Skip to main content
 -
Eduardo de Ávila
Defender, comentar e resenhar sobre a paixão do Atleticano é o desafio proposto. Seria difícil explicar, fosse outro o time de coração do blogueiro. Falar sobre o Clube Atlético Mineiro, sua saga e conquistas, torna-se leve e divertido para quem acompanha o Galo tem mais de meio século. Quem viveu e não se entregou diante de raros momentos de entressafra, tem razões de sobra para comentar sobre a rica e invejável história de mais de cem anos, com o mesmo nome e as mesmas cores. Afinal, Belo Horizonte é Galo! Minas Gerais é Galo! O Brasil, as três Américas e o mundo também se rendem ao Galo.

Patric vai e volta do céu ao inferno

Se existe um jogador no time Atleticano que aguça a bipolaridade do Torcedor, este é o Patric, que assina Cabral Lalau. Ora é tratado como ídolo, ora desperta a ira da massa. Concomitantemente, os três últimos treinadores – Levir Culpi, Diego Aguirre e até o Marcelo Oliveira, apesar de apenas numa partida – viram no jogador alguma qualidade que o Torcedor não consegue perceber.

Tido e havido como reserva da lateral direita, o jogador vem sendo sempre objeto de longas resenhas entre Atleticanos. Num dia, amam e idolatram o catarinense de apenas 27 anos, embora muitos atribuam a ele mais de 30; noutro momento, querem Patric longe da Cidade do Galo.

patric jogo 03

Aparentemente tranquilo, o jogador é sempre visto passeando pelos shoppings de Belo Horizonte. Ao que já pude perceber, gosta muito do Diamond e do Pátio. Não tem como passar despercebido.

Pois bem, ele chegou ao Galo em 2011, quando foi adquirido do Benfica de Portugal. Naquele ano, atuou 80 vezes e marcou oito gols, embora nunca tenha se firmado no time. Antes disso, o jogador já havia servido às seleções de base da CBF, tanto no sub-19 quanto no sub-20.

Em agosto de 2011 se envolveu numa polêmica com o treinador ao ser substituído numa partida frente ao Corinthians. Afastado do time, passou a treinar em separado, até que foi emprestado à Ponte Preta, depois Avaí, Náutico, Coritiba e, finalmente, ao Sport, onde se destacou e ficou nos anos de 2013 e 2014. O Galo antecipou o seu retorno, acreditando no potencial que vinha demonstrando no Nordeste.

patric jogo 02
Fotos: Atlético/Bruno Cantini

Convém registrar que gols inacreditáveis e relâmpagos, como os que marcou recentemente, são rotineiros em sua carreira. Em 2010, por exemplo, jogando pelo Avaí, contra o Internacional, marcou aos 15 segundos o gol mais rápido do Brasileirão daquele ano. Em setembro de 2014, no Sport, fez hat-trick na vitória dos pernambucanos sobre o Santos por 3 a 1.

De volta ao Galo, na condição de reserva imediato para a lateral direita, durante um longo período de ausência de Marcos Rocha, se envolveu numa polêmica assinatura de pré-contrato com o “Osmanlipor”, da Turquia. Foi novamente afastado, até que Levir Culpi interferiu e promoveu seu retorno, mas passou a utilizá-lo como atacante, mediante seguidos protestos do Torcedor.

Daí, veio Diego Aguirre, cujo trabalho e resultados não permitiram sua continuidade, e logo na estréia pela Copa Libertadores escala Patric lá na frente. Quando seu nome foi confirmado, Atleticanos inconformados começaram a execrar o treinador uruguaio. O Galo perdia o jogo por um gol e Rafael Carioca empatou, cabendo ao contestado Patric marcar o gol da vitória e virada.

De lá para cá, quem vai aos jogos é testemunha de que quando seu nome é anunciado o barulho é ensurdecedor. Uma parte aplaude e a outra parte vaia. Depois das duas últimas partidas, com o São Paulo pela Libertadores e frente ao Atlético Paranaense pelo Campeonato Brasileiro, sem medo de errar, afirmo: Patric tem de voltar à condição de lateral e disputar a vaga com Marcos Rocha, que deixou de ser unanimidade. Os incontáveis passes errados e bolas perdidas do “coringa” dos treinadores proporcionaram momentos de aflição de seus companheiros e entre os Torcedores.

Caberá ao novo treinador a solução definitiva, a bem de nossas coronárias!

Leia também:

Atleticano opina sobre Mineirão ou Horto

O Torcedor quer o Galo no Mineirão

Ousadia que gera esperança

Com os olhos no futuro

10 thoughts to “Patric vai e volta do céu ao inferno”

  1. Mariano passou pela mesma situação até ser dispensado por indisciplina. Brilhou no Fluminense e hoje brilha no Sevilla da Espanha. Patric tem seu valor e a torcida precisa ter mais paciência com ele, o menos culpado por estes esquemas inventados por Levir Culpi e Diego Aguirre.

  2. O Patric já detonou o Levir, Aquirre e te cuida Marcelo. É um lateral razoável, mas contar no com ele como opção para o ataque é uma afronta para o elenco. Estou analisando o que vejo em campo,

  3. Patric não! manda ele pra Lampiãos Ligue junto com o errapasseavenida Marcos Rocha, tem jogador da base muito melhor que os dois.

  4. Acabou o tempo de atacante do Patric com a chegada do Marcelo. Mas, acredito que ele ainda continuará sendo escalado no time titular como lateral improvisado na esquerda, pelo menos por enquanto, tendo em vista os vários desfalques provenientes dessa tal copa América que não serve pra nada. Em que pese minha preferência por Carlos César na esquerda, acredito que Patric assuma essa posição. No mais, prevejo apenas o banco de reservas ao patric, e se ele não gostar, que seja negociado. Aproveito para manifestar a extrema necessidade da contratação de um lateral esquerdo de oficio, porque Mansur não mostrou absolutamente nada até agora, nem mesmo para ocupar a reserva. Vamos buscar esses três pontos quinta feira na raça Galo!

  5. Ao contrário da maioria, acho que Patric de atacante é menos pior. De lateral não dá de jeito nenhum! Patric teve relativo destaque no Sport em 2014 jogando de ponta direita. Porém, ele é talvez o pior jogador tecnicamente que vi com a camisa do GALO. Ele passa mal, cruza mal, domina mal, atabalhoado, faz sempre as piores escolhas. Como tem um bom preparo físico, participa intensamente do jogo e às vezes acaba acertando. Erra 99 % das vezes, mas alguns insistem em lembrar dos (poucos) acertos. Particularmente, prefiro um jogador que acerte mais e erre menos. Respeito o atleta pois ele se entrega em campo defendendo nossas cores e não abaixa a cabeça mesmo depois de cometer erros bizarros, porém considero muito pouco para ele vestir nossa camisa. Quanto à reserva da lateral esquerda, a opção já está no elenco, o excepcional Lucas Cândido, grande jogador e que vem sendo pouco aproveitado nesta temporada. SAN

  6. […] ‘ viram no jogador alguma (qualidade) que o Torcedor não consegue perceber.’ […] Estimado, a (qualidade) que os treinadores veem em Patric, é a obediência tática e o esforço dele nos jogos . Caso o grande esforço dele fosse substituido por um pouco de técnica ,já pensaste o jogador que seria ? Pois é ! Em todo time tem um craque e o carregador de pianos, para o craque aparecer,o carregador de pianos tem de fazer o trabalho sujo , que é o caso dele . Que o Marcelo utilize este esforçado jogador do GALO,na sua real posição ou então,que o coloque para carregar o piano qdo for necessário .Num CAMpeonato longo em que a regularidade se faz necessária e contusões são constantes, às vezes é bom ter um coringa nas mãos e o Marcelo tem o dele . Lembrando ! nem Jesus Cristo agradou à todos … portanto (?) SAN

  7. Gosto do Patric, é valente, esforçado, mas não dá. Realmente é um bom reserva para a lateral e digo mais, poderia até ser escalado como titular para fazer sombra no Marcos Rocha que anda jogando uma bolinha.
    Marcelo, não vai nos decepcionar, né?

  8. O Patric foi utilizado pelo Levir, pela primeira vez por absoluta falta de opcao de atacantes naquele momento. Deu certo contra o Fluminense e em alguns outros jogos . A grande vantagem dele é sua disposição fisica (talvez a unica vantagem). Se temos atacantes de oficio neste elenco, nao vejo porque continuarmos insistindo com o Patric no ataque! Por outro lado vejo uma fragilidade enorme na nossa lateral direita, justamente por falta de voluntariedade do M. Rocha. Nao seria a hora de colocar o Patric la?

  9. Amigo Dudu,
    O Patric nada mais é, que o reserva do Avenida Marcos Rocha. Se o Marcelo quiser usar o Patrick nessa posição, que vá em frente, pois nesse momento, não sei quem é pior. Vamos aguardar o jogo desta quinta-feira, aí vamos ver o que acontece. Um abraço, Aqui é Galo Porra!

  10. Patricão da Massa já atuou na frente em sua formação na categoria de base. Ele é tático, tem pouca técnica porém muita disposição. Assim acaba agradando os técnicos que preferem um jogador polivalente do que outro mais técnico que jogue apenas no campo de defesa ou apenas no ataque.

    Agora com a ida do douglas para a seleção creio que não haverá nenhum jogador na esquerda que renda mais que Patric. Então é hora de apoiar a escolha do Marcelo que provavelmente irá “adaptá-lo” na esquerda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.