Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

A reação do time e da Torcida começa no domingo

Permitam-me, com alívio, registrar a satisfação com a retificação da decisão do juiz liberando o Independência para o jogo de domingo. Em que pese até preferir que a partida fosse realizada no Mineirão  com ingressos a preços populares –, temia ter de ir a Sete Lagoas, como num passado recente. Punir clubes e torcedores por erros de governos e administrações anteriores seria, no mínimo, uma aberração. Parabéns, meritíssimo, pela reconsideração.

Dito isto, e depois de ler e ouvir muito sobre a reação da massa nos últimos tempos, me sinto compelido a incitar os Atleticanos a uma reação. Ontem mesmo, atendendo a um convite da ESPN, por intermédio do bom amigo Léo Bertozzi, fui instigado a falar sobre o comportamento da Torcida do Galo. Ultrapassa as divisas de Minas a percepção de que a massa mudou de comportamento.

torcida confiante

Até confesso que é visível entre nós a exigência por vitórias e títulos. Contudo, conclamo os Atleticanos a reagir. Sou dos tempos, como muito bem comentou o leitor José Roberto Rodrigues, em que, debaixo de forte sol e no cimentão, ouvíamos a torcida menor nos chamar de “cachorrada”. Nem preciso relembrar qual era o grito da nossa resposta. Bons e saudosos tempos. Vi o Galo reagir ao grito da arquibancada. Sair de campo derrotado, mas com o reconhecimento do Atleticano.

Os antigos sofrem muito mais hoje ao ver a manifestação dos novos e exigentes Atleticanos, que nem imaginam como foram as perdas dos títulos de 77, 80 e 99. Vamos reagir a partir da arquibancada. O apoio incondicional e histórico vai incendiar os jogadores no gramado. Assim foi e é a história do Galo, Forte, Vingador.

Léo Silva Superesportes
Fotos: UAI/Superesportes

A direção está se movimentando. O departamento médico começa a dar sinais de que vai liberar jogadores. Léo Silva, ao lado de Gabriel, como foi com Jemerson, vai dar certo. Mina (outro equatoriano),ao que parece, está chegando. Temos ainda mais de 30 rodadas pela frente e vamos reagir. O Atleticano acredita, sempre. Se temos quase que a seleção equatoriana aqui, não vamos deixar de ser a mais argentina de todas as torcidas brasileiras.

 

Reitero, a reação deve e tem de começar nas arquibancadas. Mulheres, homens, velhos, jovens e crianças; ricos e pobres; gente de todas as raças e credos, mas juntos e irmanados num só pensamento: Galo, sempre!

23 thoughts to “A reação do time e da Torcida começa no domingo”

  1. O noticiário de contratações do Galo é de enfartar qualquer um. Tava até gostando da especulação do zagueiro equatoriano e do lateral Fabio Santos, pensei! Bom, agora o Presida tá melhorando depois de ser orientado sobre o lesionado Felipe Macedo. Mas agora recaiu de novo, na imprensa tá a conversa do Fred. Não é possível um negocio desses. O cara é declarado da enseada das garças, tá em final de carreira, é mais um no DM, ganha um absurdo, com certeza vai dividir o elenco e querer mandar em tudo, iria incendiar a fogueira da discórdia com grupinhos contra e a favor. Bom, será q é problema q o Presidente tá procurando? Com
    Fred ele vai ter com fartura. Agora, se quiser um centroavante tbem matador, é só trazer o Rafael Moura, esse é atleticano, humilde, faz gol e já é nosso. É só dar uma compensação pro Figueirense, como o Hyuri, Carlos e o Neto Berola de lambuja, Pronto Presida, simples assim.

    1. Caro Zé Carlos, vamos ser otimistas. Fred é sabidamente o maior artilheiro do Brasil em atividade. É sinônimo de gol, pois já fez 318. Não é de se contundir com frequência, atuando em 571 partidas. Do meu ponto de vista, Nepomuceno acordou e fez excelente contratação. Se é pra gastar, foi muito melhor que a de Robinho. Fred voltou às origens e oxalá se torne o segundo maior artilheiro do Galo. Concordo com você que esses três atletas citados poderiam sim ser “trocados” pelo Rafael Moura. São estratégias distintas que tornam o futebol tão apaixonante. Me animei novamente.

  2. Só espero que esses modinhas que se acham atleticanos, fiquem por aqui e passem bem longe do estádio. Acreditem, o verdadeiro torcedor está voltando e esse não aceita que vaiem o Galo. Portanto, muito cuidado quando estiverem no estádio e cornetarem o time, alguém pode não gostar! Se for ao campo, vá com espírito para torcer e jogar junto com o time, vaidade e choradeira são características daquela torcida que TREME!! GALO ACIMA DE TUDO E DE TODOS!!

  3. Patric é o Câncer do Atlético e enquanto tivermos jogador como ele, seremos o time de catanha, bilu, mixirica…..
    O Kalil nos colocou onde nunca deviamos ter saído. ..da prateleira de cima dos tome sul Americanos e cabe ao Neburruceno manter o Galo lá. …onde é seu lugar.

  4. #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED #FORAFRED

  5. Muito bem colocado Eduardo, já escrevi aqui em situações anteriores que muitos torcedores tem que mudar a postura não podemos perder nossa Raiz jamais, também muito bem citado acima pelo nosso amigo Jose Roberto (F.A.O),
    Afinal somos conhecidos nacionalmente como Massa Alvinegra cujo a camisa 12 foi imortalizada justamente pelo apoio incondicional ao nosso glorioso galo forte e vingador.
    O galo é amor não é simpatia.

  6. ATE AQUI TEM MODINHA HEIM CARA VEM AQUI PARA FALAR QUE O VICTOR É FRANGUEIRO QUE O ROCHA É UMA AVENIDA, NÃO ENTENDE NADA DE FUTEBOL O CIDADÃO…SEU MODINHA DE SOFÁ

  7. Rabino Eduardo! Acredito, sim, numa reação. Mas é bom que você dê um jeito de fazer chegar aos ouvidos do Marcelo que, o Brasileirão, é um campeonato que se conquista ponto a ponto. Não é com goleadas. Portanto, que ele não repita os erros do jogo em Recife, quando tínhamos a vitória e os 3 pontos nas mãos. Outro detalhe: se ele entrar domingo com Lucas Cândido de lateral, estaremos perdidos e mal pagos. E já está na hora de prestarmos atenção no volante Rafael Carioca. É muito lento, dá toquinhos pra lá e pra cá. No domingo, prestei atenção no narrados da TV e ele não falava o nome do Carioca. O Donizete pode ter o defeito que for, mas não se omite: está em todas. Um Telê Santana não se eximiria de tirar esse jogador. O Eduardo joga mais que ele. Boa sorte para nós, desde que o Marcelo não faça bobagens.

  8. Oi Eduardo. Concordo. A reação tem que começar nas arquibancadas. Mulheres, homens, velhos, jovens e crianças: ricos somente! Os pobres têm sido impedidos de ir ao campo e ver o Galo jogar nas duas últimas gestões do clube.

  9. Eduardo, concordo plenamente em tudo. Sou da época de 1990 pra cá. Não senti a dor de 1977 e 1980. Mas sei e conheço muito bem como é ser assaltado, como em 1997. Conheço a tristeza de 1999, que foi no grito e na raça, com um time limitadíssimo. Mas eu tenho comigo que aqueles tempos não voltam mais. A “modernização” do futebol brasileiro pré-copa e pós-copa aniquilou o torcedor de arquibancada. A cada dia, o torcedor apaixonado se torna cada vez menos torcedor e mais consumidor. Torcedor de pay-per-view. Ele paga caro, muito caro, e exige um produto final que lhe agrade e dê satisfação. E quando não recebe este produto, ele protesta. Tenho saudade de quando a massa era a MASSA, insandecida, colocando o Mineirão abaixo. Fomos os responsáveis, na nossa loucura e paixão, pelas pilastras instaladas embaixo das arquibancadas no saudoso Mineirão. Espero, de coração, que não venhamos a ser mais uma torcida “modinha”.

  10. Grato pela menção estimado amigo ! Para mim , a F.A.O (Força Atleticana de Ocupação) – como nos chamava Dr. Fábio Fonseca – não sei se é vivo ainda – não morreu e sim está impedida de adentrar nestas novas arenas por motivos óbvios , no atual futebol ‘gourmet’ quem tem dois mirréis na algibeira não pode participar da festa , simples assim ! É só ver a diferença do comportamento do torcedor qdo o GALO joga no interior, para ver que a MASSA ainda vive, impedida de levar o GALO na cacunda , mas ainda vive! Vê-se muitas ações de marketing do CAM em vários locais,que deve desprender uma grana alta.Por que não pensar em um modo de usar este marketing em favor dos hoje ‘excluídos’ que estão loucos para apoiar o time, e , calar as cornetas do estádio, reservando por exemplo , um setor com preços de geral, onde fazer festa com papel picado seja permitido ? O Clube tbm tem de fazer sua parte e saber o que quer ,um torcedor fiel que carregue o time nas horas boas e mais ainda nas ruins (marca registrada da F.A.O ), ou, um sócio torcedor que só vai na boa e mesmo assim , se atrapalharem sua self e o espetáculo não superar suas expectativas , ele vai vaiar e reclamar … por que pagou ! Aí meu amigo ,aquela faixa de nossa 1ª organizada a Dragões da F.A.O – ATLÉTICO , FILOSOFIA MÁXIMA DE UM POVO – deixará de ter sentido e as cornetas enfim vencerão . SAN

  11. Vou estar aqui em casa (infelizmente) torcendo pelo Galo. Bem que eu gostaria de estar no Independência ajudando o embalo da torcida do Galo mas eu moro em Santo Antonio de Posse, SP e não vou poder estar lá.

  12. Na minha opinião a reação está no elenco do Galo. O Vitor já não defende nem bolas fáceis. O Marcos Rocha não acerta um passe ou centro e seu setor é uma avenida para o adversário. Lucas Cândido coitado, volte para a base. Rafael Carioca só joga de lado e, por isso o Galo não faz contra ataques O Carlos é jogador de futebol?
    O Atlético precisa urgentemente um esquema tático que procure a vitória. Parece que o Atlético abdicou de ganhar as partidas.
    É o que tenho a dizer.

    1. Hélcio, você falou e disse pontualmente quase tudo. Emendando, digo que Victor não pode ir pro banco, porque seu reserva é pior que ele. Nosso idolatrado goleiro tem que ir é para o CT e ficar por lá 24 horas/dia treinando saídas de bola pelo chão, jogadas aéreas e posicionamento da barreira. Seu pé direito é igual a zero, e parece que não faz questão também de melhorar. Quem paga mensalidade tem todo direito de exigir dos atletas e presidência. A torcida sempre apoiou o time, que na maioria das vezes deixou a desejar. Paixão quando extrapola a Razão atrapalha. Aqui tratamos de futebol profissional, segmento onde rolam milhões e milhões de reais. Sem títulos torcida nenhuma enche a barriga. Nem mesmo a do Galo. Já somamos mais de 68 mil sócios torcedores. Ainda bem que essa última geração de torcedores é bem mais exigente. A culpa é do Kalil, que colocou o Galo no alto do pódio. Queiram as forças do universo que de lá ele não saia!

  13. Saudações Alvinegras. Que nossa reação comece no domingo. Por mais que digam que a desculpa dos desfalques não convence mais. Eu discordo, pois já tenho notado evolução no time do Galo, e com todas os jogadores a disposição, Marcelo Oliveira irá fazer sim um bom trabalho. E as duas vezes que ficamos em vice, fizemos um ótimo primeiro turno e sempre vacilamos no segundo. Que agora as coisas se invertam e que o Galo embale na hora do sprint final. Borá meu Galo, fazer a Massa Feliz.

  14. É isto Eduardo, os jogadores machucados começaram a voltar, vamos pra cima, é o início da reação, o Marcelo Oliveira vai conseguir a colocar o Glorioso nos trilhos. É Galo Doido!

  15. Time grande vive de títulos. Quem vive de amor e paixão é motel. Depois de R10 o Galo mudou, é obrigação conquistar um título todo ano. E estamos a 45 anos sem conquistar o brasileiro. Entre os grandes do brasileirão é o que tem o maior intervalo deste título.

    1. Não é bem assim não, Fernando . Concordo em parte contigo porque entendo que torcedor não deve permitir que seja manipulado por cartolas e imprensa devido a sua paixão ,mas a cobrança irracional de parte da toricda do Atlético é tão inconcebível quanto desagradável.
      O torcedor não pode perder de vista as condições tuais do clube e ,acima d etudo, entender a sua importãncia para um time e até para instituição. Tocrcida que comparece nas adversidades, incentiva o time ,mesmo quando este não está bem nos jogos, fa muita diferença e muda até a História d emuitos campeonatos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.