uma cor que me chamou a atenção. Sempre foi a cor de minha preferência. Meu lápis de cor preferido era vermelho. E o casamento com o preto e branco tatuado em meu coração foi perfeito. Afinal, qual é a cor da crista do Galo? Vermelha, claro.

Lembro também de uma manhã de outra quarta-feira. Não era a quarta-feira do Goulart. Mas não era uma manhã de quarta-feira como as outras. Do outro lado do mundo o rival entrava em campo para disputar o título mundial interclubes, também conhecido, na época, como Copa Toyota, contra o Borussia Dortmund da Alemanha, então campeão europeu. Com um 2 x 0 que não deixava dúvidas, o Borussia entrou para sempre nos corações atleticanos. Um foguetório varreu os céus cujo horizonte ficou ainda mais belo do que nunca. Após o jogo assisti a uma das cenas mais lúdicas, emblemáticas e impressionantes de toda a minha vida. Uma demonstração de que, para a paixão atleticana não existe limites e, principalmente, barreiras.

De um lado, um senhor negro, de aproximadamente cinquenta e poucos anos, maltratado pela vida e, provavelmente morador de rua, bailava feliz, ora cantando o hino do Atlético, ora entoando o grito de Galo. A par da velha camisa preta e branca suja e surrada, a alegria estampada naquele rosto coberto por uma barba crescida e suja, um sorriso de um gozo profundo revelava os poucos dentes enegrecidos que ele ainda tinha em sua boca, não deixava dúvida de que aquele corpo já decrépito e, profundamente marcado por uma vida dura e difícil, era sacudido por um espírito atleticano.

De outro, uma senhora, balzaquiana, aboletada ao volante de seu carro caríssimo, estava absolutamente igualada a ele pela mesma paixão. Ela abriu totalmente o vidro de sua janela e esticou os braços finos e elegantes, pontuados por um solitário que se destacava em seu anular esquerdo. Sorrindo e também bailando como podia a aquela senhora também entoava o grito de Galôôôô.

E o que era impossível em condições normais de temperatura e pressão, aconteceu diante dos meus olhos. Aqueles dois seres, completamente diferenciados pelas vidas que levavam, por alguns momentos que pareceram eternos, transpuseram todas as barreiras que a escala social lhes impunha e, acredite quem quiser, deram-se as mãos e bailaram juntos, cantando o hino mais lindo do mundo. Eles eram atleticanos e isso bastava. Nada mais importava. Toda e qualquer diferença não tinha, naquele momento, nenhuma importância. Por um breve é mágico momento foram absolutamente iguais.

Ao final desse texto quero render uma homenagem a uma atleticana fantástica que tive a honra e alegria de conhecer: Lambreta, folclórica moradora de rua e mascote dos estudantes de engenharia naqueles tempos nada dourados, que viveu sua vida em preto e branco e nada mais importou.

Com estas memórias, embaralhadas, dentre outras, pelas lembranças do queixo no peito e no ombro do Beija-Flor Dadá, da genialidade do Rei e da magia do bruxo R10, confesso que ainda acredito no título. Quem quiser saber mais desses personagens e conhecer outras historias do Galo acesse https://www.falagalo.com.br/preto-no-branco/marcas-de-uma-paixao-em-preto-e-branco-historias-ou-estorias-quem-sabe/ e leia o artigo “MARCAS DE UMA PAIXÃO EM PRETO E BRANCO: HISTÓRIAS OU ESTÓRIAS? QUEM SABE?”, Coluna Preto no Branco no Fala Galo.

32 thoughts to “Ser Atleticano é um Ato de Fé”

    1. Será que um dia alguém ainda vai ter coragem de “botar a boKa na lata” e denunciAr quem Levou rios de dinheiro com a Ida do Atlético para aquela pociLga?

  1. Oi Eduardo, Max e Amigos, boa tarde!

    Legal o texto de hoje. Sempre é bom refrescar a memória.

    O Galo do passado me empolgava mais. Talvez pela raça e o amor que aqueles jogadores, quando em campo, honravam a nossa Instituição e o nosso Manto Sagrado.

    Hoje é diferente, o próprio futebol mudou muito.

    Na maioria das vezes, os times como um todo são formados por jogadores forasteiros.

    Vida que segue. Amanhã é o confronto com o falecido Vasco. Aí é que mora o perigo. O Galo adora ressuscitar defuntos.

    Sem esperanças pelo título, permaneço na torcida para que conquistemos uma bela e convincente vitória.

    Com o secador ligado, torço também para que os principais concorrentes tropecem e que nossas chances de título estejam vivas.

    Cinquenta anos de bico seco me incomoda demais.

    Boa sorte para todos nós.

    Saudações Alvinegras,

  2. De férias estou, graças a Deus. Mas o futebol, não. E o Galo, como sempre, indo para o buraco a passos largos, capitaneado, como sempre nessas empreitadas, por Ricardo, o Pior. Isso é razão suficiente para eu vir aqui nesse blog fazer novas suposições acerca do futuro nada promissor do clube.

    E faço isso, claro, sem ter que dar satisfação a ninguém. Quanto mais a gente por quem não nutro qualquer simpatia. É livre aqui? Acho que ainda sim.

    E se venho ou deixo de vir, isso é assunto exclusivo meu. Venho quando quero, quando quero me vou. É bem simples.

    Hoje, necessário dizer algo inédito. FORA SAMPAOLI. E eu aqui fiz até um mea-culpa, dizendo que Sampaoli meio que me “enganou”, mas acho que nao. Sampaoli só passou a ser péssimo dos péssimos quando 7C, o segundo pior, já sabia que nada mandava, e que o clube estava, de fato, nas maos de Ricardo, o Pior.
    Daí, dá-lhe Tiki-Taka a la Tite, o Péssimo. Se aquilo é técnico, eu sou o Papa.
    Marketing puro.

    Pode trazer DEUS, que nas maos de Ricardo, o Pior, vira o capeta.

    E Tardelli é melhor que qualquer atacante do Galo escalado para o jogo contra o vascaindo.

    Apenas Fora Sampaoli.

    A situação do Galo é tão ruim que julgo ser relevante registrar minha insatisfação aqui. Faço-o, portanto.

    Apenas Fora Sampaoli. Horroroso.
    Mas nao ao ponto de ser um Ricardo. Isso nao.
    Por que, como dizia minha antiga professora de Educaçao Artistica, o que é perfeito, é arte. Até o perfeito incompetente.
    E, nisso, Ricardo, o Pior, é imbatível. É um artista, e é pura arte.
    Me lembra aquela obra, O GRITO… Horrível, e perfeita. Perfeitamente horrível.
    Esse é Ricardo, o Pior.

    Apenas Fora Sampaoli.
    E, Kalil… me ajuda aí, né?
    Você é o melhor, mas tá devendo.

  3. Salve, Massa, Max e Guru!

    Já com o pensamento no próximo jogo e ainda confiante de que estamos firmes na disputa do título, sigo também confiando no time.
    Jogo de extremos: ou vamos ressuscitar nosso complexo de Robin Hood (tira dos ricos e dar aos pobres) ou vamos ter uma vitória acachapante, porque o desespero do time Cruzmaltino pode servir de arapuca para eles, se partirem pra cima do galo.
    A figura chave neste jogo será Sampaoli que se usar da sensatez, coerência e principalmente inteligência, poderá sair de São Janu com um ótimo resultado.
    Para tanto deverá não só escalar bem, mas principalmente se tiver que mexer no time, que escale jogadores compromissados e capacitados.
    Aliás, falando em coerência. Não foi El pelado que pediu jogadores experientes porque o elenco era muito jovem? Ai num jogo de suma importância e pegado na hora de substituir me coloca o Calebe e Borrero.
    Se liga “Sampaoli”

  4. 1 – O ex rival na B e o Galo campeão BR… O final dos sonhos de todo atleticano. Oh Galão, faz essa – Massa feliz, joguem por nós. Agora temos 8 finais. Chegou a hora da onça beber água. São aqueles jogos que o Guardiola diz que decidem o campeonato.
    2 – O Fla embalou, acho difícil perder mais pontos, desponta como favoritaço. O que resta ao Galo é somente preocupar com si próprio, fazer a sua parte. Vamos lá, 8 vitórias. E isso passa pelo jogo de sábado contra o Vasco. Só a vitória interessa.
    3 – Preocupa a quantidade de jogos em que o Galo toma gol depois de 30 do 2t. O time se desconcentra. E isso vem de muito tempo. Tendo chance, mata o jogo logo. O time precisa ser mais malandro pra segurar resultado, tem que “furar” a bola. Dois exemplos: empates contra inter e Grêmio.
    CHEGOU A HORA DA VERDADE. o EX RIVAL preparando festa para os 50 anos sem título do BR, já pensaram que balde de água fria??? EU ACREDITO NO GALO.

  5. Boa tarde a todos!
    05 pontos de diferença do líder com um jogo a menos. O CAMpeonato ainda está aberto.
    Que o GALO pare de se sabotar;
    Que o Iluminado, e estudioso treinador não fique de invencionices e que coloque esses caras pra treinar finalizações;
    Que os atletas entendam a importância de levantar um BR, tanto para o currículo deles e principalmente para nós torcedores. Eles passam, o legado fica…
    Que o GALO esqueça desse complexo “Robin Hood” e passe o trator no Vaxxco, como fez no 1º turno . Nada menos do que a vitória amanhã. Nada menos do que os 03 pontos.
    Um jogo por vez. Uma final por vez.
    Vamo GALO.. Vamo GALO!!
    Saudações!

  6. PARABÉNS MAX PEREIRA PELO BELO TEXTO.
    MAS , COM UMA RESSALVA , GALO DE VERMELHO , NÃO DÁ , CRUZ CREDO , DEUS NOS LIVRE.
    O GALO É PRETO E BRANCO , AS DUAS CORES DA MINHA PREFERÊNCIA , E DEVE CONTINUAR ASSIM , PARA TODO O SEMPRE. AMÉM.
    QUE SAUDADE DO MINEIRÃO COM MAIS DE 100.000 PESSOAS , ATRÁS DE UM MAR DE BANDEIRAS ALVINEGRAS EM LISTAS COMO DEVE SER. UM ESPETÁCULO À PARTE. UM SHOW.
    OBS – NÃO GOSTO DESSAS BANDEIRAS DE HOJE DE ALGUMAS TORCIDAS ORGANIZADAS. SÃO DESCARACTERIZADAS E FEIAS. PÉSSIMO GOSTO.
    ANTES DO JOGO CONTRA O GRÊMIO EU ESCREVI :
    SE NÃO GANHARMOS DO GRÊMIO É PORQUE NÃO TEMOS TIME PARA SER CAMPEÃO.
    REPITO :
    SE NÃO GANHARMOS DO VASCO É PORQUE NÃO TEMOS TIME , NEM “TÉCNICO” PARA SER CAMPEÕES .
    SAMPAOLI ERROU FEIO NAS SUBSTITUIÇÕES , O TIME VINHA BEM , APÓS AS MUDANÇAS CAIU DE PRODUÇÃO.
    ALÉM DISSO , O GALO ESTÁ CANSANDO NO SEGUNDO TEMPO. O PREPARO FÍSICO ESTÁ A DESEJAR.
    E VOLTO A DIZER , TIME SEM UM EXTRAORDINÁRIO GOLEIRO NÃO GANHA TÍTULO E NÃO TEMOS ESSA IMPORTANTÍSSIMA PEÇA .
    EM 1971 TÍNHAMOS O EXCELENTE RENATO E EM 2013 / 2014 TÍNHAMOS VÍTOR FAZENDO VERDADEIROS MILAGRES.
    A DIRETORIA NÃO PODE IR NA ONDA DE SAMPAOLI ,
    “PRECISAMOS DE UM GOLEIRO ” .

    1. Prezado Paulo.,

      Jogar excepcionalmente com a camisa vermelha da FMF e por de joelhos a seleção canarinha tricampeã do mundo não tem preço e ficou na história.

      O Galo já jogou também de camisa amarela e calção azul anil e, por mais de uma vez. Para quem não sabe ou não se lembra o Atlético envergou por mais de uma vez o uniforme da seleção brasileira e dobrou algumas das melhores seleções do mundo na época. Yoguslávia, antes da guerra fratricida que a dividiu em quatro países, Rússia, Hungria e também o Spartak da antiga Checoslováquia, outro país cindido após a queda da União Soviética, experimentaram o poderio do Galo canarinho.

      O time tcheco era na época base da forte seleção de seu país e um dos mais poderosos do velho continente.

      Em todos estes jogos, embora a casca não fosse preta e branca, o sangue e a crista vermelhos do Galo Forte vingador estavam presentes.

      Um momento, porém, eliminou qualquer dúvida que por ventura ainda restasse de que quem estava em campo de fato era mesmo o alvinegro das Gerais. É que, após balancar as redes de Félix, fazendo o gol da vitória do Galo sobre o Brasil. Dário Peito de Aço comemorou mostrando para a massa que por baixo da camisa vermelha ele usava o manto sagrado. O Mineirão explodiu.

  7. Por vezes falo que não vou mais participar desse Blog, mas volto. A minha “desculpa”, sem enrubescer, é dizer que estava de TPM quando fiz tal afirmação. Já outros aí…
    Desculpa esfarrapada, volto porque textos como esse de hoje deixam meu coração quentinho.
    Eu amo conhecer histórias da minha gente Preta e Branca, obrigada, Max.
    Dia desses o Viana, carinhoso como só ele sabe ser (né Vuvy) me disse entender não ter sido um bom negócio a troca do Paulo Isidoro pelo Éder. Eu era muito pequena não entendia (ainda não entendo) nada de futebol para opinar se foi bom ou não. São dois Gigantes.
    Essa lembrança disparou um gatilho em mim: Éder foi meu primeiro ídolo como jogador, como muso também. Oh, homem bonito!
    Então pensei, fato é que as crianças de hoje não têm um ídolo para chamar de seu, o último foi/é São Victor que nos ajudou a termos a “Libertação”, e não foi apenas com Fé.
    Precisamos do Título para fidelizarmos as crianças de hoje, sobretudo para confortarmos as crianças que um dia fomos e tanto sonhamos. Mas só o “ Ato de Fé” não basta, pois “a Fé sem obras é morta”.
    Pra cima deles, Galo!


    Paulo Silva,
    Você sempre tem razão, devo me poupar. O Time (e Sampaoli) já consomem minhas energias por demais.

    1. Lucy, boa tarde.

      Fico feliz por ter levado um pouco de calor ao seu coração.

      Já produzi outros textos lúdicos com este em outros espaços, como na minha coluna Preto no Branco no Fala Galo que também é reproduzida no One Football e aqui no Portal UAI.

      Renovo o convite para você conhecer mais desses personagens citados no texto e outras historias do Galo, acessando https://www.falagalo.com.br/preto-no-branco/marcas-de-uma-paixao-em-preto-e-branco-historias-ou-estorias-quem-sabe/ e lendo o meu artigo “MARCAS DE UMA PAIXÃO EM PRETO E BRANCO: HISTÓRIAS OU ESTÓRIAS? QUEM SABE?”, Coluna Preto no Branco no Fala Galo.

      Um grande abraço em preto e branco.

    2. Lucy,

      Lembrei-me, também, do artigo de minha autoria, publicado aqui no Canto do Galo no primeiro dia deste ano, 1.1.2021, intitulado “ ENTRE RETROSPECTIVAS E PREVISÕES, UM FELIZ 2021 (https://blogs.uai.com.br/cantodogalo/entre-retrospectivas-e-previsoes-um-feliz-2021/).

      Neste artigo narrei um jogo com quantos gols você quiser e que só é possível no imaginário de um galista apaixonado.

      Se ainda não leu, venha acompanhar e sonhar.

      Saudações atleticanas.

  8. Pergunta que não quer calar…

    Porquê a Diretoria Atleticana não apresenta um projeto para um ZAGUEIRO que jogue pelo lado direto da defesa?????

    Nada contra o Hulk vir jogar no nosso CAM, mas nesse momento, a defesa precisa ser reforçada por um ZAGUEIRO de respeito, do tipo chegar e assumir a posição de titular ao lado do Alonso, simples assim!!!!!!

    Daqui a pouco começa outro Brasileirão/Libertadores/Copa do Brasil e com Rever em fim de carreira, Rabelo e Gabriel, as chances de conquistas diminui bastante!!!!!

  9. Imagino que hoje seja um grande dia para o blog e para qualquer atleticano que crie conteúdo e se posicione de forma crítica!
    O CAPACHO SANGUESSUGA que ficava ligando em jornal e mandando tirar faixa foi DEMITIDO!
    Obrigado Sergio Coelho, nessa você acertou!
    Salário? 50 mil reais
    Adeus, Domenico, seu COVARDE! NÃO VOLTE NUNCA MAIS!

    1. Calma, Atleticano Chato! Ele anda tem que receber o acerto trabalhista… vai voltar, com certeza! Aguardemos!

  10. O blog hoje ‘tá demais !!!

    1.
    Primeiro, a lembrança da Lambreta, figura
    queridíssima dos universitários , presença
    obrigatória nas disputas dos campeonatos
    de salão da época .

    Numa final da Odontologia ( com certeza )
    e Medicina ( tenho dúvidas ) no ginásio do
    Minas, ela foi carregada em triunfo pela
    rapaziada e homenageada na quadra .

    Ah! , velhos e bons tempos !!!

    2.
    E a turma hoje está impossível , vejamos :

    ” … no entanto ,o treinador do Galo , que
    alguém aqui já disse que é um estudioso
    de nossos adversários, e eu não acredito,
    deve ser capaz de anular o esqueminha
    com sua EXPERTISE INTERNACIONAL .”
    SILVA , Paulo

    “…sinceramente , a torcida do Atlético
    não merece perder mais um título por
    absoluta incompetência … ”
    SÁVIO , Domingos

    Caras , vocês são demais !!!!!

  11. A bem da verdade dos fatos vale lembrar que
    a pedra sobre a conquista do título brasileiro
    este ano foi cantada lá atrás , e a certeza que
    nos movia nos era passada pela qualidade da
    concorrência , uma das piores de todos esses
    anos de disputa .

    Jogando um pouquinho só daria ( ainda dá )
    pra chegar .

    VIANA e eu dávamos como certa a conquista
    ainda em dezembro .

    Mas aí entrou o fator Sampaolli …

  12. Bom dia,

    Passo apenas para parabenizar pelo belo texto.
    Estou capinando uma roça com amigalo Batata, e por aqui a internet é coisa rara e intermitente, ontem me atrevi a escrever um longo texto e o perdi junto a conexão.
    Então, bom dia e que venha o Vasco com 3 pontos para o Galo.

    1. WELLINGTON E SOUZA

      quando você a mim se referiu pensei até
      que você estava preparando a terra para
      plantar “batatas” .

      Mas olha , o RICARDO deu uma dica pra
      lá de boa sobre a enxada que adquiriu :
      disse que foi uma Tramontina 3 libras .
      Ótima ferramenta !

      Você , seguramente , é um cara feliz .
      Longe da agitação virtual .
      Um abraço !

      1. Boa tarde J.BARATA e WELLINGTON E SOUZA
        Sigo firme aqui na capina também. rsrs..
        Essa 3 libras é da boa…
        Saudações.

  13. Caros,

    Tá chegando a hr NOVAMENTE! Viva o futuro e ele é amanhã! Êta SÃO JANUÁRIO! Vamo ver se o Sr. vai poder com NOSSA SENHORA DE LOURDES!

    AQUI e agora É GALO! Aqui é e sempre será PRETO E BRANCO!

    Pessoal, preza q NOSSO GALO dentro e fora de campo vem novamente FORTE e VINGADOR! Tá na hr! Ñ podemos desprezar a OPORTUNIDADE aberta de faturar o Br presente!

    Ñ depende de nós e isso ao contrário é ANIMADOR!

    É chegada hr de parar de comer as e pelas beiradas! Queremos o PRATO PRINCIPAL! Queremos o Br!

    O vasco ñ pode ser desrespeitado…ñ se ganha jg NENHUM de véspera e disso nós tamos tão VACINADOS q temo q qualquer dia desses a gente se transforme de GALO em JACARÉ! Cruz Credo! Ñ é hr de NEGAR a realidade, vamos vacinados! NOSSO GALO vai ter q jgr muito, mais do q contra o grêmio…

    Só a VITÓRIA interessa!

    Ontem, alguns entendidos SIMPATIZANTES da NOSSA agremiação CAM diziam na nossa AGRADÁVEL resenha diária, (graças a Deus estamos vivo ainda – Pessoal?, vamos VENCER esse Br porra, só isso!. NOSSO GALO é eterno, mas NÓS ñ e nós SOMOS o Galo. Alguém quer MORRER prá torcer pro NOSSO GALO no Céu? Fala Zezim?)…continuano…

    …diziam q o NOSSO GALO jogou como time GRANDE no Sul! FILOSOFIA DERROTISTA nada sutil, a ser combatida DEMAIS dentro do nosso IDEAL maior: Aqui é VENCER VENCER VENCER! Quem ñ respeita o REFRÃO ñ pode ser considerado Preto e Branco PURO SANGUE, misturas as cores..às vezes quem sabe um VERDE maduro…HULK, vem ai!…Deus me livre da LENGA LENGA da paçoca e da rapadura! …Porém, NOSSO GALO é popular e querido, nele cabe tudo qnt é cor…NOSSO GALO TB É MULTICOLORIDO. Viva! Q venha O Verde!

    A RECEITA! (Torcer é uma coisa, distorcer outra!) Ñ basta VESTIR, tem q jogar!

    RAPAZIADA y MOÇADA, velhinhos y velhinhas y todos y todas: Com todo respeito aos FANZOCAS, ñ podemos deixar acontecer chute a meia altura forte fraco ou do jeito q for, no canto. Vai ENTRAR. Contrata-se ENGENHEIRO DA OBRA PRONTA, procurar os Meninins!…Será q O Prof. SAMPAOLI tá estudando isso? O certo era a NOSSA DIREÇÃO procurar por aí, CAÇAR mesmo, um GOLEIRO. Creio q Rafael já entregou os pts…ser reserva de MÃO DE ALFACE, lá y aqui? Cruz Credo! …

    O SISTEMA DEFENSIVO do NOSSO GALO jgou muito em POA, neutralizou os sulinos. E ainda dizem q foi o grêmio q jogou mal. PQP!…É aquele negócio, se ñ VENCE, jogar BEM é pouco. FATO!…Nós, o ATLETICANOS temo q ter HUMILDADE! Quem fala MAL vendo NOSSO GALO de forma diferente do q a gente deve tá certo, afinal são CINQUENTAS coques desse mil novecentos e Kafunga…E falar, no NOSSO GALO o errado é q tá certo! Pronto!

    SISTEMA DEFENSIVO ñ é zagueiro, laterais e volantes. Sistema Defensivo é ocupação dos espaços e neutralização das ações INIMIGAS! Haja folêgo! O q ñ pode é entregar a RAPADURA e de brinde a PAÇOCA aos 40 do segundo! Aconteceu no último verão!

    Ô SAMPAOLI, fi! Ñ mexa no time por favor! Aconteça o q acontecer, é quem pegar a camisa jogada para o alto! PARA DE INVENTAR, prof!

    Obs: AmiGALAÇO toda vida pediu prá postar aqui, eu falei q ia pedir LICENÇA, se num ia ofender ninguém!: Vai lá:

    VIVA KALIL! O q ele quer SER ou Ñ SER na vida profissional dele, EIS A QUESTÃO! Prá q FICAR butucando vida alheia, se quer tocar lambreta q toque, caçar mão cabeluda, se quer ser ou ñ ser, que seja ou q ñ seja! Dentro do NOSSO propósito, aqui é SÓ GALO, O MAIOR PRESIDENTE DO CAM em todos tempos, respeitando é claro O Hors Concours abnegado RICARDO GUIMARAES!

    EU NÃO ACREDITO e pq Ñ!?!

    Abs!!

    1. Ser Atléticano é ser um bobo , uma mulher de malandro para não falar outro nome , é se vender a qualquer preço, estamos aplaudindo e apoiando a mesma banda q nos colocou na segunda divisão, q manchou nossa história com um rebaixamento, estamos apoiando um treinador q acabou com um clube , q tem o maior salário da Américas e tá aí, desrespeitando o clube , os funcionários q ainda estão lá, e q a troco de 300 famílias foi contratado esse treinador arrogante q acha q é dono de um time de mais de 100 anos, mais hoje eu até proponho q deve mudar o nome do clube Atlético Mineiro, deveria chamar MRV futebol clube ou BMG futebol clube , e até Associação Sampaoli MRV BMG futebol clube, e é o que eu digo para alguns amigos Cruzeirense, fica triste não daqui 15 anos Wagner Pires, Itair Machado e Sérgio nome do vão estar de volta ao Cruzeiro, igual Ricardo Guimarães, Rubens Menin e Sérgio Coelho depois de rebaxarem o Atlético estão de volta e ainda sendo chamados de mecenas , mais uma vez ACORDA TORCIDA DO ATLÉTICO.
      OBS: me estranha muito você Eduardo q defende o Atlético não fazer nenhuma referência a situação dos 300 funcionários demitidos e q não recebem seu acerto devido e q estão aí no meio de uma pandemia sem dinheiro algum , mais talvez isso não importa para ninguém né, 300 funcionários vários deles com mais de 20 anos de clube , isso não importa , oque importa é o Time atual e foda se o resto .

  14. Muito bem posto. Um ato de fé. Só pedimos que não transformem nossa fé em mera crença ou esperança. Como disse o poeta:

    “Esperança é esperar pelo ônibus que nunca passa…
    Ele não passa nesse ponto.”

    Está nos jornais que querem trazer o Hulk. Pelo preço do Hulk, aos 35 anos, não dá para pagar o Roger Guedes? Depois vão dizer na mídia que voltamos ao nível anterior do “venha se aposentar no Galo e ser feliz!”. E não vamos gostar. Foi um pedido do Sampaoli?

    Hoje saiu um ótimo comentário na seção de esportes do Portal Uai: times com defesas vazadas historicamente não vencem campeonatos de pontos corridos. É o estilo de torneio. Uma questão de lógica. Pontos corridos exige desempenho de melhor defesa. Não dá para ser de outro jeito. O raciocínio não é ganhar, é não perder pontos. É como um negócio. De que adianta fazer 2 ou 3 grandes vendas no ano se nos outros meses tem prejuízo? O que queremos? Uma vitória aqui, outra ali de 10 x 0 ou o bicampeonato brasileiro, o tri, o tetra…? Uma hora será preciso tomar essa decisão. Queremos paliativos ou queremos ganhos definitivos que ficarão expostos em nossa sala no Lourdes?

  15. Nobre bloqueiro, o time que venceu as cremosas, no final da copa toyota, não foi o Borussia e sim o Bayern de Munique,.

    1. Grande Édson,

      O rival, por incrível que possa parecer disputou duas vezes o intercontinental de clubes, a quem davam ao vencedor o título de campeão do mundo, na época não reconhecido pela FIFA. A primeira vez, em jogo de ida e volta, perdeu na Alemanha e empatou no Mineirao para o Bayern de Munique.

      A segunda vez, em jogo único, disputado no Japão e patrocinado pela Toyota, quando levou um time enxertado por jogadores que só vestiram a última naquela oportunidade, o rival foi derrotado por outra equipe alemã, o Borússia Dortmund, por 2 x 0. Falei deste último jogo.

      Um grande abraço.

  16. Bom dia Max. Bom dia Ávila. Bom dia a todos. Lendo o seu post e a citação do morador de rua e sua felicidade com a derrota do rival, me recordo de Armando Nogueira afirmando que o Geraldino( enfrentando sol e chuva nos estádios) busca no futebol a alegria que a vida lhe negou. Mas fato é que a rivalidade no futebol é muito legal. Por isto, eu lhe digo que já passei muitas raivas com o nosso Galo , que tem a mania de fazer grandes campanhas no Brasileirão e não ganhar o título ( somos penta-vice campeões do Brasileirão e chegamos em quatorze semifinais no sistema mata-mata). Dos títulos perdidos as minhas maiores decepções foram em 77, quando o Galo conseguiu a proeza de ser vice invicto e chutar três pênaltis por cima do travessão após o goleiro defender duas cobranças do adversário. E a eliminação em 85 na semifinal para o Coritiba também foi uma decepção. Sempre tentávamos e ainda tentamos jogar o nosso fracasso nas decisões nas costas da CBF, dizendo que a entidade protege os times do Rio e São Paulo. Pois em 85, eu fiquei animado: classificamos para a semifinal do Brasileirão juntamente com Brasil de Pelotas, Bangu e Coritiba. E não é que jogando, num Mineirão lotado, com Reinaldo de centroavante, ficamos num 0x0 com o Coritiba, depois de perder o jogo de ida. Enfim, eu já tinha desistido de ver o Galo Campeão do Brasileirão. Mas, surgiu a oportunidade: Galo disputando um único campeonato, investiu duzentos milhões, técnico de Ponta, VAR para dirimir duvidas da arbitragem. Eu pensei é agora. E vejo a tabela: Vasco, Goiás, Fortaleza, Fluminense, Sport, Bahia, time reserva do Santos e percebo que até o Internacional com Abelao de técnico conseguiu emplacar sete vitórias seguidas, aí surge a esperança de que desta vez iremos vencer os adversários citados e vencer este Brasileirão, para acabar.com a sina de perdedor que carregamos. Precisamos acabar com isto. A hora é agora. O Galo deve isto a nós atleticanos que já sofremos muito com incompetência do time nesse Campeonato. Além das cinco finais que perdemos, para mim, a pior decepção foi a final de 2011: tivemos a oportunidade de rebaixar o rival. Bastava ganhar de 1×0 . Ali seria a compensação de todos as cinco finais que eu perdi junto com o Galo. O resultado não compensa nem citar. Mas este ano pode vir a redenção: além da permanência do rival na serie B , quero comemorar o título do Brasileirão. Poxa temos condições. A hora é agora. Sinceramente a torcida do Galo não merece perder mais um título por absoluta incompetência.

  17. Bom dia Eduardo, Max Pereira, atleticanas e atleticanos que já viraram a chave para o jogo de amanhã contra o Vasco. Eu só tenho uma preocupação com esse jogo. O Vasco entrou na zona de rebaixamento e isso é um perigo para o Galo. O complexo de Robin Hood impede que o Galo jogue bem e vença os irmãozinhos em dificuldade.

    Espero que haja pelo menos uma sessão de terapia de hoje até a hora do jogo para amenizar esse complexo e o Galo possa fazer um jogo semelhante ao que fez contra o Grêmio. Que o treinador do Galo não mexa no time mais que o necessário, fazendo voltar o Jair. Com ele, sai o Igor Rabelo e o Guga fica sem proteção porque ter cobertura do Réver e dormir no sereno é a mesma coisa. Nesse caso o Jair jogará mais à direita e o Savarino voltará um pouco mais vezes para auxiliar na marcação.

    De resto é só jogar com a vontade demonstrada em Porto Alegre, colocar a alma na ponta da chuteira, ser inteligente bastante para aproveitar bem as oportunidades de gol, ter consciência de que essa vitória é essencial às pretensões do Galo, fazer o pãozinho deles cair com a manteiga para baixo e voltar vitorioso para fazer o dever de casa contra o Santos e o Fortaleza, merecedores da nossa pior vingança.

    Eu penso, realmente, que não teremos muita dificuldade em São Januário. O Vasco não tem time para criar problema para nós, mas tem um treinador tinhoso e capaz de armar uma retranca complicadora. No entanto, o treinador do Galo que alguém aqui já disse que é um estudioso de nossos adversários, e eu não acredito, deve ser capaz de anular esses esqueminhas com a sua expertise internacional.

    Obrigado Max Pereira, pelas lembranças e pelas “estórias” em preto e branco que sempre nos fazem orgulhosos de nossa história alvi-negra.

    Que linda sexta-feira hoje, muito calor e por coincidência é véspera de sábado com jogo do Galo. Tudo perfeito e propício para adiantar o fim de semana com a Stella e passar o domingo degustando essa lourinha, comemorando um hat-trick do Vargas.

    O GALO CONTINUA VIVO E PRONTO PARA MAIS UMA BATALHA FORA DE CASA. Vamos continuar com o terço na mão e o Galo no coração.

    1. Caro Roberto, bom dia.

      Nos artigos “Construir uma Identidade Própria: A Missão” (https://blogs.uai.com.br/cantodogalo/construir-uma-identidade-propria-a-missao/) e “A identidade e a essência do Atlético são inegociáveis” (https://blogs.uai.com.br/cantodogalo/a-identidade-e-a-essencia-do-atletico-sao-inegociaveis/), assinados por mim neste espaço e em outros ensaios. De minha labra publicados em outros sítios já deixei claro que para mim a preservação dos símbolos atleticanos é tão vital para o clube quanto o ar é para nós seres humanos.

      Mas, você me remeteu a uma terceira quarta-feira mística que aconteceu em 1969. Representando a seleção mineira, o Atlético jogou excepcionalmente com a camisa vermelha da FMF contra o seleção brasileira. E o Galo vermelho, como narrou o saudoso Vilibaldo Alves, conquistou uma descuras mais memoráveis e épicas vitórias descura história, ao derrotar a seleção brasileira, tricampeã do do mundo, por. 2 X 1, gols de Amauri, o Cabecinha de Ouro, e Dadá Maravilha, o Peito de Aço, por sinal um dos personagens do artigo de hoje.

      Muito obrigado e saudações atleticanas.

      1. Parabens MA(r)X PEREIRA pela EXCELENTE réplica…A prova CABAL de q o seu SANGUE É VERMELHO e ñ AZUL! Enquanto o Cabecinha de Ouro marcava um gol lá, o Cabeça de Vento, tomava um tá ligado aqui…tapinha carinhoso no bumbum ñ doi!

    2. bom dia Eduardo e massa e max pereira. grande texto max pereira e ótimas lembranças sua e dos ídolos do galo. a poucos dias disse aqui que o galo tinha doado o título para o São Paulo mas agora acho que foi doado para o inter. o inter vem de 7 vitórias consecutivas enquanto nosso galo pipocou nas decisões contra o mesmo inter.São Paulo. grêmio. então pardal sampaoli aprende com abel e não pipoca nas decisões temos 8 decisões pela frente e neste momento estamos em 4 lugar. a galo não nos decepcione mais. vai galooooo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.